Andar Descalço

Resumo da matéria

  • Andar descalço ajuda as crianças a fortalecer os pés e a parte inferior das pernas enquanto melhora a propriocepção e o equilíbrio
  • Certos calçados, incluindo chinelos e calçados apertados ou de salto alto, podem danificar a estrutura do pé e alterar a dinâmica de como você anda
Artigo Anterior Próximo Artigo

Por Que Crianças e Adultos Devem Andar Mais Com os Pés Descalços

13 Junho 2017 | 1,932 Visualizações |

Por Dr. Mercola

Qual foi a última vez que você tirou os sapatos e caminhou pela grama - ou deixou a lama entrar entre os dedos dos pés ou deixou a areia aquecer a planta dos pés?

Andar descalço  quase se torna um tabu depois de você passar da idade escolar e até mesmo as crianças são frequentemente repreendidas se tiram seus sapatos para andar descalças.

Mas há muitos benefícios, e geralmente pouco risco, ao se andar descalço com mais frequência, tanto para crianças quanto para adultos. Muitos dos que adotaram um estilo de vida descalço dizem que fizeram essa mudança porque andar descalço parece natural; parece bom.  

“Isso pode parecer piegas, mas há algo de bom em sentir a terra na qual você está andando. Você está apenas mais conectado ao mundo”, disse Kyle Vaughn, um devoto do andar descalço à ABC News.

Enquanto alguns consideram que andar descalço é uma moda, aqueles que vivem o estilo de vida descalço dizem que os sapatos são a verdadeira moda e devem ser usados mais como ferramentas - por exemplo, devem ser colocados quando há neve no chão ou quando você está andando no asfalto quente - depois guardá-los até serem necessários novamente.

Ficar Descalço Pode Ser Bom Para Seus Pés

A objeção primária a andar descalço é que você pode ferir seus pés se você pisar em um objeto afiado. Isso é verdade, mas seus pés têm maneiras de compensar isso, como ao criar uma pele mais dura, conforme você fica mais tempo descalço. Além disso, conforme escrito no Washington Post:

“Tanto as crianças quanto os adultos que andam com os pés descalços frequentemente também estão mais conscientes de seus arredores, e eles conseguem detectar facilmente um objeto pontiagudo que eles devem evitar.”
Seus pés têm mais de 200.000 terminais nervosos, tornando-os incrivelmente sensíveis, justamente para esse propósito. As crianças, em particular, podem se beneficiar de caminhar com os pés descalços, tanto quanto for possível.

Isso ajuda a fortalecer seus pés e parte inferior das pernas enquanto aumenta a propriocepção, que é a percepção inconsciente de movimento e orientação espacial decorrentes dos estímulos dentro do seu próprio corpo. A especialista pediátrica Dra. Kacie Flegal disse ao Washington Post:

"Uma das formas mais simples de motivar o desenvolvimento proprioceptivo e vestibular é deixar nossos bebês ficarem com os pés descalços, tanto quanto for possível... Outro benefício para manter os bebês com os pés descalços é o encorajamento da presença da mente e percepção consciente.

À medida que as pequenas plantas dos pés dos bebês sentem, se movem e se equilibram na superfície que estão explorando, as informações enviadas para o cérebro das vias táteis, proprioceptivas e vestibulares acalmam ou inibem outras entradas sensoriais extrínsecas.

Isso cria foco e conscientização de andar e se mover pelo espaço; os bebês ficam mais atentos aos seus arredores."

Os Sapatos Muitas Vezes Machucam os Pés

Vinte e cinco por cento dos seus ossos estão localizados nos pés e nos tornozelos, e seus pés são a base do seu corpo, carregando todo o seu peso. Com 26 ossos e 33 articulações em cada pé, há muitas oportunidades para que algo dê errado, especialmente se você escolher calçados inadequados ou inapropriados.

Alguns calçados, incluindo chinelos e calçados apertados ou de salto alto, podem danificar a estrutura do pé e alterar a dinâmica de como você anda.

Por exemplo, os saltos altos (geralmente descritos como uma altura de salto de 5 centímetros ou mais) deslocam o pé para a frente em uma posição não natural com um maior peso sobre os dedos do pé.

Seu corpo se inclina para a frente, então você se inclina para trás e arqueia suas costas para compensar. Esta postura muda o caminhar humano normal e acrescenta uma tremenda tensão em seus quadris, região lombar e seus joelhos.

Quando usados em longo prazo (definido como pelo menos 40 horas por semana durante um mínimo de dois anos), os saltos altos levam a um "aumento substancial nas tensões do fascículo muscular, e a ativação do músculo durante a fase de apoio, em relação ao caminhar descalço".

Além disso, de acordo com Tony Bruno, especialista certificado em técnicas de ativação muscular, usar chinelos pode causar alterações disfuncionais e dor no seu pé, e essas mudanças podem afetar sua cabeça, pescoço e mandíbula.

Por mais surpreendente que possa parecer, algumas pesquisas sugerem que mesmo os sapatos de corrida modernos, com seus saltos elevados e altamente amortecidos, podem causar problemas, incentivando os corredores a atingir o chão primeiro - um movimento que gera uma força de colisão maior com o solo, o que leva a uma maior possibilidade de lesão.

Os movimentos aos se caminhar com o antepé e calcanhar provavelmente eram mais comuns quando os seres humanos corriam descalços ou com uma forma mínima de sapatos e isso pode proteger seus pés e membros inferiores de algumas das lesões relacionadas ao impacto atualmente experimentadas por uma alta porcentagem de corredores.

O Uso de Sapatos Pode Levar a Maiores Taxas de Lesões

Muitas vezes se supõe que andar sem sapatos é perigoso, mas se você tomar precauções lógicas é improvável que isso cause algum dano a você. No mundo desenvolvido, por exemplo, é improvável que você contraia parasitas ou doenças infecciosas ao caminhar descalço.

É mais provável que você contraia essas doenças através das suas mãos e não dos seus pés. O uso de sapatos, por outro lado, pode aumentar o risco de fungos e pé de atleta, e pode até aumentar o risco de ferimentos. Pesquisas analisadas por Michael Warburton, um fisioterapeuta na Austrália, revelaram que:

  • As lesões crônicas relacionadas ao funcionamento do osso e do tecido conjuntivo nas pernas são raras nos países em desenvolvimento, onde a maioria das pessoas está habitualmente com os pés descalços
  • Onde as populações de pés descalços e calçados coexistem, como no Haiti, as taxas de lesão nas extremidades inferiores são substancialmente mais elevadas na população calçada
  • O uso de calçados aumenta a probabilidade de entorses de tornozelo, uma das lesões esportivas mais comuns, porque diminui a sua consciência da posição do pé ou aumenta o torque de torção no tornozelo durante um tropeço
  • Uma das lesões crônicas mais comuns em corredores, a fascite plantar (uma inflamação do ligamento que corre ao longo da planta do pé) é rara em populações descalças
  • Correr com os pés descalços reduz o consumo de oxigênio em uma pequena porcentagem

Os Tarahumaras, um povo que mora no noroeste do México, são uma das poucas culturas modernas que ainda adotam um estilo de vida descalço e são famosos por correrem descalços.

Essa tribo está entre os corredores mais qualificados do mundo, conseguindo correr por até 321 quilômetros em um período de dois dias. Notavelmente, eles correm com os pés descalços, e tem se sugerido que esse é o motivo da sua notável habilidade atlética.

Contato com a Terra: O Benefício Frequentemente Negligenciado de se Tirar Seus Sapatos

Quando você anda com os pés descalços, você consegue experimentar o contato eletricamente condutor do seu corpo com a superfície da Terra, um fenômeno conhecido como  aterramento .

A Terra carrega uma enorme carga negativa. É sempre rica em elétrons e pode servir como um poderoso e abundante suprimento de elétrons antioxidantes e de radicais livres. Seu corpo está perfeitamente sintonizado para "trabalhar" com a Terra, no sentido de que existe um fluxo constante de energia entre o seu corpo e a Terra.

Quando você coloca os pés no chão, você absorve grandes quantidades de elétrons negativos através das solas dos pés. O efeito é suficiente para manter seu corpo no mesmo potencial elétrico negativamente carregado da Terra.

Este simples processo de aterramento é um dos antioxidantes  mais potentes que conhecemos. O aterramento demonstrou aliviar a dor, reduzir a inflamação, melhorar o sono, melhorar o bem-estar e muito, muito mais. No vídeo acima, você pode ouvir minha entrevista com James Oschman, especialista em medicina energética.

Oschman, juntamente com uma dúzia de outros pesquisadores, realizou pesquisas sobre os efeitos fisiológicos do aterramento.

Mais de uma dúzia de estudos foram publicados em revistas revisadas por especialistas, que mostraram seu benefício no combate à inflamação, melhora da resposta imune, da cicatrização de feridas e na prevenção e tratamento de doenças crônicas inflamatórias e autoimunes.

Muitos Sapatos Interferem no Contato com a Terra

Muitas pessoas passam a maior parte das horas em que estão acordadas usando sapatos com sola de borracha ou plástico. Esses materiais são isolantes muito efetivos que vão te desconectar do fluxo de elétrons natural da Terra. Andar com os pés descalços é uma das maneiras mais fáceis e melhores de se ficar em contato com a Terra, mas você precisará fazer isso na superfície certa.

Os sapatos com sola de couro também permitem que você fique em contato com a Terra. Boas superfícies para contato incluem:

  • Areia (praia)
  • Grama (de preferência úmida)
  • Solo descoberto
  • Concreto e tijolo (desde que não tenham sido pintados ou selados)
  • Azulejo de cerâmica

As seguintes superfícies NÃO promovem contato com a Terra:

  • Asfalto
  • Madeira
  • Borracha e plástico
  • Vinil
  • Piche

No mundo atual, fazer isso é mais importante do que nunca, porem, na realidade, cada vez menos as pessoas se conectam à Terra desta forma. O estresse dos radicais livres devido à exposição à poluição, aos cigarros, aos inseticidas, aos pesticidas, às gorduras trans e à radiação, apenas para citar alguns, continuamente esgotam os elétrons do seu corpo.

Ao apenas ficar ao ar livre, com os pés descalços, tocando a Terra e permitindo que o excesso de carga no seu corpo se descarregue na Terra, Você pode aliviar parte do estresse continuamente colocado no seu organismo. Por isso, da próxima vez que você sentir vontade de tirar seus sapatos, vá em frente e faça isso. Você pode acabar gostando.

Artigo Anterior Próximo Artigo

Aviso legal: Todo o conteúdo deste site baseia-se nas opiniões do Dr. Mercola salvo expresso em contrário. Os artigos individuais baseiam-se nas opiniões do respectivo autor, que detém os direitos autorais conforme indicado. As informações deste site não pretendem substituir a relação individual com um profissional de saúde qualificado nem devem ser consideradas recomendação médica. Sua finalidade é compartilhar conhecimentos e informações a partir da pesquisa e experiência do Dr. Mercola e sua comunidade. O Dr. Mercola incentiva você a tomar suas próprias decisões de saúde com base na sua pesquisa e em conjunto com um profissional de saúde qualificado. Se você estiver grávida, amamentando, tomando medicação ou tiver um problema de saúde, consulte o seu médico antes de usar produtos baseados neste conteúdo.