Deficiência de Iodo: Sinais, Sintomas e Soluções para o Funcionamento Inadequado da Tireoide

Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O hipotireoidismo é muito mais comum do que se pensava.

Os hormônios da tireoide são usados por todas as células do organismo para regular o metabolismo e o peso corporal controlando a queima de gorduras para produção de energia e calor. Os hormônios da tireoide são igualmente necessários para o crescimento e o desenvolvimento em crianças.

O Iodo é a Chave para a Saúde da Tireoide

O iodo é a chave para se ter uma tireoide saudável e um metabolismo eficaz e compreende grande parte da própria molécula do hormônio da tireoide.

Até os nomes das diferentes formas de hormônios da tireoide refletem o número de moléculas de iodo ligadas – o T4 possui quatro moléculas de iodo e o T3 (a forma biologicamente ativa do hormônio) possui três – demonstrando quão importante é o papel desempenhado pelo iodo na bioquímica da tireoide.

A deficiência de iodo é uma das três deficiências nutricionais mais comuns, juntamente com o magnésio e a vitamina D.

Sendo o iodo tão importante para o funcionamento da tireoide, não seria de se esperar um aumento de casos de hipotireoidismo devido aos níveis insuficientes de iodo?

Sim, e isto é exatamente o que temos visto.

Isto significa que o problema de sua tireoide pode ser, na verdade, um problema de deficiência de iodo.

Se você sente-se lento(a) e cansado(a), tem dificuldade para perder peso, tem pele seca, perda de cabelo, constipação ou sensibilidade ao frio,  isto tudo pode estar relacionado ao hipotireoidismo.

Mais de 100 anos atrás, o iodo demonstrou reverter e prevenir o bócio (inchaço da glândula tireoide) e corrigir o hipotireoidismo. Porém, agora nós entendemos que os efeitos do iodo vão muito além.

O iodo possui quatro funções importantes no organismo:

  1. Estabilização do metabolismo e do peso corporal
  2. Desenvolvimento do cérebro em crianças
  3. Fertilidade
  4. Aprimoramento do sistema imunológico (o iodo é um potente antibacteriano, antiparasitário, antiviral e agente anticancerígeno)

Enquanto os níveis de iodo caíram, houve simultâneos aumentos nas taxas de doenças da tireoide, nos casos de câncer de mama, de displasia mamária, câncer de próstata e obesidade em adultos americanos, e um aumento nos casos de retardamento mental e atraso no desenvolvimento de crianças americanas.

Por que os Níveis de Iodo Estão Caindo?

A deficiência de iodo está aumentando nos Estados Unidos. Suplementação simples pode não ser a resposta, pois as seguintes questões devem igualmente ser tratadas.

Dados de uma pesquisa nacional recentemente realizada sugerem que mais de 11 por cento do total da população americana, mais de 7 por cento das mulheres grávidas e quase 17 por cento de todas as mulheres em idade reprodutiva sofrem de deficiência de iodo.

O Estudo Dietético Total, realizado pela FDA, reportou um consumo de iodo na faixa de 621 µg para crianças de 2 anos de idade entre 1974 e 1982, em comparação com 373 µg entre 1982 e 1991. Durante este período, a indústria de panificação substituiu os agentes antiaglomerantes à base de iodo por agentes à base de bromo.

Além do desaparecimento do iodo do suprimento alimentício, a exposição a halogênios tóxicos concorrentes (bromo, flúor, cloro e perclorato) aumentou drasticamente.

Você absorve estes halogênios através do alimento, da água, dos medicamentos e do meio ambiente e eles, seletivamente, ocupam os receptores de iodo, aumentando ainda mais o déficit de iodo.

A fluoração da água é o principal contribuinte para a deficiência de iodo, além de ser bastante prejudicial para a saúde de diversas formas.

Outros fatores que contribuem para a queda dos níveis de iodo são:

  • Dietas pobres em peixe, mariscos e algas marinhas
  • Dietas veganas e vegetarianas
  • Redução do uso de sal iodado
  • Menor uso de iodetos nas indústrias alimentícia e agrícola
  • Uso de iodo radiativo em diversos procedimentos médicos, o qual concorre com o iodo natural

Efeito Wolff

Um grande motivo para que o iodo deixasse de ser usado foi o “Efeito Wolff-Chaikoff”,que foi um desastre para a saúde pública.

Um experimento foi realizado resultando em um caso de hipotireoidismo, o qual foi mal interpretado pelos pesquisadores como tendo sido causado pelo excesso do consumo de iodo. No entanto, foi administrado à pessoa iodo radiativo intravenoso – que é tóxico.  Não tinha nada a ver com alimentação ou consumo suplementar de iodo e os dois são completamente diferentes.

Ainda assim, relatos deste experimento espalharam-se rapidamente, criando um medo do iodo e causando sua retirada do suprimento alimentar dos americanos durante as últimas três décadas.

A deficiência de iodo é particularmente profunda no centro-oeste e na região dos Grandes Lagos nos Estados Unidos porque o iodo é tipicamente encontrado em solos próximos aos oceanos, enquanto o solo em áreas internas é deficiente em iodo. Na verdade, aquela região era chamada de “cinturão do bócio” devido à altíssima incidência de pessoas com bócio.

Haletos Tóxicos – Os Concorrentes Mais Ferozes do Iodo

O iodo é membro de uma classe de elementos relacionados chamados “halogênios” que incluem o bromo, o flúor e o cloro. Quando são quimicamente reduzidos, transformam-se em “haletos”: iodeto, brometo e cloreto. Estas são as formas geralmente encontradas nos alimentos, nos medicamentos e no meio ambiente.

O iodeto e o cloreto são benéficos em pequenas quantidades, porém o brometo e o fluoreto são tóxicos. Eles agarram-se nos receptores de iodo, bloqueando a ação do iodeto e dos hormônios da tireoide, resultando em, ou pelo menos, contribuindo para o desenvolvimento de diversas doenças.

Um dos principais problemas é que os haletos tóxicos ficam presos no organismo.

Não existe uma forma de desintoxicação conhecida para o bromo e para o flúor – o organismo simplesmente não consegue quebrá-los. Portanto, eles acumulam-se nos tecidos e causam prejuízos à saúde.

Brometos

Os brometos são uma ameaça ao sistema endócrino e estão presentes em todos os lugares ao seu redor.

Apesar do banimento ao uso do bromato de potássio em farinhas estabelecido pela Organização Mundial da Saúde, os brometos podem ainda ser encontrados em alguns medicamentos de venda livre, alimentos e produtos para cuidados pessoais.

O uso do bromato de potássio como aditivo em pães comerciais e produtos de panificação foi um grande contribuinte para a sobrecarga de brometos nas culturas ocidentais.

O bromato de sódio pode ser encontrado em produtos como ondulantes, tinturas para cabelos e corantes têxteis.

O benzalcônio é usado como conservante em alguns produtos cosméticos. Mesmo traços de bromo podem causar acne grave em pessoas sensíveis. E quem precisa de produtos para cuidados da pele que causam acne?

O bromo igualmente pode ser encontrado em retardadores de chamas usados em tapetes, colchões, estofados e mobília e em alguns equipamentos médicos.

Com base em pesquisas realizadas com animais, os brometos foram associados a alterações comportamentais e transtornos de desenvolvimento neurológico, incluindo o Transtorno do Déficit de Atenção, em crianças.

Os Estados Unidos estão muito aquém de colocar um fim à prática grave de permitir produtos químicos à base de bromo nos alimentos e produtos, enquanto outras nações já deram uma definição para o assunto:

  • Em 1990, o Reino Unido baniu o bromato em pães
  • Em 1994, o Canadá fez o mesmo
  • O Brasil recentemente tornou ilegal o uso de brometos em farinhas
  • A União Europeia baniu alguns compostos PBDE (éteres de difenila polibromados)

O que está nos atrasando?

Novamente, os lucros corporativos superam as preocupações com a saúde quando se trata de fazer o que é melhor para o público.

Ótimos Recursos para Melhor Aprendizado

Autora e defensora dos interesses de pacientes, Mary Shomon é uma das educadoras líderes em saúde da tireoide nos Estados Unidos e liderou o fórum consumidor mais popular, o chamado guia da tireoide About.com. Mary adverte pacientes com problemas de tireoide a não comprarem todo o estoque de produtos alimentícios saudáveis das lojas e sobrecarregarem-se com suplementos à base de iodo ou ricos em iodo, tais como algas e fucus.

De acordo com Mary, para algumas pessoas que não sofrem com deficiência de iodo, a suplementação com excesso de iodo pode, na verdade, piorar uma condição preexistente de problema de tireoide, ou ainda acionar uma disfunção da tireoide. A chave é consumir a quantidade ideal de iodo, nem em excesso, nem muito pouco.

A forma de avaliação do consumo de iodo é um teste de medição da quantidade de iodo excretada pela urina.

O protocolo geral requer que você tome uma dose de iodo, colete a urina por 24 horas e, então, envie as amostras para um laboratório onde é calculado o nível de iodo com base na quantidade de iodo que você está expelindo pela urina. Se você está interessado (a) em fazer o teste para avaliar a deficiência em iodo, este teste de iodo na urina é a forma mais precisa para avaliar o nível de iodo no organismo.

Elevando os Níveis de Iodo

Se você sofre de deficiência de iodo, recomendo a adição de vegetais marinhos à sua dieta.

A melhor fonte de iodo de forma orgânica que eu conheço é a alga marinha não comercialmente colhida. A dose é de cerca de 5 gramas por dia ou cerca de 28 gramas por semana, portanto 453 gramas deveriam durar cerca de dois meses.

É tipicamente melhor obter um nutriente a partir de um alimento natural sempre que possível do que a partir de um suplemento, portanto use suplementos somente como último recurso.

Alguns pacientes igualmente relataram que responderam melhor às formas de iodo via alimento, tais como algas marinhas, do que às formas via suplemento. No entanto, se você vai usar um suplemento, eu fortemente aconselho o uso do iodo supersaturado (SSKI) disponível como receita barata. Tipicamente, 1 a 3 gotas por dia é a dose necessária.

Por favor, evite usar solução de Lugol ou iodo, pois isso pode, na verdade, piorar a condição da tireoide.

O fato de a tireoide somente transportar iodo em sua forma ionizada (ou seja, iodeto) é extraído diretamente dos livros didáticos. A tireoide reduz o iodeto (I-) em iodo (I2) para usá-lo na formação da tiroglobulina. O organismo não usa o iodo diretamente. Ele precisa separar o I2 em dois íons I, que é uma reação de oxidação causadora do estresse oxidativo.   

Os transportadores de iodeto estão localizados em outras áreas do organismo além da glândula tireoide, incluindo as mamas e o cólon. Uma família de transportadores de iodeto é chamada de cotransportadora de iodeto de sódio e a outra é chamada de pendrina. Dr. David Brownstein (veja abaixo) fala sobre o cotransportador de iodeto de sódio, porém não menciona a pendrina.

No entanto, assim como qualquer transportador de íons, ele precisa sim de uma carga para mover a molécula através da membrana, o que significa que o iodo deve estar em sua forma ionizada.

É possível que algumas pessoas possam ver bons resultados com o uso do Lugol contra alguns males, porém de acordo com a especialista em autismo, Catherine Tamara, em sua experiência está bem claro que crianças com autismo, e suas mães, dão-se bem com o iodeto, porém não necessariamente com o iodo.

Manter os níveis de iodo no patamar ideal é particularmente importante se você é mulher pensando em engravidar, ou se já está grávida. Certifique-se de consumir algas marinhas ou vitamina pré-natal com a quantidade e a forma corretas de iodeto, não iodo, para ajudar a proteger seu bebê.

Dicas para o Aprimoramento do Funcionamento da Tireoide

David Brownstein, M.D., escreveu diversos livros sobre a tireoide e o iodo que são fonte valiosa para quem deseja obter mais informações.

Igualmente, Dr. Hyman faz algumas ótimas recomendações caso você tenha uma tireoide lenta:

  • Identifique e trate as causas subsequentes (por exemplo, deficiência de iodo, desequilíbrio hormonal, toxicidade ambiental, inflamações)
  • Ajuste sua dieta e entenda o papel da nutricão (iodo, assim como a tirosina, o selênio, as vitaminas A e D, o zinco, as vitaminas B e as gorduras ômega 3), alergias a alimentos, intolerância ao glúten e alimentos que contenham goitrogênicos, tais como soja, que interferem na utilização do iodo
  • Faça bastante exercício
  • Reduza o estresse
  • Desfrute saunas e banhos de imersão quentes para desintoxicação,
  • Use suplementos se necessário para apoio nutricional
  • Se você está consumindo hormônios para tireoide por menos de cinco anos, a maioria das pessoas acredita responder muito melhor com suplementação de hormônios naturais da tireoide que contenham todos os T1, T2, T3 e T4, e não somente o T4 como o Synthroid. O Armour Thyroid e o Nature-Thyroid são os melhores de que se tem conhecimento, porém os farmacêuticos formuladores podem igualmente emitir prescrições do hormônio natural da tireoide.

Quanto mais você puder eliminar os haletos tóxicos do organismo, mais iodo seu organismo será capaz de armazenar e melhor será o funcionamento da tireoide.

Laura Power, MS, PhD, LDN, oferece estas sugestões para aumentar a secreção do flúor e do bromo:

  • Alta dose de iodo
  • Alta dose de vitamina C
  • Sal marinho não refinado
  • Banhos de sais de Epsom
  • Suor em sauna infravermelha

O Futuro dos Medicamentos Naturais para Tireoide

A FDA fechou a produção de medicamentos naturais desidratados para tireoide e a distribuição de três grandes companhias e agora está considerando o medicamento natural centenário como “medicamento não aprovado”.

Uma das formas de tipicamente diferenciar um médico naturalista de um médico convencional é pelo tipo de terapia de reposição hormonal da tireoide que ele prescreve. Médicos naturalistas usarão quase exclusivamente produtos desidratados como hormônio da tireoide como o Armour Thyroid.

Coloquei milhares de pacientes sob esta terapia e minha experiência consistente foi que a maioria se deu melhor com ela do que com as versões sintéticas. As únicas exceções foram as pessoas que já estavam tomando os medicamentos sintéticos por mais de 10 anos. Parece que seu organismo teve bastante dificuldade para ajustar-se a uma nova terapia.

Tomar o hormônio da tireoide desidratado fora do mercado causará prejuízo, perigo e dano a centenas de milhares de pessoas e talvez mais que isso, a menos que tenham permissão de acesso a este substituto seguro e superior para tireoide.

A incerteza sobre o futuro das opções de medicamento natural para tireoide deixa vários pacientes e médicos preocupados e a Coalizão para Salvaguarda da Tireoide Natural foi formada como resposta.

Juntamente com sua primeira teleconferência proferida para discutir o futuro dos medicamentos naturais desidratados para tireoide (NDT), a Coalizão para Salvaguarda da Tireoide também criou o canal Salve a Tireoide Natural no YouTube, onde pacientes e médicos podem criar e postar vídeos de apoio à tireoide natural.

Eles igualmente formaram um Grupo para Salvaguarda da Tireoide Natural no Facebook para traçar estratégias e ajudar a manter os pacientes com problemas de tireoide informados. Se você ou algum ente querido usa hormônios bioidênticos, você pode querer aderir a este grupo para manter-se atualizado(a).

Se você foi recentemente diagnosticado(a) com hipotireoidismo ou se não está tomando hormônios sintéticos por muito tempo, fortemente recomendo o Armour Thyroid – um extrato natural da tireoide do porco que contém não somente o T3 e o T4, mas igualmente contém o T1 e o T2, que ajudarão a normalizar a resposta hormonal.

O fato de que a FDA pode agora rigidamente limitar ou eliminar esta opção é angustiante, pois é a melhor opção para muitas pessoas.