Por que o Sol é Necessário para se Ter uma Saúde Ideal

Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Como a luz solar, uma vez considerada como poder divino em algumas culturas, passou a ser classificada como carcinogênico do Grupo 1 pela Organização Mundial de Saúde (OMS)?

Esta é a pergunta feita pelo fotobiologista Dr. Alexander Wunsch, CEO da Medical Light Consulting em Heidelberg, na Alemanha.

Ela é fundamental porque mostra a dicotomia entre a luz solar nas culturas antigas e modernas. Uma vez reverenciada como poder de cura, hoje a luz solar é culpada por doenças e seres humanos são amplamente instados a evitar este elemento natural.

Luz Solar Utilizada para Combater "Doenças da Escuridão”

A luz solar era usada para fins médicos na Grécia antiga e na Arábia. No antigo Egito, era usada para controlar germes. O primeiro relatório "oficial" sobre o potencial médico do sol foi feito por Heródoto no século VI AEC.

Ele visitou uma área do Mediterrâneo onde os crânios deixados após uma batalha foram armazenados e observou uma diferença significativa de espessura entre os crânios egípcios e persas. Enquanto os crânios egípcios eram grossos, os crânios persas eram finos e bastante frágeis. Wunsch disse:

Então, esta é a primeira ideia, ou o primeiro relatório, do passado que mostra que havia uma conexão entre a luz solar e a robustez dos ossos no sistema humano.

Porque era isso o que Heródoto já tinha em mente, ou seja, que a luz do sol endurece os ossos, os crânios; ele pensou sim: os egípcios rasparam a cabeça, rezaram ao sol [e] expunham sua pele nua.

Os persas usavam chapéus grandes e se protegiam contra a irradiação solar. Ele também foi o primeiro a ter uma ideia sobre coisas que mais tarde aprenderíamos sobre a vitamina D."  

Formas aceitas de adoração ao sol existiam há menos de 100 anos, e até a década de 1950, a luz solar era amplamente utilizada para tratar as chamadas doenças da escuridão: tuberculose e raquitismo.

O Dr. Niels Finsen foi um dos primeiros a investigar os efeitos da luz solar cientificamente e, em 1903, recebeu o Prêmio Nobel pelo desenvolvimento de um método para usar a luz solar para tratar a manifestação cutânea da tuberculose, conhecida como lúpus vulgar.

De acordo com Wunch:

" … Enfermeiras - Finsen as chamava de "elfas da luz" –usavam  luz solar concentrada, focada através de lentes de quartzo na área afetada da pele, usando essas alças com câmaras vazias, cobertas em ambos os lados com lentes de cristal de quartzo.

A compressão da pele irradiada melhorou significativamente a penetração da luz. Os dois acessórios foram utilizados para conectar tubos flexíveis condutores de água de refrigeração para evitar queimaduras térmicas na pele. Este tipo de tratamento funcionou perfeitamente bem …"

O único problema era que a luz solar suficientemente forte só estava disponível por um número finito de dias no ano nas latitudes do norte.

Ele então inventou uma forma de tratamento usando lâmpadas elétricas de arco voltaico de carbono, promovendo a criação do que agora é conhecido como fototerapia, ou o uso da luz no tratamento de doenças físicas e mentais.

Helioterapia: Usando a Luz Solar para Curar

O trabalho de Finsen no tratamento do lupus vulgaris usando a luz solar abriu caminho para o trabalho do Dr. Auguste Rollier da Suíça. "Este homem iria se tornar o mestre da helioterapia moderna, o médico do sol", disse Wunsch, referindo-se ao uso da luz solar como uma forma de tratamento terapêutico para a doença.

Rollier teve sucesso ao tratar não apenas da manifestação cutânea da tuberculose, mas também da manifestação sistêmica da doença. Ele tratou pacientes com luz solar adaptando-os gradualmente à exposição à luz solar.

Rollier, que escreveu livros didáticos sobre a helioterapia, enfatiza que a composição das diferentes partes do espectro de luz tem importância crucial, não só para conseguir todos os benefícios que você pode obter do sol, mas também para se proteger de possíveis danos.

Por exemplo, enquanto a UVB sintetiza a vitamina D na sua pele, ela também pode alterar as estruturas do DNA e os raios ultravioleta A (UVA) da luz solar podem produzir espécies reativas de oxigênio no tecido, causando danos.

Para lidar com esses efeitos colaterais, sua pele precisa de outras partes do espectro de luz, como o infravermelho próximo e a luz vermelha, que transferem energia para suas células. Wunsch continua:

"Rollier tinha quase 50 anos de experiência com a helioterapia no final de sua carreira médica. Ele menciona especificamente em seu último livro que ele nunca viu um câncer de pele causado pela helioterapia. O contrário é verdade: ele mesmo tratou câncer de pele usando a luz solar."

Decifrando o Segredo da Síntese da Vitamina D

Em 1928, Adolf Windaus recebeu o Prêmio Nobel por decifrar o segredo da síntese da vitamina D.

Descobriu-se que a luz UVB promove a fotossíntese da vitamina D nas camadas externas da pele e Windaus desenvolveu a primeira preparação médica de vitamina D concentrada, que ainda é usada atualmente, por exemplo, para combater o raquitismo infantil.

Lâmpadas de sol foram usadas até mesmo para tratamentos em grupo, inclusive por mineiros de carvão. Administrá-los com dose diária de luz UVB ajudou-os a "trabalhar mais", disse Wunsch. Naquele período, a maioria dos médicos já acreditava que a luz solar era superior à luz artificial, e isso continua a ser verdade.

Não é apenas a produção de vitamina D que torna a exposição ao sol tão benéfica, mas também o acesso a todo o seu espectro de luz. De acordo com Wunsch:

" … A história demonstra que a luz solar natural e a artificial podem atuar como uma importante ferramenta de intervenção para prevenir e curar doenças devastadoras, quando usada com diligência.

Nossos antepassados tinham habilidades, conhecimentos e tecnologia para lidar com a luz solar em todas as regiões climáticas do nosso planeta, conhecimento esse que desapareceu em muitos cérebros humanos.

Antes da era dos antibióticos, a fototerapia era um tratamento de última geração na medicina contemporânea. Onde a luz solar natural não estava disponível, a luz solar artificial era usada com sucesso como substituto."

Embora nossos antepassados tenham aprendido a tratar doenças mais evidentes da escuridão usando o sol, muitas pessoas atualmente ainda estão sendo prejudicadas pela falta de luz solar.

Sua Pele é Feita para ser Exposta Gradualmente ao Sol

Todas as plantas e animais sabem exatamente o quanto o sol é benéfico para eles, de acordo com Wunsch. "As plantas se fecham, ou afastam suas folhas, até que suas zonas de colheita de luz molecular captem o suficiente. Animais procuram a sombra e se protegem usando sua pelagem", ele diz.

A pele humana não é protegida contra a luz solar através dos pelos, da maneira que acontece com muitos outros animais. Em vez disso, a pele humana é incrivelmente complexa e desenvolveu novas maneiras de proteger-se contra a radiação solar na ausência de pelos grossos.

Com a exposição gradual à luz solar, ocorre um mecanismo de aclimatação solar que provoca um processo de espessamento. "... O objetivo principal do espessamento é o acúmulo de proteção solar natural, alterando especificamente as propriedades ópticas da epiderme", explica Wunsch.

Pode demorar até quatro semanas para que sua pele esteja completamente protegida contra as condições solares locais, o que significa que os queratinócitos e as camadas da pele dos corneócitos estejam saturadas com pigmento de melanina. Além disso, o DNA que sobra nos queratinócitos na camada espinhosa de sua pele atua como um protetor solar natural adicional.

Este DNA é capaz de transformar 99,9 por cento da energia fotônica proveniente de fótons de comprimento de onda curta diretamente em calor, o que significa que apenas 0,1 por cento é transformado em radicais livres potencialmente perigosos. O mesmo vale para a melanina. Os protetores solares químicos, no entanto, muitas vezes levam à criação de radicais livres. De acordo com Wunsch:

" … Quando observamos os protetores solares químicos, aqueles protetores solares que foram usados há 20 anos, têm uma taxa de conversão de fótons de apenas 10%, o que significa que 90% da energia fotônica será transformada em radicais de oxigênio, em radicais livres.

E mesmo os protetores solares mais recentes têm uma taxa de conversão de fótons de 80 a 81 por cento. Se você usar protetores solares químicos, eles irão penetrar na sua pele e produzir espécies reativas adicionais de oxigênio."

De que Outras Formas a Luz Solar Afeta Você?

Estamos apenas começando a entender as várias formas pelas quais a exposição ao sol é necessária e favorável à saúde humana. No vídeo acima, você pode assistir minha entrevista com Wunsch, que explica por que o sol é necessário para se ter uma saúde ideal.

Os seres humanos são adaptados à luz solar como um estímulo complexo que, na dosagem apropriada, ajuda a manter nossos sistemas biológicos funcionando. Wunsch explica:

"A luz solar induz efeitos coordenados de adaptação endócrina. Isso afeta a atividade simpática e parassimpática e é um grande estímulo circadiano e sazonal para o relógio corporal. Nosso sistema, através dos olhos e através da pele, detecta as cores da luz no meio ambiente para adaptar o sistema hormonal às necessidades específicas do momento e do lugar.

É diferente se estamos sentados sob o sol no deserto, ou se estamos sentados sob um telhado de folhas ou debaixo de uma árvore em algum lugar da floresta. As cores que nos rodeiam informam, através dos olhos, ao nosso cérebro, ao meio do cérebro [e] aos centros de direção hormonal, o que acontece ao nosso redor e o que fazer para lidar com essa situação em particular."

Dado os muitos benefícios vitais da exposição ao sol, a classificação da OMS para a luz solar como sendo cancerígena (e recomendação para se evitar o sol) é similar a dizer que o oxigênio pode causar câncer porque é a molécula precursora dos radicais livres, então deveríamos parar de respirar, de acordo com Wunsch.

Está ficando claro que a exposição regular à luz do espectro completo é necessária e benéfica para a maioria das pessoas, e a saúde pública seria melhor atendida ao ajudar as pessoas a entender qual a "dose" otimizada necessária do que dizer às pessoas para evitarem o sol.

Para Aprender Mais, o Livro Escrito Há 100 Anos “Terapêutica da Luz” é uma Leitura Relevante

Se você estiver interessado em saber mais, Wunsch recomenda o livro " Terapêutica da Luz " do Dr. John Harvey Kellogg, que analisa o poderoso poder da luz como agente terapêutico. Embora este livro se refira à terapia de luz usada entre 1876 e 1927, Kellogg referiu-se a um momento em que a terapia de luz seria considerada a ser utilizada em todos os hospitais.

Wunsch acredita que esse momento é agora e os humanos estão prontos para, novamente, "enxergar a luz", de forma literal e figurativa. Ele conclui que apenas o ar fresco está no nível da luz solar como uma medida profilática (e a exposição à luz solar costuma ser acompanhada de ar fresco), observando:

"A falta de luz solar é provavelmente o fator dominante nas regiões nubladas sobre o aumento da taxa de mortalidade por tuberculose e distúrbios degenerativos através da prevenção do desenvolvimento normal e da redução da resistência vital.

… O interesse pela terapia de luz e da luz como agente profilático aumentou tanto que não pode estar tão distante o dia no qual todas as faculdades e todas as escolas públicas terão instalações para banhos de sol e luz solar artificial com lâmpadas de arco voltaico serão instalados em escolas, fábricas, edifícios de escritórios, dormitórios universitários, berçários e em hotéis bem mobiliados e casas particulares.

Uma grande parte do mundo civilizado está vivendo na sombra, tornando-se pálido e enfraquecido em consequência disso. Chegou a hora de toda a população despertar para então seguir a injunção feita nas Sagradas Escrituras de "Andar na luz". Isso foi dito por Kellogg, há 100 anos, e acho que ainda é uma mensagem contemporânea para todos nós."