Coma Estes Dois Alimentos Apenas se Quiser Envelhecer Mais Rápido e Morrer Mais Jovem

Tigela de Arroz

Resumo da matéria -

  • O debate altamente informativo entre dois dos principais especialistas nas recomendações de dietas com baixo teor de proteína, baixo teor de carboidratos e gorduras, Drs. Ron Rosedale e Paul Jaminet continua
  • Enquanto o Dr. Jaminet alega que a adição de certos “amidos seguros”, como batatas e arroz em uma dieta baixa em carboidratos pode melhorar consideravelmente sua saúde, o Dr. Rosedale discorda, pois esses alimentos criam aumentos significativos nos níveis de glicose e insulina no sangue
  • Consumir amidos, como batatas e arroz, aumentará o nível de açúcar no sangue até certo ponto, o que, em última análise, significa que será prejudicial em algum grau em todas as pessoas. Quanto maior for o aumento do nível de açúcar no sangue, mais danos serão causados
  • A restrição de carboidratos mais longa e dramática, tal como defendida pelo Dr. Rosedale, parece ser um fator primário para dar uma radical extensão à vida
  • Quando você “priva” seu corpo de açúcares e carboidratos com amido, seu corpo começa a aclimatizar-se para começar a queimar ácidos graxos e corpos de cetona. As cetonas são o que seu corpo produz quando converte gordura (em oposição à glicose) em energia - um processo benéfico que parece promover a longevidade
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O Dr. Paul Jaminet é um astrofísico do MIT e Berkley com um forte interesse pela saúde e dieta que começou depois de ter enfrentado problemas pessoais de saúde que não responderam à medicina convencional.

Ele e o Dr. Ron Rosedale recentemente tiveram um debate animado na internet sobre se os “amidos seguros” aumentarão ou não a sua saúde.

O Dr. Jaminet acredita que os carboidratos de amidos como aqueles nas batatas e arroz cozido são “amidos seguros” saudáveis que, se completamente evitados, podem levar à “deficiência de glicose”.

O Dr. Rosedale discorda.

De acordo com o Dr. Rosedale, todos os açúcares e alimentos que se convertem em açúcar terão um efeito prejudicial se forem consumidos.

Ele argumenta que, enquanto uma tigela diária de carboidratos do arroz pode parecer uma pequena quantidade, ela ainda pode fazer uma grande diferença em termos de saúde, especialmente para aqueles com doenças como diabetes e doença cardíaca.

Este é um Tópico Controverso

Como você verá se analisar o site do Dr. Jaminet, ele discorda da suposição do Dr. Rosedale e acredita que a glicose na verdade atende algumas funções úteis. Nós só temos uma quantidade limitada de glicogênio e, se o esgotarmos, podemos estressar outros sistemas para fornecer a glicose que nosso corpo precisa para funcionar.

Em minha opinião, isso é realmente um problema para a maioria das pessoas, pois a maioria delas não chegará nem perto da sugestão do Dr. Jaminet de reduzir as calorias do carboidrato do padrão de 50 por cento que a maioria das pessoas consome, para de 20 a 30 por cento do seu total de calorias proveniente de carboidratos.

A chave é substituir os carboidratos por gorduras saudáveis, como abacates, óleo de coco, gemas de ovos, manteiga orgânica crua de animais alimentados com grama, azeitonas e nozes. Você não deve usar óleos ômega-6 altamente processados ​​e geneticamente manipulados como o de milho, canola e soja, pois eles irão alterar sua proporção de ômega 6/3.

Claro, você deve evitar todas as gorduras trans, mas ao contrário da crença popular, as gorduras saturadas podem ser muito boas para você.

Eu acredito que a dieta do Dr. Jaminet, conforme descrita no seu livro, Perfect Health Diet (A Dieta para uma Saúde Perfeita), pode realmente melhorar sua saúde e a maioria das pessoas notaria os benefícios dela para a saúde. Eu gosto do fato de ele a estar constantemente evoluindo e modificando, disposto a corroborar cuidadosamente suas recomendações com a literatura.

Prato de comida

Como Degraus na Mesma Escada…

Se você está interessado em explorar o uso da dieta para prolongar sua vida útil, a dieta do Dr. Rosedale, que é ainda mais restritiva em relação aos carboidratos, demonstrou imitar os efeitos biológicos da restrição calórica - o que inclui de modo mais notável uma extensão de vida prolongada, como revelado por pesquisadores como Cynthia Kenyon - sem realmente cortar calorias em si.

Eu acredito que o Dr. Rosedale pode estar correto quando diz que:

“O que está tornando-se claro é que uma dieta rica em gordura, que acredito ser muito superior às dietas ricas em carboidratos e com baixo teor de gordura, deve ser acompanhada por um consumo muito baixo de carboidratos (não fibra) para que os benefícios mais profundos para a saúde aconteçam.” [Ênfase minha]

É importante perceber que nós não somos necessariamente biologicamente “programados” para viver vidas muito longas e saudáveis. Nós somos programados para ter uma reprodução saudável, mas uma vez que nossos anos reprodutivos acabam, a natureza realmente não se preocupa com nossa sobrevivência prolongada...

No entanto, como o Dr. Rosedale ressalta, podemos usar o que sabemos sobre os segredos da natureza para manter nossos corpos suficientemente saudáveis para a reprodução, e aplicar esses segredos a nossos anos pós-reprodutivos.

Para conseguir fazer isso, tudo o que temos a fazer é basear-nos nas evidências científicas atualmente disponíveis relacionadas à longevidade e à extensão da vida, das quais a restrição de carboidratos é uma das mais notáveis.

O Dano de Glicose é uma Questão de Graus

Uma das principais discussões entre as dietas do Drs. Jaminet e Rosedale é se existe ou não um nível de glicose no sangue abaixo do qual não ocorrerá nenhum dano. O Dr. Jaminet afirma (de forma incorreta, de acordo com o Dr. Rosedale) que é possível sofrer efeitos prejudiciais para a saúde ao se ter um nível de glicose muito baixa, ou seja, uma “deficiência de glicose”.

Segundo o Dr. Rosedale:

“… O apoio que Jaminet é capaz de reunir a partir de outros artigos que ele apresenta, é derivado apenas de sua improvável suposição de que, uma vez que os picos de glicose não foram medidos, eles não devem ter passado acima de 140 mg/dl. Esse ‘apoio’ adicional foi de pouca importância dado o grande erro na conversão entre glicose no sangue e no plasma.”

O Dr. Rosedale, ressalta que, como o consumo de glicose indubitavelmente aumenta os níveis de glicose no sangue e aumenta a insulina e a leptina, promovendo a resistência, o consumo de glicose está sempre relacionado a certo grau aumentado de danos e/ou risco aumentado de mortalidade.

“Eu acredito que a única conclusão que pode ser extraída desses estudos e outros relacionados a eles que foram apresentados, é o mesmo que as conclusões dos autores; que jejuar e 2 horas de glicose acima de algum número, 100 mg/dl?, 105 mg/dl?, está correlacionado com algum grau adicional de dano e/ou mortalidade, e isso é consideravelmente inferior aos 140 mg/dL que Jaminet disse serem seguros,” ele diz.

Além disso,

“Uma pessoa não deve depositar todas as suas esperanças apenas em fazer o que é natural,” diz o Dr. Rosedale. “A morte pós-reprodução é extremamente natural. Só podemos confiar na ciência, especialmente na ciência da biologia do envelhecimento, para mostrar como viver uma vida longa após o período de reprodução...

Aumentar a insulina e leptina repetidamente tem consequências extremamente adversas que eu sinto serem fundamentais no início precoce de praticamente todas as doenças crônicas do envelhecimento e, de fato, acelerando o envelhecimento em si.

A preocupação da natureza em relação a nós tem um limite; mais especificadamente, que nós sejamos saudáveis para ter sucesso reprodutivo, sendo que após isso ela perde o interesse. Também é natural morrer, mas estamos lendo isso para evitar esse evento natural. Não tenho nenhum problema em dizer que o que estou fazendo e ensinar a ser saudável é muito pouco natural, assim como a busca por uma vida longa, feliz e jovial depois de ter bebês.”

A Glicose é Necessária para a Função Imunológica?

O Dr. Jaminet, por outro lado, argumenta que precisamos de dextrose, com base em sua crença de que a glicose de certos alimentos de amido é necessária para a produção de muco, a preservação da barreira intestinal e a função imunológica (cerca de 80% originários no seu intestino).

De acordo com Jaminet:

“É possível em dietas muito baixas em carboidratos, especialmente se a ingestão de proteína for limitada, reduzir significativamente a produção de muco e prejudicar a integridade da mucosa e barreira intestinal.”

Mas, também é importante perceber que tanto os amidos quanto os açúcares alimentam os agentes patogênicos e a má absorção de frutose é muito comum nas doenças intestinais. Os alimentos ricos em fibras e amiláceos também tendem a ser problemáticos para pessoas com distúrbios intestinais.

O Dr. Jaminet recomenda frequentemente dextrose ou xarope de arroz para aqueles com distúrbios intestinais. Mas realmente não existe uma única receita universal que seja totalmente segura devido à diversidade de agentes patogênicos, e ele também reconhece isso.

De acordo com o Dr. Jaminet:

“As dietas com nenhum carboidrato são potencialmente problemáticas devido à deficiência de glicose ou cetose que favorece determinados patógenos; e para qualquer fonte de carboidratos, existe um patógeno que nela pode florescer.”

A Dieta GAPS

Outra dieta semelhante às do Drs. Jaminet e Rosedale é a dieta GAPS, criada pela Dra. Natasha Campbell-McBride. De acordo com o Dr. Jaminet, algumas pessoas relataram que sua saúde melhorou após adicionaram os “amidos seguros” (batatas e arroz) à sua dieta GAPS (que se concentra especificamente na recuperação do seu intestino e na restauração do equilíbrio adequado da flora intestinal).

De acordo com o Dr. Jaminet:

“A GAPS foi mencionada na minha conversa em resposta a uma pergunta que alguém fez. Recentemente eu falei com duas pessoas fazendo a dieta GAPS que disseram que quando elas adicionaram amidos, de acordo com as nossas recomendações, a saúde delas melhorou e elas foram capazes de resolver problemas intestinais persistentes, incluindo infecções fúngicas.

Claro que não tenho ideia de quão fielmente elas seguiram as recomendações da Dra. Campbell-McBride; mas acho que seus casos ilustram os pontos que você faz nos seus dois últimos parágrafos. Toda patologia é única e as dietas devem ser adaptadas às necessidades individuais,” ele diz.

“Eu tenho o maior respeito pela Dra. Campbell-McBride e eu estou bem ciente das muitas pessoas que sua dieta ajudou. Espero que ninguém pense que eu estava de forma alguma denegrindo sua dieta ou seu trabalho muito valioso. Eu pude participar de parte de sua palestra na Wise Traditions e pensei que ela disse as palavras mais valiosas que eu ouvi nesta conferência.”

Minha Avaliação

Parece que as evidências são bastante claras em apontar que aumentar cronicamente sua glicemia aumentará sua insulina e leptina, o que, por sua vez, aumentará a resistência à insulina e leptina. E evitar a resistência à insulina e à leptina é talvez o fator mais importante, se você busca ter uma saúde e longevidade otimizados.

Dito isto, o grau ao qual você escolhe reduzir açúcar e carboidratos depende apenas de você. E certas diferenças bioquímicas individuais podem tornar uma dieta mais benéfica para você do que para outros. O ponto principal é estar ciente de que consumir açúcar, grãos e amidos promoverá a resistência à insulina em um grau ou outro, dependendo da quantidade que você consumir.

Se você está procurando um plano de alimentação com base em ciência sólida, eu recomendaria fortemente o livro Perfect Health Diet do Dr. Jaminet. Seu objetivo será ter de 50-70 por cento de sua dieta composta de gorduras saudáveis, o que reduzirá radicalmente a sua ingestão de carboidratos. A maioria das pessoas provavelmente perceberá uma grande melhora em sua saúde, seguindo essa abordagem, já que atualmente elas consomem muitos grãos e carboidratos e qualquer redução será um passo na direção certa.

Mas, se você está tentando levar isso ao próximo nível, então dê uma chance às sugestões do Dr. Rosedale e tente eliminar quase todos os carboidratos não fibrosos. Isso pode ser muito difícil de implementar, mas pode dar excelentes resultados.

Qualquer que seja sua decisão de dieta, por favor lembre-se de SEMPRE ouvir seu corpo, já que ele informará se o que você está fazendo é o certo para sua bioquímica e genética únicas. Então, ouça o que ele tem a dizer e ajuste seu programa de acordo.

+ Recursos e Referências