Como Exercícios de Alta Intensidade Podem Reduzir Significativamente os Riscos de Cegueira

Exercícios Reduzem Cegueira

Resumo da matéria -

  • Envelhecer é inevitável, porém a perda da visão não é, pois a visão é amplamente dependente de seu estilo de vida, não da idade cronológica
  • O risco de desenvolvimento de glaucoma, um dos motivos mais comuns para perda de visão em adultos, pode reduzir em até 73 por cento quando você pratica exercícios moderados a intensos diariamente, conforme definido por parâmetros encontrados em estudo realizado
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Envelhecer é inevitável, porém os problemas geralmente considerados relacionados à idade podem não ser.

Um problema esperado por muitas pessoas conforme vão envelhecendo é o declínio da visão. No entanto, ao contrário das crenças populares, sua visão é amplamente dependente de seu estilo de vida, não da idade cronológica.

Alguns dos motivos mais comuns para perda da visão conforme se envelhece são cataratas, retinopatia diabética, e duas das causas líderes de cegueira, degeneração macular e glaucoma.

Em uma pesquisa realizada pela Universidade Johns Hopkins, cientistas descobriram que praticamente metade dos americanos disse que perder a visão seria o “pior problema de saúde possível” que uma pessoa poderia sofrer. Ficar cego era uma situação mais temida do que contrair HIV/AIDS, ficar surdo ou perder um membro do corpo.

Existem diversas estratégias de senso comum que ajudam na proteção da visão, incluindo parar de fumar, normalizar o nível de açúcar no sangue e reduzir ou eliminar o aspartame e gorduras trans processadas.

Seus olhos respondem ao suporte nutricional, porém uma pesquisa realizada recentemente também demonstrou que exercícios de intensidade moderada a vigorosa podem reduzir os riscos de desenvolvimento de glaucoma em até 73 por cento.

Estrutura e Função dos Olhos

Seus olhos são globos complexos, convertendo luz em cor e formas que seu cérebro interpreta como imagens. Cada olho constantemente ajusta a quantidade de luz que entra, focando os objetos próximos e distantes, transmitindo informações praticamente instantâneas ao cérebro.

Existem várias estruturas diferentes dentro do olho responsáveis pela função da visão.

A visão começa quando a luz passa através da córnea, superfície clara em forma de redoma que cobre a frente dos olhos.

A córnea é responsável pela inclinação da luz de forma que ela chegue à retina, enquanto a íris, parte colorida dos olhos, regula o tamanho da pupila determinando a quantidade de luz que entra. Diretamente atrás da pupila está a lente, parte clara que foca luz além da retina.

Na retina, localizada parte de trás dos olhos, existe um tecido fino, fotossensível com células fotorreceptoras que convertem luz em sinais elétricos.

Estes sinais viajam da retina, sobre o nervo óptico diretamente para o córtex visual no cérebro onde os sinais são processados e interpretados por cor, forma, movimento e profundidade.

Seu nervo óptico é como um cabo de fibra óptica com aproximadamente 1 milhão de fibras nervosas que transmitem informações. A visão pode ser afetada em qualquer ponto deste processo.

Por exemplo, pessoas que não enxergam cores possuem número reduzido de fotorreceptores em campos de cor específicos, tornando impossível ao cérebro interpretar adequadamente as cores a partir dos sinais elétricos que não foram gerados.

No caso de pessoas míopes, existe um defeito refrativo nas lentes. Em outras palavras, as lentes não inclinam a luz, portanto a imagem é formada na retina, porém, na verdade, inclina ou refrata a luz de forma que a imagem seja formada na frente da retina. Isto pode fazer com que você enxergue objetos próximos claramente, porém os mais distantes ficam desfocados.

Exercícios Reduzem os Riscos de Desenvolvimento de Glaucoma

Uma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia usou dados de uma pesquisa nacional realizada pela Pesquisa de Exame Nutricional e Saúde Nacional (National Health and Nutrition Examination Survey) (NHANES) para comparar pessoas menos ativas com as mais ativas com relação ao risco de desenvolvimento de glaucoma.

O NHANES é um grande estudo que tem rastreado a situação da saúde e nutrição de adultos desde os anos 1960 e é o único que faz com que os participantes passem por exames físicos de rotina além das entrevistas.

Por vários anos acreditou-se que as escolhas no estilo de vida não afetavam a pressão dos olhos, porém recentemente, estudos realizados demonstraram que exercícios afetariam o fluxo sanguíneo aos olhos e a pressão neles.

A autora líder, Dra. Victoria Tseng, e seus colegas usaram dados do NHANES para analisar as diferenças em riscos com base na intensidade do exercício.

Antes de 2002, o estudo usava dados de relatos pessoais para determinar o nível de atividade, porém desde então participantes têm usado um dispositivo portátil para medir sua atividade física. Usando dados destes dispositivos, Tseng definiu o nível de atividade com base no número de passos realizados em um minuto e a velocidade da caminhada.

Caminhar 7.000 passos todos os dias foi considerado equivalente a 30 minutos de exercício moderado cinco dias por semana.

Tseng e seus colegas concluíram que as pessoas que praticavam atividade de moderada a intensa, conforme definido por parâmetros do estudo, tinham uma redução de 73 por cento nos riscos de desenvolvimento de glaucoma.

Os resultados do estudo foram apresentados no 121° encontro anual da Academia Americana de Oftalmologia (AAO) em Nova Orleans.

O Que É Glaucoma?

Uma pesquisa realizada concluiu que exercícios reduzem a pressão dentro os olhos, sintoma primário de glaucoma que causa dano e finalmente cegueira.

A doença danifica o nervo óptico quando se forma líquido na frente do olho e adiciona pressão ao mesmo, danificando o nervo. Em um olho saudável, um líquido claro denominado humor aquoso circula na câmara anterior (porção frontal) do olho, entre a íris e a córnea logo abaixo.

Uma pequena quantidade de líquido é continuamente produzida e circula através da câmara. Para manter pressão constante, a mesma quantidade é drenada para fora da área através de duas estruturas.

A malha trabecular drena até 85 por cento do humor aquoso e desempenha função vital na modulação da quantidade de líquido que é drenada ou que fica dentro da câmara anterior do olho.

Alterações físicas e alteração das vias sinalizadoras na malha trabecular podem provocar aumento da pressão na porção anterior do olho colocando, então, pressão na câmara posterior e finalmente no nervo óptico.

As células da malha trabecular constroem e mantêm a estrutura, fornecendo resistência natural na saída do humor aquoso. Existem evidências de que este processo é danificado em pessoas que sofrem de glaucoma primário de ângulo aberto, tipo responsável por praticamente 90 por cento dos casos de glaucoma.

O termo ângulo aberto significa que a área onde a íris encontra a córnea está ampla e aberta como deveria ser. Os danos neste tipo ocorrem de forma lenta, durante os quais os sintomas e os danos não são notados até que você começa a perder a visão.

Para detectar este tipo de glaucoma precocemente, é necessário ter a pressão do olho regularmente medida por profissional qualificado.

O glaucoma de ângulo fechado, também chamado de glaucoma de ângulo reduzido, é muito mais comum e ocorre de forma grave, necessitando de atenção médica imediata.

É provocado por bloqueio na drenagem do humor aquoso, rapidamente aumentando a pressão intraocular. Os sintomas são absolutamente notáveis e é necessária atenção imediata para evitar cegueira permanente.

Quais São Seus Riscos?

Existem diversos fatores que aumentam os riscos de desenvolvimento de glaucoma. De acordo com a AAO, os fatores que aumentam os riscos são:

Idade

Os riscos são maiores depois dos 40 anos se você for afro-americano e maiores depois dos 60 anos se pertencer a outros grupos.

Problemas Médicos

Se você tiver histórico de ferimentos nos olhos, for míope ou hipermetrope, o risco de desenvolvimento de glaucoma é maior. Outros problemas médicos que podem aumentar os riscos são diabetes, pressão alta e doenças cardíacas. O uso prolongado de medicamentos corticosteroides para o tratamento de outros problemas também podem ser um fator.

Ceratocone

Este é um afinamento progressivo da córnea que ocorre em 1 em cada 2.000 pessoas. Mais comumente ocorre por volta dos 20 anos de idade. Embora a causa seja desconhecida, pesquisadores acreditam que ele pode ser provocado por predisposição genética e influências ambientais. Conforme a córnea afina, a câmara anterior do olho distorce e aumenta o risco de elevação da pressão.

Degeneração do Nervo Óptico

Também chamado de atrofia do nervo óptico, este problema provoca o desenvolvimento do glaucoma diretamente afetando a saúde do nervo óptico. A degeneração pode ocorrer com ou sem elevação da pressão no olho, porém é provavelmente um dano mecânico onde o nervo óptico insere-se na parte traseira do olho.

Uma redução do fluxo sanguíneo ao nervo pode ser fator contribuinte para a degeneração do nervo óptico. Algumas pessoas acreditam que em casos de glaucoma com pressão normal, danos no fluxo sanguíneo podem desempenhar função importante.

Genética

Pessoas que têm parentes de primeiro grau com glaucoma possuem maior risco de desenvolvimento da doença do que pessoas do público em geral. O glaucoma de ângulo aberto relacionado à idade possui mais de uma mutação genética conferindo risco de desenvolvimento da doença. No entanto, opções de estilo de vida promovem impacto na expressão destes genes.

Melhores Opções Para Apoiar a Saúde dos Olhos

Exposição equilibrada à luz azul

A luz azul é parte do espectro de luz visível com comprimento de onda muito curto e quantidades maiores de energia. Cientistas sabem que isto afeta os olhos profundamente. Ao longo do tempo, a exposição pode danificar sua retina. Embora não seja especificamente associada ao glaucoma, limitar a exposição, especialmente depois que o sol se põe, pode ajudar na redução dos riscos de degeneração macular relacionada à idade, outra causa líder de cegueira entre pessoas idosas.

Normalização do açúcar no sangue

Açúcar em excesso e resistência à insulina podem extrair líquido das lentes dos olhos, afetando sua visão e capacidade de foco. Em longo prazo, o excesso de açúcar e o diabetes podem danificar os vasos sanguíneos da retina, obstruindo o fluxo sanguíneo e restringindo a visão de forma permanente.

Luteína e zeaxantina

Estes são componentes vegetais antioxidantes potentes. A luteína é encontrada em vegetais de folhas verdes como espinafre e couve e em outros vegetais coloridos como cenouras, brócolis, pimentões vermelho e amarelo, tomates e especiarias. Muitos destes alimentos são também ricos em zeaxantina.

Astaxantina

Este nutriente é produzido por microalgas quando o suprimento de água seca, protegendo a alga contra a radiação ultravioleta. Você pode absorver este nutriente a partir do salmão pescado de forma selvagem no Alasca, porém você pode precisar de suplemento para conseguir todo o benefício promovido por ele.

A astaxantina é um carotenoide que pode ser um dos mais importantes nutrientes de proteção contra a cegueira.

Vitamina C

Embora este poderoso antioxidante não proteja contra o glaucoma, ele pode proteger contra catarata, segunda causa líder de perda de visão. De acordo com o Instituto Nacional dos Olhos (National Eye Institute), mais de 50 por cento dos americanos terão catarata aos 80 anos de idade.

Gordura Ômega-3 Proveniente de Animais

A retinopatia diabética é uma complicação grave do diabetes tipo 2 que ocorre quando o fluxo sanguíneo da retina é obstruído. Em um estudo realizado pelo Jornal da Associação Médica Americana, pesquisadores concluíram que pessoas de meia idade e idosas com diabetes tipo 2 que consumiram 500 miligramas por dia de gordura ômega-3 a partir de duas porções de peixe rico em ômega-3 por semana, experimentaram incríveis 48 por cento de redução nos riscos de desenvolvimento de retinopatia diabética.

Como regra geral, recomendo consumir somente o salmão autêntico pescado de forma selvagem no Alasca ou peixes menores de ciclo de vida curto, como sardinhas, arenque, cavala ou anchovas. Estas são opções boas para obtenção de gordura ômega-3, além de evitar toxinas o máximo possível.

Os Benefícios dos Exercícios Vão Além da Saúde Física

Embora os exercícios beneficiem a saúde física de inúmeras formas, como a promoção de maior mobilidade, saúde cardíaca e dos olhos, controle do peso, gerenciamento do açúcar no sangue e redução nos riscos de desenvolvimento de alguns tipos de câncer, somente para relacionar alguns, é igualmente importante lembrar-se dos benefícios mentais e emocionais que você desfruta.

Estes, por sua vez, podem motivá-lo(a) a continuar com sua jornada de atividades físicas.

A prática de exercícios é uma das formas mais eficazes de melhorar a saúde mental e a motivação. Exercícios reduzem o estresse, combatem depressão e ansiedade, melhoram a qualidade do sono e aumentam a autoestima.

Cada um destes fatores ajuda na motivação da continuidade da prática de exercícios, na tomada de decisões com relação ao estilo de vida, na melhora da produtividade e criatividade e pode melhorar o desempenho no trabalho.

Exercícios promovem benefícios poderosos à saúde física em longo prazo e ainda podem ser fatores cruciais para ajudar na escolha de outros estilos de vida que possam impactar na vida diária.