Tudo o que Você Precisa Saber Sobre o Vitiligo

Vitiligo Feminina

Resumo da matéria -

  • O vitiligo é uma doença de pele que existe há séculos e foi documentada em diversos relatos históricos
  • Agora ele está sendo reconhecido como sendo uma doença autoimune na qual o sistema imune ataca e mata as células que são responsáveis pela produção de melanina.
  • Leia estes artigos para saber mais sobre os sintomas, causas, tratamento e prevenção do vitiligo
Tamanho da fonte:

O vitiligo é uma doença de pele que existe há séculos e foi documentada em diversos relatos históricos.

A causa clara desta doença ainda não foi identificada por causa de fatores externos variados ligados ao seu desenvolvimento.

No entanto, agora está sendo reconhecida como sendo uma doença autoimune na qual o sistema imunológico ataca e mata as células que são responsáveis pela produção de melanina.

O Impacto Psicológico do Vitiligo

A perda da melanina em áreas seletas do corpo pode levar a uma maior sensibilidade e risco de queimaduras solares.

Mas, além dessa intolerância à luz solar, as mudanças físicas na aparência de uma pessoa também podem causar graves impactos psicológicos nos pacientes com vitiligo.

Isso ocorre porque, embora se tenha comprovado que o vitiligo não é infeccioso, algumas pessoas ainda tendem a ter medo dele e até mesmo humilhar ou ridicularizar aqueles que o têm. O estigma disso pode fazer com que aqueles com vitiligo sofram numerosas questões psicossociais e repercussões psicológicas.

Diversos estudos demonstraram que os efeitos emocionais causados pelo vitiligo podem variar de leve constrangimento a perda completa de autoestima por causa da mudança gradual na aparência daqueles que o possuem. Algumas das maneiras recomendadas de se evitar isso incluem o apoio familiar e o aconselhamento.

O Vitiligo pode Aumentar seu Risco de Ter Outras Doenças Autoimunes

Também se observou que as pessoas com vitiligo também têm uma maior chance de desenvolver várias doenças autoimunes, incluindo:

  • Alopecia areata. Refere-se à perda de cabelo, que é causada pelo ataque do sistema imune aos folículos capilares. Pode ser vista em várias áreas do corpo, principalmente no couro cabeludo ou no rosto. O risco para esta doença não depende de raça, idade ou sexo, com todos tendo o mesmo risco que qualquer outra pessoa na população.
  • Doenças autoimunes da tireoide. A tireoide é responsável pela produção de alguns dos hormônios que regulam importantes processos corporais. Ter uma doença tireoidiana autoimune significa que o sistema imunológico está inconscientemente atacando as glândulas da tireoide, o que então faz com que elas produzam estes hormônios em quantidade abaixo ou acima da adequada.
  • A doença de Addison é uma doença autoimune na qual o corpo não é capaz de produzir hormônios suficientes por causa da destruição das glândulas adrenais. Dois dos hormônios importantes que essas glândulas produzem são o cortisol e a aldosterona.
  • Diabetes mellitus. Esta doença ocorre quando o pâncreas é incapaz de produzir insulina suficiente ou quando as células do corpo se tornaram resistentes à insulina. Existem dois tipos de diabetes mellitus: Tipo 1 e Tipo 2, sendo a de Tipo 1 uma doença autoimune. O Tipo 1 ocorre quando o corpo não consegue produzir insulina porque o sistema imunológico destrói as células beta produtoras de insulina.

Sintomas do Vitiligo

O vitiligo geralmente começa com a perda de cor nas porções da pele expostas ao sol. Embora a cor dessas partes mude drasticamente, a textura e a sensação geralmente não são afetadas.

No entanto, uma maior sensibilidade à luz solar geralmente é observada devido à ausência de melanina, que funciona como uma proteção contra o sol.

É altamente recomendável cobrir e proteger sua pele de queimaduras solares se você for afetado por essa doença de pele. Além da despigmentação da pele, alguns dos outros sintomas do vitiligo incluem os seguintes:

  • Perda de cor nos cabelos, cílios ou sobrancelhas. O envelhecimento prematuro dos cabelos foi observado como sendo causado pelo vitiligo. As pessoas muitas vezes desenvolvem uma faixa branca nas sobrancelhas ou cílios devido à perda de pigmento nos folículos capilares. Os pelos que crescem nas partes afetadas da pele também podem perder sua cor ao longo do tempo, mas isso não ocorre em todos os casos.
  • Despigmentação dos tecidos dentro da boca. A perda de melanina também pode ser observada nas membranas mucosas e na boca. Também podem ocorrer manchas brancas de vitiligo nos lábios.
  • Mudanças de cor nos olhos. Os melanócitos encontrados nos olhos também são propensos a danos durante o início desta doença. De 30 a 40 por cento dos pacientes com vitiligo perdem o pigmento no epitélio do pigmento da retina, que é responsável por determinar a cor dos olhos.
  • Inflamação ocular. Em alguns casos, o vitiligo pode ser acompanhado de uveíte ou inflamação dos olhos. Isso geralmente afeta cerca de 5% das pessoas afetadas pelo vitiligo. Os pesquisadores explicam que essa inflamação é frequentemente causada pelo sistema imune que ataca as células saudáveis ​​nos olhos.

Tratamentos Convencionais para Vitiligo

Além da opção cosmética, a medicina convencional também oferece inúmeras técnicas que ajudam a reintroduzir o pigmento na pele. Alguns dos tratamentos de vitiligo mais comuns incluem os seguintes:

Terapia de luz. Este procedimento ajuda a igualar o tom de pele ao expô-la à luz UVB, fazendo com que ela produza pigmento.

Isso, no entanto, não para o aparecimento de outras manchas brancas na pele ou impede que o local repigmentado perca sua pigmentação novamente com o passar do tempo. Alguns possíveis efeitos colaterais desta técnica incluem a hiperpigmentação das áreas circundantes, queimaduras solares graves e bolhas.

Despigmentação. Esta técnica geralmente é recomendada para pacientes com vitiligo universal e generalizada. O procedimento implica na remoção de quaisquer melanócitos remanescentes para uniformizar a cor da pele do paciente com vitiligo através da aplicação de éter monobenílico de hidroquinona à pele pigmentada restante.

Mas, devido à remoção do pigmento restante, o paciente terá uma sensibilidade muito maior à luz solar e precisará tomar cuidados adicionais pelo resto de sua vida.

Cirurgia. Esta é muitas vezes a última escolha para pacientes com vitiligo quando os outros tratamentos convencionais falham. Isso é feito nas pessoas que tiveram vitiligo estável por alguns anos. O enxerto de pele ou o enxerto celular é a técnica cirúrgica mais comum.

Isto é feito através do enxerto de pele saudável nas manchas brancas de vitiligo para reintroduzir os melanócitos nas regiões despigmentadas.

É preciso apontar que estes tratamentos convencionais para vitiligo podem levar a numerosos efeitos colaterais que podem afetar o seu estilo de vida e a saúde da sua pele. A maioria dos tratamentos que contêm produtos químicos eventualmente conduz à atrofia da pele, que é a deterioração gradual da pele tratada.

Assim, você deve antes considerar os remédios naturais para resolver os sintomas desta doença.

Tratamentos Naturais e Holísticos para Vitiligo

Algumas dessas técnicas naturais incluem o uso das seguintes ervas:

  • Ginkgo biloba. Possui propriedades anti-inflamatórias, imunomoduladoras e antioxidantes. Também ajuda a diminuir o estresse oxidativo, que é um dos fatores que influenciam o desenvolvimento do vitiligo. Os pesquisadores demonstraram que a ingestão desta erva ajudou os pacientes a diminuir a propagação do vitiligo ou até mesmo a inibir sua progressão.
  • Sementes de Psoralea. Essas sementes são um dos remédios naturais mais utilizados e bem conhecidos para o vitiligo devido à sua capacidade de imitar o efeito do sol sobre a pele. Elas estimulam os melanócitos a produzir mais melanina, onde forem aplicadas. Elas geralmente são usadas com sementes de tamarindo e são aplicadas topicamente em manchas de vitiligo.
  • Folhas de manjericão e suco de limão taiti. Foi notado que uma solução tópica feita a partir destes dois ingredientes pode auxiliar na produção de melanina. Para fazer este preparado, misture o extrato de folha de manjericão com suco de limão taiti e aplique três vezes por dia durante cerca de seis meses.
  • Amni visnaga. Tem se observado que a khellina, uma furanocromona derivada de amni visnaga, é capaz de auxiliar na repigmentação de manchas de vitiligo com um uso constante. Este componente da planta amni visnaga é comparável aos psoralenos, o produto químico utilizado na fototerapia PUVA, mas sem o risco aumentado de câncer de pele após o tratamento.

Antes de usar esses remédios naturais para o vitiligo, é melhor você consultar um profissional de saúde para saber a dosagem certa e como fazer a aplicação correta. Também deve ser apontado que o uso dessas ervas demonstrou uma eficácia variável em cada indivíduo.

Para pacientes com vitiligo que estão grávidas ou amamentando, é aconselhável consultar um profissional de saúde sobre os métodos de tratamento de vitiligo mais seguros pelos quais você pode optar.

Como Prevenir o Vitiligo

Um dos equívocos mais comuns em relação ao vitiligo é que ele é uma doença transmissível. Este erro decorre da ideia de que o vitiligo é semelhante à lepra ou outras doenças transmissíveis. Mas a prevenção desta doença não diminui, de forma alguma, se você optar por manter distância de pacientes com vitiligo.

Alguns pesquisadores afirmaram que, já que as manchas de vitiligo são frequentemente encontradas na pele exposta ao sol, evitar a exposição prolongada e excessiva à luz solar, bem como empregar medidas para evitar danos causados pelo sol, podem ajudar na prevenção do vitiligo. Outras recomendações para a prevenção do vitiligo incluem:

  • Evite danos à pele. O vitiligo também é causado por abrasões cutâneas, queimaduras e feridas onde as células de pigmento foram destruídas, mas não repostas. Também houve casos em que danos na pele provocaram a piora da doença. Ser cuidadoso e evitar quaisquer casos em que o dano da pele possa ocorrer pode ajudá-lo a diminuir as chances da morte de melanócitos.
  • Melhorar a nutrição e dieta. A dieta de uma pessoa também deve ser monitorada porque esse pode ser um fator importante no desenvolvimento do vitiligo. Foi observado que pacientes com vitiligo apresentavam múltiplas deficiências de vitaminas e minerais essenciais, alguns dos quais desempenham um papel importante na produção de melanina na pele. Essas vitaminas e minerais incluem a vitamina E, B12, cobre e zinco.
  • Evite os inseticidas e pesticidas químicos. A exposição constante ou a ingestão de produtos químicos utilizados na agricultura convencional também foi determinada como sendo um dos possíveis desencadeadores do vitiligo. A abundância desses produtos químicos no ambiente de um paciente tem um efeito direto sobre o sistema imunológico, o que pode fazer com que o sistema imunológico ataque as células da pele.

Evitando que o Vitiligo Espalhe-se: Dicas de Prevenção que Devem ser Recordadas

  • Evite situações estressantes. O estresse, seja emocional ou físico, foi identificado como um dos principais fatores para a progressão mais rápida dessa doença. Isto é frequentemente atribuído ao impacto direto do estresse no sistema imunológico, o que pode desencadear uma resposta autoimune. Ao evitar eventos ou circunstancias que possam causar estresse, você pode minimizar ou diminuir a propagação de suas manchas de vitiligo.
  • Use roupas à prova de sol. Além do aumento da sensibilidade à luz solar e do aumento do risco de queimaduras solares, a exposição prolongada ao sol também pode levar à disseminação do vitiligo. O uso de roupas à prova de sol ou a aplicação de proteção solar natural ajudará na prevenção do desencadeamento da despigmentação através das queimaduras solares. Um dano solar constante também pode aumentar o risco de câncer de pele.
  • Limite a sua exposição à água com cloro. O cloro é um produto químico comumente adicionado à água das piscinas e em inúmeros suprimentos de água para ajudar a prevenir a proliferação bacteriana. Mas, além dos efeitos negativos para a saúde que ela pode causar, a exposição constante a este produto químico pode levar a danos à pele e pode agravar o vitiligo. Ao nadar, é recomendado que você use piscinas de água doce ou corpos de água para evitar o contato com o cloro.