O que Você Precisa Saber Sobre Cistos Ovarianos

Cisto no ovário

Resumo da matéria -

  • Cistos ovarianos são massas de líquido que se formaram no ovário e são cercadas por uma parede fina
  • Geralmente, os cistos ovarianos formam-se devido a pequenos problemas no ciclo menstrual de uma mulher ou devido a outras doenças, como endometriose ou síndrome do ovário policístico (SOP).
  • Os cistos ovarianos geralmente são pequenos e benignos e, na maioria dos casos, os sintomas podem não aparecer
  • Embora as causas exatas dos cistos ovarianos sejam difíceis de identificar especificamente, a maioria dos cistos ovarianos desenvolve-se devido a um problema menor, que geralmente envolve os hormônios no ciclo menstrual normal de uma mulher
  • Por outro lado, se você estiver tomando um medicamento para fertilidade como Clomid ou Serophene para promover a ovulação, isso pode aumentar o risco de um cisto do corpo lúteo desenvolver-se
  • Você não precisa depender de medicamentos que tenham efeitos adversos à saúde, pois existem tratamentos naturais para os cistos ovarianos que você pode experimentar
Tamanho da fonte:

A palavra “cisto” pode ter boas ou más implicações. Na anatomia, um cisto é visto como uma bolsa ou saco normal no corpo, como a bexiga. No entanto, este termo sinaliza uma má notícia quando se forma como um saco ou bolsão anormal no corpo contendo substâncias líquidas, gasosas ou semi-sólidas. Um cisto não é uma parte normal do tecido onde está localizado e tem uma membrana distinta e divisão no tecido adjacente.

Há uma variedade de cistos que podem desenvolver-se no corpo, como cistos de acne, cistos mamários, cistos de calázio, cistos colóides, cistos dentígeros e cistos ganglionares. As páginas deste artigo tratarão de um tipo particular de cisto chamado de cistos ovarianos e suas possíveis implicações no corpo.

O que são os Cistos Ovarianos?

Os cistos ovarianos são massas de líquido que se formaram no ovário e são cercados por uma parede fina. Uma paciente pode desenvolver qualquer um desses dois tipos de cistos ovarianos: cistos ovarianos funcionais e cistos ovarianos complexos. Os tamanhos dos cistos ovarianos variam, com alguns cistos sendo tão pequenos quanto uma ervilha e outros maiores que uma laranja.

Os cistos ovarianos geralmente formam-se devido a pequenos problemas no ciclo menstrual de uma mulher ou devido a outras doenças, como endometriose ou síndrome do ovário policístico (SOP). No entanto, as causas exatas dos cistos ovarianos ainda estão sendo pesquisadas.

Quem Pode Ser Afetado por Cistos Ovarianos?

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (Centers for Disease Control and Prevention-CDC), a maioria das mulheres na pré-menopausa e cerca de 14,8% das mulheres na pós-menopausa nos EUA têm cistos ovarianos. Os cistos ovarianos podem formar-se em mulheres com ciclos menstruais regulares e mulheres durante a idade fértil.

A atriz Lena Dunham é uma personalidade bem conhecida que sofria de cistos ovarianos. Em 2016, ela deixar de participar de eventos de imprensa promovendo a sexta temporada do seu programa de TV “Girls” por causa de um cisto ovariano rompido.

Dunham tem sido muito aberta sobre sua batalha contra a endometriose, uma doença de saúde reprodutiva que causou a ruptura do cisto ovariano, que precisou ser removido, obrigando-a a ficar algum tempo de repouso.

Veja Como Você Pode Combater os Cistos Ovarianos Hoje

Desenvolver cistos ovarianos pode ser uma experiência difícil, mas existem maneiras de atenuar e prevenir sua formação. Estas páginas podem ajudá-lo a expandir o seu conhecimento sobre o que causa os cistos ovarianos, os sintomas comuns aos quais você deve estar alerta, tratamentos naturais eficazes a serem utilizados e os alimentos ideais a serem consumidos.

Há também informações sobre como lidar com os cistos ovarianos rompidos e como ter uma gravidez tranquila, apesar da presença dos cistos ovarianos.

Sintomas Conhecidos de um Cisto Ovariano

Sintomas do Cisto Ovariano
Os cistos ovarianos são geralmente pequenos e benignos e, na maioria dos casos, os sintomas podem não aparecer. No entanto, o aparecimento dos sintomas por si só não são suficientes para indicar se um paciente tem ou não um cisto, pois outras doenças, como câncer do ovário, endometriose, doença inflamatória pélvica ou gravidez ectópica podem ter indicadores semelhantes.

Os sintomas comuns do cisto ovariano que um paciente pode experimentar incluem:

Menstruação irregular ou menstruações mais dolorosas, mais pesadas ou mais leves que o normal

Dor pélvica que pode ser persistente ou intermitente (manifesta-se como uma dor incômoda que pode espalhar-se para a parte inferior das costas e coxas)

Dor pélvica que se desenvolve antes da menstruação começar ou terminar

Dispareunia ou dor pélvica durante a relação sexual

Dor abdominal e desconforto após a relação sexual

Dor ao defecar

Sintomas de gravidez, como sensibilidade mamária e náuseas

Pressão no reto ou bexiga, na qual o paciente pode precisar ir ao banheiro com mais frequência para urinar ou defecar

Inchaço, inflamação ou sensação de peso no abdômen

Problemas para esvaziar completamente a bexiga

Produção hormonal anormal que pode levar a alterações no crescimento dos pelos da mama e do corpo

Existem também sinais mais complicados de um cisto ovariano, como:

  • Torção: Se o cisto ovariano cresce na trompa de um ovário, essa trompa pode ficar torcido, bloquear o suprimento de sangue para o cisto e desencadear uma dor severa no baixo-ventre.
  • Ruptura: Um cisto ovariano que se rompe pode causar dor no baixo-ventre, assim como sangramento. Se o cisto estiver infectado, a dor será pior.
  • Câncer: Em casos raros, a presença de um cisto ovariano pode significar uma forma precoce de câncer do ovário.

Diagnosticando Cistos Ovarianos

Como a maioria dos cistos ovarianos não apresenta sintomas, eles podem não ser diagnosticados. Um efeito disso é a dificuldade em estimar a incidência e a prevalência de cistos ovarianos. Há também uma tendência das pessoas serem diagnosticadas com um cisto durante um exame pélvico ou ultrassom não relacionado, mesmo que não haja sintomas presentes.

Se você ou alguém que você conhece notar indicadores precoces de um cisto ovariano, imediatamente consulte um ginecologista. O ginecologista realizará um exame físico e verificará possíveis sintomas. Para diagnosticar completamente um cisto ovariano, seu médico precisará conhecer as seguintes qualidades do cisto:

Formato

Tamanho

Composição (se seu interior está cheio de um conteúdo sólido, líquido ou ambos): na maioria dos casos, os cistos cheios de liquido não são cancerígenos, mas alguns podem precisar passar por mais exames.

Além de um exame físico, o ginecologista pode solicitar esses exames diagnósticos:

Ultrassonografia pélvica: Isso ajuda a verificar a presença de um cisto, sua localização e sua composição. Um transdutor, ou sonda de varredura semelhante a uma varinha, é colocado no abdômen, sobre a localização dos ovários, embora também possa ser colocado dentro da vagina. O ginecologista observa os ovários em uma tela de vídeo.

Exame de sangue CA 125: Esse exame verifica se um paciente tem níveis sanguíneos elevados de uma proteína chamada antígeno de câncer 125 (CA 125). Seu ginecologista pode recomendar que você faça um exame de CA 125 se você desenvolver um cisto ovariano parcialmente sólido e tiver um alto risco de câncer de ovário. Conhecer a quantidade de CA 125 no sangue pode ajudar a determinar se o cisto é canceroso ou não.

Altos níveis de CA 125 podem significar que uma mulher tem câncer de ovário, embora quantidades elevadas de proteína também estejam presentes entre pacientes com endometriose, miomas uterinos ou doença inflamatória pélvica.

Teste de gravidez: Um resultado positivo no teste de gravidez pode sinalizar que a paciente tem um cisto do corpo lúteo. Esse tipo de cisto desenvolve-se quando o folículo rompido que libera o óvulo se fecha e fica cheio de líquido.

Laparoscopia: Um instrumento fino e iluminado chamado laparoscópio é inserido no abdome através de uma pequena incisão. Isso permitirá que o ginecologista veja os ovários e remova o cisto ovariano (se houver um presente). A laparoscopia é frequentemente realizada sob anestesia geral.

O que Causa o Surgimento dos Cistos Ovarianos?

Embora as causas exatas dos cistos ovarianos sejam difíceis de identificar, a maioria dos cistos ovarianos se desenvolve devido a um problema menor, que geralmente envolve os hormônios, no ciclo menstrual normal de uma mulher. De fato, certos eventos no ciclo menstrual podem estimular o desenvolvimento de cistos ovarianos funcionais, ou o tipo mais comum de cisto ovariano.

A cada mês, os ovários desenvolvem estruturas semelhantes a cistos chamados folículos que são responsáveis pela produção dos hormônios femininos estrogênio e progesterona e liberando um óvulo uma vez que uma mulher ovula. Se um folículo mensal normal continua crescendo, no entanto, ele é considerado um cisto funcional. Sabe-se que os cistos foliculares e os cistos do corpo lúteo, dois tipos de cistos funcionais, geralmente desenvolvem-se durante o ciclo menstrual:

  • Cisto folicular: No meio do ciclo menstrual, um óvulo sai do folículo e viaja através da trompa de Falópio para procurar um espermatozoide para fertilizá-lo. Um cisto pode desenvolver-se se algo der errado, como se o folículo não romper ou liberar o óvulo.
  • Cisto de corpo lúteo: Depois que um folículo libera um óvulo, o folículo rompido começa a produzir grandes quantidades de estrogênio e progesterona para a concepção. O referido folículo é agora chamado de corpo lúteo. No entanto, se a abertura de fuga do óvulo for fechada e o líquido começar a acumular-se dentro do corpo lúteo, isso pode levar à expansão e ao desenvolvimento de um cisto ovariano.

Certas Doenças e Medicamentos Podem Desempenhar um Papel no Desenvolvimento do Cisto Ovariano

Existem doenças que podem ser responsáveis pela presença de cistos ovarianos. Um exemplo é a síndrome dos ovários policísticos (SOP), na qual uma mulher pode ter pequenos cistos ovarianos que são, na verdade, folículos do óvulo que não cresceram até a ovulação e são produtos de níveis hormonais alterados.

Alternativamente, os endometriomas (um tipo complexo de cisto ovariano) formam-se devido à endometriose, uma doença que faz com que o tecido do revestimento uterino, chamado endométrio, cresça fora do útero, em áreas como os ovários, bexiga, intestino, vagina ou reto.

Por outro lado, se você estiver tomando um medicamento para a fertilidade como Clomid ou Serophene para promover a ovulação, isso pode aumentar o risco de um cisto do corpo lúteo desenvolver-se após o evento acima mencionado. Felizmente, esse tipo de cisto não impede ou ameaça uma gravidez resultante.

Além disso, um medicamento de fertilidade pode desencadear uma doença chamada síndrome de hiperestimulação ovariana, em que múltiplos cistos grandes formam-se nos ovários, mas acabam desaparecendo após o ciclo menstrual ou após uma gravidez.

Como Tratar os Cistos Ovarianos

Raiz de maca
Existem ervas que podem ser usadas no tratamento de cistos ovarianos, que podem ajudar a nutrir o sistema endócrino e promover o equilíbrio hormonal, a ovulação regular e a circulação adequada nos órgãos reprodutivos.

Ervas que ajudam a desintoxicar o fígado e aumentar o equilíbrio hormonal e o metabolismo de estrogênio são uma grande vantagem, já que os cistos ovarianos são considerados um estado de estagnação no corpo, com relação ao fígado e à circulação nos órgãos reprodutivos. A Natural Fertility Info lista esses exemplos notáveis:

Raiz de maca (Lepidium meyenii): Ela ajuda o corpo a produzir progesterona e equilibrar os hormônios e ajuda a progesterona natural a trabalhar melhor nutrindo o sistema endócrino.

Raiz da erva-de-são-cristóvão (Actaea racemosa): Ela promove a regulação do ciclo menstrual e ajuda a aliviar a dor no ovário.

Raiz de Dong Quai (Angelica sinensis): Geralmente usada na medicina tradicional chinesa, a raiz de Dong Quai pode ajudar no equilíbrio hormonal e pode ser usada para problemas de fertilidade congestiva.

A raiz de Dong Quai também é conhecida por apoiar a circulação saudável nos órgãos reprodutivos e diminuir a dor associada a problemas de fertilidade.

Semente de cardo-mariano (Silybum marianum): A semente de cardo-mariano pode apoiar o equilíbrio hormonal através do suporte dado ao fígado e ao ajudar o fígado a limpar-se e regenerar-se.

Partes aéreas e frutas da planta abre-os-olhos (Tribulus terrestris): Partes da planta abre-os-olhos demonstraram normalizar a ovulação quando usadas antes de ocorrer a ovulação.

A abre-os-olhos também pode ter efeitos positivos como um tônico nutritivo para o sistema reprodutivo feminino.

Vitex (Vitex agnus-castus): O vitex é conhecido por ajudar a manter o equilíbrio hormonal, melhorar a circulação e melhorar o tempo do ciclo menstrual.

Raiz de inhame-selvagem (Dioscorea villosa): Ela pode promover um ciclo menstrual saudável e equilíbrio hormonal, e ajuda na redução da dor no ovário.

Partes aéreas do Milefólio (Achillea millefolium): Ela pode aliviar a congestão pélvica promovendo uma melhor circulação nos órgãos reprodutivos.

Beterraba: Um composto chamado betacianina na beterraba pode aumentar a capacidade do fígado em ajudar a eliminar as toxinas do seu corpo.

Além disso, por conta da beterraba ter uma natureza alcalina, ela pode ajudar a equilibrar a acidez do corpo e diminuir a gravidade dos sintomas do cisto no ovário.

Remédios Caseiros para os Cistos Ovarianos

Você também pode conversar com seu ginecologista ou médico sobre como tomar esses suplementos naturais:

Vitaminas B: Estes suplementos podem ajudar o corpo a equilibrar os níveis de açúcar e hormônio no sangue.

Extratos vegetais de Brassica: Os extratos podem ajudar o corpo a equilibrar os hormônios. Idealmente, suplementos como estes devem conter extratos de legumes crucíferos, como repolho, brócolis, couve-flor e couve-de-bruxelas.

Outros remédios caseiros que as pacientes com cisto ovariano podem experimentar envolvem essas duas substâncias:

Sais de Epsom (através de um banho de sal Epsom): Um banho de sal Epsom pode ajudar a aliviar a dor e os sintomas relacionados aos cistos ovarianos. O alto teor de sulfato de magnésio do sal de Epsom também pode funcionar como um relaxante muscular.

Vinagre de sidra de maçã (VSM): Ele pode ajudar no encolhimento de cistos ovarianos causados principalmente pela deficiência de potássio e ajuda a lidar com os sintomas de sangramento menstrual excessivo, inchaço e cólicas que ocorrem durante o ciclo menstrual da mulher.

Óleos Essenciais para o Tratamento de Cistos Ovarianos

Consulte o seu ginecologista ou médico sobre o uso de óleos essenciais para o tratamento de cistos ovarianos. Antes de usá-los, certifique-se de fazer um exame de contato com alérgenos para determinar se eles desencadeiam em você reações alérgicas ou adversas:

Óleo de groselha preta: Esta é uma boa fonte de um ácido graxo chamado ácido gama-linolênico (GLA) que auxilia na produção de prostaglandinas e outros componentes ideais de um ciclo reprodutivo saudável. O óleo de groselha preta é também o lar dos ácidos graxos ômega-3 e ômega-6, que têm efeitos positivos, como a redução dos níveis de testosterona entre as mulheres.

Prostaglandinas e ácidos graxos adicionais podem ajudar a tratar cistos ovarianos e problemas ligados à síndrome do ovário policístico (SOP). Também se descobriu recentemente que o óleo de groselha preta possui qualidades anti-inflamatórias que podem diminuir os indicadores de cistos ovarianos e, possivelmente, reduzi-los a um tamanho gerenciável.

Óleo de borragem: Com maiores quantidades de ácidos graxos ômega-3 e ômega-6, o óleo de borragem pode auxiliar na redução dos níveis de testosterona nas mulheres, especialmente pacientes com SOP. Pode ser uma boa opção no tratamento de cistos ovarianos, especialmente se os próprios cistos desenvolverem-se devido ao aumento dos níveis de testosterona.

Óleo de prímula: Outra boa fonte de GLA, o óleo de prímula pode levar a um efeito de equilíbrio nos hormônios femininos, o que pode ajudar a prevenir a formação de cistos ovarianos. As qualidades anti-inflamatórias deste óleo essencial também podem beneficiar os órgãos reprodutivos femininos, uma vez que os anti-inflamatórios demonstraram potencial no tratamento dos cistos.

No entanto é necessário fazer uma ressalva em relação a esse óleo, pois ele não contém grandes quantidades de ácidos graxos ômega. Você precisará obter seus ácidos graxos ômega-3 de outra fonte de alta qualidade, especialmente se você tem síndrome do ovário policístico (SOP).

Óleo de rícino: Este óleo essencial pode ajudar o corpo a eliminar os excessos de tecidos e toxinas, e estimular o sistema linfático e circulatório que pode eventualmente ajudar a reduzir e dissolver os cistos ovarianos. No entanto, evite usar o óleo de mamona durante a menstruação e após a ovulação, especialmente se você está tentando conceber.