Entendendo o que é a Esquizofrenia e Suas Concepções Erradas Comuns

Homem assustado com esquizofrenia

Resumo da matéria -

  • Estima-se que 54 milhões de pessoas sejam afetadas por uma doença mental em um determinado momento. As mais comuns das quais você pode ter ouvido falar são depressão, transtorno bipolar, problemas de ansiedade e esquizofrenia
  • A esquizofrenia é uma doença que afeta a maneira como você percebe a realidade e pode causar grandes mudanças comportamentais
Tamanho da fonte:

Distúrbios mentais são frequentemente retratados sob uma ideia ruim na mídia, o que resulta em estereótipos negativos que há muito estão enraizados na cultura americana. No entanto, assim como doenças físicas, transtornos mentais são uma doença, e aqueles que sofrem com isso precisam de ajuda e apoio.

Há certamente uma falta de compreensão e educação sobre como lidar com doenças mentais, porque as famílias geralmente concentram-se na saúde física. Você pode controlar um resfriado facilmente, mas quando um membro da família desenvolve uma doença mental, você não tem certeza do que fazer.

Estima-se que 54 milhões de americanos são afetados por uma doença mental em um determinado momento. Os tipos mais comuns dos quais você pode ter ouvido falar são depressão, transtorno bipolar, problemas de ansiedade e esquizofrenia. O último em particular, é provavelmente o mais incompreendido.

Concepções Errôneas Comuns Sobre a Esquizofrenia

Há muitas concepções errôneas acerca da esquizofrenia. Os exemplos abaixo são os mais proeminentes, dos quais você já deve estar ciente:

Esquizofrênicos possuem múltiplas personalidades: não se sabe ao certo como surgiu essa noção, mas os esquizofrênicos não possuem personalidades "separadas" ou múltiplas. A ideia pode ter vindo do próprio nome, no qual a palavra "esquizo" significa separação, mas a palavra realmente refere-se à capacidade de uma pessoa pensar e expressar emoções.

Pessoas com múltiplas personalidades são diagnosticadas com Transtorno da Identidade Dissociativa.

Esquizofrênicos possuem um comportamento perigoso: esse mito provavelmente vem da constante representação negativa dos esquizofrênicos nos filmes. Eles são frequentemente retratados como criminosos ou com um comportamento paranoico que pode colocar em perigo suas famílias ou amigos.

Na verdade, apenas um número muito pequeno de esquizofrênicos comete crimes e, se eles acontecem, 23% de seus crimes foram causados diretamente por seus sintomas.

A esquizofrenia não pode ser tratada: embora seja verdade que a esquizofrenia não tem cura, isso não significa que os esquizofrênicos não podem ser ajudados. Uma combinação de diferentes métodos de tratamento podem funcionar em conjunto para reduzir o risco de um ataque de esquizofrenia. Na verdade, muitos esquizofrênicos passam por uma recuperação bem-sucedida e destacam-se nas carreiras que escolheram.

A esquizofrenia é causada por má educação em casa ou na infância: muitas vezes as pessoas especulam que a razão pela qual alguém tem esquizofrenia é devido a uma infância difícil. Esse não é o caso, pois a esquizofrenia é causada por uma interação complexa de genes e seu ambiente. Sua educação é apenas uma parte da equação.

O que é Esquizofrenia Realmente?

Esquizofrenia é uma doença que afeta a maneira como você percebe a realidade e pode causar grandes mudanças comportamentais. Os sintomas que a definem são:

  • Delírios: crença ou ideia firmemente mantida, porém não realmente verdadeira. Isso geralmente manifesta-se através de pensamentos paranoicos sobre agentes do governo, alienígenas ou outros seres sobrenaturais.
  • Alucinações: são coisas que só os esquizofrênicos podem sentir, ouvir ou ver.
  • Fala incoerente: os esquizofrênicos geralmente exibem problemas em manter uma linha de pensamento.
  • Comportamento desorganizado: refere-se a um comportamento que está fora de contexto, como respostas opostas ao esperado.
  • Sintomas negativos: referem-se à ausência de um comportamento normal, como falta de entusiasmo por atividades ou falta de expressão emocional.

Pesquisadores não têm certeza de como a esquizofrenia se desenvolve, mas geralmente é aceito que seus genes e o ambiente em que você vive (educação, localização, etc.) desempenham uma função. Evidências também sugerem que a esquizofrenia tem um componente hereditário. Se você tem um parente esquizofrênico, há uma chance de que você também irá desenvolvê-la.

Tratar a esquizofrenia depende de uma combinação de diferentes métodos, todos trabalhando juntos para ajudar a gerenciar os sintomas. Dieta saudável, exercícios e terapia de suporte são geralmente recomendados para ajudar a diminuir o risco de um ataque. Medicamentos também podem ser receitados, mas esteja ciente de que eles possuem muitos efeitos colaterais.

Sinais Precoces de Esquizofrenia em Crianças

Em crianças pequenas, os primeiros sinais de esquizofrenia incluem problemas de desenvolvimento, como atraso em aprender a andar, comportamentos motores anormais, atrasos no aprendizado da linguagem ou engatinhar de modo incomum.

Mas em crianças mais velhas, sintomas mais detalhados que sugerem fortemente a esquizofrenia podem se manifestar. De acordo com a Dra. Rochelle Caplan do Child Mind Institute, estes incluem:

  • Ter dificuldades em manter a atenção
  • Recolhimento da interação social
  • Ansiedade devido a alucinações
  • Irritabilidade e raiva devido ao que eles estão experimentando
  • Dificuldades com o sono porque as alucinações podem tornar-se mais comuns

Alucinações, em particular, são muito difíceis para as crianças, porque podem parecer pensamentos assustadores ou ameaçadores, o que pode explicar a dificuldade do seu filho em dormir. Você também pode notar alguns comportamentos mudando ao longo do tempo, como uma crescente falta de interesse em hobbies.

Problemas na fala também podem aparecer gradualmente. Caplan diz que você pode pensar que seu filho pode estar se rebelando, mas, na verdade, pode ser esquizofrenia em seus estágios iniciais.

Se algum dos sintomas descritos por Caplan surgir, consulte imediatamente um médico especialista em psiquiatria infantil e adolescente. Ele ajudará a avaliar a condição do seu filho e a elaborar um plano de tratamento adequado para ele.

Possíveis Indicadores de Esquizofrenia em Adolescentes

A esquizofrenia nos adolescentes geralmente leva nove meses para se desenvolver e durante este tempo, você pode pensar que seu filho adolescente está passando por problemas comuns desta etapa da vida, como ansiedade e depressão. No entanto, os seguintes sinais podem indicar que seu filho está desenvolvendo esquizofrenia:

  • Retraimento social
  • Queda no desempenho escolar
  • Problemas para dormir
  • Irritabilidade e humor deprimido
  • Falta de motivação para atividades

Adolescentes esquizofrênicos também podem começar a esquecer partes básicas de sua rotinas, como higiene pessoal, além de ter problemas com a fala. Eles também podem ter reações inadequadas a certas situações, como rir de um filme triste.

Consulte Seu Médico Imediatamente se Seu Filho Apresentar Algum Destes Sinais

É normal preocupar-se quando seu filho passa por mudanças de comportamento à medida que ele cresce, e você pode pensar nisso como sendo apenas uma fase pela qual a maioria das crianças passa. O difícil é descobrir que seu filho pode estar sofrendo de uma doença mental, especialmente em idade precoce.

Diagnosticar a esquizofrenia é um problema sério que afetará profundamente não só o seu filho, mas também toda a sua família. Quando certos sintomas de esquizofrenia aparecem, tais como delírios, pensamentos paranoicos, alucinações, fala e pensamento desorganizados, você deve levar seu filho ao médico imediatamente.

Obter ajuda antecipada permitirá que você e sua família ajudem a controlar a esquizofrenia de seu filho e permitir que ele aproveite a vida, assim como qualquer criança deve.

Adote Estas Práticas para Ajudá-lo a Aproveitar a Vida ao Máximo

Se você mesmo for diagnosticado com esquizofrenia, aceitar sua doença é apenas o primeiro passo para a recuperação. É melhor "viver" com esquizofrenia do que "sobreviver" a ela. As seguintes práticas são recomendadas para ajudá-lo (a) a viver e aproveitar a vida:

Faça uma dieta saudável: alimentos ricos em ômega-3 como salmão do Alasca, sardinha e anchova, juntamente com aqueles ricos em vitaminas C e E, reduzem os sintomas da esquizofrenia. Suplementos de óleo de krill também são uma boa fonte de ômega-3, se você não puder obter fontes orgânicas do mesmo. Por último, não se esqueça de consumir alimentos ricos em outros nutrientes essenciais, como legumes orgânicos crus, carne de animais alimentados no pasto e óleo de coco.

Pratique exercícios regularmente: exercícios são uma das melhores coisas que você pode fazer para ajudar a melhorar seu corpo, mas também pode ajudar a melhorar seu bem-estar mental. Tente encontrar um exercício ou esporte que você gosta para poder divertir-se enquanto exercita-se.

Aprenda a controlar o estresse e a ansiedade: viver com esquizofrenia pode ser fisicamente desgastante, por isso é importante aprender a controlar sua carga de trabalho para que você não se sinta sobrecarregado.

Você pode aprender as Técnicas de Libertação Emocional (EFT), um método onde você coloca seus dedos em meridianos de energia específicos na sua cabeça e peito, enquanto expressa afirmações positivas para ajudar a remover emoções negativas e inspirá-lo a definir metas positivas.

Evite o isolamento social: é importante que você nunca fique isolado por muito tempo, pois isso pode exacerbar suas alucinações e paranoia. Em vez disso, tome uma decisão consciente de sair e passar um tempo com um amigo ou membro da família para um simples bate-papo.

Mantenha fortes amizades e desenvolva suas habilidades sociais: ter bons amigos com os quais você possa conversar regularmente pode ajudar bastante, especialmente durante os momentos em que você se sente mal.

Reduzir a Ingestão de Açúcar Pode Ajudar a Controlar Melhor a Esquizofrenia e Melhorar sua Saúde Física

Dietas ricas em açúcar demonstraram influenciar a propensão à esquizofrenia. Especula-se que o açúcar suprime a capacidade cerebral de produzir um hormônio chamado fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF), hormônio responsável pela produção de neurônios saudáveis no cérebro.

Por sua vez, baixos níveis de BDNF podem causar o encolhimento do cérebro ao longo do tempo, o que realmente foi encontrado em pessoas com esquizofrenia.

O importante é reduzir a ingestão de açúcar. Alimentos ricos em açúcar foram associados à inflamação crônica em todo o organismo e, como mencionado anteriormente, podem também intensificar a esquizofrenia. Igualmente importante é o corte de alimentos processados e grãos.

Substitua a dieta de alimentos processados repletos de açúcar por frutas e legumes orgânicos e carne de animais alimentados no pasto para prover o organismo com nutrientes necessários para obter-se uma saúde otimizada. Alimentos ricos em probióticos também podem ajudar a obter uma função cerebral correta e bem-estar psicológico.

Ácidos Graxos Ômega-3 Podem Ajudar a Melhorar a Saúde Mental Geral

Muitas evidências já demonstraram os benefícios dos ácidos graxos ômega-3 para a saúde física, mas o que é surpreendente é que eles também podem ajudar a melhorar a saúde mental.

De acordo com um estudo publicado na Schizophrenic Research, consumir um suplemento de ômega-3, juntamente com vitaminas E e C, demonstrou uma notável queda nos sintomas positivos e negativos entre os esquizofrênicos após quatro meses de tratamento.

É recomendável que você obtenha ômega-3 a partir de peixes gordurosos, como salmão selvagem do Alasca, sardinha e anchova, pois eles contêm as mais altas concentrações desse nutriente.

No entanto, se você não conseguir obter fontes orgânicas desses peixes (porque peixes cultivados comercialmente estão contaminados com poluentes), um suplemento de óleo de krill de alta qualidade servirá. O óleo de krill é colhido nos oceanos intocados longe da poluição, tornando-os uma fonte limpa e orgânica de ômega-3.

Medicamentos Comumente Receitados para a Esquizofrenia e seus Efeitos Colaterais

Medicamentos são considerados a pedra angular do tratamento dos transtornos mentais. Medicamentos antipsicóticos, em particular, são comumente receitados para o tratamento de sintomas da esquizofrenia. No entanto, eles vêm junto com muitos efeitos colaterais, alguns dos quais são fatais.

Existem dois tipos de medicamentos antipsicóticos comercializados atualmente. O primeiro é o típico antipsicótico, que é a primeira geração de remédios antipsicóticos desenvolvidos na década de 1950. O segundo são os antipsicóticos atípicos, que são medicamentos de segunda geração desenvolvidos na década de 1990 com a intenção de ter promover menos efeitos colaterais.

A tabela abaixo mostra medicamentos antipsicóticos de primeira e segunda geração comumente receitados:

Primeira Geração (Típica) Segunda Geração (Atípica)

Clorpromazina (Amplictil)

Aripiprazol (Abilify)

Flufenazina (Prolixina)

Asenapina (Saphris)

Haloperidol (Haldol)

Clozapina (Clorazil)

Perfenazina (Trilafon)

Iloperidona (Fanapt)

Loxapina (Loxitane)

Lurasidona (Latuda)

Tioridazina (Mellaril)

Olanzapina (Zyprexa)

Trifluoperazina (Stelazine)

Paliperidona (Invega)

A tabela abaixo compara os efeitos colaterais entre os medicamentos de primeira e segunda geração. Como você verá, os medicamentos atípicos possuem a mesma quantidade de efeitos colaterais:

Primeira Geração (Típica) Segunda Geração (Atípica)

Agitação

Sonolência

Tremor

Ganho de peso

Contrações musculares

Visão embaçada

Espasmos musculares

Prisão de ventre

Paralisia temporária

Falta de desejo sexual

Inquietação

Boca seca

Alterações na respiração e na frequência cardíaca

Nervosismo

Se você absolutamente precisa usar uma medicação, por favor, esteja ciente dos possíveis efeitos colaterais e discuta-os com seu médico. No entanto, não use somente da medicação para seu tratamento, pois o medicamento trata apenas alguns dos sintomas e não cura a esquizofrenia.

Dieta saudável, exercícios, terapias de suporte e abandono de hábitos pouco saudáveis, como o tabagismo contribuem muito para uma recuperação e controle otimistas desta condição.

Não Se Isole – Junte-se a um Grupo de Apoio

Grupos de apoio são uma boa maneira de relacionar-se com aqueles que estão passando pela mesma jornada que você. Eles ajudam a criar um ambiente seguro onde você pode ser você mesmo e compartilhar sua experiência. Em troca, outros membros podem oferecer palavras encorajadoras a você.

Você pode participar de grupos de apoio sediados pela National Alliance for the Mentally Ill (Aliança Nacional para os Doentes Mentais - NAMI). Alguns locais da NAMI não apenas fornecem suporte para esquizofrênicos, como também fornecem programas de "Família para Família" que ajudam os membros da família a auxiliar, lidar e entender os entes queridos com esquizofrenia.