Espirulina: um alimento saudável e de luxo, um possível remédio para a desnutrição

Benefícios da espirulina à saúde

Resumo da matéria -

  • A espirulina, um tipo de alga azul-esverdeada, é um superalimento incrível que oferece uma fonte concentrada de proteínas, vitaminas, antioxidantes e outros nutrientes
  • A espirulina é conhecida principalmente como um suplemento nutricional, no entanto, em algumas partes do mundo, a espirulina é considerada uma fonte alimentar importante na prevenção da desnutrição
  • As crianças que receberam um suplemento de espirulina diariamente, cinco dias por semana, durante dois meses, tiveram status nutricional melhor e um aumento no status intelectual em comparação com as que não receberam
  • A espirulina é tão densa nutricionalmente que a NASA e a Agência Espacial Europeia estão pesquisando os benefícios de incorporá-la às dietas dos astronautas nas espaçonaves e em Marte
  • A espirulina mostra ser uma promessa no combate a diversas doenças, entre elas o diabetes tipo 2, doenças cardíacas, doenças neurodegenerativas, AIDS, alergias e muito mais.
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

A espirulina, um tipo de alga azul-esverdeada, é um superalimento incrível que oferece uma fonte concentrada de proteínas, vitaminas, antioxidantes e outros nutrientes. Como uma das formas de vida mais antigas no planeta, o uso da espirulina como fonte alimentar remonta ao século 9 em Chade, na África, e acredita-se que a espirulina era usada pelos astecas no México no século 16.

A espirulina, um tipo de organismo unicelular, recebeu seu nome da palavra latina para “hélice” ou “espiral” devido ao seu formato parecido com o de uma mola.

A espirulina é mais conhecida como um suplemento nutricional ou um ingrediente que agrega força nutricional a sucos e batidas verdes. No entanto, em algumas partes do mundo, a espirulina é considerada uma fonte alimentar importante na prevenção da desnutrição

O que faz da espirulina um superalimento nutritivo?

Embora a espirulina seja geralmente descrita como uma alga azul-esverdeada, ela é tecnicamente um tipo de cianobactéria. As cianobactérias são classificadas como bactérias porque seu material genético não está organizado em um núcleo unido à membrana.

Diferentemente de outras bactérias, elas têm clorofila e usam o sol como uma fonte de energia, do mesmo modo que as plantas e as algas.

Uma das características especiais da espirulina é seu alto teor de proteína: 50 a 70% de proteína em peso (ainda melhor que a carne vermelha, que contém cerca de 27% de proteína). Ela também contém todos os aminoácidos essenciais e 10 dos 12 aminoácidos não essenciais, juntamente com um potente conjunto de outros nutrientes benéficos, como:

Vitaminas B (incluindo alto teor de B-12), vitamina K e outras Naturalmente rica em iodo Minerais (incluindo cálcio, ferro, magnésio, selênio, manganês, potássio e zinco)
Uma das fontes mais conhecidas de ácido gamalinolênico (GLA, um importante ácido graxo para o coração e juntas) Outros ácidos graxos essenciais, como sulfolipídios, que podem proteger contra infecção por HIV de células T auxiliares Fitopigmentos (ficocianina, clorofila e carotenoides)
Compostos de metalotioneína (proteínas combinadas com metais que se unem a pesados isótopos radioativos) Baixa em carboidratos 18 aminoácidos diferentes

Além disso, a espirulina tem as seguintes propriedades especiais:

  • As proteínas na espirulina são de tipo altamente digerível (83 a 90% digerível), devido ao fato de que não possui paredes de celulose, como a levedura e a chlorella. Sendo assim, a utilização proteica líquida (NPU) é alta (entre 53 e 61%) e não requer o cozimento para aumentar a biodisponibilidade de suas proteínas.
  • Os estudos confirmam um "coeficiente de eficiência proteica" (PER) bastante alto na espirulina, o que significa que seu corpo será capaz de usar de modo eficiente esses aminoácidos.
  • O ácido gamalinolênico é raramente tão alto assim em QUALQUER outro alimento e precisa ser geralmente sintetizado pelo corpo com o ácido linoleico. O GLA é um precursor de importantes substâncias bioquímicas, como as prostaglandinas, leucotrienos e tromboxanos, que atuam como mediadores químicos em reações inflamatórias e imunes.
  • A espirulina não tem ácidos graxos com número ímpar de carbonos e ácidos graxos de cadeia ramificada de baixíssimo nível — dois tipos de lipídios que animais de ordem superior, como eu e você, não conseguimos metabolizar.
  • A espirulina tem mais ou menos o mesmo teor de cálcio, fósforo e magnésio que o leite, um nível de vitamina E (tocoferol) comparável ao germe de trigo e quatro vezes mais que a vitamina B12 encontrada no fígado cru!

Espirulina como ajuda no combate à desnutrição

A espirulina silvestre cresce na natureza, nos lagos alcalinos do México e na África, embora seja cultivada e colhida comercialmente em todo o mundo. A produção comercial da espirulina deve alcançar 220.000 toneladas até 2020. O Japão é o maior produtor de espirulina, bem como o maior consumidor; no entanto, seu consumo está crescendo na Índia também.

Por exemplo, a organização Antenna India fornece "doces" de espirulina às crianças com risco de desnutrição e a oferecem por um baixo custo a mulheres em grupos de autoajuda, que podem então vender o superalimento para obter lucros enquanto conscientizam sobre a desnutrição.

A pesquisa mostrou que as crianças que receberam um suplemento de espirulina diariamente, cinco dias por semana, durante dois meses, tiveram status nutricional melhor e um aumento no status intelectual em comparação com as que não receberam.

Esse alimento é tão denso nutricionalmente que a NASA e a Agência Espacial Europeia estão pesquisando os benefícios de incorporar a espirulina às dietas dos astronautas nas espaçonaves e em Marte.

Além da nutrição, a espirulina oferece diversas vantagens ao meio ambiente e àqueles que a cultivam. Por exemplo, a produção de espirulina requer 10 vezes menos água que outros vegetais e as colheitas acontecem durante todo o ano.

Fortaleça seu sistema imunológico, reduza as inflamações e combata doenças crônicas com a espirulina

Os benefícios da espirulina à saúde são enormes e parecem ter impacto em quase todas as áreas do corpo. Por exemplo, a espirulina mostra um excelente potencial para ajudar pessoas com doenças cardiovasculares, em termos de criar perfis melhores de lipídio, controlar a hipertensão e aumentar a elasticidade dos vasos sanguíneos.

Os estudos com animais sugerem que a espirulina também pode proteger o fígado, provavelmente como resultado de suas altas propriedades antioxidantes e de sua capacidade de sintetizar ou liberar óxido nítrico.

E, em um estudo de três dietas ricas em antioxidantes (mirtilos, espinafre e espirulina), descobriu-se que a espirulina teve o maior efeito neuroprotetor, possivelmente devido à sua capacidade de acabar com os radicais livres e reduzir a inflamação.

Também se viu que a espirulina auxilia em problemas de amplo espectro, desde o envenenamento por arsênico até alergias.

Segundo um estudo, os pacientes tratados com espirulina relataram alívio de sintomas normalmente associados à rinite alérgica, como secreção nasal e congestão, espirros e coceira. Na realidade, existem estudos científicos que apoiam a possível utilidade da espirulina na prevenção e/ou tratamento dos seguintes problemas de saúde:

DMRI (Degeneração macular relacionada à idade) Diabetes tipo 2
Doenças cardiovasculares, inclusive hipertensão DHGNA (Doença hepática gordurosa não alcoólica)
Saúde do fígado e menos danos da exposição a metais pesados Doenças cerebrovasculares (inclusive derrame)
Doenças nutricionais, como anemia por deficiência de ferro, anemia perniciosa (deficiência de B12), deficiência de vitamina A e kwashiorkor Doenças neurodegenerativas, como mal de Parkinson e Alzheimer
Proteção contra HIV e outros vírus Menos sintomas de alergia
Proteção contra o câncer Proteção contra radiação
Saúde da medula óssea e do sangue (principalmente durante o uso de medicamentos contra o câncer) Fortalecimento das defesas imunológicas e controle da resposta inflamatória
Menos sensibilidade à dor com a inibição de prostaglandinas, que contribuem para a dor e a inflamação Redução dos sintomas de artrite
Proteção contra os danos da radiação ionizante

Segurança da espirulina: cuidado com a contaminação

A espirulina tem um histórico de segurança, mesmo em altas doses, com poucos efeitos colaterais relatados. No entanto, se colhida em águas poluídas ou cultivada incorretamente, pode acumular toxinas do meio ambiente. O ideal é consumir a espirulina orgânica de uma fonte confiável que a cultive em águas sem poluentes.

Se você planeja começar uma dieta com espirulina, a dosagem recomendada é 3.000 miligramas (mg) por dia para adultos, e 500 a 1.500 mg para crianças, como uso preventivo. Para uso terapêutico, são necessários 10.000 a 20.000 mg por dia para adultos.

No entanto, lembre-se que além de ser uma importante fonte de vitaminas e minerais essenciais, a espirulina é um potente desintoxicante. Por esse motivo, é melhor começar com uma pequena dose e aumentá-la gradualmente. Assim que vir como o seu corpo responde, você poderá aumentar o consumo pouco a pouco.

Mais uma vez, embora os efeitos colaterais sejam mínimos, as reações mais importantes que você poderá ter são:

  • Febre ligeira – o alto teor de proteína da espirulina aumenta o metabolismo, podendo elevar a temperatura corporal.
  • Fezes de coloração verde-escura – a espirulina é capaz de remover os resíduos acumulados no cólon, podendo causar fezes mais escuras.
  • Gases em excesso – isso pode indicar que o sistema digestivo não está funcionando corretamente ou que você tem um acúmulo de gases em excesso.
  • Sensações de emoção ou sonolência – o corpo está transformando proteína em energia térmica, o que pode gerar sentimentos temporários de inquietação. Por outro lado, o processo de desintoxicação também pode causar sonolência, o que indica que o corpo está exausto e precisa descansar.
  • Rupturas e coceira na pele – isso é causado pelo processo de limpeza do cólon e é apenas temporário.

É muito provável que seu corpo passe por um período de ajuste com a espirulina e a melhor estratégia para reduzir as possíveis reações é começar com uma dose pequena e aumentá-la gradualmente para ver como o seu corpo reage. No entanto, existem algumas pessoas que parecem ser sensíveis à espirulina e não conseguem tolerá-la. Se você é uma dessas pessoas, é melhor evitá-la.

Experimente a chlorella, que possui benefícios semelhantes.