O Glúten Está Fazendo Você Engordar?

Tamanho da fonte:

Os especialistas estão começando a aceitar a ideia de que a letargia e o ganho de peso podem ser atribuídos a uma substância que se esconde no trigo e em muitos outros grãos comuns - o glúten. O glúten é uma proteína encontrada no trigo, cevada e centeio, e em muitos aditivos alimentares.

As pessoas estão observando. As vendas de produtos sem glúten cresceram cerca de 30% ao ano de 2006 a 2010, e as vendas totais chegarão a US$ 3,9 bilhões no próximo ano. Na verdade, 10% dos novos alimentos lançados em 2010 apresentaram a chamada "sem glúten".

O Yahoo Health relata que:

“... Para pessoas com doença celíaca... comer alimentos que contenham glúten pode levar a uma série de reações desagradáveis... Mesmo que você não tenha doença celíaca, o glúten ainda pode ser ruim para você... Uma porcentagem crescente de pessoas nos Estados Unidos se considera "sensível ao glúten”... Alguns podem ter uma forma de alergia ao trigo.”

Há também pesquisas emergentes sugerindo que comer trigo, que contém glúten, pode fazer com que certos indivíduos se tornem psicóticos. A maior parte da pesquisa sobre esquizofrenia está focada em neurotransmissores, e o tratamento comum é feito através de remédios neurolépticos. No entanto, estes medicamentos tendem a ter sérios efeitos colaterais.

Alguns pesquisadores têm observado um suspeito improvável na patogênese da esquizofrenia – o trigo. Muitos esquizofrênicos parecem ter um histórico de doença celíaca (intolerância ao glúten / trigo) como crianças – tanto quanto 100 vezes a quantidade de doença celíaca da população média.

Enquanto isso, as populações que tradicionalmente seguem uma dieta sem glúten têm uma ocorrência extremamente rara de esquizofrenia - apenas 2 em 65.000 versus cerca de 1 em 100 em países onde se consome grãos. E quando as populações ocidentalizam suas dietas, a esquizofrenia torna-se comum.

De acordo com a Psychology Today:

Em um Estudo de Caso da Resolução de Sintomas Esquizofrênicos em uma Dieta Cetogênica,  uma dieta rica em gordura, pobre em carboidratos e proteína (portanto com muito pouco trigo) resultou na remissão de sintomas psicóticos em um único estudo de caso.”

Por Dr. Mercola

A dieta livre de glúten  tornou-se muito popular em algumas partes do mundo, sendo que restaurantes, fornecedores e supermercados, todos eles, aumentaram suas ofertas de alimentos sem glúten.

Como o glúten, que era praticamente desconhecido há apenas alguns anos, tornou-se algo bastante conhecido?

Começou com a constatação de que o glúten, uma proteína encontrada nos grãos como o trigo, o centeio e a cevada, causa uma verdadeira devastação nas pessoas com doença celíaca, provocando uma reação imune que prejudica o intestino delgado e evita a absorção de nutrientes.

Mas agora, um número crescente de pessoas sem doença celíaca também está se juntando à moda sem glúten e experimentando uma série de benefícios para a saúde, incluindo a perda de peso.

Por que Você Pode ser Melhor Evitar o Glúten

De acordo com estatísticas do Centro de Doenças Celíacas da Universidade de Chicago, uma média de uma em cada 133 pessoas  nos Estados Unidos que fora isso é saudável sofre de doença celíaca (DC), mas estudos anteriores descobriram que esse número pode chegar a 1 em 33  em populações em risco.

Aqueles com doença celíaca devem evitar o glúten para controlar a doença, mas, na minha experiência, há uma epidemia de pessoas com intolerância oculta aos produtos de trigo e glúten que também se beneficiariam de evitá-los completamente. 

Na verdade, uma parte primária do nosso programa de tipificação nutricional  é que todos começam por ficar sem comer glúten por 60 dias.

Eu também recomendo que todos seguindo meu plano de nutrição para iniciantes eliminem todo o glúten de suas dietas. Entre os mais importantes a se evitar estão os grãos contendo glúten que contenham moléculas de gliadina, como o trigo.

Quando a gliadina no glúten torna-se solúvel na água, ela fica livre para ligar-se às células do seu corpo. Se você é sensível, seu corpo fabricará anticorpos contra a gliadina e atacará as células às quais a gliadina se ligou, tratando essas células como uma infecção. Esta resposta imune prejudica o tecido circundante e tem o potencial de desencadear, ou exacerbar, muitos outros problemas de saúde em todo o seu corpo, razão pela qual o glúten pode ter um efeito tão devastador sobre a sua saúde geral.

Evitar o Glúten pode Ajudar Você a Perder Peso?

O glúten costuma se esconder em alimentos processados, como sopas prontas, molho de soja, doces, frios e vários produtos com baixo teor de gordura e sem gordura, bem como produtos de grãos refinados como pão, massa de pizza, massas, biscoitos e doces.

Quando você corta todos esses alimentos da sua dieta, você acaba cortando principalmente carboidratos refinados, que estão ligados ao ganho de peso e à obesidade.

Portanto, é muito provável que mudar para uma dieta sem glúten possa ajudá-lo a perder peso, especialmente se você estiver comendo muitos alimentos refinados contendo glúten. Ao decidir ficar sem comer glúten, no entanto, você precisa ter cuidado para substituir os alimentos contendo glúten por escolhas saudáveis, como legumes e outros alimentos integrais.

Se ao invés disso você optar por alimentos processados sem glúten, como a grande variedade de biscoitos, macarrão e pães sem glúten que agora estão comercialmente disponíveis, há uma boa chance de que você não perca peso, na verdade,você pode até ganhar.    

De fato, um estudo com pessoas com doença celíaca que seguiram uma dieta livre de glúten descobriu que 81% ganharam peso após dois anos. Portanto, lembre-se de que, apenas porque uma comida é livre de glúten, ela não é necessariamente saudável ou automaticamente boa para a perda de peso.

Para perder peso efetivamente, você ainda precisa seguir os princípios de uma dieta saudável, que inclui evitar grãos contendo glúten e se concentrar em escolher alimentos integrais, não em alternativas processadas.

O Glúten pode Até Mesmo Afetar seu Cérebro?

Aparentemente sim.

A pesquisa sugere que as exorfinas, péptidos opioides das proteínas alimentares como glúten, podem se deslocar do seu intestino até seu cérebro e causar sintomas de esquizofrenia. Em um estudo feito por F. Curtis Dohan, ele concluiu que as seguintes evidências tornam muito provável que o glúten possa ter um impacto significativo na esquizofrenia:

  1. “Nos anos sessenta muitas observações sugeriram que a esquizofrenia e doença celíaca... compartilhem alguns, mas não todos os genes. Portanto, o papel do glúten na esquizofrenia foi examinado.
  2. Estudos epidemiológicos demonstraram uma forte relação de dependência de dose entre a ingestão de grãos e a ocorrência de esquizofrenia…
  3. Exames clínicos e relatos de casos mostram que o glúten é tóxico para pacientes esquizofrênicos agudos e reincidentes, mas apenas pacientes crônicos ocasionais de longo prazo respondem ao glúten ou à sua ausência.
  4. Devido à evidência acima, peptídeos com atividade opioide potente foram procurados e encontrados pelos pesquisadores dos Institutos Nacionais da Saúde nas digestões enzimáticas do glúten, sua subfração de gliadina e uma caseína a partir do leite. Estes peptídeos opioides foram nomeados exorfinas.
  5. A excreção urinária de pequenos peptídeos por indivíduos com esquizofrenia é bastante aumentada. Alguns aparentemente são do glúten. Alguns peptídeos são neuroativos, incluindo efeitos semelhantes aos opiáceos.
  6. Uma fração específica de péptido de gliadina, que em grandes doses é psicoativa em indivíduos com doença celíaca, produziu comportamentos estereotipados e convulsões límbicas em ratos horas após a injeção intracraniana.”

Outra conexão entre o glúten e sua saúde mental é o fato de que os grãos são inerentemente pró-inflamatórios e agravarão qualquer condição que tenha como sua raiz a inflamação crônica - e não apenas inflamação no seu intestino, mas em qualquer lugar do seu corpo. A inflamação crônica no seu corpo pode causar estragos no seu cérebro, e a importância de reduzir a inflamação ao lidar com problemas de saúde mental  é bem conhecida.

Além disso, é muito comum que as pessoas experimentem uma série de melhoras na saúde mental e emocional ao eliminar o glúten de sua dieta.

Quais Grãos Não Possuem Glúten?

Certos tipos de grãos, sementes e farinhas disponíveis são naturalmente livres de glúten, incluindo:

  • Arroz de trigo sarraceno
  • Milho (apenas aqueles não transgênicos)
  • Quinoa
  • Sorgo
  • Soja (que eu não recomendo comer por outros motivos)
  • Semente de linho e amaranto

O trigo sarraceno e o painço não contêm a molécula de gliadina que pode provocar a reação inflamatória ao glúten. Portanto, eles geralmente são seguros para comer.

Quando você começa uma dieta sem glúten, seja paciente.

A maioria das pessoas não se sente melhor imediatamente, já que pode demorar de 30 a 60 dias para que a inflamação diminua e de 9 a 12 meses para que o revestimento do intestino delgado se recupere.

Em algumas ocasiões, um indivíduo pode experimentar uma melhora significativa poucas semanas depois de ter eliminado o glúten de sua dieta, mas em outros casos, as pessoas podem se sentir consideravelmente piores ao começar uma dieta livre de glúten, o que pode ser devido a outras alergias e sensibilidades alimentares não identificadas.

No entanto, é importante se manter firme já que após cerca de 6 a 9 meses da eliminação do glúten de sua dieta, mudanças físicas e mentais / emocionais notáveis terão ocorrido.