Como se proteger contra o câncer de cólon


Câncer De Cólon

Resumo da matéria -

  • Até 50% dos casos de câncer colorretal podem ser prevenidos com uma alimentação saudável, com a manutenção de um peso saudável e estando fisicamente ativo.
  • Você pode reduzir o risco de câncer de cólon melhorando seus níveis de vitamina D, comendo mais hortaliças, alho e fibras
  • Evitar carnes processadas é importante para reduzir o risco de câncer de cólon
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O câncer de cólon tem sido notícia nos últimos tempos desde que a Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (IARC), que faz parte da Organização Mundial da Saúde (OMS), concluiu no final de 2015 que a carne processada pode causar câncer colorretal nas pessoas, classificando-a como um carcinógeno do Grupo 1.

O câncer colorretal, que inclui os dois tipos de câncer: de cólon e de reto, é o terceiro tipo de câncer mais comum diagnosticado (sem incluir o câncer de pele). Em 2016, estima-se que haverá mais de 95.000 casos novos de câncer de cólon (e mais de 39.000 casos de câncer retal) diagnosticados.

Seu cólon, também conhecido como intestino grosso, exerce uma função incrivelmente importante na sua saúde. À medida que o alimento atravessa o cólon, o líquido e o sal são removidos para prepará-lo para eliminação.

Além de ajudar a formar, armazenar e eliminar os resíduos, seu cólon contém bilhões de bactérias, um equilíbrio saudável que é essencial para a saúde ideal.

Vários casos de câncer podem ser prevenidos

O câncer colorretal é a segunda causa principal de mortes por câncer nos Estados Unidos, mas, assim como vários tipos de câncer, ele geralmente pode ser prevenido.

O resultado de uma pesquisa publicada na Pesquisa Farmacêutica indicava que somente 5 a 10% dos casos de câncer são devidos a defeitos genéticos, enquanto o restante está associado a fatores ambientais e de estilo de vida.

Os pesquisadores estimaram que até 35% das mortes associadas ao câncer podem ser devido à alimentação, outros 30% devido ao cigarro e 20% devido a infecções e o restante devido a fatores ambientais como exposição à radiação, estresse, níveis de atividade física e poluição ambiental.

O Instituto Americano de Pesquisa do Câncer (AICR) também declarou que cerca de um terço dos casos de câncer mais comuns nos Estados Unidos podem ser prevenidos com uma alimentação saudável, com a manutenção de um peso saudável e estando fisicamente ativo.

No caso do câncer colorretal, a porcentagem que poderia ser prevenida com esses fatores de estilo de vida sobe para 50%.

Principais dicas para prevenir o câncer de cólon

  1. Coma mais hortaliças e algumas frutas

    As hortaliças contêm vários antioxidantes diferentes e outros elementos de combate a doenças que são muito difíceis de obter em qualquer outro lugar – como o magnésio.

    Os resultados de uma meta-análise indicaram que para cada aumento de 100 miligramas na ingestão de magnésio, o risco de tumor colorretal caiu 13%, enquanto o risco de câncer colorretal foi reduzido em 12%.

    Os pesquisadores observaram que os efeitos anticâncer do magnésio podem estar relacionados à sua capacidade de reduzir a resistência à insulina, podendo afetar positivamente o desenvolvimento de tumores.

    Além do magnésio, as substâncias químicas vegetais chamadas de substâncias fitoquímicas podem reduzir inflamações e eliminar carcinógenos, enquanto outras regulam a taxa na qual as células se reproduzem, eliminam células velhas e mantêm o DNA.

    As hortaliças são também uma das melhores formas de fibras alimentares. Os estudos têm mostrado repetidamente que as pessoas que mais comem hortaliças têm índices mais baixos de câncer.

    Se você é saudável, o consumo de frutas com moderação também pode ser benéfico. Segundo um estudo, as ameixas secas podem reduzir o risco de câncer de cólon produzindo bactérias intestinais.
  2. Coma mais fibras

    As fibras alimentares têm sido associadas a um risco menor de câncer colorretal, principalmente à incidência de adenoma colorretal e câncer de cólon distal. Além disso, para cada 10 gramas de fibra adicionadas à sua alimentação diária, seu risco de câncer de cólon cai 10%.

    Felizmente, se você seguir a dica acima e comer mais hortaliças, você comerá mais fibras naturalmente da melhor fonte possível — as hortaliças. As cascas de semente de Psílio, as sementes de linhaça, de cânhamo e de chia também oferecem fontes ricas em fibras solúveis e insolúveis.
  3. Melhore seus níveis de vitamina D

    A deficiência de vitamina D é um fator de risco para o câncer colorretal. Em um estudo publicado no periódico Gut, as pessoas com níveis mais altos de vitamina D no sangue tiveram menor probabilidade de desenvolver tumores colorretais.

    Isso pode ser porque a vitamina D é benéfica para seu sistema imunológico, que, por sua vez, pode ajudar a limitar o desenvolvimento de tumores cancerígenos.

    A exposição regular ao sol, o uso de uma cama de bronzeamento de alta qualidade e/ou a ingestão de suplementos de vitamina D3 podem colocar os níveis de vitamina D na faixa ideal de 50-70 ng/ml. Você precisará monitorar seus níveis para ter certeza de ficar dentro dessa faixa.
  4. Evite as carnes processadas

    As carnes processadas são aquelas conservadas pela fumaça, cura, sal ou adição de conservantes químicos.

    Entre elas estão o bacon, presunto, pastrami, salame, cachorros-quentes, algumas salsichas e hambúrgueres (se foram conservados com sal ou aditivos químicos) e muito mais. O que é principalmente problemático são os nitratos adicionados a essas carnes, como conservantes, corantes e aromatizantes.

    Os nitratos encontrados nas carnes processadas são geralmente convertidos em nitrosaminas, que estão claramente associadas a um risco maior de determinados tipos de câncer. O AICR alerta que "não há um limite seguro" no consumo de carnes processadas.
  5. Mantenha-se informado sobre o consumo de carnes vermelhas

    Pesquisas indicam que as pessoas que mais comem carne vermelha (em um estudo isso representava 140 gramas por dia) têm risco 24% maior de câncer colorretal do que as que comem menos.

    No entanto, a carne vermelha não deve ser o problema em si, mas sim a maneira como ela é cozida e a fonte de onde vem. A carne de gado alimentado com pasto, por exemplo, contém elementos de combate ao câncer.

    Por outro lado, sabe-se que o glifosato, ingrediente ativo no herbicida Roundup, pode ter um impacto prejudicial nas bactérias saudáveis do intestino e é carcinogênico. Os animais confinados são geralmente alimentados com grãos contaminados com glifosato.

    A carne vermelha cozida em altas temperaturas (como assada ou frita) também pode conter subprodutos carcinogênicos como as aminas heterocíclicas (HCAs) e os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (PAHs).

    Quando se trata de carne, recomendo comer carnes de animais alimentados de modo orgânico apenas e de cozinhá-los levemente (no ponto mal passado, nunca bem passado).
  6. Pratique exercícios físicos

    Existem provas convincentes de que os exercícios físicos regulares podem reduzir significativamente seu risco de câncer de cólon. Um estudo revelou que os homens e mulheres fisicamente ativos têm uma redução de 30 a 40% no risco de desenvolver câncer de cólon em comparação às pessoas inativas, por exemplo.

    Nos iniciantes, o exercício baixa os níveis de insulina, e o controle desses níveis é uma das maneiras mais eficazes de reduzir o risco de câncer. Também foi sugerido que a apoptose (morte celular programada) é acionada pelo exercício, fazendo com que as células morram.

    O exercício também melhora a circulação das células imunes no seu sangue. O trabalho dessas células é neutralizar os patógenos em todo o seu corpo, além de destruir as células pré-cancerígenas antes que se tornem cancerígenas. Quanto melhor essas células circulam, mais eficiente seu sistema imunológico se defende contra infecções e doenças como o câncer.
  7. Mantenha um peso saudável e controle a gordura abdominal

    Diversos estudos ligaram a obesidade ao maior risco de contrair dezenas de tipos de câncer diferentes, inclusive o câncer de cólon. Em um estudo de 2014 que analisou os dados de pelo menos 5 milhões de pessoas com mais de 16 anos, cada aumento de 5 kg no peso corporal estava associado ao maior risco de 10 tipos de câncer.

    Se você está acima do peso ou obeso, até mesmo poucos quilos perdidos podem gerar grandes benefícios para a sua saúde. Em termos de prevenção de câncer, perder a gordura abdominal em excesso é muito importante, já que a gordura corporal está ligada ao maior risco de câncer de cólon independentemente do peso corporal.
  8. Limite o consumo de álcool e pare de fumar

    Tanto o consumo de álcool em excesso quanto o cigarro estão associados a um risco maior de câncer colorretal. Quando se trata de álcool, eu geralmente defino o consumo de álcool "moderado" como uma taça de vinho de 150 ml, uma cerveja de 350 ml ou 30 ml de bebida alcoólica destilada acompanhando uma refeição por dia.
  9. Coma alho

    Foi comprovado em estudos de laboratório que o alho mata células cancerígenas, além de ser promissor quando consumido na sua alimentação. Um estudo mostrou que as mulheres que comeram alho regularmente (juntamente com frutas e hortaliças) tiveram risco 35% menor de câncer de cólon.

    As pessoas que comem grandes quantidades de alho cru também parecem ter risco menor de câncer de estômago e colorretal. Além disso, entre as pessoas com formas inoperáveis de câncer colorretal, hepático ou pancreático, o consumo de um extrato de alho envelhecido por seis meses ajudou a melhorar a função imunológica, indicando que ele pode ajudar o sistema imunológico em tempos de estresse ou doença.

    Quando você adiciona alho cru à sua alimentação, o dente fresco deve ser esmagado ou picado para estimular a liberação de uma enzima chamada alinase, que, por sua vez, catalisa a formação de alicina.

    A alicina, por sua vez, se decompõe para formar diversos compostos organossulfurados diferentes. Portanto, para "ativar" as propriedades medicinais do alho, esprema um dente fresco com uma colher antes de engoli-lo, pique bem para adicionar à salada ou passe no espremedor para adicionar ao seu suco de hortaliças.

As colonoscopias de rotina devem ser feitas a partir dos 50 anos?

Os homens e as mulheres com 50 anos de idade e risco médio de câncer colorretal são geralmente aconselhados a fazer exames de sigmoidoscopia flexível a cada cinco anos ou colonoscopia a cada 10 anos. Mas esses exames de detecção são seguros e necessários? Eu tenho mais de 60 anos, nunca fiz uma colonoscopia nem tenho planos de fazê-la.

Embora eu acredite que ela possa ser importante como uma ferramenta de diagnóstico, acredito que com minha alimentação (que inclui quantidades diárias de cúrcuma crua) e meu estilo de vida é muito improvável que eu desenvolva câncer de cólon.

Mas, para muitas pessoas com risco maior, as colonoscopias podem ser uma estratégia eficaz. O câncer de cólon se desenvolve lentamente e é um dos principais tipos de câncer que matam, sendo assim, a detecção precoce é importante. Você pode optar por um exame anual de fezes de detecção de guáiaco — que verifica se há sangue oculto nas fezes — mas esse exame produz vários resultados falsos positivos e a prova mais recente sugere que esse exame não funciona muito bem.

Outra alternativa é fazer o exame de sigmoidoscopia flexível a cada cinco anos. Ele é semelhante à colonoscopia, mas usa um tubo menor e mais curto e não consegue ver seu cólon de modo tão profundo. Sua vantagem é que ele está associado a menos complicações. As ultrassonografias também mostraram ter grande importância. No geral, a inspeção visual é a maneira mais confiável de verificar se há câncer de cólon e é isso que uma colonoscopia permite que seu médico faça.

Se forem encontrados pólipos em estágios iniciais, o médico poderá simplesmente removê-los aqui e ali. Portanto, a colonoscopia não é só uma ferramenta de diagnóstico, ela também atua como uma intervenção cirúrgica. Ela tira uma foto do pólipo, pinça ele, remove e o envia para biópsia. Ela pode salvar a sua vida e é definitivamente algo a ser considerado. No entanto, saiba que cerca de uma a cada 350 colonoscopias causam danos sérios. A taxa de mortalidade é cerca de um para cada 1.000 procedimentos.

Além disso, aproximadamente 80% dos endoscópios são limpos com Cidex (glutaraldeído), que NÃO esteriliza adequadamente essas ferramentas, permitindo a possível transferência de material que pode facilmente levar a infecções. Questionar qual solução é usada para limpar o endoscópio é uma pergunta importante que pode salvar a sua vida. Certifique-se de que tenha sido esterilizado com ácido peracético para evitar a possível transferência de materiais infecciosos de pacientes anteriores.

Quinze dicas simples de prevenção do câncer

Pare de tomar bebidas açucaradas como refrigerante e corte o açúcar da sua alimentação Fique menos sentado, movimente-se mais e tente dar 10.000 passos por dia Beba chá verde, que é uma fonte rica em epigalocatequina-3-galato (EGCG), um polifenol catequina que combate o câncer
Coma os brócolis no vapor (cozido dessa maneira oferece mais glucosinolato anticâncer do que os brócolis cozidos, fritos ou feitos no micro-ondas) Coma nozes brasileiras; elas são ricas em selênio, mineral que ajuda principalmente a reduzir o risco dos tipos de câncer de próstata, pulmão e colorretal Coma alcachofras; elas são ricas em silimarina, um antioxidante que pode reduzir seu risco de câncer de pele
Exponha-se ao sol regularmente, que ajudará você a melhorar os níveis de vitamina D Marine a carne com temperos, cerveja ou vinho, o que pode reduzir a formação de substâncias causadoras de câncer quando você a cozinha Coma alguns "amidos resistentes" (como bananas verdes), que agem como fibras no seu corpo.

Eles podem ajudar a reduzir o risco de câncer de cólon de uma alimentação rica em carnes vermelhas.
Normalize a relação entre gorduras ômega 3 e ômega 6 ingerindo óleo de krill de alta qualidade e reduzindo o consumo de óleos vegetais processados, como milho, soja e canola. Durma em total escuridão; a luz à noite suprime a produção de melatonina do corpo, que tem efeitos anticâncer Coma cebolas, uma fonte excelente de quercetina anticâncer; a quercetina inibe o desenvolvimento de células cancerígenas na mama, cólon, próstata, ovário, tumores do endométrio e pulmão
Evite toxinas ambientais, como o percloroetileno, composto químico utilizado nas lavagens a seco Evite as batatas fritas naturais e de pacote, pois podem conter altos níveis de acrilamida (composto formado quando os alimentos são cozidos em alta temperatura) Coma hortaliças fermentadas; elas são benéficas para a saúde do intestino e o processo de fermentação envolvido na criação do chucrute produz compostos de combate ao câncer como isotiocianatos, indóis e sulforafano