Água alcalina:

Tamanho da fonte:
placa de petri e kit com fita para teste de ph

Água pura e limpa é fundamental para a boa saúde. O corpo é composto principalmente por água e, portanto, o consumo contínuo de água é essencial para o seu funcionamento.

É de conhecimento geral que a maioria das fontes de água está poluída, mas há uma grande confusão sobre que tipo de água potável mais traz benefícios para a saúde e o tipo de tratamento caseiro que produz a melhor água potável.

O problema é que grande parte do fornecimento público de água está cheia de contaminantes perigosos como, por exemplo, os subprodutos da desinfecção (SPDs), fluoreto e fármacos, para citar apenas alguns. Entretanto, é necessário fazer da água a sua bebida principal SIM, se quiser ter saúde. Mas ela deve ser purificada.

Mas além da filtragem da água, há também a questão do pH: água alcalina versus água ácida. Há muitas afirmações impressionantes sobre a água alcalina, mas elas são verdadeiras? A maioria não é.

A teoria por trás da água alcalina (ionizada) é, em resumo, que ela é um antioxidante poderoso com elétrons extras que podem exterminar os radicais livres perigosos que correm pelas veias. Os profissionais de marketing afirmam que a água alcalina pode corrigir o excesso de acidez nos tecidos, o que pode prevenir ou reverter o câncer, a artrite e outras doenças degenerativas.

Tipos de água disponíveis para consumo

  • Água purificada: Água processada fisicamente para remover as impurezas (por exemplo, destilação, desionização, osmose reversa, filtragem por carbono etc.).
  • Água destilada: Água fervida e evaporada, separada de seus minerais dissolvidos, sendo o vapor condensado em seguida.
  • Água engarrafada. Normalmente essa água foi captada em uma nascente ou passou por um processo de osmose reversa antes de ser engarrafada. No entanto, algumas marcas não oferecem nada mais do que água de torneira engarrafada, que pode ou não ter passado por uma filtragem adicional.
  • Água alcalina: Água que foi separada entre frações alcalinas e ácidas por meio da eletrólise, processo que se aproveita das cargas elétricas naturalmente encontradas nos íons de cálcio e magnésio, no setor de água potável.
  • Água deionizada ou desmineralizada: Água em que os íons minerais (sais como sódio, cálcio, ferro, cobre, cloro e brometo) foram removidos por meio de sua exposição a resinas carregadas eletricamente, que atraem e unem-se aos sais.
  • Água dura e água mole: Entende-se por água dura toda água que contém uma quantidade considerável de minerais dissolvidos. Já a água mole é aquela em que o único cátion (íons com carga positiva) é o sódio.

O que é o pH

O conceito de acidez ou alcalinidade do corpo, ou da água, tem como base a escala de pH. Assim, é necessário ter um conhecimento básico sobre o que é o pH. PH é simplesmente uma medida de concentração de íons de hidrogênio. Na verdade, o acrônimo "pH" é a forma abreviada de "potencial hidrogeniônico".

Quanto maior o pH do líquido, menos íons livres de hidrogênio ele possui. Quanto menor o pH, mais íons livres de hidrogênio ele possui. Uma unidade de pH significa uma alteração de dez vezes na concentração de íons. Por exemplo, há dez vezes mais íons de hidrogênio disponíveis em um pH igual a 7 do que em um pH igual a 8.

pH scale

A escala de pH vai de 0 a 14, onde o pH igual a 7 é neutro. Todo pH abaixo de 7 é considerado ácido, sendo o ácido da bateria o exemplo mais extremo, em torno de 1. Todo pH acima de 7 é alcalino (ou básico), com a água sanitária no topo da escala, em torno de 13.

A água natural do planeta tem um pH que gira em torno de 6,5 a 9,0, dependendo do solo e da vegetação que a cercam, das variações sazonais e do clima e, até mesmo, da hora do dia e da reação à luz solar. As atividades humanas influenciam também o pH da nossa água, devido à barreira dos poluentes industriais tóxicos.

A maioria dos animais e das plantas aquáticas se adaptou à vida em águas com um pH muito específico, mas morrerá se houver qualquer alteração mínima nesse ambiente. Um pH abaixo de 4 ou acima de 10 mataria a maioria dos peixes e pouquíssimos animais conseguem tolerar águas com pH abaixo de 3 ou acima de 11 Com organismos vivos tão sensíveis às alterações no pH, não é nenhuma surpresa que VOCÊ, sendo também um organismo vivo deste planeta, tenha a mesma sensibilidade ao pH da sua água.

Orientações sobre o PH da água potável

E quais são as recomendações sobre o melhor pH para a água potável? A OMS publicou um documento de quase 600 páginas chamado "Orientações sobre a qualidade da água potável." Nesse grande volume você esperaria encontrar tudo o que sempre quis saber sobre água potável, certo? Bem, tudo MENOS uma recomendação sobre pH — não há orientações sobre pH voltadas para a saúde!

Dizem que normalmente o pH "não afeta diretamente os consumidores", mas escrevem também que o pH é um dos "principais parâmetros operacionais da qualidade da água". Recomendam que a água esteja na faixa de pH entre 6,5 e 8 para não provocar a corrosão dos encanamentos. E eles NÃO se referem ao encanamento do corpo:

"O controle da alcalinidade e do cálcio contribui também para a estabilidade da água e controla sua ação agressiva no encanamento e nos aparelhos. A falha em minimizar a corrosão pode resultar na contaminação da água potável e em efeitos adversos no sabor e na aparência. A falha em minimizar a corrosão pode resultar na contaminação da água potável e em efeitos adversos no sabor e na aparência."

Parece que a OMS está mais preocupada com os canos da nossa casa do que com os do nosso corpo. O mais provável é que o pH ideal da água que devemos beber gira em torno de 6,5 e 8. Acima ou abaixo deste nível ela pode ser usada para outros fins, como na desinfecção, mas eu teria cuidado na hora de ingerir qualquer água que estivesse fora dessas faixas.

Pesquisa sobre alcalinidade I: Flora e fauna

  • A Universidade Estadual do Michigan (Michigan State University) estudou os meios de cultura que provocam o aumento do efeito estufa (inclusive o pH desses meios) e descobriu que é extremamente importante que o pH do meio seja devidamente ajustado antes do plantio. Um pH alto demais (maior que 6,5) aumenta as chances de haver deficiência de micronutrientes. Um pH baixo demais (menor que 5,3) resulta em toxicidade por manganês, magnésio e cálcio.
  • O serviço de extensão da Universidade Estadual de Ohio (Ohio State University Extension Service) relata que a água alcalina afeta a capacidade da planta de extrair nutrientes do solo e que pode alterar o pH do solo com o tempo.
  • Um estudo ecológico realizado na Holanda descobriu que um influxo de água alcalina levou à morte uma planta nativa chamada Stratiotes aloides L.
  • Os peixes com exposição crônica à água alcalina mole exibiram sinais de estresse (algumas vezes fatal), enquanto os peixes expostos à água alcalina dura não exibiram tais efeitos, de acordo com um estudo realizado na Universidade da Colúmbia Britânica (University of British Columbia).

Se você for jardineiro, pode presenciar um exemplo do efeito ambiental do pH no seu jardim. Se o pH estiver baixo, a hortência produzirá flores rosas, mas se o pH estiver alto, ela produzirá flores azuis. E quanto a nós, bípedes?

Pesquisa sobre alcalinidade II: Humanos

  • As células normais morrem sob condições de extrema alcalinidade. Um estudo publicado na Revista de Biologia Química (Journal of Biological Chemistry) revelou que a alcalose (aumento do pH celular) causa a morte das células por indução alcalina como resultado da alteração da função mitocondrial.
  • Outro estudo da Universidade de Cornell (Cornell University) afirma que os antioxidantes não se provaram eficazes contra diversas doenças neurodegenerativas, e afirmam também que isso pode ser causado pela maneira com que a mitocôndria funciona dentro da célula em determinadas condições de pH.

Alguns estudos científicos são realmente contra a alcalinidade, pelo menos no que diz respeito à prevenção ou o tratamento do câncer. Considere a pesquisa realizada por Robert Gilles, que estudou a formação e a acidez do tumor.

De acordo com Gilles, os tumores, por sua própria natureza, tornam-se ácidos, mesmo em uma estrutura celular alcalina. Ou seja, eles produzem sua própria acidez. Os cientistas que estão no processo de desenvolvimento de protótipos para possíveis agentes anticancerígenos que, de forma seletiva, matam as celulas cancerosas interferindo na regulagem do pH intracelular, descobriram que os tratamentos alcalinos NÃO surtem o efeito desejado, mas que o efeito é conseguido com os tratamentos altamente ácidos.

Eles estão pagando na mesma moeda, combatendo com ácido as células cancerígenas que adoram ácido! É necessário MENOS alcalinidade dentro de uma célula cancerígena, não mais. Assim, os vendedores que prometem que a água alcalina reduz o risco de câncer não têm noção dos resultados apresentados pelas pesquisas científicas.

Ainda mais interessante é um estudo de 2005, realizado pelo Instituto Nacional do Câncer (National Cancer Institute), que voltou a analisar a utilização da vitamina C (ácido ascórbico) no tratamento do câncer. Eles descobriram que, em doses farmacológicas e administradas de forma intravenosa, o ácido ascórbico matou as células cancerosas sem danificar as células normais. Este é outro exemplo que demonstra que as células cancerosas são vulneráveis à acidez e não à alcalinidade.

Está claro que o relacionamento entre a alcalinidade e o câncer foi simplificado de forma exagerada e maquiada pelos que tiraram conclusões precipitadas e, claro, pelos que tentaram lucrar com o medo. O que importa é que a água alcalina não é a varinha de condão contra o câncer.

O equilíbrio é a chave

Assim como em muitos assuntos, no fim o que faz a diferença é o equilíbrio. A água muito ácida ou muito alcalina pode prejudicar a saúde humana e levar a um desequilíbrio nutricional. Este fato foi demonstrado em um estudo sueco realizado com água de poço. O estudo revelou que ambos os extremos do pH são problemáticos. O corpo simplesmente não foi projetado para a ingestão indiscriminada de água altamente alcalina.

Assim, acredito que o melhor é ser MUITO cuidadoso no que diz respeito a algo tão fundamental quanto a água que consumimos diariamente. Qualquer erro pode causar grandes danos. Faz sentido pensar que somos projetados para beber água de fontes naturais, o que exclui a água alcalina com níveis de pH acima de 8.

Além disso, o consumo indiscriminado de água alcalina aumenta a alcalinidade do estômago, reduzindo sua acidez e prejudicando sua capacidade de digerir os alimentos, pois o nível reduzido de ácido no estômago é uma das causas mais comuns de úlcera. Este problema pode abrir as portas para os parasitas do intestino delgado, prejudicando a digestão de proteína.

Significa também menos minerais e nutrientes para o corpo ao longo do tempo. Na verdade, alguns desses efeitos para a saúde já podem ser observados nos consumidores assíduos de água alcalina. A alcalinidade é também um possível problema porque é antibacteriana e poderia atrapalhar o equilíbrio das bactérias benéficas para o corpo.

Água com vida

A água ideal é pura. Água limpa, equilibrada e saudável que não seja alcalina demais nem ácida demais. De preferência, o pH da água deve estar entre 6 e 8. E as águas mais saudáveis no mundo, aquelas que emergem das nascentes nas montanhas, estão, na verdade, na faixa de acidez de 6,5 e certamente seriam minha escolha se estivessem disponíveis com facilidade.

Essa água mineral é 'estruturada' de uma maneira que não é bem compreendida. Espero ter mais informações sobre a água estruturada em breve.

Se este assunto for de seu interesse, no site FindaSpring.com você poderá localizar fontes na sua região. Ou seja, "água com vida" em seu estado natural, assim como o alimento cru, é um " alimento com vida." Um dos motivos que me levaram a defender o consumo de muito alimento fresco, orgânico e cru são seus biofótons.

Os biofótons são as menores unidades da luz, que são armazenadas e usadas por todos os organismos biológicos, inclusive você. A energia vital viaja pelas células do corpo por meio dos alimentos biodinâmicos que consumimos.

Da mesma forma que os alimentos crus estão vivos e detêm biofótons de energia, a água natural também está "viva".

Caso queira mesmo alcalinizar o corpo, será aconselhável fazer isso com água com a qualidade mais alta possível, que é a dos sucos das hortaliças. Os sucos verdes de hortaliças ajudam a normalizar naturalmente o pH do corpo. Caso isso seja novidade e você queira saber mais informações, leia gratuitamente meu manual de preparação de sucos.

Não posso pensar em "água com vida" sem me lembrar do trabalho visionário do Dr. Masaru Emoto, o pesquisador japonês que fez a experiência das formas dos cristais de água. Ele descobriu que formas de energia diferentes influenciam a capacidade da água de se organizar em lindas formas de cristais.

Ele demonstrou que a cristalização da água depende da saúde natural dela. Ele descobriu que a água vinda de nascentes, fontes de água com poderes de cura, etc., formavam cristais com geometrias lindas e complexas, como flocos de neve. A água destilada ou poluída perdeu sua ordem interna e sua capacidade de cristalização foi profundamente perturbada. Você não deveria comer alimentos mortos... então por que iria querer beber água morta?

Como otimizar o PH do corpo

A alimentação do americano médio é repleta de açúcar e alimentos processados, o que acaba com a capacidade do corpo de otimizar o pH. Embora o corpo conte com mecanismos para reduzir o pH, é provável que muitas pessoas estejam vivendo em um estado de baixo nível de acidose devido ao consumo de muitos alimentos processados, de baixa qualidade e sem vitalidade.

Nossos ancestrais não tinham problemas com o pH porque sua era rica em vegetais e carnes de alta qualidade, além de desprovida de alimentação pré-agrícola baseada em caça e coleta grãos. É possível otimizar o pH do corpo por meio de uma dieta como a de nossos ancestrais, rica em alimentos integrais, orgânicos e crus. Isso vai ajudar o corpo a conseguir a homeostase.