O Que Acontece Com Seu Corpo Quando Você Consome Gordura Trans?

gordura trans

Resumo da matéria -

  • As constatações preliminares revelam que a gordura trans está ligada a um maior risco de debilitação da memória
  • As gorduras trans podem atuar como pró-oxidantes, contribuindo para o estresse oxidativo que causa danos celulares
  • Os óleos vegetais oxidam quando aquecidos, e quando o colesterol oxidado e as gorduras trans entram em suas partículas de LDL, tornam-se destrutivos, contribuindo para o acúmulo de placa arterial no seu cérebro
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Existem várias ligações dietéticas entre demência e doença cardíaca. Açúcar/frutose  processada, grãos e consumo de gordura trans são três fatores que promovem ambos.

Não é surpreendente que pesquisas recentes tenham indicado que a doença cardíaca também aumenta suas chances de desenvolver a doença de Alzheimer, que é uma forma grave e letal de demência.

De acordo com os autores, o dano vascular pode predispor seu cérebro ao aumento do acúmulo de placa amiloide, que é uma característica desta doença degenerativa do cérebro.

O aumento da placa piora quando as artérias se tornam mais rígidas, por isso evitar a formação de placa arterial pode ser um fator crítico na prevenção da demência.

Durante décadas, as gorduras saturadas foram demonizadas como a causa das doenças cardíacas.

A indústria alimentar, respondendo a tais preocupações com a saúde, substituiu as gorduras saturadas por gorduras trans e assim nasceu todo um novo mercado de alimentos com baixo teor de gordura (mas com alto teor de açúcar).

Para piorar a situação, o óleo de soja geneticamente modificado, que é uma das fontes principais de gorduras trans, pode se oxidar dentro de seu corpo, causando danos tanto ao coração quanto ao seu cérebro.

É a Gordura Trans que Obstrui Suas Artérias, Não as Gorduras Saturadas

Na verdade, a gordura saturada nunca foi culpada por causar doença cardíaca. Esse pressuposto foi baseado em pesquisas falhas, cujas conclusões estavam inteiramente erradas.

O Dr. Fred Kummerow, autor de Cholesterol Is Not the Culprit (O Colesterol Não é o Culpado), pesquisou gorduras e doenças cardíacas por oito décadas, e foi o primeiro pesquisador a identificar quais gorduras realmente fazem com que as artérias fiquem entupidas.

Em dezembro, o New York Time apresentou a pesquisa do Dr. Kummerow sobre gorduras, que mostrava que as gorduras trans (encontradas em óleos vegetais parcialmente hidrogenados) são as culpadas pelo aumento das taxas de doenças cardíacas.

O Dr. Kummerow foi o primeiro a publicar um artigo científico sobre essa associação, em 1957.

Os resultados do estudo preliminar apresentado nas Sessões Científicas da American Heart Association (Associação Americana do Coração) de 2014 também revelaram que a gordura trans está ligada a um maior risco de debilitação da memória. Isso não é algo surpreendente quando você leva em conta as ligações entre demência e doença cardíaca.

Um dos autores, Dr. Beatrice Golomb, observou que, uma vez que o número médio de palavras lembradas corretamente foi de 86, a perda de cerca de uma dúzia de palavras representa “um grande prejuízo à função”.

A pesquisa, embora incapaz de estabelecer causa e efeito, sugere que as gorduras trans podem atuar como um pró-oxidante, contribuindo para o estresse oxidativo que causa danos celulares.

Isto é semelhante às conclusões feitas anteriormente pelo Dr. Kummerow, que demonstraram que os óleos vegetais oxidam quando aquecidos, e quando o colesterol oxidado e a gordura trans entram em suas partículas de LDL, tornam-se destrutivos. 

Gorduras Trans Para Iniciantes

O Dr. Kummerow, agora com 100 anos de idade, continua sendo um pesquisador e escritor ativo. Só nos dois últimos anos ele publicou quatro trabalhos. Algumas de suas pesquisas mais recentes mostram que existem dois tipos de gorduras em nossa dieta responsáveis pela formação de doenças cardíacas:

1. Gordura trans encontrada no óleo parcialmente hidrogenado. Estruturalmente, as gorduras trans são ácidos graxos sintéticos; 14 deles são produzidos durante o processo de hidrogenação. (Eles não estão presentes em gorduras animais ou vegetais).

As gorduras trans impedem a síntese de prostaciclina, que é necessária para manter o fluxo sanguíneo. Quando suas artérias não podem produzir prostaciclina, elas formam coágulos sanguíneos e você pode sucumbir a uma morte súbita.

2. O colesterol oxidado se forma quando os óleos vegetais poliinsaturados (como os óleos de soja, milho e girassol) são aquecidos. Esse colesterol oxidado (não o colesterol dietético por si só) provoca uma maior formação de tromboxano - um fator que coagula seu sangue.

Você Precisa de Gorduras Saturadas para ter uma Função Cerebral Saudável

A dieta de nossos ancestrais era muito rica em gorduras saturadas e praticamente livre de açúcar e carboidratos não vegetais. Hoje, não só a maioria de nós consome quantidades excessivas de carboidratos, esses carboidratos são refinados e altamente processados.

Na última década, nós também mudamos para grãos e açúcar geneticamente modificados (GE) (beterrabas e milho GE), cujos efeitos em longo prazo sobre a saúde nunca foram estabelecidos.

Essa fobia equivocada sobre gordura, sem dúvida, desempenhou um papel significativo no aumento dramático de demência e outros distúrbios neurológicos, porque seu cérebro não pode funcionar corretamente sem gorduras.

Na verdade, a maioria das pessoas se beneficia de consumir de 50 a 85 por cento de suas calorias diárias sob a forma de gorduras para ter uma saúde otimizada (para uma lista de gorduras saudáveis, veja o final do artigo), enquanto estão buscando resolver a sua resistência à insulina.

Enquanto o consumo de gordura trans diminuiu cerca de um terço entre 1980 e 2009, muitos ainda estão recebendo muita gordura trans através de suas dietas. O problema é que é muitas vezes isso está oculto.

Mesmo os produtos que possuem um rótulo afirmando que possuem “zero gordura trans” podem conter gorduras trans, porque os fabricantes de alimentos não são obrigados a listar gorduras trans se ela estiver abaixo de certa quantidade por porção.

Usar uma porção ridiculamente pequena é uma lacuna legal que permite que os fabricantes de alimentos o enganem acerca da gordura trans em seus produtos. Como regra geral, para evitar gorduras trans, você precisa evitar todos e quaisquer alimentos que contenham ou tenham sido cozidos em óleo vegetal parcialmente hidrogenado, por isso não deixe de verificar a lista de ingredientes.

Duas Preocupações Adicionais: Aldeídos Cíclicos e Acrilamida

Além do dano causado pelas gorduras trans, os óleos vegetais, como o óleo de amendoim, milho e de soja, se degradam em produtos de oxidação altamente tóxicos chamados aldeídos cíclicos quando aquecidos, e esses subprodutos podem realmente causar mais danos do que as gorduras trans. Mas por isso ser tão novo, poucos estão cientes do problema.

Em animais, mesmo baixos níveis de aldeídos cíclicos oxidam o colesterol LDL e causam altos níveis de inflamação associados à doença cardíaca. Os aldeídos cíclicos também demonstraram causar choque tóxico em animais através de dano gástrico, o que é consistente com o aumento dos problemas de imunidade e doenças relacionadas ao trato gastrointestinal na população humana.

A acrilamida é outro subproduto altamente tóxico produzido quando os alimentos ricos em amido ou com carboidratos, como batatas e grãos, são fritos ou cozidos a altas temperaturas. Batatas fritas, batatinhas, biscoitos, bolachas e cereais tendem a ter alguns dos mais altos níveis de acrilamida, cortesia do processamento aos quais eles foram submetidos.

A acrilamida é uma neurotoxina bem conhecida, e pesquisas com animais revelaram evidências claras de atividade cancerígena. Embora não haja dados oficiais sobre os óleos alimentares contribuírem ou evitarem a formação de acrilamida, acredito que é bastante claro que os óleos vegetais processados aumentam os riscos para a saúde dos alimentos processados ou cozidos a altas temperaturas.

O problema das gorduras trans e dos aldeídos cíclicos pode, em grande parte, ser contornado ao se voltar a usar gorduras saturadas, como manteiga, óleo de coco e banha - os dois últimos são muito estáveis e excelentes para cozinhar em alta temperatura. O problema da acrilamida é resolvido ao se comer alimentos a temperaturas mais baixas.

Isso, é claro, seria um golpe grave contra a indústria de alimentos processados. Então, em vez de fazer algumas mudanças muito necessárias no nosso sistema alimentar (como distanciar-se dos alimentos processados e promover mais alimentos integrais), uma batata é geneticamente modificada para que não desenvolva tanta acrilamida.

Desta forma, a indústria alimentícia pode continuar a fazer batatinhas e batatas fritas cozidas em óleos vegetais que danificam o coração, cérebro e intestino, a maioria dos quais também são geneticamente modificados (milho, soja), enquanto fingem - e provavelmente se vangloriam – de que “fizeram algo” para tornar nossos alimentos mais seguros...

Evitar Alimentos Processados é a Maneira Mais Fácil de Proteger sua Saúde

Segundo o Dr. Kummerow, seu corpo pode eliminar as gorduras trans em cerca de um mês, o que é encorajador.

Então, se você quer proteger sua saúde, especialmente o coração, o cérebro e o intestino, você precisa evitar ao máximo os alimentos processados (incluindo a maioria dos alimentos servidos em restaurantes), e começar a cozinhar em casa, usando produtos frescos, integrais, sem ingredientes adulterados. Em resumo, eu recomendo:

1. Evitar açúcar, frutose processada e grãos se você tiver resistência à insulina e leptina. Isso efetivamente significa que você deve evitar a maioria dos alimentos processados

2. Alimentar-se de uma dieta saudável com alimentos integrais, idealmente orgânicos, e substituir os carboidratos de grãos com:

Grandes quantidades de legumes

Quantidade baixa a moderada de proteína de alta qualidade (por exemplo, carne orgânica de animais alimentados com pasto)

A maior quantidade que você conseguir de gordura saudável de alta qualidade (saturada e monoinsaturada de fontes de óleo animal e tropical). Mais uma vez, a maioria das pessoas precisa de mais de 50 a 85 por cento de suas calorias diárias sob a forma de gordura para se ter uma saúde otimizada até que sua resistência à insulina seja resolvida. Fontes de gorduras saudáveis para adicionar à sua dieta incluem:

Abacates

Manteiga feita a partir do leite orgânico de animais alimentados com grama

Leite cru

Gemas de ovos orgânicos de animais alimentados com pasto

Cocos e óleo de coco

Óleos de nozes orgânicos não aquecidos

Nozes cruas, como amêndoas, pecãs, macadâmia e sementes

Carne de animais alimentados com grama

Orientações Dietéticas Adicionais para Manter uma Função Cerebral Saudável

Quando se trata de proteger seu cérebro e prevenir a perda de memória e demência, sua dieta e estilo de vida são seus aliados mais importantes. Conforme explicado pelo neurologista Dr. David Perlmutter, autor do livro Grain Brain (Cérebro de Grão), o Alzheimer é uma doença baseada principalmente em opções de estilo de vida; os dois principais culpados são o consumo excessivo de açúcar e glúten.

Você deve ser especialmente cauteloso com ingredientes geneticamente modificados, uma vez que eles estão fortemente contaminados com glifosato —um herbicida que se considera ser pior que o DDT, e o DDT já foi associado ao desenvolvimento da doença de Alzheimer.

Em termos de sua dieta e outros fatores de estilo de vida, as seguintes sugestões podem estar entre as mais importantes para preservar sua função cerebral à medida que você envelhece:

Evitar o açúcar e a frutose refinada. Idealmente, você deve manter seus níveis de açúcar no mínimo e sua frutose total abaixo de 25 gramas por dia, ou até 15 gramas por dia, se você tiver resistência à insulina/leptina ou a quaisquer distúrbios relacionados.

Evitar glúten e caseína (principalmente trigo e leite pasteurizado, mas não gorduras lácteas, como a manteiga). A pesquisa mostra que sua barreira hematoencefálica é afetada negativamente pelo glúten. O glúten também torna seu intestino mais permeável, o que permite que as proteínas entrem em sua corrente sanguínea, onde elas não devem estar.

Isso, então, sensibiliza seu sistema imunológico e promove inflamação e autoimunidade, que atua no desenvolvimento da doença de Alzheimer

Otimizar sua flora intestinal ao consumir regularmente alimentos fermentados ou tomando um suplemento probiótico de alta potência e de alta qualidade

Aumentar o consumo de todas as gorduras saudáveis, incluindo de ômega-3 de origem animal. As gorduras saudáveis que o seu cérebro precisa para ter uma função otimizada incluem carnes orgânicas de animais alimentados com grama, óleo de coco , azeitonas e azeite de oliva, abacate, nozes, gemas de ovos orgânicos de animais alimentados com pasto e manteiga composta de leite cru proveniente de animais alimentados com grama.

Uma alta ingestão de gorduras ômega-3, EPA e DHA também é útil para prevenir danos celulares causados pela doença de Alzheimer, diminuindo assim sua progressão e reduzindo seu risco de desenvolver a doença. A maioria dos substitutos da margarina e manteiga não são boas fontes de gorduras saudáveis.

Reduzir o consumo geral de calorias e/ou fazer jejum intermitente até que a resistência à insulina seja resolvida. As cetonas são mobilizadas quando você substitui carboidratos por óleo de coco e outras fontes de gorduras saudáveis.

O jejum intermitente é uma ferramenta poderosa para melhorar a capacidade do seu corpo de se lembrar de como queimar gordura e reparar a resistência à insulina/leptina, o que também é um fator primário para a doença de Alzheimer.

Melhorar os níveis de magnésio. Pesquisa preliminar sugere fortemente uma diminuição dos sintomas de Alzheimer quando se tem níveis aumentados de magnésio no cérebro.

Consumir uma dieta nutritiva, rica em folato. Os legumes, sem dúvida, são sua melhor forma de folato, e todos devemos comer muitos legumes crus frescos todos os dias. Evite suplementos como o ácido fólico, que é a versão sintética inferior do folato.

Exercitar-se regularmente. Foi sugerido que o exercício pode desencadear uma mudança na forma como a proteína precursora amiloide é metabolizada, diminuindo assim o início e a progressão da doença de Alzheimer. O exercício também aumenta os níveis de fator neurotrópico derivado do cérebro (Brain Derived Neurotropic Factor- BDNF) e uma proteína PGC-1alfa.

Uma pesquisa mostrou que as pessoas com doença de Alzheimer têm menos PGC-1alfa em seus cérebros e as células que contêm mais proteínas produzem menos proteína tóxica amiloide associada à doença de Alzheimer. Eu recomendo fortemente que você reveja a técnica de Peak Fitness  para ver minhas recomendações específicas.

Evitar e eliminar o mercúrio do seu corpo. As obturações de amálgama, que possuem 50% de mercúrio na composição, são uma das principais fontes de toxicidade de metais pesados, no entanto, você deve estar saudável antes de removê-las.

Depois de você ter se ajustado para seguir a dieta descrita no meu plano de nutrição otimizada, você pode seguir o protocolo de desintoxicação de mercúrio e, em seguida, encontrar um dentista biológico para remover suas amálgamas.

Evitar e eliminar o alumínio do seu corpo: fontes de alumínio incluem antitranspirantes, panelas antiaderentes, adjuvantes de vacinas, etc. Para obter dicas sobre como fazer a desintoxicação de alumínio, leia meu artigo, “Primeiro Estudo de Caso a Mostrar a Ligação Direta entre Alzheimer e a Toxicidade de Alumínio”.

Evitar vacinas contra a gripe, pois a maioria contém mercúrio e alumínio, agentes neurotóxicos e imunotóxicos bem conhecidos.

Evitar medicamentos anticolinérgicos e estatinas. Os remédios que bloqueiam a acetilcolina, um neurotransmissor do sistema nervoso, demonstraram aumentar seu risco de demência.

Esses remédios incluem certos analgésicos para dores noturnas, anti-histamínicos, pílulas para dormir, certos antidepressivos, medicamentos para controlar a incontinência e certos analgésicos narcóticos.

Os remédios de estatina são particularmente problemáticos porque suprimem a síntese de colesterol, esvaziam o seu cérebro da coenzima Q10 e precursores de neurotransmissores e impedem o fornecimento adequado de ácidos graxos essenciais e antioxidantes lipossolúveis ao seu cérebro inibindo a produção da biomolécula transportadora indispensável conhecida como lipoproteína de baixa densidade.