Chá verde está associado a menor risco de demência


Chá Verde

Resumo da matéria -

  • As pessoas que beberam chá verde de um a seis dias por semana tiveram menor declínio mental e risco de demência do que os que não beberam o chá.
  • A epigalocatequina-3-galato (EGCG) encontrada no chá verde é um potente antioxidante responsável por ajudar na saúde de todo o corpo
  • O chá verde contém teanina, um aminoácido que atravessa a barreira hematoencefálica e possui propriedades psicoativas
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Depois da água, o chá é a bebida mais consumida no mundo. Nos Estados Unidos, o chá preto é de longe o mais popular, mas o chá verde (que representava apenas 14% do chá consumido no país em 2015) pode apresentar grandes benefícios à saúde.

Independentemente da variedade, o chá preto e o chá verde (bem como os chás oolong, branco e pós-fermentado) vêm da mesma planta, uma sempre-viva chamada Camellia sinensis. É o método de processamento e grau de oxidação (exposição ao oxigênio) que cria os diferentes tipos de chá e os antioxidantes disponíveis neles.

O chá preto é altamente oxidado, seja naturalmente, quando é coletado, ou intencionalmente, quando é moído posteriormente para acelerar o processo de oxidação.

Muitas vezes chamada incorretamente de "fermentação", a oxidação do chá preto é controlada cuidadosamente para evitar a fermentação, que, na realidade, é um processo usado em alguns chás oolong e outros chás envelhecidos, como o Puer, que envolve muito pouco oxigênio.

A oxidação "total" também é evitada na produção do chá preto, pois isso o estragaria. O chá verde, por outro lado, é vaporizado levemente ou não oxidado manualmente depois de as folhas serem colhidas.

O chá preto tem essa cor devido à abundância de taninos que contém, que são uma forma de antioxidantes. O restante dos antioxidantes surge à medida que o chá preto é oxidado, convertendo-se quimicamente em flavonoides complexos chamados de polifenóis epigalocatequina-galato (EGCG).

Chamados normalmente de teaflavinas e tearubiginas, eles são potentes antioxidantes cujos benefícios significativos à saúde foram apresentados por alguns estudos, tais como melhor resposta anti-inflamatória e menor risco de doença cardíaca coronária.

Tanto o chá preto quando o chá verde contêm quantidades semelhantes de flavonoides e de antioxidantes benéficos; é a oxidação mínima do chá verde que é capaz de ajudar a manter intactos os níveis significativos de fenóis e antioxidantes (ou catequinas) naturais.

Conforme explicado pelo World of Tea, as catequinas estão presentes em todos os chás — é a oxidação controlada do chá que muda a composição das catequinas nos chás individuais.

Esse processo geralmente começa depois que as folhas são enroladas ou maceradas, decompondo as membranas celulares em folhas de chá. A reação consequente transforma as catequinas do chá em teaflavinas e tearubiginas do chá preto.

Consumo semanal de chá verde pode retardar o declínio mental

Em geral, o chá tem aproximadamente oito a dez vezes mais polifenóis do que as frutas e hortaliças, mas como são as catequinas que os pesquisadores acreditam que sejam essenciais para os benefícios à saúde, eles se concentraram mais no chá verde em seus estudos.

Um dos exemplos é que o chá verde é promissor na proteção da saúde do cérebro. Em um estudo apresentado na Conferência Internacional de 2015 sobre o Mal de Alzheimer e Parkinson, as pessoas que beberam chá verde de um a seis dias por semana tiveram declínio mental menor do que aquelas não tomaram.

Além disso, os pesquisadores revelaram que as que beberam chá tiveram menor risco de demência do que as que não beberam. Não é a primeira vez que o chá verde tem sido associado à saúde do cérebro.

Em um estudo com 12 voluntários saudáveis, os que receberam uma bebida contendo 27,5 gramas de extrato de chá verde mostraram maior conectividade entre o córtex parietal e frontal do cérebro, em comparação com os que ingeriram uma bebida que não era chá verde.

A atividade maior estava associada ao melhor desempenho em tarefas de memória de trabalho, e os pesquisadores acreditam que os resultados sugerem que o chá verde possa ser útil no tratamento de deficiências cognitivas, entre elas a demência.

O que confere ao chá verde seus superpoderes?

Os pesquisadores acreditam que são as catequinas que dão ao chá verde seus "superpoderes". O chá verde é rico em compostos naturais de plantas chamados polifenóis, que podem representar até 30% do peso da folha seca.

Dentro desse grupo de polifenóis está a epigalocatequina-3-galato (EGCG), uma das catequinas mais potentes — o mesmo polifenol que existe no chá preto e que já mostrou ter um impacto positivo em diversas doenças e problemas.

Assim como o chá preto, o chá verde contém a L-teanina, um aminoácido que atravessa a barreira hematoencefálica e possui propriedades psicoativas.

A teanina aumenta os níveis de ácido gama-aminobutírico (GABA), serotonina, dopamina e da atividade de ondas alfa, e pode reduzir o estresse mental e físico e gerar sensações de relaxamento. 

A teanina também pode ajudar a evitar o declínio de memória relacionado à idade e mostrou afetar áreas do cérebro envolvidas na atenção e solução de problemas complexos.

Chá verde pode ser um tônico para a saúde de todo o corpo

O chá é consumido há aproximadamente 5.000 anos. Ele foi descoberto em 2.737 AC quando folhas de chá caíram acidentalmente dentro do bule de água fervente do imperador chinês Shen-Nung.

O chá tem sido usado tradicionalmente como uma bebida e tônico para a saúde desde então. Conforme relatado pelo Centro Médico da Universidade de Maryland:

"Na medicina chinesa e indiana tradicionais, os médicos usavam o chá verde como estimulante, diurético (para ajudar a remover o excesso de fluidos do corpo), adstringente (para controlar o sangramento e ajudar a curar feridas) e para melhorar a saúde do coração.

Outros usos tradicionais do chá verde incluem o tratamento de gases, ajuste da temperatura corporal e açúcar no sangue, auxílio na digestão e melhoria dos processos mentais".

Menor mortalidade e inflamações crônicas

Saúde cardíaca

O chá verde, assim como o chá preto, melhora o fluxo sanguíneo e a capacidade das artérias se relaxarem. Pesquisas indicam que algumas xícaras de chá verde todos os dias podem ter efeito benéfico na função endotelial, que, por sua vez, pode reduzir o risco cardiovascular.

Diabetes tipo 2

Embora ainda esteja em julgamento se o consumo do chá verde pode reduzir definitivamente os níveis de glicose no sangue, diversos estudos começam a mostrar uma luz positiva sobre essa teoria. Como exemplo, um estudo com suplementos orais mostrou que a EGCG no chá verde ajudou a aumentar a tolerância à glicose em ratos geneticamente diabéticos.

Perda de peso

Existem evidências de que o consumo em longo prazo das catequinas do chá verde é benéfico para queimar gordura e pode funcionar com outras substâncias químicas para aumentar os níveis de oxidação de gorduras e de termogênese, e, assim, ajudá-lo a perder peso.

Saúde óssea

Os polifenóis do chá verde combinados com uma forma de vitamina D, chamada alfacalcidol podem melhorar a estrutura e a força óssea, segundo um estudo de 2010 em ratos. A mistura pode reverter os danos aos ossos causados pelas inflamações crônicas induzidas pelos lipopolissacarídeos (LPS), que poderiam, por sua vez, reduzir o risco de osteoporose.

O chá verde é relativamente novo no campo da saúde óssea, mas estudos anteriores também revelaram que a epigalocatequina-3-galato (EGCG), componente do chá verde, bloqueia a atividade de duas moléculas, a IL-6 e a ciclooxigenase-2 (Cox-2), que exercem uma função na decomposição óssea.

Saúde da visão

As catequinas do chá verde podem ajudá-lo na proteção contra o glaucoma e outras doenças oculares, conforme revelado por uma pesquisa que os compostos vão do sistema digestivo para os tecidos dos olhos. Durante o estudo, as catequinas encontradas no chá verde foram absorvidas em várias partes dos olhos dos ratos de 30 minutos a 12 horas após terem bebido o chá.

Câncer

Os componentes do chá verde mostraram reduzir a expressão de proteínas envolvidas na inflamação, sinalização e mobilidade celular e angiogênese, ao mesmo tempo que foi relatada uma associação entre o consumo de chá verde e o risco menor de câncer (inclusive de ovário e mama).

Chá absorve rapidamente poluentes do solo

É difícil encontrar desvantagens no chá, mas existe uma questão em potencial da qual você deve ficar ciente: os poluentes. As plantas do chá verde são conhecidas por serem eficazes em absorver chumbo do solo, que depois sobe para suas folhas. Regiões com excesso de poluição industrial, como a China (onde mais de 90% do chá verde mundial é produzido), já apresentaram boas quantidades de chumbo no passado.

Embora esses estudos tenham examinado o teor de chumbo entre os anos de 1999 e 2001, segundo uma análise do ConsumerLab.com divulgada em 2013 e atualizada em 2015, o chá de marcas populares como Lipton e Bigelow continha até 2,5 microgramas de chumbo por porção em comparação às quantidades imperceptíveis da marca Teavana, cujas folhas de chá vêm do Japão.

A conclusão, então, é que não se devem mastigar as folhas. Portanto, embora se pense que o chumbo presente nas folhas não seja liberado de modo muito efetivo no chá que você bebe, se você está consumindo o chá verde Matcha, um dos meus favoritos, é muito importante que ele venha do Japão ou seja cultivado de modo orgânico na China, que mudou para a produção de chá verde orgânico nos últimos anos.

O chá Matcha contém todas as folhas de chá do solo e pode ter mais de 100 vezes a EGCG oferecida pelo chá verde de preparação normal. Tanto o chá preto quanto o chá verde são naturalmente altos em flúor, mesmo se cultivados organicamente sem pesticidas. Isso acontece porque a planta absorve rapidamente o flúor através de suas raízes, inclusive o flúor natural presente no solo.

Segundo o falecido especialista em flúor Jeff Green, existem relatórios de pessoas que desenvolveram fluorose esquelética após o consumo de altas quantidades de chá gelado. Se você mora em uma região com água potável fluoretada, assim como a maioria dos americanos, então você pode receber o dobro da dose de flúor quando bebe chá.

Portanto, ao selecionar o chá de qualquer tipo, ele deve preferencialmente ser orgânico (para evitar pesticidas) e ser cultivado em um ambiente puro que garanta a mínima quantidade possível de flúor, metais pesados e outras toxinas possíveis liberadas do solo e da água nas árvores e folhas do chá. Um ambiente de cultivo limpo é essencial para produzir um chá puro e de alta qualidade.

Truque rápido para aumentar os benefícios do chá à saúde

Para aumentar os benefícios do chá verde, acrescente um pouco de suco de limão à sua xícara. Pesquisas anteriores mostraram que a vitamina C aumenta significativamente a quantidade de catequinas disponíveis para o seu corpo absorver. Na verdade, o suco cítrico aumentou os níveis disponíveis de catequina em mais de cinco vezes, fazendo com que 80% das catequinas do chá permaneçam biodisponíveis.

Por outro lado, embora a adição de suco de limão seja benéfica, acrescentar leite não é. As proteínas do leite podem fazer ligação e neutralizar os antioxidantes do chá, de tal forma que os benefícios à saúde são muito menores.

Por fim, saiba o que procurar em termos de qualidade. Um sinal da alta qualidade do chá verde é que ele seja de fato verde. Se seu chá parece marrom, e não verde, é provável que ele tenha sido oxidado, o que pode danificar ou destruir vários de seus compostos mais valiosos.

Muitos gostam de usar as folhas do chá, que podem oferecer ainda mais antioxidantes conforme divulgado pelo ConsumerLab (ao mesmo tempo que também evitam possíveis toxinas nos saquinhos de chá).

Uma xícara de chá verde fornece cerca de 20 a 35 mg de EGCG, portanto, três por dia lhe darão de 60 a 105 mg. Existem alguns estudos que usaram doses muito mais altas do que isso — mais de 1.500 mg por dia — mas, até agora, não há evidência clara da quantidade exata que é melhor.

A boa notícia é que várias das pesquisas sobre o chá verde foram baseadas em cerca de três xícaras por dia, o que é perfeitamente viável e agradável para a maioria das pessoas. Estas são algumas diretrizes simples para fazer a xícara de chá "perfeita":

  • Ferva a água em uma chaleira (evite usar uma panela não aderente, já que ela pode liberar substâncias químicas nocivas quando aquecida)
  • Preaqueça o bule ou a xícara para evitar que a água esfrie rapidamente quando for transferida. Adicione uma quantidade pequena de água fervente ao bule ou xícara onde irá fazer a infusão do chá. A cerâmica e a porcelana são materiais que retêm bem o calor. Depois, tampe o bule ou a xícara. Coloque uma tampa de chaleira se tiver uma ou cubra com uma toalha. Deixe repousar até que fique quente e despeje a água.
  • Coloque o chá no infusor, coador ou acrescente o chá solto no bule. A imersão sem um infusor ou coador irá produzir um chá mais saboroso. Comece com uma colher de chá bem cheia por xícara ou siga as instruções na embalagem do chá. A intensidade do sabor pode ser regulada usando-se mais ou menos chá.
  • Acrescente água fervente. Use a quantidade certa para a quantidade de chá adicionado (ou seja, para quatro colheres de chá, acrescente quatro xícaras de água). A temperatura ideal da água varia conforme o tipo de chá da infusão:
    • Chá branco ou verde (folha inteira): muito abaixo do ponto de fervura (76 a 85° Celsius). Assim que água tiver fervido, remova-a do calor e deixe-a esfriar por cerca de 30 segundos para o chá branco e 60 segundos para o chá verde antes de despejar sobre as folhas
    • Oolong (folha inteira): de 85 a 98° C
    • Chá preto (folha inteira) e Puer
  • Tape o bule com uma tampa de chaleira ou toalha e deixe repousar. Siga as instruções de infusão na embalagem. Se não houver nenhuma, eis aqui algumas diretrizes gerais de infusão. Prove quantas vezes quiser para que fique saboroso e não amargo:
    • Chá oolong: de 4 a 7 minutos
    • Chá preto: de 3 a 5 minutos
    • Chá verde: de 2 a 3 minutos

  • Assim que for obtido o sabor desejado, remova o coador ou infusor. Se estiver usando folhas soltas, despeje o chá na xícara através do coador e o que sobrar em outro recipiente (tape com uma tampa de chaleira para reter o calor)
+ Recursos e Referências