A Dor Pode Ser Contagiosa, Assim Como a Felicidade?


doente tomando sopa

Resumo da matéria -

  • A dor pode propagar-se entre os ratos através do cheiro, sugerindo que a dor física pode ser resultado de sinais sociais apenas. A descoberta tem implicações importantes para os cientistas que trabalham com abstinência e remédios analgésicos.
  • Entre os seres humanos, a felicidade se espalha de modo contagioso. Ter um vizinho feliz ou morar dentro de 1 quilômetro de distância de um amigo feliz aumentam suas chances de ser feliz em 34 e 25% respectivamente.
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Segundo uma pesquisa recente, a dor pode propagar-se entre os ratos através do cheiro, sugerindo que a dor física, pelo menos entre os animais, pode ser resultado de sinais sociais apenas. Em outras palavras, a dor pode ser contagiosa.

Embora os pesquisadores não estejam sugerindo que o mesmo já aconteça entre os seres humanos, a descoberta tem implicações importantes para os cientistas que trabalham com abstinência (que tende a reduzir a tolerância à dor) e vários medicamentos, principalmente os remédios analgésicos. Conforme informado pela STAT News:

"Os pesquisadores estão se perguntando agora se os estudos anteriores podem ter ignorado a dor dos ratos porque seus companheiros, com os quais eles estavam sendo comparados, haviam adaptado seu nível de sensibilidade.

Isso pode ter influenciado toda a pesquisa, desde a abstinência até os analgésicos.
'Isso é algo que a maioria dos pesquisadores, se não todos, não estão levando em consideração,' disse Loren Martin, [Ph.D.,] pesquisador da dor na Universidade de Toronto Mississauga, que não participou do novo estudo …

As deduções não se aplicam apenas aos ratos de laboratório. Se o mesmo for verdadeiro para os seres humanos (um grande "se"), então os médicos que trabalham com a dor não vão querer   falar apenas com seus pacientes, mas também com suas famílias e colegas. 'Se você está vivendo com um paciente que sofre de dor crônica, que impacto isso tem sobre você?', perguntou Martin".

Emoções e Sinais Sociais Podem Influenciar Sua Dor

Robert Kerns, Ph.D., pesquisador da dor em Yale e ex-diretor nacional de controle da dor no Departamento de Assuntos de Veteranos, observa que o estudo realmente agrega valor à ideia comumente aceita de que as emoções e fatores sociais podem contribuir para a sua experiência de dor. Segundo Kerns:

"É problemático dizer que a dor de alguém não é real, ou que é psicológica, só porque não desenvolvemos ainda a tecnologia para revelar ou compreender os fatores biológicos que    contribuem.

É extremamente importante para o clínico…mostrar respeito pela dor e reconhecer os limites da ciência biomédica".

Além disso, conforme publicado no Prevent Disease:

"'Não sabemos se o cheiro está envolvido também nos seres humanos, mas houve experimentos que mostraram claramente que eles têm sensibilidade ao cheiro e mudam de comportamento em resposta ao cheiro que não percebem de modo consciente', afirma [coautor e chefe da equipe Andrey] Ryabinin [,Ph.D].

'Entretanto, é claro que a visão é extremamente importante nos seres humanos, portanto, quando vemos as caretas de um paciente com uma dor crônica, isso imediatamente gera uma resposta em nós mesmos'.

O estudo tem implicações em potencial para as pessoas que vivem com pacientes com dor crônica, já que eles mesmos poderiam correr o risco de desenvolver problemas de dor crônica, diz ele.

'Está tudo relacionado à importância funcional de estar sensível à condição dos outros', afirma   Frans de Waal[,Ph.D.] na Universidade Emory em Atlanta, que estuda aspectos da empatia. Estar sintonizado com a situação dos outros é altamente importante para adaptação e reação a novas situações, diz ele".

Um Contágio Mais Do Que Bem-Vindo: a Felicidade

A ideia de a dor ser algo contagioso entre os seres humanos é uma ideia curiosa, ainda mais pelo fato de que os pesquisadores já concluíram que a felicidade se propaga como um contágio entre as pessoas.

Conforme relatado por um pesquisador da felicidade, emoções como a felicidade "podem pulsar nas redes sociais" propagando-se de pessoa a pessoa.

Um estudo revelou que morar dentro de 1 quilômetro de distância de um amigo feliz aumenta suas chances de ser feliz em 25%, e esse efeito pode persistir por até um ano. Se a Poliana for sua vizinha de porta, suas chances de felicidade aumentam em até 34%.

O contágio da felicidade também se propaga a outros, a cônjuges e amigos das pessoas que têm a interação original com uma pessoa feliz. Surpreendentemente, a felicidade do amigo de um amigo mostrou ter maior influência no seu nível de felicidade do que receber um aumento de R$ 5.000! Conforme explicado pelo coautor Dr. Nicholas A.

Christakis, médico sociólogo na Universidade de Harvard:

"Você acha que seu estado emocional depende das próprias escolhas, ações e experiência. Mas ele também depende das escolhas, ações e experiências de outras pessoas, inclusive pessoas com as quais você não está diretamente conectado. A felicidade é contagiosa."

O Que é a Felicidade?

O conhecimento de que a felicidade é contagiosa deve ser uma inspiração para compartilhar abertamente o máximo possível dela. Mas a verdade é que são diferentes os pontos de vista sobre o que a felicidade realmente É. Conforme observado por Nancy Etcoff, Ph.D., professora adjunta de psicologia no Departamento de Psiquiatria do Hospital Geral de Massachusetts:

"Podemos ver a felicidade de pelo menos três maneiras: um estado hedônico, cognitivo ou uma filosofia de vida em geral. A felicidade, então, pode referir-se a uma maneira de pensar (ser otimista, por exemplo); uma maneira de sentir alegria, prazer, alívio ou gratidão; ou simplesmente um modo de ser".

Entre as várias estratégias investigadas quanto ao seu potencial para gerar felicidade, a gratidão é o principal candidato. A beleza física e o dinheiro, por exemplo, têm uma influência limitada no nível de felicidade de uma pessoa. Conforme observado por Harvard:

"No final, o senso de gratidão pelo que temos pode ser o que nos conforta: Estudos clássicos que compararam o bem-estar emocional de ganhadores da loteria, pessoas paraplégicas e pessoas tetraplégicas mostraram que todos os três grupos tinham níveis semelhantes de felicidade atual, o que sugere que assim que desaparece a alegria inicial ou o trauma, nos adaptamos à mudança e voltamos ao ponto de partida hedônico original".

Ter relações fortes e saudáveis com outras pessoas é outro fator, talvez o mais importante, para a felicidade. Um estudo longo revelou que a capacidade de uma pessoa de ter relações amorosas foi, de fato, o único fator capaz de prever a satisfação na vida de homens mais velhos.

A Felicidade Melhora a Saúde

Os pesquisadores também revelaram que a felicidade tem uma influência epigenética diferente na sua biologia, reduzindo a expressão de genes inflamatórios e fortalecendo as respostas antiviral e de anticorpos, por exemplo.

Portanto, em essência, ao propagar a felicidade e a alegria, você também estará propagando melhor saúde. O interessante é que embora a infelicidade também se propague entre as pessoas, o "contágio" da felicidade é, na verdade, muito mais forte que o da infelicidade — uma descoberta que nos faz pensar se você está em contato com alguém que tem dor.

Tendo isso dito, o pessimismo pode ter um impacto significativo na sua própria saúde.
Um estudo revelou que ter uma atitude pessimista pode reduzir a expectativa de vida média em mais de 14 anos, aumentando em até 25% o risco de morrer antes dos 65 anos.

A gratidão também mostrou fornecer uma longa lista de efeitos benéficos à saúde, entre eles melhor capacidade de lidar com o estresse, menor ansiedade, melhor sono e melhor saúde do coração.

Os estudos mostraram também que a gratidão pode gerar efeitos mensuráveis em diversos sistemas no corpo, incluindo, entre outros:

  • Neurotransmissores do humor (serotonina e norepinefrina), além de neurotransmissores cognitivos e relacionados ao prazer (dopamina)
  • Hormônios reprodutores (testosterona)
  • Hormônios sociais (oxitocina)
  • Pressão arterial e batimentos cardíacos e de eletroencefalograma
  • Açúcar no sangue

Hábitos Que Promovem a Felicidade

Embora a felicidade possa parecer elusiva às vezes, você pode certamente melhorar as chances de se sentir feliz, alegre e contente.

De fato, as pessoas constantemente felizes tendem a ter hábitos que as diferenciam das pessoas tristes e colegas estressados, como, por exemplo, deixar de lado os ressentimentos, tratar as pessoas com gentileza, sonhar alto, não fazer tempestade em copo d'água e muito mais.

A lista a seguir inclui "prescrições" de psicólogos que são conhecidas por aumentar seu nível de felicidade.

Faça da Felicidade Seu Objetivo

O primeiro passo em direção à maior felicidade é escolhê-la. Você precisa acreditar que a felicidade é possível e que você a merece. (Dica: Você merece. Todos merecem!)

A pesquisa mostra que a mera INTENÇÃO de ser mais feliz já faz uma grande diferença.

Identifique o Que Faz Você Feliz

Já faz algum tempo desde que você se sentiu realmente feliz (aquele estado de alegria despreocupada que você provavelmente tinha quando criança), você pode ter esquecido o que o leva até lá.

Reflita bem sobre o que lhe dá alegria (e não só o óbvio, como a família, mas também pequenas coisas, hobbies, interesses).

Faça da Felicidade Uma Prioridade

Se você tem uma hora livre, você faz algo divertido nesse tempo? Ou você aproveita para fazer as tarefas de casa, assumir um projeto extra ou trabalhar? A última opção é uma "forma pequena de insanidade", segundo o pesquisador da felicidade Robert Biswas-Diener, Ph.D.

Isso com certeza não ajudará você a ficar mais feliz. Para sair dessa armadilha, certifique-se de planejar suas semanas ao redor de eventos (ou atividades comuns) que o deixem feliz e cheio de energia.

Desfrute dos Momentos de Prazer

As pessoas que desfrutam de momentos prazerosos têm níveis maiores de felicidade, independentemente do rumo do seu dia. Se você ainda não faz isso, manter um diário sobre os momentos prazerosos e se realmente os desfrutou ou não pode ajudar.

Você pode ficar surpreso ao ver quanta felicidade tem em sua vida cotidiana. Experimente apreciar o aroma do café, desfrutar da sensação da cama macia ou curtir o nascer do sol antes de começar seu dia.

Elimine Distrações Desnecessárias e Desagradáveis

Existe um tempo limite dentro de um dia; certifique-se de proteger sua atenção e tempo contra distrações desnecessárias e improdutivas. Isso inclui mensagens de texto, tweets e e-mails, que o afastam dos verdadeiros prazeres da vida. Se necessário, desligue totalmente a mídia social.

Você acha que acompanhar os amigos no Facebook é igual à felicidade? Pense bem. A pesquisa indica que quanto mais tempo as pessoas passam no Facebook, maior é a queda de sua felicidade cotidiana e menor é a sua satisfação com a vida.

Tenha Somente Pensamentos Positivos

Basta pensar em algo positivo e sorrir, como resultado, para deixá-lo mais feliz e animado. (O sorriso falso está, na realidade, associado a um humor pior.) Um sorriso verdadeiro inclui os músculos faciais ao redor dos olhos e é capaz de provocar mudanças no cérebro associadas a um humor melhor.

Priorize as Experiências, e Não as Coisas

A pesquisa sugere que as experiências nos deixam mais felizes do que as posses; a "novidade" das posses se esvai, assim como a alegria que trazem, mas as experiências melhoram seu senso de vitalidade e de "estar vivo", tanto durante a experiência quanto no momento que você reflete sobre ela.

Tenha um Plano B Para os Dias Ruins

Quando você estiver tendo um dia ruim e seu humor estiver piorando, tenha um plano B para melhorá-lo. Pode ser ligar para um grande amigo, assistir a uma comédia ou sair para correr — o que funcionar melhor para você.

Encontre seu Senso de Propósito

A felicidade não se trata apenas do prazer; também está relacionada a um senso de propósito. O termo "bem-estar eudaimônico", cunhado por Aristóteles, descreve o tipo de felicidade oriundo das atividades que oferecem a você um senso maior de propósito, sentido à vida ou realização pessoal.

Pode ser a sua carreira, um trabalho voluntário ou uma aula de culinária.

Seja social — Até Mesmo Com Estranhos

Ter relações sociais significativas é importante para a felicidade, mas até mesmo as pessoas que fazem refeições sociais rápidas relatam maior felicidade. As refeições sociais rápidas descrevem as pequenas maneiras com que você se conecta com os outros, inclusive estranhos, diariamente.

Em geral, quanto mais você socializa e conversa com as pessoas ao seu redor, mais feliz e animado deve ser seu humor. Para saber mais sobre os benefícios de iniciar conversas casuais onde quer que você esteja, leia meu artigo "Como conversar com estranhos".

Dê Uma Escapada

Passar um tempo longe da rotina diária é importante para recarregar as energias. E embora um fim de semana longe seja capaz de revigorá-lo, uma viagem mais longa é melhor para criar memórias significativas. Essas memórias podem ser retomadas posteriormente para aumentar sua felicidade. Os especialistas recomendam que o ideal são férias de duas semanas, mesmo que em um local perto de casa.

Passe mais tempo ao ar livre

A exposição à luz do dia e ao ar livre é fundamental para um bom humor, em parte porque a exposição periódica à luz solar ajuda a melhorar o humor e a energia através da liberação de endorfinas. A exposição aos raios solares também ajuda a melhorar os níveis de vitamina D.

A deficiência de vitamina D há muito tempo é associada ao Transtorno Afetivo Sazonal (TAS), assim como à depressão mais crônica.

Seja gentil

Quando as pessoas se concentram em fazer três a cinco gestos de gentileza por semana, algo mágico acontece. Elas se tornam mais felizes. Os gestos simples de gentileza — um elogio, deixar alguém passar à frente na fila, pagar um café para alguém — são contagiosos e tendem a fazer todas as pessoas envolvidas sentirem-se bem.