Mercúrio e o Banimento da Amálgama na Odontologia

Odontologia

Resumo da matéria -

  • Metade dos dentistas nos EUA ainda usa amálgama dentário ou “prata”, sendo que 50 por cento deste são compostos por mercúrio, não prata. O mercúrio é o mais volátil e tóxico dos metais pesados e os vapores liberados pela mastigação ou escovação promovem perigo claro e presente à saúde, especialmente para o cérebro e para os rins — e é uma toxina reprodutora
  • Este mês, a Convenção de Minamata sobre Mercúrio entra em vigor, significando que os países que ratificaram o tratado devem tomar medidas para reduzir o uso de amálgama de mercúrio
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O mercúrio é um veneno pernicioso que jamais deveria ser colocado na boca. Ainda assim, metade dos dentistas nos EUA ainda usam amálgama dentária ou prata, sendo que 50 por cento deste são compostos por mercúrio, não prata.

O mercúrio é o mais volátil e tóxico dos metais pesados e os vapores liberados pela mastigação ou escovação promovem perigo claro e presente à saúde — especialmente ao cérebro e aos rins, pois o mercúrio é uma neuro e nefrotoxina.

É igualmente tóxico para o sistema reprodutor.

Sendo assim, é realmente chocante que o amálgama de mercúrio ainda tenha permissão para ser colocado a poucos centímetros do cérebro em desenvolvimento de uma criança.

Charlie Brown, presidente da Consumers for Dental Choice (Consumidores para Opção na Odontologia, em tradução livre) e da World Alliance for Mercury-Free Dentistry (Aliança Mundial para Odontologia Livre de Mercúrio, em tradução livre), é um ativista destemido da odontologia livre de mercúrio.

Ele passou as duas últimas décadas incansavelmente defendendo a eliminação completa do mercúrio na odontologia ao redor do mundo. A Consumers for Dental Choice e a World Alliance for Mercury-Free Dentistry fizeram grande progresso ao longo dos anos, porém a batalha ainda não estará totalmente vencida até que o mercúrio não esteja mais sendo colocado na boca das pessoas, em nenhum lugar.

Grande Progresso Sendo Feito

Nossa campanha de doação anual em nome da Consumers for Dental Choice e da World Alliance for Mercury-Free Dentistry permitiu a Brown cumprir diversos feitos marcantes.

“O que a organização Mercola.com tem realizado está fazendo a diferença no que se refere à nossa habilidade em intervir como organização nacional e mundial,” diz Brown. “Lembre-se, o amálgama está agora na convenção de Minamata sobre Mercúrio, [a qual] entra em vigor este mês. Torna-se legalmente vinculativa.

É exigência legal, incluindo a exigência para [eliminação] do amálgama. Mais de 120 países assinaram e, agora, em torno de 70 ratificaram sua posição. Vamos acabar com o uso do mercúrio feito pelo homem nesta geração. Alguns passos são lentos, porém estamos indo adiante.”

Ainda existem milhares de dentistas nos EUA e em algum outro lugar insensatos o suficiente para usar o amálgama, principalmente porque esta é uma maneira fácil e rápida de se obter lucros. Os danos causados aos dentes pelo amálgama em longo prazo igualmente garantem o retorno da clientela.

O grupo de dentistas pró-amálgama tem apoio da Food and Drug Administration (FDA) dos EUA, a qual tristemente continua protegendo e até mesmo incentivando os preenchimentos feitos de mercúrio, apesar das múltiplas razões para eliminá-los. Existe evidência clara e esmagadora contra seu uso.

A boa notícia é que o público está ignorando a FDA e está deixando de consultar dentistas pró-mercúrio e procurando dentistas que não usam mercúrio. A Consumers for Dental Choice tomou medidas para radicalmente mudar o cenário a favor dos consumidores que querem dentistas que não usam mercúrio.  

Através de educação pública e fichas de dados de consumidor, a conscientização pública sobre o mercúrio no amálgama dobrou — isto significa que outros milhões de consumidores estão procurando por dentistas que não usam amálgama.

O apoio do governo ao amálgama está enfraquecendo, conforme deve — a Convenção de Minamata para o Mercúrio ordena que cada governo tome medidas específicas para reduzir o uso de amálgama. Porém, a maior mudança é o enorme número disponível de dentistas que não usa mercúrio na maioria das comunidades ao longo da nação. 

Duas décadas atrás, quando a Consumers for Dental Choice iniciou, somente três por cento dos dentistas não usavam mercúrio.  Os conselhos odontológicos dos estados aplicaram uma regra de mordaça, tomando licenças de dentistas que se atreviam a dizer a seus pacientes sobre o mercúrio no amálgama.

Como advogado, Brown representou dentistas de costa a costa, citando a Primeira Emenda como arma para destruir a regra de mordaça e autorizar os dentistas a informar, proteger e aconselhar a odontologia livre de mercúrio.

O Sistema Pagador Terceirizado Retarda a Mudança

Hoje, metade dos dentistas americanos e canadenses eliminou o amálgama de seu consultório. Agora, a outra metade deve seguir a tendência e nós não desistiremos até que ela o faça. Aqui está a principal barreira hoje em dia: seguro privado e programas do governo. Brown explica:

“Existe um terceiro que estraga tudo. Esse terceiro pode ser a companhia de seguro. Pode ser o governo. Pode ser o Programa Medicaid; a reserva indígena. Enquanto tivermos alguém pagando a conta, menos eles estarão suscetíveis a mudar qualquer coisa.

Isto ocorre na Alemanha, na Polônia, na Costa Rica, no Uruguai e na Nigéria – onde quer que se vá, o sistema terceirizado, o governo, não quer mudar nada. Francamente, é muito mais difícil mudar [o sistema terceirizado] do que a relação dentista-consumidor, porque estamos mudando aquele; estamos vencendo aquele.”

Informações Importantes Relacionadas à Remoção do Amálgama

A quem possui preenchimento com mercúrio, recomendo sua remoção. No entanto, por favor, não cometa o mesmo erro que eu cometi. Toxicidade aguda por mercúrio é uma possibilidade real se você o tiver removido por um dentista que não possui treinamento adequado.

Quando tive meus amálgamas removidos, há uns 25 anos, meu dentista – que era, fora isso, competente – não tomou qualquer cuidado durante a remoção e eu sofri danos renais como resultado disso.

Como os amálgamas são perfurados, vapores de mercúrio são liberados. Este vapores e fragmentos de amálgama devem ser cuidadosamente ventilados e separados para evitar exposição massiva ao mercúrio. Depois disso, os tecidos da boca ficam altamente absorventes.

Por este motivo, igualmente recomendo que você esteja saudável antes de ter os preenchimentos removidos. Você deve aprimorar os mecanismos de desintoxicação antes da remoção para evitar complicações. Seria igualmente inteligente consumir aglutinantes metálicos para absorver qualquer mercúrio liberado no organismo no dia da remoção e por algum tempo após a remoção.

Meu sofrimento com meu tratamento dentário levou-me a pesquisar e abraçar a odontologia biológica, também conhecida como odontologia holística ou ambiental. Em suma, a odontologia biológica reconhece os dentes e gengivas como parte integrante de todo o organismo e qualquer tratamento médico realizado leva isso em consideração.

O objetivo primário da odontologia holística é resolver os problemas dentários enquanto trabalha em harmonia com o resto do organismo.

Dentistas biológicos estão bastante cientes dos perigos envolvidos com material tóxico como preenchimentos de mercúrio. Algumas coisas que precisam ser feitas para manter você (e também seu dentista) seguro(a) durante a remoção de amálgamas incluem:

  • Fornecer a você uma fonte alternativa de ar e instruí-lo(a) a não respirar pela boca
  • Usar um spray de água fria para minimizar a eliminação de vapores de mercúrio
  • Colocar uma barreira de borracha na sua boca de forma que você não engula ou inale qualquer toxina
  • Usar sempre um aspirador de grande volume perto do dente para aspirar vapores de mercúrio
  • Lavar sua boca imediatamente após a remoção do preenchimento (o dentista também deve trocar as luvas após a remoção)
  • Limpar imediatamente a roupa de proteção e a face uma vez que os preenchimentos tenham sido removidos
  • Usar purificadores de ar de ambiente

Como Encontrar um Dentista que Não Usa Mercúrio/ou um Dentista Biológico para a Remoção do Amálgama

O diretório de dentistas que não usam mercúrio da International Association of Mercury Safe Dentists (Associação Internacional de Dentistas que Não Usam Mercúrio) (IAMSD) é uma fonte que pode ser útil na procura por tal dentista.

Através deste serviço você pode procurar por dentistas que não usam mercúrio (membros da IAMSD) nos EUA, no Canadá e internacionalmente. A ToxicTeeth.org igualmente possui uma função de busca que permite a você localizar um dentista que não usa mercúrio nos EUA, Canadá, México, Itália e no Reino Unido.  

Para remoção de amálgamas que você já possui, as seguintes organizações podem ajudá-lo(a) a encontrar um dentista biológico qualificado em remoção segura de obturações de mercúrio nos EUA e (em alguns casos) internacionalmente.

Infelizmente, o custo de remoção pode ser financeiramente desafiante. Uma alternativa é ter os amálgamas removidos por um dentista biológico em um país onde os custos sejam menores, como o México, por exemplo. A consideração chave é se o dentista está treinado para remoção segura do amálgama.

Portanto, procure, mas não evite isso, porque é muito importante para sua saúde. Você pode ter a melhor dieta, a melhor prática de exercícios e bons padrões de sono, porém se você tiver uma boca cheia de mercúrio, isto afetará sua saúde de forma negativa. Igualmente sugiro que você dê uma olhada com calma em um plano odontológico.

Certifique-se de que tal plano cubra preenchimentos livres de mercúrio para TODOS os dentes. Se você é empregador, considere oferecer um plano livre de mercúrio, que foi o que eu fiz. O plano da nossa companhia não cobrirá amálgamas. Diversos planos odontológicos estão indo na direção contrária.

A Europa Bane o Uso de Amálgama em Crianças e Mulheres Grávidas Enquanto os EUA Estão Atrasados

Conforme observado por Brown, a Europa mostrou o caminho para o resto do mundo banindo o uso de preenchimentos de amálgama em mulheres grávidas ou amamentando e crianças menores de 15 anos de idade. A norma entra em vigor em 01 de julho de 2018 e será aplicada em toda a União Europeia (UE) — 28 países ao todo, com população totalizando mais de meio bilhão de pessoas.

Foi uma tremenda luta para se chegar a isso. Levou anos, porém valeu a pena. Milhões de crianças europeias nunca serão expostas ao mercúrio dentário como resultado desta vitória.

“Tivemos que aprender sobre a natureza Bizantina da União Europeia – existe o Conselho Europeu, a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu. Tivemos que trabalhar em todos eles. Tivemos que fazer com que os três concordassem.

Porém, conseguimos. Pedimos a eliminação total do uso do amálgama. Conquistamos o primeiro e enorme passo, com [banimento] do uso em crianças, mulheres grávidas e amamentando e um roteiro entre 2018 e 2020 para [reavaliação do uso do amálgama na odontologia].

É o ponto de referência para o mundo. Agora, como ficam os EUA nesta história? Como fica o FDA? Sem ação. Estou dizendo, a pressão contra o FDA está aumentando e este está ficando incrivelmente sozinho como protetor dos preenchimentos de mercúrio enquanto o resto do mundo está tomando medidas — como exige a Convenção de Minamata — para eliminar o uso [de mercúrio odontológico].

Começamos protegendo os mais vulneráveis. Eles não estão protegidos de forma alguma. Porém o [mercúrio] pode afetar qualquer um de nós em qualquer idade. É uma neurotoxina virulenta.

É um grande perigo. Dentistas que usam mercúrio colocam seus colaboradores em risco, particularmente mulheres em idade de concepção. É horrível. Está documentado que as funções reprodutoras de mulheres ficam prejudicadas quando estas trabalham em consultórios odontológicos. Tivemos uma que tirou a própria vida.

Portanto, procure um dentista que não usa mercúrio. Quero cumprimentar os 50 por cento de dentistas nos [EUA] que eliminaram o uso de amálgama. Isto é estimulante. [Porém], acreditamos que são as escolas de odontologia que farão a mudança. Elas simplesmente não estão considerando o caso.

As escolas de odontologia que acreditamos estar na liderança são provavelmente as piores. Um professor universitário da Universidade de Connecticut escreveu para um grande jornal em Hartford dizendo que não existe mercúrio no amálgama! Imagine dizer isso ao público, ao jornal e, tenho certeza [ele está] dizendo isso a seus alunos.”

Exija sua Opção

Se o FDA recusa-se a fazer o correto, existe um plano B: exija cobertura do seguro odontológico livre de mercúrio. Para isso foi criado o programa Demand Your Choice (Exija sua Opção).

Você pode fazer diferença assinando a petição do Programa Nacional Exija sua Opção e/ou enviando uma carta diretamente à companhia de seguro odontológico e ao departamento estadual de seguros. No site DemandYourChoice.com, você encontrará um rascunho pré-escrito de carta que você pode personalizar e imprimir.  

“Algumas pessoas estão presas a programas terceirizados e ao Medicaid. Elas podem ser um soldado, um marinheiro, um aviador ou um fuzileiro naval. Elas podem ser um prisioneiro. Elas podem viver em uma reserva indígena.

Todas essas pessoas podem estar sendo forçadas a usar amálgama. Nós dizemos: lute contra isso! Aqui está o site para ajudá-lo(a) a recuar e dizer: ‘Não quero esses preenchimentos usados em minha família ou em mim. Eu quero odontologia livre de mercúrio’. Por favor, visite DemandYourChoice.com.”

Assim como a Consumers for Dental Choice desmantelou a regra de mordaça que bloqueou a opção de dentistas, a campanha Exija sua Opção procura desmantelar o seguro pró-mercúrio e os programas governamentais pró-mercúrio.

+ Recursos e Referências