O Fantástico Mundo dos Hormônios

hormônios

Resumo da matéria -

  • Um novo documentário fascinante explora a ciência dos hormônios e mostra quão radicalmente a nossa compreensão sobre eles mudou na última década
  • Hormônios são essenciais para quase todos os processos da vida, desde o seu crescimento e desenvolvimento ao seu metabolismo e paixões
  • A função hormonal pode ser afetada por doenças, estresse, envelhecimento, drogas e produtos químicos desestabilizadores do sistema endócrino que causam estragos na sua saúde
  • Dicas são fornecidas para otimizar seus hormônios sem a necessidade de suplementação hormonal, incluindo sugestões alimentares específicas
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O Fantastical World of Hormones (O Fantástico Mundo dos Hormônios) é um empolgante novo filme que explora a história e descoberta dos hormônios, incluindo os enormes avanços ocorridos nos últimos 10 anos nesta área da ciência médica.

As descobertas recentes sobre como o sistema endócrino funciona transformaram nossa compreensão dos papéis críticos que os hormônios desempenham na saúde e na doença.

Os hormônios são essenciais para quase todos os processos da vida, desde o seu crescimento e desenvolvimento ao seu metabolismo e paixões.

Cada organismo, planta ou animal multicelular, usa hormônios - das minhocas às orcas.

A palavra "hormônio" deriva da palavra grega "hormon", que significa "despertar" ou "pôr em movimento".

Elas moldaram sua vida desde que você era um embrião - mas, por mais importantes que sejam, os hormônios permaneceram algo como um mistério médico.

Os hormônios não são óbvios como o batimento de seu coração ou o peristaltismo do seu trato digestivo e outros processos biológicos semelhantes que são mais facilmente observados e quantificados.

Compreender os hormônios exigiu que os cientistas também fossem detetives médicos, e estes "detetives hormonais" têm sido responsáveis pelas reviravoltas abundantes que vimos no campo da endocrinologia, como relatado no filme.

Este artigo servirá como um manual para compreender o que os hormônios são, de onde vêm, e o que fazem em seu corpo.

Então vamos discutir o que você pode fazer para otimizar sua função hormonal.

Colocando Muito Impacto em Pacotes Pequenos

Existem mais de 80 hormônios humanos identificados, todos com papéis claramente diferentes. Cada hormônio é direcionado para uma célula alvo específica e não tem efeito sobre quaisquer outras células à medida que eles passam por elas.

Quando um hormônio atua em sua célula alvo específica, ele pode mudar a maneira como ela se comporta para fazê-la executar uma tarefa específica. Por exemplo, o hormônio adrenalina faz com que seu coração bata mais rápido, e o hormônio gastrina faz com que seu estômago secrete ácido gástrico ao comer certos alimentos.

Os hormônios exercem sua influência em concentrações muito pequenas - cada molécula possui uma enorme potência! É por isso que os produtos químicos que perturbam o sistema endócrino, como o BPA e os ftalatos, são perigosos mesmo em pequenas quantidades.

Alguns hormônios são projetados para estimular a liberação de outros hormônios. Alguns exercem efeitos em todo o corpo, enquanto outros agem apenas em pequenas áreas localizadas do tecido. Alguns hormônios têm efeitos muito dramáticos, enquanto os efeitos de outros são mais sutis.

Tipos de Hormônios - Apenas os Conceitos Básicos

Os hormônios podem ser classificados em quatro categorias, baseados em como eles funcionam: esteroides, peptídeos, derivados de aminoácidos (aminas) e eicosanoides. Os hormônios esteroides incluem seus hormônios sexuais e hormônios adrenais.

Os peptídeos representam uma grande variedade de mensageiros químicos, incluindo o hormônio do crescimento humano (GH), a insulina e a melatonina. A adrenalina é uma amina, e as prostaglandinas (envolvidas na inflamação) são eicosanoides.

Os hormônios são mantidos em equilíbrio (homeostase) através de um sistema de resposta complexo, e sua liberação é desencadeada por três mecanismos principais:

  1. Moléculas específicas no sangue (por exemplo, determinados minerais ou nutrientes que servem como mecanismos de resposta)
  2. Estimulação por outros hormônios (isso geralmente leva a uma liberação rítmica de hormônios, aumentando e diminuindo em um padrão previsível)
  3. Estimulação por sinais de seu sistema nervoso (isso normalmente leva a uma pequena explosão de um hormônio, como a adrenalina)

Os hormônios podem ser endócrinos e exócrinos, dependendo de como eles são liberados:

  • Endócrino: Hormônios liberados diretamente em sua corrente sanguínea através de uma glândula sem dutos (pituitária, suprarrenal, tireoide, ovário, testículo, pâncreas, etc.)
  • Exócrino: Hormônios liberados em um duto ou lúmen, tais como suas glândulas salivares ou glândulas gástricas em seu estômago

Alguns órgãos têm funções endócrinas e exócrinas, como seus rins, pâncreas e gônadas. Quando você vê a frase "sistema endócrino", geralmente ela se refere ao seu sistema de oito glândulas secretoras de hormônio, mas não aos outros tecidos e órgãos que secretam hormônios, como a placenta, que secreta estrogênios e progesterona durante a gravidez.

A Descoberta dos “Hormônios da Gordura” Revolucionou a Endocrinologia

O campo da endocrinologia foi verdadeiramente revolucionado em 1994, quando o geneticista molecular Jeffrey Friedman da Universidade Rockefeller descobriu que a leptina, "o hormônio da saciedade", é produzido por células de gordura.

Antes disso, a gordura corporal nunca foi considerada um órgão endócrino, e a obesidade  não era geralmente considerada um problema endócrino.

Tudo isso mudou com a descoberta de que suas células de gordura estão mais ou menos "controlando" o cérebro – em relação a lhe dizer quando parar de comer, através do hormônio leptina.

De acordo com a Universidade Rockefeller:

"A leptina é secretada pelas células de gordura na corrente sanguínea e atua no cérebro para regular a ingestão de alimentos e o gasto de energia. Quando a massa de gordura diminui, os níveis de leptina plasmática diminuem, estimulando o apetite e suprimindo o gasto de energia até que a massa gorda seja restaurada.

Quando a massa gorda aumenta, os níveis de leptina aumentam, suprimindo o apetite até que o peso seja perdido. Este sistema mantém o controle homeostático da massa do tecido adiposo."

O problema é que esta repetição da resposta entre as células de gordura e o cérebro pode funcionar mal, fazendo com que os receptores de leptina percam a sua sensibilidade.

Quanto mais células de gordura você tiver, maiores serão os níveis de leptina e mais "resistente à leptina” você pode se tornar - isso é semelhante ao desenvolvimento da resistência à insulina a partir de níveis cronicamente elevados de insulina.

Tanto a resistência à insulina quanto a resistência à leptina estão associadas à obesidade e ao diabetes tipo 2 e constituem um problema fundamental que está na origem de quase todas as doenças crônicas degenerativas.  

É improvável que os tratamentos com medicamentos resolvam a resistência à leptina, assim como são ineficazes e até mesmo contraproducentes para tratar a resistência à insulina. A maneira ideal de corrigir a resistência à leptina é através da dieta.

Uma dieta com alimentos integrais que enfatiza gorduras boas e evita os picos de açúcar no sangue irá melhorar tanto a sensibilidade à insulina quanto à leptina.

Quando os Hormônios Ficam Descontrolados

Uma série de fatores pode afetar sua função hormonal, como envelhecimento, estilo de vida e fatores ambientais. Essas mudanças podem alterar a produção de hormônios, o metabolismo hormonal e o quão bem suas células alvo respondem aos mensageiros hormonais. Alterações relacionadas à idade foram observadas em quase todas as glândulas.

Outros fatores conhecidos que afetam negativamente a função endócrina incluem os seguintes:

  • Genética: defeitos de nascimento congênitos e mutações (cromossomos ausentes ou danificados)
  • Doenças, infecções, distúrbios autoimunes, reações alérgicas e outros problemas de saúde
  • Estresse de todos os tipos, incluindo trauma emocional e doença grave ou lesão
  • Cirurgia, radiação, quimioterapia, medicamentos e outros procedimentos médicos
  • Disruptores endócrinos (Endocrine disrupting chemicals -EDCs)

Alterações hormonais podem afetá-lo de várias maneiras, como na diminuição da fertilidade, resposta imune enfraquecida e alterações neurológicas que reduzem sua capacidade de lidar com o estresse. Suas escolhas de dieta e estilo de vida são importantes para manter os hormônios sob controle, mas evitar os disruptores endócrinos também é extremamente importante.

Os disruptores endócrinos (semelhantes na sua estrutura ao estrogênio e encontrados em grande parte em produtos plásticos), combinados com alimentos tóxicos, falta de exercício e baixos níveis de vitamina D, estão contribuindo para a puberdade precoce e o câncer.

Guia Prático de Referência dos Hormônios  

I. HORMÔNIOS ESTEROIDES: Derivados do colesterol, incluem hormônios sexuais e hormônios adrenais

Hormônio Onde Ele é Produzido Funções Primárias
Estrogênios

Ovários, placenta, seios, fígado, glândulas adrenais, células de gordura, hipotálamo e outros

Desenvolvimento sexual feminino, desenvolvimento mamário, menstruação, gravidez, memória e antienvelhecimento

Progesterona

Ovários, placenta e SNC

Desenvolvimento sexual feminino, desenvolvimento mamário, menstruação e gravidez

Testosterona

Testículos e ovários

Desenvolvimento sexual masculino, desejo sexual, produção de esperma e massa muscular e óssea

DHEA (Dehidroepiandrosterona)

Glândulas suprarrenais  e cérebro

Massa corporal magra, força óssea, imunidade, saúde do coração e resistência ao estresse

Pregnenolona

Glândulas suprarrenais

Memória e resistência ao estresse

Cortisol

Glândulas suprarrenais

Resistência ao estresse, produção de energia, anti-inflamatório e estabilidade do humor

Vitamina D (1,25 Di-hidroxivitamina D ou calcitriol)

Pele, fígado e rins

Variadas, incluindo a saúde óssea e muscular, saúde do coração, imunidade, metabolismo, desenvolvimento do cérebro, comunicação celular e muito mais

II. HORMÔNIOS PEPTÍDICOS: Frequentemente em forma "pré-hormonal", requerendo um processamento adicional para ser ativo

Hormônio Onde Ele é Produzido Funções Primárias

HCG (gonadotrofina coriônica humana)

Placenta

Ajuda a suportar o revestimento endometrial para o feto em desenvolvimento (e estimula a progesterona)

HGH (Hormônio do crescimento humano, ou somatotropina / somatropina)

Glândula pituitária

Promove o crescimento em crianças e adolescentes, e ajuda a regular a composição corporal, crescimento do tecido e metabolismo nos adultos

Melatonina

Glândula pineal

Sono; ajuda a saúde do cérebro, a saúde do coração, sistema imunológico e prevenção do câncer

Insulina

Pâncreas

Sinaliza que a glicose deve ser transferida do seu sangue para suas células para ser usada como energia; regulação da gordura corporal

Glucagon

Pâncreas

Sinaliza o fígado para liberar a glicose no seu sangue

Prolactina

Glândula pituitária, seios, útero, próstata, pele, gordura e células imunes

Promove a lactação, vínculo e mais de 300 funções reprodutivas, metabólicas, imunológicas e outras funções

 Hormônio adrenocorticotrófico (ACTH)

Glândula pituitária

Estimula a liberação de cortisol

Leptina

Células de gordura

Regulação da gordura

Grelina

Estômago e pâncreas

Estimula a fome

Hormônio da paratireoide (PTH)

Glândula paratireoide

Controla a quantidade de cálcio nos seus ossos e sangue

Hormônio liberador de tireotrofina (TRH)

Hipotálamo

Estimula a glândula tireoide a liberar HT

Fatores humorais (por exemplo, timosina)

Timo

Desenvolvimento de um sistema imunológico saudável

III. HORMÔNIOS DERIVADOS DE AMINOÁCIDOS (AMINAS): Derivado de tirosina e triptofano, inclui hormônios da tireoide e catecolaminas

Hormônio Onde Ele é Produzido Funções Primárias

Adrenalina

Glândulas suprarrenais

Reação de "luta ou fuga": aumenta a frequência cardíaca, dilata os vasos sanguíneos e libera a glicose

Hormônio da  tireoide  (HT)

Glândula tireoide

Desenvolvimento de órgãos e metabolismo

IV. Hormônios eicosanoides: Produzidos a partir de ácidos graxos (ácido araquidônico); possuem curta duração no seu corpo e exercem efeitos principalmente em tecidos locais

Hormônio Onde Ele é Produzido Funções Primárias

Prostaglandinas

Quase todas as células do corpo humano

Variadas, incluindo contrações uterinas, broncodilatação, inflamação, etc.

A Ligação Entre Dieta e Saúde Hormonal

Evitar alimentos processados é uma das melhores estratégias para preservar a sua função hormonal natural. Carboidratos refinados e gorduras danificadas podem elevar seus níveis de estrogênio - até duas vezes mais do que o normal.

Esta é uma das principais causas para os sintomas da menopausa em primeiro lugar. Os alimentos processados também podem reduzir outros níveis de hormônios críticos e são carregados com ingredientes degradantes para a saúde, como o açúcar (especialmente frutose), ingredientes GM, gorduras trans, sal processado e outros aditivos químicos.

Por outro lado, ter uma dieta rica em alimentos orgânicos integrais, com proteínas e gorduras de alta qualidade, pode colaborar muito para manter seus hormônios equilibrados conforme você envelhece, especialmente quando combinada com um programa de condicionamento físico eficaz.

Como regra geral, as vitaminas lipossolúveis têm um efeito benéfico sobre os hormônios sexuais. Consumir alimentos ricos em vitamina A beneficiará a produção de progesterona.

Aqui está uma lista rápida de recomendações dietéticas do Dr. Hertoghe para manter níveis saudáveis de hormônios:

Mantenha uma dieta paleolítica, rica em legumes orgânicos frescos e alimentos fermentados

Evite o açúcar e a frutose, incluindo suco de frutas frescas, já que o rápido pico de açúcar bloqueia a secreção de hormônio; escolha frutas com baixo teor de frutose

Os legumes folhosos verde-escuros são ricos em magnésio, o que facilita a produção do hormônio sexual

Evite o consumo regular de álcool, pois isso diminui a produção do hormônio do crescimento

Evite grãos não germinados. Se for consumir grãos (que seria melhor você evitar totalmente), certifique-se de que eles sejam germinados

Coma proteínas de alta qualidade, como peixe, carne vermelha de animais alimentados com pasto e frango alimentado com pasto, mas cozinhe-os em uma temperatura mais baixa

Considerações Adicionais Antes de Tomar Hormônios para a Menopausa

Se você continuar a ter sintomas desagradáveis da menopausa após a implementação das mudanças dietéticas descritas acima, você pode tentar algumas dessas outras estratégias antes de recorrer ao tratamento com hormônios bioidênticos:

  • Fitoestrógenos: Consumir bastantes fitoestrógenos (estrogênios de plantas), como alcaçuz e alfafa antes da menopausa pode ajudar a moderar os seus níveis de estrogênio diários para que quando a menopausa chegue, a queda não seja tão dramática.
  • Otimize seus níveis de vitamina D: Isso é essencial para a regulação genética e saúde otimizada.
  • Polifenóis: Certos polifenóis demonstraram ter benefícios similares à TRH sem os inconvenientes, e estão associados a um risco reduzido de doença cardíaca. A Royal Maca é uma excelente solução de ervas adaptogênica para a menopausa que as mulheres constataram ser muito útil. Evite as variedades baratas já que elas normalmente não funcionam - em vez disso, opte pela versão autêntica do Peru.
  • Gordura ômega-3 de origem animal: Você também deve obter muitas gorduras de alta qualidade ômega-3 de origem animal, tais como o óleo de krill.
  • Erva-de-São-Cristovão: Apesar de ser descartada pelo ACOG como não tendo fundamento científico, a erva-de-São-Cristovão pode realmente ajudar a regular a temperatura corporal e ondas de calor em algumas mulheres.

Como você pode ver, os hormônios são um assunto complicado - mas valem o esforço devido aos poderosos papéis que desempenham na sua saúde. Eu recomendo fortemente reservar um tempo para assistir a este documentário, pois ele irá expandir o seu entendimento e irá ajudá-lo a assumir o controle da sua saúde!