Quiropráticos e Exercícios são Melhores do que Remédios, diz Estudo

quiroprático

Resumo da matéria -

  • O exercício muitas vezes leva a uma melhor postura, amplitude de movimento e funcionalidade do corpo, que podem ajudar a tratar a fonte subjacente de dor, além de ajudar a prevenir o surgimento da dor no pescoço crônica em primeiro lugar
  • Devido ao seu treinamento abrangente no manejo musculoesquelético, numerosas fontes de evidência demonstraram que os cuidados da quiropraxia são muito mais seguros e muitas vezes mais efetivos que os tratamentos médicos alopáticos, especialmente para dor nas costas e no pescoço
  • Existe uma boa razão para explorar as muitas opções naturais disponíveis para aliviar e curar a dor antes de optar pelo alívio através de remédios, uma vez que os remédios apresentam um risco significativo de efeitos colaterais
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

A dor crônica é uma doença extremamente comum que afeta cerca de 76,5 milhões de pessoas, um terço dos quais descreve sua dor como grave e “incapacitante”.

Entre eles, muitos sofrem de dor no pescoço, que é o terceiro tipo de dor mais comum de acordo com a American Pain Foundation.

Estima-se que 70 por cento das pessoas sintam dor no pescoço em algum momento de suas vidas, mas a pesquisa em relação a tratamentos efetivos é surpreendentemente limitada.

Se você visitar um médico convencional para tratar esta dor, há uma boa chance de você sair com uma receita para uma medicação, como anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), acetaminofeno (Tylenol) e até opioides (OxyContin, Vicodin, etc.) que são os tratamento típicos para a dor no mundo médico moderno.

No entanto, existem opções melhores do que remédios para a dor no pescoço, não apenas em termos de alívio da dor, mas também para ajudar a tratar a causa subjacente da dor para que a cura possa realmente ocorrer.

Estudo Demonstra que Exercícios e Tratamento Quiroprático Superam os Remédios para a Dor no Pescoço

De acordo com um estudo publicado nos Annals of Internal Medicine e financiado pelo National Institutes of Health, os remédios não são a melhor opção para o tratamento da dor no pescoço.

Depois de acompanhar 272 pacientes com dor no pescoço durante 12 semanas, aqueles que usaram um quiroprático ou exercício tiveram mais de duas vezes mais chances de ficar livres de dores em comparação com aqueles que tomaram medicação.

Especificamente:

  • 32 por cento dos que receberam cuidados quiropáticos ficaram livres de dor
  • 30 por cento daqueles que exercitaram-se ficaram sem dor
  • 13 por cento daqueles tratados com medicação ficaram sem dor

Os pesquisadores concluíram que:

“Para os participantes com dor no pescoço aguda e subaguda, a SMT [terapia de manipulação vertebral] foi mais eficaz do que a medicação, tanto em curto quanto em longo prazo. No entanto, algumas sessões de instrução de HEA [exercício em casa com conselho] terminaram dando resultados semelhantes na maior parte do tempo.”

Por que o Exercício é Essencial se Você Tiver Dor no Pescoço

Como o exercício muitas vezes leva a uma melhor postura, amplitude de movimento e funcionalidade do seu corpo, ele pode ajudar a tratar a fonte subjacente de sua dor, além de ajudar a prevenir a dor crônica no pescoço de surgir em primeiro lugar. O exercício ajuda a prevenir e aliviar a dor através de uma série de mecanismos, incluindo o fortalecimento dos principais músculos de apoio e a restauração da flexibilidade.

Não surpreendentemente, as lesões repetitivas de distensão tornaram-se cada vez mais comuns, uma vez que tantas pessoas passam a maior parte dos dias de trabalho sentados na frente dos computadores. O trabalho com computadores está associado à dor no pescoço especificamente proveniente do músculo trapézio, também conhecido como a mialgia do trapézio, e muitos tipos de dores no pescoço podem ser devidos à má postura no trabalho ou durante o seu trajeto para o trabalho.

É um círculo vicioso, pois a má postura enquanto se está sentado leva a dor no pescoço e, uma vez que a dor no pescoço desenvolve-se ela pode tornar sua postura ainda pior. Por exemplo, um estudo mostrou que pessoas com dor no pescoço crônica demonstram uma capacidade reduzida de manter uma postura vertical quando distraídos.

O mesmo estudo revelou, no entanto, que após seguir um programa específico de exercícios, as pessoas com dor no pescoço tiveram uma habilidade aprimorada de manter uma postura cervical neutra durante o tempo que passavam sentadas de forma prolongada, o que sugere que isso pode ajudar a quebrar o ciclo da postura ruim/dor no pescoço.

Outras pesquisas demonstraram que o exercício é incrivelmente benéfico para o tratamento da dor no pescoço, incluindo:

  • A pesquisa feita pelo Journal of Applied Physiology revelou que a lesão por esforço repetitivo causada por trabalho no escritório pode ser reduzida usando certos exercícios de treinamento de força.
  • Um estudo publicado na revista Arthritis & Rheumatism demonstrou que o treinamento de força focado nos músculos do pescoço e do ombro é o tratamento mais benéfico para mulheres com dor muscular crônica no pescoço em oposição a uma rotina geral de condicionamento físico.

Cinco Exercícios Específicos que Focam a Dor no Pescoço Crônica

Cinco exercícios específicos de força que focam nos músculos do pescoço e ombro envolvidos na dor crônica no pescoço. Ambos os estudos mencionados acima envolveram os mesmos cinco exercícios usando pesos de mão, e as explicações detalhadas de como executar cada exercício são fornecidas pelo National Research Centre for the Working Environment:

1. Encolhimento de ombros com haltere

Fique de pé com pesos de mãos ao lado do seu corpo. Em um só movimento, levante os ombros em direção a suas orelhas e baixe-os lentamente. Ao mesmo tempo, tente relaxar sua mandíbula e pescoço.

2. Remada de um braço

Fique com um joelho no banco e incline-se no mesmo lado da mão na frente do banco. Com o braço livre você levanta o peso até a parte inferior do seu peito. Quando o peso toca seu peito, abaixe-o em um movimento controlado.

3. Remada vertical

Fique de pé com os braços esticados e os pesos das mãos na frente do seu corpo. Levante os pesos em linha reta o mais próximo possível do seu corpo, até chegar ao meio do peito e seus cotovelos apontarem para cima e para fora. Durante todo o exercício, os pesos nas mãos devem estar abaixo dos seus cotovelos.

4. Remada reversa

Deite-se em um banco em um ângulo de 45° inclinado para frente com os pesos das mãos pendurados em direção ao chão. Levante os pesos para fora e para cima até ficarem horizontais, e depois abaixe os pesos em um movimento controlado. Durante o exercício, os cotovelos devem estar ligeiramente curvados.

5. Levantamento lateral/abdução do ombro

Fique de pé com os pesos das mãos dos lados do seu corpo. Levante os pesos para fora e para cima até ficarem horizontais, e depois abaixe os pesos em um movimento controlado. Durante o exercício, os cotovelos devem estar ligeiramente curvados.

Os pesquisadores recomendaram realizar os exercícios três vezes por semana (segundas, quartas e sextas) e alternar entre os exercícios 1, 2 e 5 em um dia e os exercícios 1, 3 e 4 no outro. Ao iniciar, execute duas séries de cada exercício com 8-12 repetições para cada série. Aumente em seu próprio ritmo para três séries para cada um.

Dependendo do exercício e da força muscular atual, o peso recomendado para iniciantes é entre 6-12 libras (2,72 – 5,44 kg).

Como regra geral, aumente o peso assim que você conseguir fazer as três séries confortavelmente. Como orientação, os participantes no estudo dobraram o peso utilizado aproximadamente em 10 semanas. Após aproximadamente quatro semanas, você pode reduzir o número de repetições das últimas séries para aumentar o peso.

Os Benefícios do Tratamento Quiroprático e Outros Tratamentos Alternativos para Dor No Pescoço

Consultar-se com um quiroprático qualificado é outra opção sábia se você sofre de dor crônica. Eu acredito piamente na filosofia quiroprática, que coloca uma forte ênfase na sabedoria curativa inata do seu corpo e muito menos na dependência de soluções temporárias, como os remédios e cirurgia.

Os médicos quiropráticos, osteopatas e naturopáticos recebem treinamento extensivo no tratamento de distúrbios musculoesqueléticos durante seu curso de treinamento de graduação em saúde, que geralmente dura de 4-6 anos.

Devido ao seu treinamento abrangente no manejo musculoesquelético, inúmeras fontes de evidência demonstraram que os cuidados de quiropraxia são muito mais seguros e muitas vezes mais eficazes do que os tratamentos médicos alopáticos, especialmente para dor nas costas e no pescoço. Além disso, os pesquisadores também descobriram que os ajustes da quiropraxia afetam nossos corpos em um nível celular profundo.

O que isso significa é que o tratamento quiroprático pode afetar os processos fisiológicos básicos que influenciam o estresse oxidativo e o reparo do DNA, de modo que, além de abordar qualquer desalinhamento espinhal imediato que possa causar dor, ele também pode abordar disfunções mais profundas no seu corpo.

Muitos de vocês sabem que eu sou um médico osteopata. Doutores Osteopatas, ​​como os quiropráticos, também recebem treinamento adicional extensivo em ajustes da coluna vertebral e também podem ser uma boa opção para você. No entanto, em minha experiência, apenas uma pequena porcentagem de Doutores Osteopatas são habilitados nesta área, pois escolheram um modelo alopático mais convencional. Então, se você for consultar-se com um Doutor Osteopata para tratar isso, certifique-se de que ele forneça esse serviço.

No geral, o ponto importante a recordar é que existem muitas outras opções para tratar a dor crônica além de remédios. Por exemplo, identificou-se que a massagem terapêutica oferece uma melhora clinicamente significativa na função e nos sintomas da dor no pescoço, enquanto uma variedade de tratamentos complementares e de medicina alternativa (CAM) (incluindo acupuntura, massagem, manipulação vertebral e mobilização) foi considerada significativamente mais eficaz do que nenhum tratamento, placebo, fisioterapia ou cuidados habituais para a redução imediata ou em curto prazo da dor após o tratamento para aqueles com dor no pescoço ou lombar.

Então, você tem opções quando se trata de lidar com sua dor, e há um bom motivo para explorá-las antes de optar pelo alívio através de remédios. Além disso, muitos massagistas e fisioterapeutas podem fornecer alternativas efetivas.

Medicamentos Contra Dor são Arriscados na Melhor das Hipóteses

Milhões de americanos dependem de medicamentos anti-inflamatórios para aliviar a dor, mas estes remédios estão entre os mais perigosos do mercado. Além de aumentar significativamente seus riscos cardíacos (como um aumento de duas a quatro vezes maior para o risco de ataques cardíacos, acidente vascular cerebral ou morte cardiovascular), os AINEs estão ligados a riscos gastrointestinais graves como sangramento do trato digestivo, aumento da pressão arterial e problemas renais.

Lembre-se, isso se aplica não só a medicamentos com receita como o Celebrex, mas também a medicamentos de venda livre, como a aspirina, Advil e Motrin.

É muito difícil encontrar um método de alívio da dor baseado em remédios que não venham juntos de efeitos colaterais graves. A FDA até recentemente limitou a quantidade de acetaminofeno permitida em produtos com receita e adicionou um aviso na caixa devido a preocupações com toxicidade hepática. O acetaminofeno é realmente a principal causa de insuficiência hepática aguda nos Estados Unidos.

Quanto aos analgésicos opioides como OxyContin, eles estão entre os medicamentos com receita mais utilizados e são um dos principais contribuintes para o aumento das taxas de sobredosagem fatais de medicamentos com receita. Muitos tornam-se viciados depois de usá-los para tratar doenças como dor nas costas ou no pescoço.

Mas não importa o tipo de analgésico que você escolher, o ponto principal a recordar é que eles não vêm sem riscos! Infelizmente, se você for consultar-se com seu médico convencional para tratar sua dor crônica, um plano de tratamento de longo prazo geralmente inclui uma abordagem de combinação de remédios, usando medicamentos anti-inflamatórios, medicamentos anticonvulsivos, relaxantes musculares e possivelmente outros tipos de medicação para dor também.

Em outras palavras, a resposta para o alívio da dor são remédios, remédios e mais remédios - cada um aumentando o risco de sofrer efeitos colaterais potencialmente letais. Existe uma maneira melhor?

Mais Soluções Naturais para Dor no Pescoço (e Outros Tipos de Dor)

No caso da dor no pescoço, a causa subjacente é frequentemente relacionada à mecânica do corpo, o que significa que sua postura ou equilíbrio muscular está desajustado. Tratar a sua postura (ou outros fatores que podem estar contribuindo para a distensão, como dormir em uma posição desconfortável) e tratar a doença com exercícios é geralmente eficaz para aliviar a dor e cuidar da causa subjacente.

Se você tem dor crônica de qualquer tipo, por favor, entenda que existem muitas alternativas seguras e eficazes a analgésicos com receita e de venda livre, embora possam exigir alguma paciência.

Entre os melhores estão:

  • Comece a tomar uma gordura ômega-3 de alta qualidade, de origem animal, como o óleo de krill. As gorduras ômega -3 são precursoras de mediadores de inflamação, chamadas prostaglandinas. (Na verdade, é assim que os analgésicos anti-inflamatórios funcionam, eles influenciam positivamente as prostaglandinas.) Também descobriu-se em muitos estudos com animais e clínicos que as gorduras ômega-3 EPA e DHA contidas no óleo de krill possuem propriedades anti-inflamatórias.
  • Elimine ou reduza radicalmente a maioria dos grãos e açúcares (incluindo a frutose) da sua dieta. Evitar grãos e açúcares diminuirá os níveis de insulina e leptina. Os níveis elevados de insulina e leptina são um dos estimuladores mais profundos da produção inflamatória de prostaglandina. É por isso que eliminar o açúcar e os grãos é tão importante para controlar a sua dor.
  • Otimize sua produção de vitamina D obtendo exposição regular e adequada ao sol,o que funcionará através de diversos mecanismos para reduzir sua dor.

Enquanto isso, você não precisa sofrer desnecessariamente. Seguem-se opções que proporcionam um excelente alívio da dor sem nenhum dos riscos para a saúde que os medicamentos contra a dor costumam possuir.

Astaxantina: um dos antioxidantes solúveis em óleo mais eficazes conhecidos. Tem propriedades anti-inflamatórias muito potentes e, em muitos casos, funciona muito mais eficazmente do que os AINEs. Em geral, são necessárias doses mais altas e podem ser necessários 8 mg ou mais por dia para obter esse benefício.

Gengibre: esta erva é anti-inflamatória e oferece alívio da dor e propriedades que acalmam o estômago. O gengibre fresco funciona bem embebido em água fervente como um chá ou ralado em suco de vegetais.

Curcumina: A curcumina é o principal composto terapêutico identificado no tempero açafrão. Em um estudo com pacientes com osteoartrite, aqueles que adicionaram 200 mg de curcumina por dia ao seu plano de tratamento reduziram a dor e aumentaram a mobilidade. De fato, foi demonstrado em mais de 50 estudos clínicos que a curcumina tem uma atividade anti-inflamatória potente, bem como demonstrou a habilidade em quatro estudos de reduzir os efeitos adversos à saúde associados ao Tylenol.

Boswellia: também conhecida como boswellin ou “incenso indiano”, esta erva contém poderosas propriedades anti-inflamatórias, que são valorizadas há milhares de anos. Ela é uma das minhas favoritas pessoais, já que a vi funcionar bem com muitos pacientes com artrite reumatóide.

Bromelina: esta enzima digestora de proteínas, encontrada no abacaxi, é um anti-inflamatório natural. Pode ser tomado em forma de suplemento, mas comer abacaxi fresco também pode ser útil. Tenha em mente que a maioria da bromelina é encontrada no núcleo do abacaxi, então considere deixar um pouco do núcleo polpudo intacto quando você consumir a fruta.

Cetil Miristoleato (CMO): Este óleo, encontrado nos peixes e manteiga feita de leite, atua como um “lubrificante articular” e um anti-inflamatório. Usei uma preparação tópica em mim mesmo para aliviar cistos sinoviais e uma síndrome do túnel do carpo levemente irritante que aparece quando eu escrevo demais em teclados não ergonômicos.

Óleos de Prímula, Groselha Preta e Borragem: Estes contêm o ácido graxo, ácido gamalinolênico (GLA), que é útil para tratar a dor artrítica.

Creme de Caiena: Também chamado de creme de capsaicina, este tempero tem sua origem em pimentas secas. Ele alivia a dor, esgotando o suprimento corporal da substância P, um componente químico das células nervosas que transmite sinais de dor ao seu cérebro.

As modalidades terapêuticas, como ioga, acupuntura, meditação, bolsas quentes e frias, e até mesmo ficar de mãos dadas também podem resultar em um surpreendente alívio da dor sem remédios.

+ Recursos e Referências
  • ABC News January 4, 2012