O Desgaste Físico da Solidão

Tamanho da fonte:
solidão e saúde

A solidão não afeta apenas sua mente; ela também pode causar problemas para sua pressão sanguínea.

Os pesquisadores fizeram uma pesquisa com cerca de 230 pessoas com idades entre 50 e 68 anos.

Eles foram convidados a avaliar seus sentimentos sobre declarações como “não tenho companheirismo” e “minhas relações sociais são superficiais”.

Os participantes foram então monitorados por cinco anos. O Los Angeles Times informa que:

“Os pesquisadores observaram uma associação entre os sentimentos de solidão e a hipertensão arterial.

As pessoas que foram classificadas como mais solitárias tiveram níveis de pressão arterial 14,4 pontos mais altos do que aquelas que se sentiram menos solitárias.

Os aumentos na pressão arterial sistólica foram cumulativos, de modo que aqueles que apresentaram maiores níveis de solidão no início do estudo apresentaram um aumento da pressão arterial ao longo dos anos.”

Por Dr. Mercola

Os sentimentos de solidão são incrivelmente comuns e, ironicamente, mesmo enquanto a distância física entre as pessoas vem diminuindo, o “isolamento” emocional está em ascensão.

Até um quarto dos americanos dizem sentir-se frequentemente solitários, e espera-se que este número cresça nos próximos anos.

O especialista em solidão John Cacioppo, neurocientista social da Universidade de Chicago, credita esse aumento dos níveis de solidão a dois fatores principais: uma maior expectativa de vida que leva a mais anos de viuvez e um aumento das residências com uma única pessoa.

Claro, é possível sentir-se sozinho, mesmo quando você está cercado de pessoas e, embora isso aconteça com muitos, poucos admitirão isso facilmente.

Nossa sociedade desenvolveu-se como uma sociedade que valoriza a autossuficiência e a independência, de tal forma que uma pessoa pode ter vergonha de sua necessidade por companheirismo.

Esta necessidade, no entanto, é bastante natural e, se não cumprida ao longo do tempo, pode levar a uma série de problemas mentais e físicos.

Embora a maioria das pessoas sinta-se solitária de vez em quando, permanecer solitário pode ter um grande impacto sobre sua saúde física.

Como a Solidão Prejudica sua Saúde

As emoções negativas invariavelmente afetarão seu bem-estar físico, e com a solidão não será diferente. A pesquisa mais recente revelou que sentir-se solitário eleva a pressão sanguínea em até 14 pontos, com aumentos maiores quanto mais essa sensação de solidão persistir.

Esse está longe de ser o único estudo que ligou a solidão a repercussões na saúde. Um estudo separado revelou que o risco de desenvolver demência aumentava em cerca de 51 por cento para cada aumento de um ponto em uma escala de solidão.

O que é interessante, porém, é que os depósitos cerebrais que normalmente desenvolvem-se em pacientes com Alzheimer não foram vistos entre aqueles que estavam solitários, indicando que a emoção desencadeia a demência através de um mecanismo diferente, como níveis mais altos de hormônios do estresse, câncer ou pressão arterial elevada (todos eles com ocorrência mais provável em pessoas solitárias).

Outros estudos também demonstraram que ser socialmente isolado pode causar problemas de saúde, incluindo enfraquecer seu sistema imunológico e resultar em disfunções do sono.

Além disso, no que Cacioppo descreveu como “processo patofisiológico lentamente desenvolvido”, sua pesquisa demonstrou que as pessoas que são solitárias são mais propensas a:

  • Estar deprimidas
  • Sofrer de alcoolismo
  • Relatar níveis mais elevados de estresse percebido
  • Ter menos interações sociais positivas

Mais Evidências de sua Conexão Mente-Corpo

É realmente incrível o quanto sua mentalidade pode influenciar a sua saúde física, mas diversos estudos continuam a apoiar isso. Sua conexão mente-corpo é uma força poderosa que pode reforçar ou destruir sua saúde.

Uma razão para isso tem a ver com a epigenética, que se baseia na noção de que fatores ambientais como o estresse e sua dieta influenciam a expressão de seus genes.

É a expressão de seus genes - NÃO os genes em si- que dita se você desenvolve certas doenças ou envelhece prematuramente.

Veja, à medida que você envelhece seu genoma não muda, mas o seu epigenoma muda de forma dramática, especialmente durante períodos cruciais da vida, como a adolescência. Isso é influenciado por estresses físicos e emocionais – a maneira como você responde a tudo o que acontece em seu ambiente, desde mudanças climáticas até as provas finais e até aos abusos sofridos na infância.

Então, se você é cronicamente solitário, essa emoção negativa influenciará a expressão de seus genes e, portanto, afetará diretamente sua tendência a desenvolver doenças.

Isso também explica por que, como Dawson Church cita em seu livro The Genie in Your Genes: Epigenetic Medicine and the New Biology of Intention (O Gênio em Seus Genes: Medicina Epigenética e a Nova Biologia da Intenção), pacientes que passaram por uma cirurgia cardíaca que possuem uma rede de apoio social forte e prática espiritual têm uma taxa de mortalidade 1/7 menor do que aqueles que não possuem!

Solução Excelente – Bichos de Estimação para Fazer Companhia

Um cachorro ou gato pode proporcionar amor incondicional e conforto, e estudos demonstraram que possuir um animal de estimação pode ajudar a proteger contra solidão, depressão e ansiedade. Na verdade, os cães são frequentemente trazidos para lares de idosos, hospedarias e hospitais exatamente por esse motivo.

O vínculo que se forma entre uma pessoa e um animal de estimação pode ser incrivelmente satisfatório, e serve, em muitos aspectos, como um relacionamento importante e gratificante. Como afirma a American Veterinary Medical Association:

“O vínculo humano-animal é uma relação mutuamente benéfica e dinâmica entre pessoas e animais que é influenciada por comportamentos essenciais para a saúde e o bem-estar de ambos. Isso inclui, mas não está limitado a, interações emocionais, psicológicas e físicas com pessoas, animais e meio ambiente.”

A pesquisa relacionada a isso é realmente muito profunda. Por exemplo, ter um cão como companheiro pode adicionar anos a sua vida, já que estudos demonstraram que possuir um cão desempenhou um papel significativo nas taxas de sobrevivência em vítimas de ataque cardíaco.

Estudos também revelaram que pessoas no Medicaid ou Medicare que possuem um animal de estimação fazem menos visitas ao médico. A aceitação incondicional e o amor que um cão dá a seus proprietários impacta positivamente a saúde emocional dos seus donos de algumas maneiras, como:

Melhorando a autoconfiança e autoestima

Promovendo a comunicação entre idosos e seus vizinhos

Ajudando pessoas a lidar com doenças, perda e depressão

Reduzindo os níveis de estresse

Ajudando a conhecer novos amigos

Fornecendo uma fonte de toque e afiliação

Além do companheirismo, cachorros e gatos satisfazem nossa necessidade humana de contato físico e de tocar algo. Isso na verdade funciona tanto em nível hormonal quanto emocional.

Pesquisas da Universidade de Missouri-Columbia sugerem que as mudanças hormonais que ocorrem quando humanos e cães interagem podem ajudar as pessoas a lidar com a depressão e certos distúrbios relacionados ao estresse. Um exemplo disto é passar alguns minutos acariciando seu cachorro - este simples ato induz a liberação de uma série de hormônios de “bem-estar” em seres humanos, incluindo a serotonina, prolactina e oxitocina.

Se você está procurando adicionar um novo membro peludo à sua família, vá até seu abrigo de animais local. A maioria está cheia de gatos e cachorros à procura de alguém para amar. O site Petfinder.com também é um excelente recurso para encontrar um animal de estimação... ele permite pesquisar quase 300.000 animais de estimação adotáveis de mais de 13.000 grupos de adoção para que você possa encontrar o certo para você.

Outras Dicas para Superar a Solidão

Como eu disse anteriormente, é completamente natural desejar companheirismo. Você é uma criatura social que se desenvolve com apoio social e relacionamentos pessoais significativos.

Dito isto, o caminho para superar a solidão possui dois pilares:

  • Criar laços sociais mais satisfatórios
  • Aprender a aproveitar o tempo que passa sozinho

Por último, sugiro dar alguma atenção à sua energia emocional. É provável que você precise deixar de lado algumas das suas crenças limitantes, estresse e também a “bagagem” emocional do seu passado, o que pode estar mantendo você em um estado emocional solitário.

Eu acredito que as Técnicas de Toque de Meridiano/Técnicas de Libertação Emocional (MTT / EFT) podem ser altamente eficazes para este objetivo, e podem ser uma das chaves principais na sua jornada para encontrar sua própria felicidade interior.

Agora, uma vez que você sinta-se seguro com você mesmo, é hora de dedicar alguma atenção à criação de novos relacionamentos. Isso não precisa ser tão assustador quanto possa parecer, não importa em que fase da vida você está. Eu recomendo:

  • Explorar novos hobbies e interesses que acendem suas curiosidades naturais e paixões. As amizades profundas formam-se naturalmente entre pessoas com interesses semelhantes.
  • Voluntariar-se ou se juntar-se a um clube ou organização na sua área. Clubes de livros, ligas de esportes para adultos, grupos de mães holísticas, até mesmo cooperativas de alimentos podem levar a novos relacionamentos.
  • Faça um esforço para restabelecer relacionamentos antigos e cultivar novos. Isso poderia ser com membros da sua família com os quais você perdeu contato, amigos da época da faculdade ou com o novo vizinho do outro lado da rua. A internet também é uma maneira cada vez mais popular de conhecer novas pessoas!