Como o BPA e o BPS Estão Fazendo as Pessoas Ficarem Doentes


saúde BPA e bps

Resumo da matéria -

  • O BPA e o BPS são substâncias químicas perturbadoras do sistema endócrino, responsáveis pela hipertensão, alterações estruturais do cérebro, parto prematuro e diabetes; uma pesquisa agora mostrou que ambos são capazes de atravessar a barreira placentária
  • Os produtos químicos usados para substituir o BPA oferecem os mesmos riscos para a sua saúde, pois são quase idênticos, aumentando os custos com saúde e as taxas de obesidade
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Justamente quando você pensou que sabia quão perigoso era o bisfenol A (BPA) para sua saúde, a pesquisa demonstrou que tanto o BPA quanto os produtos químicos substitutivos são capazes de atravessar a barreira placentária, aumentando a carga tóxica em um bebê em desenvolvimento. Quando testados, mais de 200 produtos químicos foram encontrados no sangue do cordão umbilical de recém-nascidos.

Criado pela primeira vez em 1891 por um químico russo, o BPA não aparecia na fabricação de produtos até a década de 1950, quando foi usado para produzir plásticos resistentes e muitas vezes transparentes.

Apesar de fortes evidências científicas indicarem que o BPA tem um efeito negativo sobre a saúde, o mercado deste produto foi avaliado em mais de US$ 13 bilhões em 2013, e espera-se chegar a US$ 20 bilhões até 2020.

Hoje, o BPA é encontrado em inúmeros produtos de higiene pessoal e plásticos, desde o forro de produtos enlatados até envoltórios plásticos, garrafas de água e recibos de caixa. Embora a Food and Drug Administration (Administração de Alimentos e Drogas-FDA) dos EUA alegue que o BPA é seguro para o consumo humano, ele foi proibido em copinhos e outros produtos para bebês.

Infelizmente, os produtos químicos de substituição que estão sendo usados para aumentar a força e a elasticidade dos plásticos provavelmente não são mais seguros do que o BPA que substituíram, já que são compostos químicos quase idênticos.

O BPA e o BPS Atravessam a Barreira Placentária Aumentando o Risco para as Crianças

Em 2010, os pesquisadores descobriram que o BPA atravessa a barreira placentária. Mas, mais importante que isso, os investigadores descobriram que quando a forma ativa de BPA permanece ativa no bebê em desenvolvimento, a forma inativa pode ser convertida em uma forma ativa, indicando que a exposição ao BPA antes do nascimento era maior do que antecipado originalmente.

Na tentativa de remover o BPA de produtos, os fabricantes têm utilizado o bisfenol-S (BPS) e bisfenol-F (BPF) em vez disso. Estes produtos químicos de substituição são tão hormonalmente ativos quanto o BPA e ambos são fortes perturbadores endócrinos. Ambos demonstram efeitos adversos no funcionamento fisiológico de seres humanos e ratos.

Cientistas canadenses e chineses agora demonstraram algo no qual os ambientalistas acreditavam há muito tempo – que o BPS e o BPA podem atravessar a placenta, afetando o crescimento pré-natal dos bebês. O BPS já havia sido encontrado em amostras de urina de mais de 80 por cento das crianças da China, EUA e seis outros países asiáticos.

Estudos anteriores tinham reportado diferenças comportamentais nas mães de roedores expostas a BPS durante a gravidez e nos filhotes fêmeas.

O estudo mais recente mediu os níveis de BPS e BPA em 61 pares de amostras de sangue materno e do cordão umbilical, comprovando "a primeira evidência de que o BPS atravessa a placenta humana". Os metabólitos do BPA no sangue do cordão umbilical também foram superiores aos encontrados no sangue materno.

Como Funciona a Perturbação Endócrina

Os metabólitos do BPA podem não ter a forte atividade química estrogênica  do BPA total, mas eles também não são biologicamente inativos. Vários estudos identificaram diferentes tipos de atividade biológica entre células cultivadas e um metabólito de BPA, e o BPA total é um conhecido pertubador endócrino.

Através da exposição generalizada e múltiplos efeitos sobre as células humanas, o BPA representa um risco complexo para a saúde humana. Exposto aos roedores no período perinatal, durante as semanas imediatamente antes e após o nascimento, o BPA teve um efeito significativo na resposta ao estresse neuroendócrino.

Os pesquisadores teorizaram que essa exposição pode estar associada ao desenvolvimento de distúrbios relacionados ao estresse mais tarde na vida. Os perturbadores endócrinos funcionam imitando, ou parcialmente imitando, hormônios que ocorrem naturalmente no corpo humano. Isso pode produzir um excesso de estimulação.

Alguns interferem ou bloqueiam a maneira como os receptores ou hormônios são produzidos ou controlados. Esta interrupção no sistema endócrino pode produzir resultados negativos no desenvolvimento infantil ou nos sistemas reprodutivo, neurológico e imunológico de crianças e adultos.

Existe uma vasta gama de produtos químicos e substâncias que podem causar perturbações endócrinas, sendo que os produtos químicos do bisfenol são apenas um deles.
Pesticidas, intervenções farmacêuticas, compostos semelhantes à dioxina e bifenilos policlorados são apenas alguns destes perturbadores endócrinos que são encontrados em produtos, no abastecimento de água e abastecimento alimentar e que afetam a sua saúde.

Aumenta o Risco de Doenças em Longo Prazo

Embora a exposição durante os períodos pré-natal e da primeira infância possa oferecer um maior risco, os adolescentes e os adultos também correm perigo em relação aos perturbadores endócrinos e aos problemas de saúde subsequentes que podem se desenvolver.

Um estudo recente sobre o impacto dos custos de saúde na Europa demonstrou que o produto químico que é um perturbador endócrino contribuiu para o desenvolvimento de infecções e doenças.

Como seu sistema endócrino é fundamental na regulação do humor, no crescimento e desenvolvimento, nas funções dos tecidos, no metabolismo, bem como na função sexual e nos processos reprodutivos, não é surpreendente que o BPA e os produtos químicos de substituição estejam associados a uma série de condições de saúde diferentes, incluindo:

Danos estruturais ao seu cérebro; hiperatividade, agressividade aumentada e aprendizado prejudicado

Puberdade precoce, estimulação do desenvolvimento da glândula mamária, ciclos reprodutivos interrompidos, toxicidade ovariana e infertilidade

Câncer de mama

Pressão arterial elevada e doença cardíaca

Aumento da formação de gordura e risco de obesidade

Aumento do tamanho da próstata, diminuição da produção de esperma, hipospadias (deformação do pênis), disfunção erétil e estimulação de células de câncer de próstata

Função imunológica alterada

Nascimento prematuro

Diabetes

Redução da eficácia do tratamento quimioterápico

O BPA e seus Substitutos Aumentam o Risco de Obesidade e Diabetes

Como a obesidade é um fator primário no desenvolvimento de muitas das condições de saúde listadas acima, é importante notar que quase 67 por cento das mulheres e 75 por cento dos homens estão com sobrepeso ou obesos atualmente. Estes números representam uma tendência crescente e um risco significativo para a saúde pública.

Embora seja tentador botar a culpa por uma cintura crescente em um ou dois fatores, o metabolismo e o controle de peso são complexos e dependentes de diferentes influências. Em um estudo recente, os pesquisadores descobriram que, a fim de manter o mesmo peso tanto em 2006 quanto em 1988, você teria que comer menos e se exercitar mais.

A conclusão lógica é que um fator ambiental mais prevalente após 1988 está influenciando seu metabolismo. Pesquisas da Health Canada demonstraram que o corpo humano não metaboliza e excreta o BPA, mas sim o transforma em algo que produz células de gordura. Isto confirmou os resultados de múltiplos estudos anteriores que ligam o BPA ao aumento da obesidade.

Um estudo também foi capaz de demonstrar que o BPA não só aumentou o número de células de gordura que se diferenciam de células pré-adiposidade, mas também aumentou a quantidade de gordura dentro das células.

Pesquisas recentes demonstram que o quase idêntico BPS tem algumas das mesmas características. Curiosamente, neste estudo, todas as células expostas ao BPS criaram gordura, mas aquelas que foram expostas a quantidade menor e maior tiveram maior aumento de gordura do que aquelas expostas a quantidades moderadas. A autora sênior do último estudo sobre BPS, Dra. Ella Atlas da Health Canada, comentou os resultados, dizendo:

“Nossa pesquisa indica que o BPS e o BPA têm efeitos comparáveis sobre as células de gordura e seu metabolismo. O estudo é o primeiro a mostrar que a exposição ao BPS pode induzir à formação de células de gordura humana.

Já que o BPS é um dos produtos químicos de substituição utilizados em produtos de consumo que são comercializados como não contendo BPA, é importante examinar se o BPS age como um produto químico perturbador do sistema endócrino. Este estudo mostra que o BPS e o BPA têm efeitos semelhantes na formação de células de gordura, acumulação de lipídios e expressão de genes importantes para o metabolismo lipídico."

Ser "Sem BPA" não tem significado?

Preocupações acerca dos efeitos do BPA sobre a saúde têm feito muitos consumidores procurarem produtos que não contenham BPA. No entanto, a pesquisa indica que os compostos substitutivos utilizados para aumentar a resistência dos plásticos também interferem com os hormônios e representam um risco para a saúde pública.

Em um estudo avaliando os riscos tanto do BPS quanto de um substituto químico secundário, o BPF, os pesquisadores concluíram que eles são tão hormonalmente ativos quanto o BPA.

A estrutura entre estes três produtos químicos é notavelmente semelhante, eles fornecem a mesma estabilidade aos plásticos e criam riscos de saúde semelhantes para os seres humanos. A autora do estudo Dra. Johanna Rochester, pesquisadora do Endocrine Disruption Exchange, comentou:

“De acordo com praticamente toda a literatura que existe sobre estes dois substitutos, eles são hormonalmente ativos de formas semelhantes ao BPA - mecanismos semelhantes, potências semelhantes."

Também se verificou que os produtos rotulados como sendo "sem BPA" liberam resíduos de produtos químicos com atividade estrogênica após terem sido submetidos a testes no mundo real. Os plásticos rotulados como "sem BPA" foram submetidos a aparelhos micro-ondas, expostos a luzes ultravioletas e outros fatores de estresse comuns.

Quase todos os produtos comercialmente disponíveis testados liberaram produtos químicos com atividade estrogênica, incluindo aqueles rotulados como "sem BPA".
Os pesquisadores salientaram que os fabricantes agora têm a capacidade de produzir plásticos sem compostos estrogênicos ativos de uma maneira econômica que reduziria significativamente os riscos para a saúde pública. Então por que eles não fazem isso?

Dê Estes Passos para Reduzir o Risco

Coma Principalmente Alimentos Frescos Integrais

Os alimentos processados e embalados são uma fonte comum de BPA e ftalatos - particularmente latas, mas também alimentos embalados em plástico. As comidas de verdade  são sempre a sua melhor opção.

Compre e Use Vidro

Compre produtos que vêm em garrafas de vidro em vez de plástico ou latas. Armazene seus alimentos e bebidas em vidro e use recipientes de vidro  se for aquecer alimentos no micro-ondas, já que o calor tende a aumentar a liberação de produtos químicos do plástico. Esteja ciente de que mesmo os plásticos livres de BPA normalmente liberam resíduos de outros produtos químicos que perturbam o sistema endócrino e são tão ruins quanto o BPA.

Use mamadeiras de vidro  para seus bebês. Nunca beba café ou chá em copos plásticos e substitua todos os seus copos plásticos por vidro. Evite utensílios de plástico e não use água potável embalada em plástico. Filtre a sua própria água e guarde-a em recipientes de vidro. Não use sacos plásticos de supermercados. Traga a sua sacola própria reutilizável feita de lona ou outra variedade de tecido.

Evite os Envoltórios Plásticos

Se você estiver usando isso para cobrir um recipiente de vidro, não permita que ele toque os alimentos e não  o use no micro-ondas.

 

Tenha Cuidado com Recibos de Caixa Registradora

Se você usar uma loja regularmente, incentive a gerência a mudar para recibos sem BPA. Eu compro comida na Publix e quando eu liguei para eles para falar sobre os recibos descobri que eles já tinham mudado. No entanto, é aconselhável limitar o seu contato com todos estes recibos.

Use Produtos Sustentáveis, Com Certificação de Orgânicos, não OGM

Procure por produtos que sejam ecológicos, sustentáveis, orgânicos e não OGM. Isso se aplica a tudo, desde alimentos e produtos de higiene pessoal a materiais de construção, carpetes, tintas, artigos para bebês, móveis, colchões e outros.

Ao reformar a sua casa, procure alternativas "verdes", livres de toxinas em vez de tintas comuns e revestimentos de vinil, sendo este último outra fonte de ftalatos. Substitua sua cortina do chuveiro de vinil por uma feita de tecido. Não use panelas antiaderentes.

Escolha Cuidadosamente os Brinquedos para as Crianças

Escolha brinquedos feitos de materiais naturais para evitar produtos químicos plásticos como ftalatos e BPA / BPS, particularmente para artigos que seu filho pode estar propenso a chupar ou mastigar.

Amamente Por Pelo Menos um Ano

Amamente seu bebê exclusivamente se possível, pelo menos durante o primeiro ano (assim você evitará a exposição aos ftalatos das embalagens de leite instantâneo e garrafas / bicos de plástico). A amamentação também oferece vantagens adicionais ao seu filho.

Evite Produtos de Limpeza Industrializados

Use produtos de limpeza naturais, ou faça o seu próprio. Você pode limpar a maior parte de sua casa com vinagre branco e bicarbonato de sódio. Existem opções para lenços de papel e amaciadores de tecidos.

Comece a Usar Artigos de Higiene Orgânicos

Comece a usar produtos de higiene orgânicos, incluindo xampu, creme dental, antitranspirantes e cosméticos. O banco de dados Deep Skin da EWG pode ajudá-lo a encontrar produtos de higiene pessoal que sejam livres de ftalatos e outros produtos químicos potencialmente perigosos.

Mude Seus Produtos de Higiene Feminina e Incontinência Urinária

Substitua os produtos de higiene feminina (tampão e absorventes) e produtos para incontinência urinária  por alternativas mais seguras. Embora a maioria dos ingredientes nos produtos de higiene feminina não sejam divulgados, os testes sugerem que podem conter dioxinas e aditivos petroquímicos.

Opte por Produtos Livres de Fragrância

Procure por produtos sem fragrância; ftalatos são frequentemente utilizados para ajudar o produto a manter a sua fragrância por mais tempo. As fragrâncias artificiais também pode conter dezenas de produtos químicos potencialmente tóxicos. Evite amaciantes de roupa, lenços de papel, purificadores de ar e velas perfumadas pela mesma razão.

Teste a Água da Torneira

Verifique a água da torneira de sua casa para ver se ela possui contaminantes e filtre-a se necessário. Você também deve substituir os tubos de PVC do seu abastecimento de água por outro material.

Não Beba da Mangueira

Ensine seus filhos a não beber água da mangueira do jardim, já que muitas são feitas com plásticos contendo ftalato.

Verifique com o Dentista

Verifique se o material usado para restaurações não possui BPA, BPS e BPF.
+ Recursos e Referências