Gratidão — a Chave Secreta para a Saúde e a Felicidade

Gratidão

Resumo da matéria -

  • A gratidão envolve afirmar o bem na sua vida e reconhecer suas fontes. É o entendimento de que a vida não deve nada a você e que as coisas boas da sua vida são presentes que não podem ser tomados como garantidos
  • Um corpo crescente de pesquisas confirma que a gratidão possui vários benefícios potentes para a saúde. Ajuda a melhorar a saúde mental e física, aumenta a satisfação com a vida, combate o estresse e muito mais
  • A gratidão pode ser fortalecida com a prática. Exercícios práticos simples incluem escrever uma carta a alguém por quem você é grato e praticar agradecimentos conscientes pelos próximos sete dias
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Um corpo crescente de pesquisas confirma que a gratidão possui vários benefícios potentes para a saúde. Como observado pelo Dr. P. Murali Doraiswamy, especialista em saúde cerebral e mental:

“Se a [gratidão] fosse um remédio, seria o produto mais vendido do mundo com uma indicação de manutenção de saúde para todos os principais sistemas de órgãos.”

A gratidão realmente altera seu cérebro de várias maneiras benéficas e ajuda a:

  1. Melhorar a saúde física tendo um efeito geral de diminuição da dor, diminuindo a inflamação e o nível de açúcar no sangue, melhorando a função imunológica, a pressão arterial e a saúde do coração e incentivando o autocuidado geral.
  2. Aumentar a felicidade e a satisfação com a vida, diminuindo o estresse e o estresse emocional
  3. Melhorar a resiliência emocional, que também ajuda a combater o estresse e a ansiedade
  4. Melhorar a saúde mental, desencadeando a liberação de antidepressivos e substâncias químicas reguladoras do humor, como a serotonina, dopamina, norepinefrina e ocitocina, enquanto ao mesmo tempo inibe o hormônio do estresse cortisol
  5. Melhorar o sono, que pode ter benefícios de longo alcance para a saúde física e mental

A pesquisa também demonstrou que a gratidão é o único melhor preditor de bons relacionamentos. De fato, muito antes que os cientistas modernos confirmassem esses benefícios, os filósofos da antiguidade defendiam a gratidão como o caminho para a sanidade, a boa saúde e a satisfação com a vida.

Definindo a Gratidão

Eu recentemente terminei de ler “The Little Book of Gratitude” (O Pequeno Livro da Gratidão), de Robert Emmons. É um ótimo livro que eu recomendo se você precisar de inspiração. Nele, o autor declara: “Nós não nos criamos nem nos formamos, e não chegamos onde estamos na vida sozinhos. Portanto, viver com gratidão é viver na verdade. É a abordagem mais precisa e honesta para a vida”.

Segundo Emmons, a gratidão envolve “afirmar o bem e reconhecer suas fontes. É o entendimento de que a vida não me deve nada e todas as coisas boas que possuo são um presente, acompanhado de uma consciência de que nada pode ser tomado como garantido”.

Generosidade e Felicidade Estão Conectadas Uma à Outra Neuralmente

Curiosamente, a generosidade também tem sido associada à felicidade, o que pode parecer contraintuitivo, pois dar a outras pessoas significa sacrificar alguns de seus recursos físicos ou emocionais. Ainda assim, muitos decidem fazê-lo de qualquer maneira — talvez porque eles antecipem a sensação de bem-estar.

Essa experiência foi agora validada pela ciência, demonstrando que a generosidade e a felicidade estão, na verdade, conectadas no seu cérebro.

Infelizmente, muitos subestimam a ligação entre generosidade e felicidade e, de fato, assumem o oposto — que eles serão mais felizes depois de gastar dinheiro consigo mesmos do que com outros, por exemplo.

Agora que você sabe que o contrario é verdade, você pode fazer bom uso dessa pérola de sabedoria. Como autor do estudo, o professor Philippe Tobler, do departamento de economia da Universidade de Zurique, disse em um comunicado: “Você não precisa tornar-se um mártir abnegado para sentir-se mais feliz. Apenas ser um pouco mais generoso será suficiente”.

A Gratidão é uma Forma de Generosidade

A generosidade não precisa necessariamente envolver dinheiro. De fato, a gratidão é uma forma de generosidade, porque envolve oferecer ou estender “algo” a outra pessoa — mesmo que seja apenas uma afirmação verbal de agradecimento.

Afinal, não é a si mesmo que você é grato, mas sim a algo ou alguém fora de si mesmo. Além disso, como observado por Emmons:

“Para que a gratidão exista, aquele que dá deve agir intencionalmente, tipicamente com algum autossacrifício, para dar algo que valha a pena. Aquele que recebe o bem precisa reconhecê-lo como um bem, como algo bom que foi dado gratuitamente.

Então, a gratidão envolve pelo menos três aspectos diferentes da mente. Reconhecemos intelectualmente o benefício, reconhecemos de bom grado esse benefício e apreciamos emocionalmente tanto o bem quanto o doador.

O termo ‘bem’ é importante neste contexto porque estes bens são imerecidos, coisas que não são devidas a nós por quem dá e as quais nós não merecemos…

Quando somos gratos, reconhecemos que não temos nenhuma reivindicação sobre o bem ou benefício recebido, e que este foi concedido livremente por compaixão, generosidade ou amor.

Reconhecer esse bem é o começo da gratidão. A gratidão não é simplesmente uma estratégia ou tática para sentir-se melhor ou para aumentar nossa felicidade pessoal. Ela faz algo muito maior que isso. A gratidão permite que uma pessoa sinta-se bem e também faça o bem.”

Plante Sementes de Gratidão Todos os Dias

Mesmo que você não sinta gratidão agora, saiba que ela pode ser cultivada e fortalecida com a prática. Uma maneira de aproveitar o poder positivo da gratidão é manter um diário de gratidão onde você anota pelo que é grato a cada dia.

Em um estudo de 2015, os participantes que mantiveram um diário de gratidão e refletiram sobre o que eram gratos quatro vezes por semana durante três semanas relataram melhorias na depressão, estresse e felicidade.

Uma intervenção de consciência plena consistindo de um diário de consciência plena e meditação de consciência plena levou a melhorias semelhantes. De fato, é importante lembrar que você recebe mais daquilo em que se concentra, portanto, então esteja consciente em relação aos tipos de pensamentos que você entretém — especialmente à noite. Emmons sugere:

“Depois de ir para a cama, mas antes de dormir, tente concentrar-se em pensamentos agradáveis ​​— coisas boas acontecendo com sua família ou amigos; os sons suaves do seu quarto; quão afortunado você é de estar com uma boa saúde; planos futuros, como feriados ou uma viagem futura; coisas agradáveis ​​que você fez durante os últimos dias; quão relaxado você está sentindo-se; coisas boas que outras pessoas fizeram para você…

O neurocientista Rick Hanson disse que o cérebro toma forma a partir do que a mente pensa quando descansa. Se você for para a cama com preocupações, tristeza, desconforto e angústia, o cérebro começará a tomar uma forma neurológica de ansiedade, depressão e raiva.

Peça ao seu cérebro para agradecer e ele ficará melhor em encontrar coisas pelas quais ser grato e começará a tomar a forma da gratidão.

Tudo o que fazemos cria conexões dentro das redes do cérebro, e quanto mais você repetir alguma coisa, mais fortes serão essas conexões. A mente pode mudar o cérebro de formas duradouras. Em outras palavras, o que flui através da mente esculpe o cérebro.”

Evitar ser sugado por más notícias é o outro lado dessa equação. Você pode ter de limitar sua exposição à mídia se achar difícil manter uma perspectiva positiva diante dos eventos mundiais. As técnicas de libertação emocional (Emotional Freedom Techniques-EFT) podem ser uma ferramenta útil se você luta contra o pessimismo.

As EFT são uma forma de acupressão psicológica baseada nos meridianos de energia usados na acupuntura. É uma maneira eficaz de restaurar rapidamente o equilíbrio e cura internos e ajuda a livrar sua mente de pensamentos e emoções negativas. No vídeo abaixo, a praticante de EFT Julie Schiffman demonstra como usar a gratidão.

Práticas Simples que Fortalecem seu Músculo da Gratidão

Em conclusão, segue uma lista de sugestões resumidas do livro de Emmons, “The Little Book of Gratitude” que ajudará a fortalecer seu senso de gratidão:

  • Concentre-se na benevolência de outras pessoas em vez de concentrar-se em si mesmo. Se o fizer, aumentará a sua sensação de ser apoiado na vida e diminuirá ansiedades desnecessárias. Apreciar a bondade dos outros também significa que será menos provável que você desvalorize-os.
  • Concentre-se no que recebeu e não no que foi retido. “O modo ‘excedente’ aumentará nossos sentimentos de valor; o modo ‘déficit’ irá levar-nos a pensar como nossa vida é incompleta”, diz Emmons.
  • Reconheça suas emoções positivas em vez de suprimi-las. “A gratidão recruta outras emoções positivas, como alegria, contentamento e esperança, e estas produzem benefícios físicos diretos através dos sistemas imunológico ou endócrino”, escreve Emmons. “Uma perspectiva de gratidão na vida é um destruidor de estresse, portanto pessoas gratas estão mais preparadas do que outras para lidar com incertezas, ambiguidades e situações que provocam ansiedade.”
  • Evite comparar-se com outras pessoas que você pensa que possuem mais vantagens. Fazer isso só irá corroer seu senso de segurança. Como Emmons observa: “Querer mais está relacionado ao aumento da ansiedade e da infelicidade. Uma comparação mais saudável é contemplar como seria a vida sem um prazer que você agora desfruta… A gratidão o protege das emoções que impulsionam a ansiedade. Você não pode ser grato e invejoso, ou grato enquanto abriga arrependimentos”.
  • Dê crédito a outras pessoas enquanto reconhece suas próprias contribuições. Expressar gratidão não é algo condicional. Ser grato pela ajuda de alguém não anula suas próprias contribuições.

Emmons também inclui vários exercícios práticos em seu livro. Aqui estão dois que ajudarão você a flexionar seus músculos da gratidão:

1. Escreva uma carta para uma pessoa por quem você sente-se grato. “Descreva especificamente por que você é grato, como ele ou ela afetou sua vida, e com que frequência você reflete sobre seus esforços”, sugere Emmons. “Se você sentir que pode entregar a carta pessoalmente, marque uma visita, mas não diga para que é a visita.

Leia sua carta em voz alta para o destinatário. Esteja preparado para ter seu coração tocado e ver o coração da outra pessoa também ser tocado. Permita-se abrir e experimentar o que a experiência trouxer aos dois, e passe algum tempo conversando sobre isso com seu amigo”.

2. Pratique o agradecimento consciente por sete dias seguidos. “Quando agradecer a alguém que fez algo por você, seja por algo grande ou pequeno, seja específico, comente sobre o esforço feito e o custo, e mantenha o foco nessa pessoa”, sugere Emmons. “Por exemplo, ‘Obrigado por trazer o meu chá na cama. Eu realmente aprecio você levantar cedo todos os dias. Você é tão atencioso’. A chave para isso ser eficaz é conseguir a separação entre o ato de bondade e sua expressão”.