A Magia dos Cogumelos

Cogumelo e extrato de cogumelo

Resumo da matéria -

  • Cogumelos são o fruto do micélio, que é uma rede celular parecida com uma teia de aranha dentro do solo
  • Polissacarídeos de cadeia longa, particularmente moléculas de alfa e betaglucano, encontrados no cogumelo, são responsáveis pelo efeito benéfico do cogumelo sobre o sistema imunológico
  • Extrato de cogumelo Reishi pode ajudar na redução da obesidade modulando a composição da microbiota intestinal
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Não há, talvez, qualquer outra fonte alimentar envolvida por tal mistério e magia como os cogumelos. No vídeo disponível apenas em Inglês, o micólogo Paul Stamets fornece uma amostra de algumas das funções que os cogumelos medicinais desempenham sobre a saúde, tais como ativação do sistema imunológico e combate potencial ao câncer.

Os cogumelos podem até mesmo ajudar a salvar o mundo:

  • Restaurando o habitat devastado pela poluição
  • Naturalmente combatendo vírus da gripe e outras doenças
  • Matando formigas e outros insetos sem usar pesticidas
  • Produzindo um combustível sustentável

Cogumelos são, na verdade, o fruto do micélio, rede celular “filamentosa parecida com a teia de aranha”. Conforme explicado por Stamets:

“O micélio ‘teia de aranha’ exala enormes conjuntos de enzimas, agentes antimicrobianos e compostos antivirais, pois ele desenvolve-se no solo embaixo de nossos pés e em florestas ao nosso redor. O micélio é a fundação celular de nossa cadeia alimentar, criando solos ricos tão necessários para a vida.

O micélio é uma membrana digestiva que também destrói diversos resíduos ambientais tóxicos e gerou uma nova ciência — chamada ‘Micorremediação’, que em parceria com o micélio melhora a saúde ambiental — dentro e fora de nosso corpo.”

Quando o micélio produz seus frutos, os cogumelos resultantes duram apenas alguns dias deixando os caçadores de cogumelo selvagem ansiosos.

A Caça ao Cogumelo não é para os Fracos

Ao escrever para o The New York Times, a mestre da Universidade de Cambridge, Helen Macdonald, explica algumas magias — e perigos — que uma pessoa pode experimentar ao caçar cogumelos:

“Quando você colhe fungo comestível, seu conhecimento na identificação dele é tudo que o(a) mantém distante da morte ou de doenças graves. Existe um lado atrevido em tal ato, um senso de repetido risco à vida contra possibilidades terríveis.

A voga de hoje por alimentos selvagens, impulsionada em parte por chefs forrageiros famosos e por um nostálgico desejo de reconexão com o mundo natural, tem resultado em alguns guias populares que apresentam uma seleção de espécimes comestíveis e venenosos.

Nick [mestre emérito de história da ciência e micólogo amador] pensa que eles são irresponsáveis, até mesmo perigosos. ‘Eles não explicam toda a gama de coisas pelas quais você pode passar’, adverte ele.

Muitos fungos tóxicos lembram muito de perto os comestíveis e diferenciar cada um deles requer exame cuidadoso, determinação persistente e inspeção de esporos manchados e medidos sob a lâmpada de um microscópio”.

Cogumelos variam incrivelmente em formato, cor, textura, até mesmo entre membros da mesma espécie. Somando a seu mistério, das 140.000 espécies de fungos formadores de cogumelos, a ciência está familiarizada com apenas 10%, de acordo com Stamets.

O Micélio Mágico

Cogumelos são o sistema de reciclagem da natureza. Se não fosse pelos cogumelos, não teríamos plantas, porque os cogumelos (e seu “parente” micélio) destroem rochas e matéria orgânica, transformando-as em solo que fornece estrutura para nutrir as plantas.

Eles ainda ajudam na formação da chuva (assista ao vídeo acima e descubra como). Quando dois micélios compatíveis unem-se, o micélio resultante ocasionalmente forma corpos de frutificação denominados cogumelos.

Os cogumelos formam esporos que voam para formar novas colônias miceliais, completando o ciclo de vida. Redes miceliais podem ser pequenas demais para ser vistas ou cobrirem grandes áreas do solo.

Sua tenacidade extrema torna o solo esponjoso e capaz de suportar 30.000 vezes seu peso. Dois centímetros e meio podem conter 12 quilômetros de células miceliais. O maior organismo vivo na Terra é um micélio no Leste do Oregon que cobre 2.200 acres, tem espessura de uma parede celular e 2.000 anos de idade.

Stamets acredita que os micélios fúngicos e a rede intrincada e ramificada que ela forma funciona como “internet da Terra”, uma rodovia de comunicação complexa que é um tipo de rede neural da Mãe Natureza. De certa forma, o micélio é “sensível” e parece demonstrar aprendizado.

Se uma via for rompida, ela desenvolve uma via alternativa. De acordo com Stamets, quando você pisa nele, ele sabe que você esteve lá e “salta” na sequência de sua pegada, tentando pegar o rastro. O micélio — não apenas os cogumelos — contém diversos dos agentes de cura pelos quais os cogumelos são reverenciados.

Alguns suplementos oferecem outro benefício que é a inclusão do micélio do cogumelo em seus benefícios à saúde, incluindo melhora potencial na produção de energia e foco.

Os Cogumelos Podem Combater ou Evitar o Câncer?

Cerca de 100 espécies de cogumelos estão sendo estudadas por seus benefícios promovidos à saúde. Destas 100, cerca de meia dúzia destaca-se por sua capacidade em promover uma tremenda melhora para seu sistema imunológico, que pode, por sua vez, ajudar no combate ou prevenção do câncer.

Polissacarídeos de cadeia longa, particularmente moléculas de alfa e beta-glucano, são primariamente responsáveis pelo efeito benéfico dos cogumelos sobre o sistema imunológico. Em um estudo realizado, a adição de uma ou duas porções de cogumelos shiitake secos demonstrou promover efeito modulador benéfico sobre a função do sistema imunológico.

Um cogumelo em particular, Cordyceps, também chamado fungo caterpillar ou Tochukasu, possui propriedades antitumorais. Este cogumelo parasitário é único porque, na selva, ele desenvolve-se a partir de um inseto hospedeiro em vez de uma planta hospedeira. Este tem sido usado por muito tempo tanto na medicina tradicional chinesa quanto na tibetana.

Cientistas da Universidade de Nottingham estão estudando o cordycepin, um dos compostos medicinais ativos encontrados nestes fungos, como medicamento potencial contra o câncer. Uma proteína extraída de cogumelos cauda de peru também está sendo usada para melhorar a função imunológica de pacientes com câncer em países incluindo o Japão. Cogumelos podem também promover efeitos anticancerígenos diretos. Por exemplo:

  • Em um estudo Japonês feito com animais, ratos que sofriam de sarcoma tiveram administrado extrato de cogumelo shiitake. Seis entre dez ratos tiveram regressão total do tumor e com concentrações levemente maiores, todos os 10 ratos tiveram regressão total do tumor
  • O composto lentinano encontrado em cogumelos shiitake demonstrou aumentar a taxa de sobrevivência de pacientes com câncer
  • Extratos de cogumelos maitake, quando combinados com vitamina C, demonstraram reduzir o crescimento de células cancerígenas na bexiga em 90%, e também matá-las
  • No Japão as duas principais formas de medicina alternativa usadas por pacientes com câncer são um cogumelo chamado Agaricus subrufescens e o extrato do cogumelo shiitake
  • O ácido ganodérico encontrado em cogumelos Reishi pode ser útil no tratamento de câncer de pulmão

Cogumelos Reishi Podem Reduzir Obesidade Modulando as Bactérias Intestinais

O ganoderma lucidum é um cogumelo medicinal comumente conhecido como lingzhi na China e reishi no Japão. Um de seus compostos mais úteis é o ácido ganodérico (um triterpenoide), que está sendo usado para o tratamento de câncer de pulmão, leucemia e outros tipos de câncer.

O cogumelo ajuda na redução da obesidade

No entanto, ele também apresenta promessa para ajudar na redução da obesidade. Ratos alimentados com dieta não saudável obtiveram 42 gramas em peso após dois meses. No entanto, quando os ratos também foram alimentados com uma alta dose de extrato de cogumelo, eles obtiveram somente 35 gramas. Níveis de inflamação e de resistência à insulina também foram reduzidos.

Acredita-se que o extrato de cogumelo reishi reduz a obesidade em ratos modulando a composição de sua microbiota intestinal. O cogumelo age como uma forma de prebiótico que incentiva o crescimento de micróbios benéficos. De acordo com Stamets:

“A seleção de bactérias promovida pelo micélio, na produção de grupos de micróbios, é essencial para a sobrevivência do micélio. O micélio escolhe grupos de bactérias que não somente ajudam a digerir o alimento, e afastar predadores, mas também ajudam comunidades vegetais que dão origem a ecossistemas nos quais o micélio reside, assim os frutos (cogumelos) podem ser produzidos.

Isto significa que produtos baseados em micélio podem ajudar na digestão e ajudar na promoção de bactérias benéficas em nosso microbioma. De grande interesse é que sabemos agora que os cogumelos são prebióticos para o microbioma — aumentando o crescimento de bactérias benéficas, tais como Acidophilus e Bifidobacterium.

Pesquisa realizada recentemente mostra que o consumo de cogumelos Reishi e Cauda de Peru não somente melhora o sistema imunológico como também equilibra o microbioma em favor destas bactérias benéficas, resultando em melhor digestão e, incrivelmente, potencial perda de peso!”

Principais Componentes Bioativos dos Cogumelos

A maioria dos cogumelos é composta por cerca de 90% de água em peso, porém o que compõe os restantes 10% não é nada menos incrível. Cogumelos contêm proteína, fibra e pequena quantidade de gordura, juntamente com vitaminas e minerais incluindo potássio, cálcio, fósforo, magnésio, selênio e zinco.

Eles também contêm diversas moléculas bioativas, incluindo terpenoides, esteroides, fenóis e todos os aminoácidos essenciais (são especialmente boas fontes de lisina e leucina). Cogumelos também contêm polissacarídeos, que possuem uma variedade de propriedades, incluindo:

  • Anti-inflamatória
  • Hipoglicêmica
  • Antiúlcera
  • Antitumoral
  • Imunoestimulante

Fica fácil entender por que cogumelos têm sido valorizados por suas propriedades medicinais por séculos. No Egito antigo, por exemplo, acreditava-se que cogumelos traziam vida longa e, hoje, sabemos que isto pode ser devido a seus diversos fitoquímicos benéficos e outros compostos que eles contêm.

De acordo com Herbal Medicine: Biomolecular and Clinical Aspects (Medicina Herbácea: Aspectos Biomoleculares e Clínicos) com relação ao cogumelo reishi, por exemplo:

“… existem dados que apoiam seus benefícios positivos à saúde, incluindo efeitos anticancerígenos; regulação da glicose no sangue; efeitos antioxidantes, antibacterianos e antivirais; e proteção contra ferimentos hepáticos e gástricos.”

Existem antioxidantes que são, inclusive, únicos em cogumelos. Um desses antioxidantes é a ergotioneína, a qual cientistas agora estão começando a reconhecer como um “super antioxidante”. Cogumelos também oferecem nutrientes valiosos dos quais muitas pessoas são deficientes, incluindo vitaminas do complexo B, como riboflavina, niacina e ácido pantotênico.

Uma análise dietética demonstrou que o consumo de cogumelos foi associado a melhor qualidade dietética e nutrição melhorada. O betaglucano encontrado em cogumelos atua no metabolismo da gordura e pode ajudar no apoio a níveis saudáveis de colesterol. Para outras informações, veja o infográfico abaixo.