“Boas Bactérias Intestinais” Podem Ajudar a Combater a Obesidade

Kefir e morangos frescos

Resumo da matéria -

  • A ingestão diária de uma forma específica de bactérias do ácido láctico pode ajudar a prevenir a obesidade e reduzir a inflamação de nível baixo.
  • Os ratos que receberam a bactéria desde antes do nascimento até a idade adulta ganharam significativamente menos peso do que outros ratos, embora ambos os grupos de ratos tenham tido uma dieta semelhante.
  • A UPI relata que: “O estudo revelou que os ratos que receberam lactobacilos tinham uma composição mais rica e melhor das bactérias que ocorrem naturalmente nos intestinos. Uma flora intestinal saudável deve conter uma grande proporção de bactérias boas”.
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Uma das razões pelas quais os alimentos fermentados são tão benéficos é que eles contêm bactérias do ácido láctico; um tipo de bactéria intestinal benéfica que a pesquisa demonstrou ser capaz de ajudar você a permanecer magro. Há muito tempo eu afirmo que geralmente é uma boa escolha “replantar” no seu corpo boas bactérias de tempos em tempos, tomando um suplemento probiótico de alta qualidade ou comendo alimentos tradicionalmente fermentados não pasteurizados como:

  • Lassi (uma bebida de iogurte indiano, tradicionalmente consumida antes do jantar)
  • Leite fermentado, como o kefir
  • Várias fermentações em conserva de repolho, nabos, berinjela, pepino, cebola, abóbora e cenoura
  • Natto (soja fermentada)

Mais Pesquisas Demonstram que suas Bactérias Intestinais Afetam seu Peso

Quando os ratos receberam bactérias do ácido láctico, desde o útero até a idade adulta, eles ganharam significativamente menos peso do que outros ratos que consumiram a mesma dieta de alto teor calórico. Eles também tinham níveis mais baixos de inflamação menor, que tem sido associada à obesidade.

Da mesma forma, nos bebês humanos, bactérias intestinais também demonstraram ter um impacto no peso. Um estudo descobriu que bebês com altos números de bifidobactérias e baixas quantidades de Staphylococcus aureus — que podem causar inflamação de baixo nível no seu corpo, contribuindo para a obesidade — pareciam estar protegidos do ganho excessivo de peso.

Esta pode ser uma das razões pelas quais os bebês amamentados têm um risco menor de obesidade, já que as bifidobactérias florescem no intestino dos bebês que mamam no peito. Este é apenas o começo da pesquisa demonstrando que pessoas magras tendem a ter quantidades maiores de várias bactérias saudáveis em comparação com pessoas obesas.

Uma Consideração Importante se Você está tendo Dificuldades para Perder Peso

Dois outros estudos descobriram que os indivíduos obesos tinham cerca de 20% mais de uma família de bactérias conhecidas como firmicutes e quase 90% menos de uma bactéria chamada de bacteroidetes do que pessoas magras. Os firmicutes ajudam seu corpo a extrair calorias dos açúcares complexos e depositar essas calorias na gordura.

Quando esses micróbios foram transplantados em ratos com peso normal, esses ratos começaram a ganhar o dobro de gordura. Portanto, esta é uma explicação para a forma como a microflora no seu intestino pode desempenhar um papel fundamental no controle de peso.

Ainda outro estudo demonstrou que pessoas obesas foram capazes de reduzir sua gordura abdominal em quase 5%, e sua gordura subcutânea em mais de 3%, apenas ao beber uma bebida de leite fermentado rico em probióticos por 12 semanas. Dado que o grupo de controle não sofreu nenhuma redução significativas de gordura durante o período do estudo, este é mais um ponto positivo a favor dos probióticos.

Também identificou-se que os probióticos beneficiam a síndrome metabólica, que muitas vezes acompanha a obesidade. Isso faz sentido, uma vez que ambos são causados por uma dieta rica em açúcares e gorduras insalubres, o que leva à resistência à insulina, estimula o crescimento de bactérias nocivas e o aumento do excesso de peso. Os probióticos até mesmo aparentam ser benéficos em ajudar as mulheres a perder peso após o parto quando tomados no primeiro trimestre através da amamentação.

Você Sabia que seu Intestino é TÃO Importante?

Muitas pessoas pensam em seu intestino como um mecanismo simples para digerir alimentos, mas essa é uma análise totalmente inadequada. Seu intestino é literalmente seu segundo cérebro bem como o lar de 80% do seu sistema imunológico.

Os microrganismos que vivem no seu trato digestivo formam um “ecossistema interno” muito importante que influencia inúmeros aspectos da saúde. Mais especificamente, o tipo e a quantidade de organismos no seu intestino interagem com o seu corpo de maneiras que podem prevenir ou encorajar o desenvolvimento de muitas doenças, incluindo doenças cardíaca e diabetes.

Você pode estar familiarizado com alguns dos sinais mais esperados de que você precisa cuidar do balanço das suas bactérias intestinais, como:

Gases e inchaço

Constipação ou diarreia

Náusea

Dores de cabeça

Fadiga

Ter vontade de açúcar e desejos por alimentos ricos em carboidratos refinados

Estes são todos sinais de que bactérias nocivas estão ocupando uma boa parte do seu intestino, e esses sinais de alerta devem ser levados a sério, já que um intestino saudável é o seu sistema de defesa número um contra TODAS as doenças.

Uma proporção saudável de bactérias intestinais boas a ruins também é essencial para:

  • Desenvolvimento adequado e função do seu sistema imunológico
  • Proteção contra o crescimento excessivo de outros microrganismos que podem causar doenças
  • Digestão de alimentos e absorção de nutrientes

Os probióticos no seu intestino também desempenham um papel em ajudar várias funções corporais, como:

  • Digerir e absorver certos carboidratos
  • Produzir vitaminas, absorver minerais e eliminar toxinas
  • Manter bactérias ruins sob controle
  • Prevenção de alergias

O Melhor Passo para Otimizar Suas Bactérias Intestinais E Perder Peso…

Evite consumir açúcar, incluindo frutose, e alimentos processados (pois praticamente todos contêm açúcar e frutose). Os açúcares servem como combustível para o crescimento de bactérias anaeróbias patogênicas, fungos e leveduras, e inibem competitivamente suas bactérias boas, tendendo a afastá-las de seu nicho apropriado.

Estas bactérias patogênicas, fungos e leveduras produzem resíduos metabólicos que causam a deterioração da saúde. Quando você tem dieta saudável, baseada no seu tipo nutricional, que é baixa em açúcares e alimentos processados, ela automaticamente ajuda a permitir que as bactérias benéficas no seu intestino floresçam.

Ao mesmo tempo, limitar a frutose é essencial não apenas para a composição de suas bactérias intestinais, mas também diretamente para o seu peso. A frutose engana seu corpo a ganhar peso, enganando o seu metabolismo, uma vez que ela desliga o sistema de controle de apetite do seu corpo. A frutose não estimula apropriadamente a insulina, que por sua vez não suprime a grelina (o “hormônio da fome”) e não estimula a leptina (o “hormônio da saciedade”), que juntos resultam em você comer mais e desenvolver resistência à insulina.

Por que Manter suas Bactérias Intestinais em Equilíbrio é um Processo Contínuo

As bactérias intestinais são uma parte ativa e integrada do corpo e, como tal, são vulneráveis ao seu estilo de vida. Se você comer muitos alimentos processados, por exemplo, suas bactérias intestinais serão comprometidas porque os alimentos processados em geral irão destruir a microflora saudável e alimentar bactérias e leveduras ruins.

Suas bactérias intestinais também são muito sensíveis a:

  • Antibióticos
  • Água clorada
  • Sabonete antibacteriano
  • Produtos químicos agrícolas
  • Poluição

Como praticamente todos nós estamos expostos a eles pelo menos ocasionalmente, garantir que suas bactérias intestinais permaneçam equilibradas deve ser considerado um processo contínuo. Alimentos cultivados de leite cru como iogurte e kefir, alguns queijos e chucrute são boas fontes de bactérias naturais e saudáveis, desde que não sejam pasteurizados.

Portanto, minha forte recomendação a praticamente todos que estiverem lendo este artigo é que busquem fazer dos alimentos cultivados uma parte regular de sua dieta; essa pode ser sua principal estratégia para otimizar as boas bactérias do seu corpo.