A Nutrição da Bactéria Intestinal é Essencial Para a Saúde e Para o Bem-Estar Mental

Probióticos

Resumo da matéria -

  • Uma das melhores e mais baratas formas de melhorar seu microbioma intestinal é o consumo de alimentos fermentados tradicionalmente e ricos em fibras. Suplementos probióticos podem também ser benéficos
  • Um dos motivos pelos quais uma dieta saudável é capaz de influenciar sua saúde é a criação de um ambiente ideal para as bactérias benéficas no intestino e, ao mesmo tempo, reduzir bactérias, fungos e leveduras patogênicos ou causadores de doenças
  • Se você tiver que tomar um antibiótico, certifique-se de também consumir um probiótico de alta qualidade. Para garantir a sobrevivência das bactérias, tome o probiótico algumas horas antes ou depois de tomar o antibiótico
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Dificilmente passa-se um dia sem que algum tipo de anúncio na mídia observe a importância da flora intestinal.

Uma das melhores e mais baratas formas de melhorar o microbioma intestinal é eliminar açúcares e açúcares processados e consumir alimentos tradicionalmente fermentados, porém suplementos probióticos podem também ser benéficos.

Greg Leyer, Ph.D. em Microbiologia Alimentar, é Diretor Chefe Científico dos Laboratórios UAS, fabricante dedicado de probióticos, e apaixonado por probióticos e saúde por mais de duas décadas.

“Tornei-me interessado em microbiologia e passei minha carreira estudando bactérias patogênicas, aquelas bactérias que queremos evitar e que nos fazem ficar doentes”, diz ele.

Começa com Alimentos de Verdade

Evidências crescentes revelam que há mais na nutrição do que se pensava anteriormente – um importante componente disso gira em torno da alimentação de bactérias promotoras da saúde no organismo mantendo, desta forma, micróbios nocivos sob controle.

Probióticos são suplementos desenvolvidos para aumentar as bactérias benéficas, cuja maior concentração encontra-se no intestino. Diferentes tipos de bactéria vivem em diferentes locais do trato gastrointestinal. Você também possui bactérias residindo em outras áreas do organismo, como boca e pele.

Embora os suplementos probióticos promovam benefícios e desempenhem sua função, é importante – antes de tomar um suplemento – melhorar as condições do local onde estas bactérias benéficas desenvolvem-se.

Um dos motivos pelos quais uma dieta saudável é capaz de influenciar sua saúde é o fato de ela ajudar a criar um ambiente ideal para as bactérias benéficas no intestino, ao mesmo tempo em que reduz bactérias, fungos e leveduras patogênicos ou causadores de doenças.

“Consumo saudável” basicamente significa consumo de alimento de verdade, ou seja, evitar alimentos processados e ficar longe de açúcares, porque poucas coisas fertilizam e aceleram o crescimento de micróbios patogênicos além do açúcar.

A Importância dos Probióticos ao Tomar um Antibiótico

Infelizmente, a Food and Drug Administration (FDA) dos EUA limita os fabricantes de suplementos sobre fazer certas alegações com relação à saúde; por exemplo, você não pode comercializar um probiótico dizendo: “Este produto é indicado para consumo após o antibiótico”, porque isto poderia induzir o pensamento de que os antibióticos podem fazer mal a você de certa forma.

Como resultado destas limitações, a menos que você passe bastante tempo lendo sobre o assunto, você pode não estar familiarizado com os diversos benefícios promovidos por probióticos.

“Há muita pesquisa relevante que não podemos tratar no rótulo de um produto”, observa Leyer. “Uma das áreas emocionantes é a função da bactéria saudável quando coprescrita juntamente com um antibiótico e o efeito que ela promove mantendo populações saudáveis no intestino.

Antibióticos são criteriosos para bactérias, não para vírus, porém não são extremamente criteriosos para um determinado tipo de bactéria. Antibióticos — e diversos estudos mostraram isto – promoverão um tremendo efeito prejudicial sobre a comunidade microbiana em geral.

Eles matarão o organismo alvo que pode estar causando a infecção, o que é bom; porém, eles também vão fazer muito estrago nas populações de bactérias boas que vivem ali.

Estudos realizados mostraram que quando você coadministra probióticos com antibióticos e continua a administração com probióticos mesmo depois de parar com o regime antibiótico, você será rapidamente capaz de restaurar aquela comunidade microbiana a seu estado saudável anterior ao tratamento com antibióticos. ”

Diretrizes para o Consumo de Probióticos com Antibióticos

Se você está tomando um antibiótico, não consuma o probiótico simultaneamente, pois o antibiótico é capaz de matar as bactérias. Em vez disso, consuma o probiótico algumas horas antes ou depois de consumir o antibiótico. Pelos resultados da pesquisa clínica realizada por Leyer, esta estratégia parece funcionar muito bem.

A levedura saccharomyces, um tipo benéfico de levedura, pode também ser útil ao longo do tratamento feito com antibióticos, pois ela demonstrou evitar a diarreia associada aos antibióticos.

Os Perigos dos Antibióticos no Suprimento Alimentar

Antibióticos medicinais não são a única fonte de exposição. Cerca de 80 por cento de todos os antibióticos vendidos nos EUA são, na verdade, usados na criação de gado para engordar os animais e evitar doenças.

Portanto, a menos que você compre carne orgânica proveniente de animal alimentado com grama, você está provavelmente ingerindo ínfimas quantidades de antibióticos em cada hambúrguer e bife que você consome.

Esta contínua exposição a doses baixas promove a inconveniente resistência a antibióticos. A função dos antibióticos na promoção (em vez do tratamento) de doenças está vagarosamente ganhando atenção.

Não há dúvida de que antibióticos têm salvo vidas. Porém, se você cuidadosamente analisar e objetivamente determinar seu impacto verdadeiro, você concluirá que eles promoveram mais danos do que boas ações. Leyer cita o livro “Missing Microbes: How the Overuse of Antibiotics Is Fueling Our Modern Plagues” (Falta de Micróbios: Como o Uso Excessivo de Antibióticos está Alimentando Nossas Pragas Atuais – em tradução livre), escrito pelo Dr. Martin Blaser, que apresenta a teoria de que muitas de nossas atuais epidemias de doenças podem estar enraizadas no efeito prejudicial que os alimentos modernos promovem em nosso microbioma.

Probióticos para Prevenção do Intestino Permeável e Mais

O intestino permeável ocorre quando há um rompimento nas interconexões entre as células dos intestinos. Pequenas cavidades ou lacerações podem desenvolver-se permitindo que partículas de alimentos entrem no fluxo sanguíneo, causando resposta autoimune.

É um problema grave e conheço várias pessoas que quase foram a óbito por causa dele. Existem diversas causas para o intestino permeável, porém qualquer que seja a causa, uma das soluções mais poderosas é o consumo de caldo de osso orgânico caseiro e vegetais fermentados. Certos suplementos probióticos podem também ser úteis.

As funções imunológicas dos probióticos foram também extensivamente testadas. Por exemplo, em idosos, os probióticos podem ajudar no aumento da atividade das células imunológicas que combatem células cancerígenas.

O mecanismo envolvido aqui é a orquestração dos mensageiros químicos imunológicos chamados citocinas. Porém, há ainda muito a ser estudado sobre os mecanismos exatos através dos quais os probióticos influenciam a saúde.

Probióticos e o Eixo Intestino-Cérebro

Tornou-se bastante claro que os benefícios promovidos pelos probióticos transcendem o intestino. Estudos realizados mais recentemente analisaram a função da bactéria intestinal no funcionamento do eixo intestino-cérebro e como eles beneficiam sua saúde mental e psicológica. Ansiedade, depressão e outros problemas de disposição são cada vez mais reconhecidos por estar, em parte, relacionados ao desequilíbrio do microbioma.

Probióticos parecem possuir capacidade para produzir compostos chamados neuropeptídeos que interagem diretamente com seu cérebro. Probióticos certamente influenciam o sistema imunológico de forma a modular inflamações que possuem interações com e podem atravessar a barreira hematoencefálica.

Tome Cuidado com as “Tranqueiras” Probióticas

Como regra geral, acredito que a maioria das pessoas seria capaz de obter a maior parte de seu suplemento nutricional a partir de alimentos de verdade. Este é certamente o caso de bactérias benéficas, porque existem diversos bons alimentos fermentados que as fornecem.

Um dos meus maiores incômodos quando se trata de alimentos probióticos é o iogurte, porque a maioria deles não mais é do que um “alimento de plástico” cremoso. O Instituto Cornucopia publicou um Guia para Compradores de Iogurte e Tabela de Desempenho com o qual você pode obter mais informações sobre suas marcas favoritas.

Muitas das pessoas que procuram melhorar sua saúde compram iogurte comercial na mercearia ou no supermercado pensando que estão beneficiando a si mesmas quando, na verdade, elas não estão. Eles ficariam muito melhor consumindo um suplemento probiótico, pois dessa forma evitariam açúcares e outros aditivos não saudáveis. Exceção a esta regra é o iogurte tradicionalmente feito a partir de leite orgânico cru.

Iogurtes comerciais geralmente contêm de 25 a 30 gramas de açúcar por porção, atendendo ou excedendo a quantidade diária recomendada de açúcar para o dia todo!

A quantidade de probióticos que você obterá com os iogurtes comerciais fica também muito abaixo do que você obteria de um suplemento probiótico de alta qualidade. Um iogurte comercial pode fornecer milhões de células probióticas, o que parece bastante, porém, se você consumir um suplemento de alta qualidade, você obterá dezenas de bilhões de probióticos – quantidades maiores em três ordens de magnitude. Portanto, com relação a isso, um suplemento é claramente mais significativo e possui melhor custo-benefício.

Diretrizes Probióticas

Fatores a serem observados quando tentar identificar um suplemento probiótico de alta qualidade:

Certifique-se de ser de marca com boa reputação. Se você confia nos produtos fabricados por uma determinada empresa, possivelmente ela está fazendo um ótimo trabalho com a produção de probióticos também.

Procure por contagem de potencialidade (unidades formadoras de colônias ou UFCs) no valor de 50 bilhões ou acima. Este é o número de bactérias presentes por dose.

Declaração de prazo de validade, ou seja, prazo de validade das UFCs. Evite cápsulas que declaram somente o número de UFCs na data de fabricação. Produtos alimentícios devem estar envasados em embalagem que possam ser fechadas novamente e armazenadas conforme indicação.

Procure por produtos que contenham múltiplas espécies de bactérias, pois a alta diversidade tende a estar associada à melhor saúde. Sendo assim, produtos que contêm espécies de Lactobacillus e Bifidobactéria são geralmente recomendados.

Exemplos são: Lactobacillus acidophilus e Lactobacillus plantarum. Estes organismos residem predominantemente no intestino delgado ou no trato gastrointestinal superior (GI) onde a maioria das células imunológicas vive. A bifidobactéria, por outro lado, reside no intestino grosso ou intestino inferior, que é outro local essencial associado à saúde. Bifidobacterium lactis, Bifidobacterium longum e Bifidobacterium bifidum são importantes.

Procure marcas sem GMO (organismos geneticamente modificados).

Certifique-se de que seja fabricado de acordo com as Boas Práticas de Fabricação (BPF) em vigor.

Melhorar o Microbioma é uma Estratégia Potente de Prevenção de Doenças

O que fazer O que evitar

Consuma bastante alimento fermentado. Opções saudáveis são lassi, leite orgânico proveniente de animal alimentado no pasto, como kefir, natto (soja fermentada) e vegetais fermentados.

Antibióticos, a menos que sejam absolutamente necessários e, quando você os consumir, certifique-se de replantar seu intestino com alimentos fermentados e/ou com suplemento probiótico de alta qualidade.

Consuma um suplemento probiótico. Embora eu não seja um grande defensor do consumo de muitos suplementos (pois acredito que a maior parte de seus nutrientes deva ser obtida através dos alimentos), probióticos são uma exceção se você não consome alimentos fermentados regularmente

Carnes provenientes de animais criados convencionalmente e outros produtos provenientes de animais, pois animais CAFO são rotineiramente alimentados com baixas doses de antibióticos, além de grãos geneticamente modificados carregados com glifosato, que é amplamente conhecido por matar muitas bactérias.

Aumente o consumo de fibras solúveis e insolúveis, focando em vegetais, castanhas e sementes, incluindo sementes germinadas.

Água clorada e/ou fluoretada. Especialmente em seu banho, pois é pior do que bebê-la.

Suje suas mãos no jardim. A exposição a bactérias e vírus pode servir como “vacina natural” fortalecendo o sistema imunológico e fornecendo imunidade duradoura contra doenças.

Sujar as mãos no jardim pode ajudar a familiarizar seu sistema imunológico com microorganismos benéficos das plantas e do solo.

De acordo com um relatório recente, a falta de exposição ao ambiente externo pode por si só tornar seu microbioma “deficiente”.

Alimentos processados. Açúcar em excesso, juntamente com outros nutrientes “mortos”, alimenta as bactérias patogênicas.

Emulsificantes alimentícios, como polissorbato 80, lecitina, carragenina, poliglicerois e goma xantana, também parecem promover efeito colateral na flora intestinal.

A menos que sejam 100 por cento orgânicos, podem também conter GMOs que tendem a ser pesadamente contaminados com pesticidas como glifosato. Adoçantes artificiais também demonstraram alterar as bactérias intestinais de forma adversa.

Abra as janelas. Na maior parte da história humana, o ambiente externo sempre foi parte do ambiente interno e, em nenhum momento durante o dia, ficamos separados da natureza.

Hoje em dia, passamos 90 por cento de nossas vidas em ambientes internos. E, embora ficar longe do ambiente externo tenha suas vantagens, isto também mudou o microbioma de sua casa.

Uma pesquisa realizada mostra que abrir a janela e aumentar o fluxo de ar natural pode melhorar a diversidade e a saúde dos micróbios da casa que, por sua vez, o(a) beneficiará.

Produtos químicos agrícolas, glifosato (Roundup) em particular, é um antibiótico conhecido que ativamente matará muitos dos micróbios intestinais benéficos se você consumir alimentos contaminados com Roundup.

Lave a louça à mão em vez de lavá-la na máquina. Uma pesquisa realizada mostrou que lavar a louça à mão deixa mais bactérias nela do que lavá-la na máquina e que usar esta louça menos estéril pode, na verdade, reduzir os riscos de desenvolvimento de alergias, estimulando o sistema imunológico.

Sabonetes antibacterianos, pois eles matam tanto as bactérias boas quanto as ruins e contribuem com o desenvolvimento da resistência a antibióticos.