10 Fontes de Disruptores Endócrinos e o que Fazer para Evitá-los

disruptores endócrinos

Resumo da matéria -

  • Os disruptores endócrinos interferem no desenvolvimento e na reprodução e podem causar sérias alterações nos sistemas neurológico e imunológico
  • Tais produtos químicos são comuns em produtos para cuidados pessoais, produtos de limpeza, panelas antiaderentes, plásticos e vários outros
  • Produtos químicos disruptores endócrinos também são frequentemente encontrados em produtos enlatados, pesticidas e até mesmo em recibos de caixa registradora
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Os disruptores endócrinos são produtos químicos conhecidos por sua interferência no desenvolvimento e na reprodução e podem causar sérias alterações nos sistemas neurológico e imunológico.

Os distúrbios ocorrem porque tais produtos químicos imitam os hormônios do organismo, incluindo o hormônio estrógeno do sexo feminino, o hormônio andrógeno do sexo masculino e os hormônios da tireoide.

Produtos químicos disruptores endócrinos podem bloquear os sinais hormonais do organismo ou interferir na forma como os hormônios ou os receptores são formados ou controlados.

Os níveis hormonais normais podem ser alterados ou os produtos químicos podem alterar a forma como tais hormônios atravessam o organismo. Conforme observado pelo Comitê de Defesa dos Recursos Naturais (NRDC):

"O sistema endócrino é uma rede complexa de glândulas e hormônios que regulam várias funções do organismo, incluindo o crescimento, o desenvolvimento e o amadurecimento, assim como o funcionamento de vários órgãos.

As glândulas endócrinas – incluindo hipófise, tireoide, adrenal, timo, pâncreas, ovários e testículos – liberam quantidades cuidadosamente medidas de hormônios no fluxo de sangue, agindo como mensageiros químicos naturais, cruzando diferentes partes do organismo a fim de controlar e ajustar várias funções vitais."

Como você deve suspeitar, alterar estes sistemas precisos significa “brincar com fogo”, e isso pode acontecer diariamente quando você usa produtos “normais” todo dia em sua casa. Parte do que faz com que os disruptores endócrinos sejam tão perigosos é sua natureza onipresente e o fato de que a maioria das pessoas está exposta a diversos destes produtos químicos diariamente.

Disruptores Endócrinos Associados ao Câncer, ADHD e Outras Doenças

Diversos problemas de saúde estão associados à exposição a estes produtos químicos disseminados, incluindo:

  • Criptorquidia em jovens do sexo masculino
  • Efeitos no desenvolvimento do sistema nervoso em crianças
  • Câncer de próstata em homens
  • Distúrbio da hiperatividade e deficit de atenção (TDAH) em crianças
  • Câncer de tireoide

Crianças e Mulheres Grávidas são as que Correm Maior Risco, Porém o Dano Pode Aparecer Décadas Depois

Os maiores riscos parecem vir da exposição durante a fase de desenvolvimento pré-natal ou na fase pós-natal, que é o período em que os órgãos e o sistema neurológico estão em formação.

Alguns dos efeitos, no entanto, podem não aparecer até décadas mais tarde e tem sido sugerido, cada vez mais frequentemente, que várias doenças que atingem adultos na verdade têm origem fetal.

Um dos exemplos mais perturbadores disto veio do dietilestilbestrol (DES), um estrógeno sintético que foi amplamente prescrito a mulheres grávidas antes da década de 70 para ajudá-las a evitar aborto natural e promover o crescimento do feto.

Este disruptor endócrino acabou sendo incrivelmente perigoso e causou problemas no desenvolvimento reprodutivo e câncer vaginal que apareceram após a puberdade.

E não são somente os humanos que estão sendo afetados. Os disruptores endócrinos são encontrados amplamente na água, ar e alimentos contaminados e, portanto, a vida selvagem também está em risco.

Peixes da região dos Grandes Lagos foram detectados com problemas reprodutivos e edema anormal das glândulas da tireoide devido aos disruptores endócrinos conhecidos como bifenilos policlorados (PCBs).

A quantidade de jacarés em uma região da Flórida foi drasticamente reduzida depois que um vazamento de pesticida provocou a redução dos órgãos reprodutores e inibiu a reprodução bem sucedida. Jacarés e seus ovos foram analisados e descobriu-se que ambos estavam contaminados com produtos químicos disruptores endócrinos.

10 Fontes Comuns de Produtos Químicos Disruptores Endócrinos

A Epoch Times recentemente elaborou uma lista contendo 10 fontes de disruptores endócrinos e o que você pode fazer para evitá-los.

1. Produtos para Cuidados Pessoais — Shampoo, condicionador, hidratante, cosméticos e outros produtos para cuidados pessoais geralmente contêm disruptores endócrinos, incluindo (porém, certamente não limitados a) ftalatos. Os ftalatos são um grupo de produtos químicos capazes de “mudar o sexo” fazendo com que machos de várias espécies acabem com características femininas.

Estes produtos químicos desregularam os sistemas endócrinos da vida selvagem causando câncer de testículo, deformações genitais, baixa contagem de espermatozóides e infertilidade em várias espécies, incluindo ursos polares, veados, baleias e lontras, só para citar alguns.

Outro produto químico disruptor endócrino, o triclosan, pode inclusive ser encontrado em algumas marcas de pasta de dente. Passar a usar produtos para cuidados pessoais naturais e/ou feitos em casa ajudá-lo-á a evitar tal exposição. Você pode ainda tentar reduzir a quantidade de produtos para cuidados pessoais que usa todos os dias.

2. Água Potável — A água potável que você consome pode estar contaminada com atrazina, arsênio e perclorato, sendo que todos eles podem desregular seu sistema endócrino. Filtrar a água, tanto da torneira, como a água do banho/chuveiro, usando um sistema de filtração de água de alta qualidade pode ajudá-lo (a) a proteger a si mesmo (a) e à sua família.

3. Alimentos Enlatados — Em uma análise realizada com 252 marcas de alimentos enlatados, 78 ainda estão usando bisfenol-A (BPA) em suas mercadorias enlatadas, mesmo que ele seja um conhecido disruptor endócrino. O BPA foi associado a uma série de problemas de saúde, particularmente em mulheres grávidas, fetos e crianças pequenas, porém também em adultos, incluindo:

Dano estrutural do cérebro

Alterações no comportamento específico do sexo e comportamento sexual anormal

Hiperatividade, aumento da agressividade e dificuldade de aprendizado

Puberdade precoce, estímulo do desenvolvimento da glândula mamária, ciclos reprodutivos desregulados, disfunções ovarianas e infertilidade

Aumento na formação de gordura e risco de obesidade

Estímulo das células cancerígenas da próstata

Alteração na função imunológica

Aumento do tamanho da próstata e redução da produção de esperma

4. Produção de Crescimento Convencional — Pesticidas, herbicidas e efluentes industriais podem cobrir frutas e vegetais de crescimento convencional com produtos químicos disruptores endócrinos. Tanto quanto possível, compre e consuma produtos orgânicos e de criação livre, alimentos orgânicos, para reduzir a exposição aos pesticidas e fertilizantes disruptores endócrinos.

5. Carne CAFO, Aves e Produtos Lácteos — Animais criados em operações de alimentação de animais em confinamento (CAFOs) também, tipicamente, contêm antibióticos, hormônios e outros produtos químicos industriais que podem desregular o sistema endócrino. Procure por produtos provenientes de animais de criação livre, orgânicos e criados em pequenas fazendas locais que evitam o uso de tais produtos químicos.

6. Peixe Rico em Mercúrio — Peixe contaminado com altos níveis de mercúrio e outros metais pesados são problemáticos porque tais metais também desregulam o equilíbrio hormonal. Cação, espadarte (peixe-espada), cavala-verdadeira, marlim e peixe-batata estão entre os maiores culpados, porém até mesmo o atum foi detectado com perigosos altos níveis de mercúrio.

Peixes de aquicultura (os "CAFOS do mar") também tendem a ser ricos em contaminantes e é melhor evitá-los. Ao consumir frutos do mar, peixes menores como sardinha, anchovas e arenque tendem a possuir níveis baixos de contaminantes e altos de gordura ômega-3.

7. Produtos de Cozinha — Recipientes plásticos e panelas antiaderentes comuns em tantas cozinhas são outro tipo de perigo. Os recipientes plásticos podem conter BPA ou outros produtos químicos disruptores endócrinos que podem deixar resíduos em seu alimento, especialmente se o plástico for aquecido. Substâncias poli e perfluoroalquila (PFAS) usadas para criar superfícies antiaderentes, resistentes a manchas e repelentes da água também são tóxicas e altamente persistentes, tanto no organismo quanto no meio ambiente.

Quando aquecidas, as panelas antiaderentes liberam ácido perfluorooctanoico (PFOA), associado a doenças da tireoide, infertilidade e problemas de desenvolvimento e reprodutivos. Opções mais saudáveis incluem panelas de ferro fundido esmaltado e de cerâmica, ambas duráveis, fáceis de limpar (mesmo os alimentos cozidos mais difíceis podem ser lavados depois de mergulhar em água quente) e completamente inertes, o que significa que elas não vão liberar qualquer produto químico perigoso em seu lar.

8. Produtos de Limpeza — Soluções comerciais usadas para limpeza de chão, banheiros, forno, janelas, etc., tipicamente contêm produtos químicos industriais que podem abater os hormônios. Por exemplo, os etoxilatos de nonilfenol (NPEs), ingredientes comuns encontrados em detergentes de lavanderia e limpeza geral, foram banidos da Europa e são conhecidos como potentes disruptores endócrinos, provocando a transformação de peixes machos em fêmeas.

É surpreendentemente fácil produzir seus próprios produtos de limpeza em casa usando diferentes combinações de vinagre, óleos essenciais e até mesmo óleo de coco.

9. Produtos de Escritório — Cartuchos de tinta, tôners e outros solventes comuns em ambientes de escritório são outras fontes comuns de produtos químicos disruptores endócrinos. Manuseie estes produtos com cuidado e reduza a exposição a eles o máximo possível.

10. Recibos de Caixa Registradora — O papel térmico tem um revestimento que fica preto ao ser aquecido (a impressora da caixa registradora aplica aquecimento ao papel permitindo a impressão de números e letras). Ela também contém BPA e pesquisa realizada mostra que o manuseio deste tipo de papel é suficiente para aumentar os níveis corporais da substância.

Um estudo realizado em Analytical and Bioanalytical Chemistry (Química Analítica e Bioanalítica) concluiu que entre 13 tipos de papel térmico de impressora analisados, 11 continham BPA. Segurar o papel por apenas cinco segundos foi suficiente para transferir o BPA para a pele de uma pessoa e a quantidade de BPA transferida aumentou em cerca de 10 vezes se os dedos estivessem molhados ou engordurados (como no caso de a pessoa ter acabado de usar uma loção ou consumido alimento gorduroso).

Finalmente, por serem os recibos geralmente guardados junto com notas de dinheiro na carteira das pessoas, estas acabam sendo contaminadas com BPA. Em um estudo publicado na Environmental Science and Technology, os pesquisadores analisaram dinheiro de 21 países procurando por contaminação com BPA e o produto químico foi detectado em todas as amostras.

Portanto, procure limitar ou evitar carregar recibos em sua carteira ou bolsa, pois parece que o produto químico vai sendo transferido a outras superfícies com as quais ele tem contato. Seria bastante inteligente de sua parte lavar as mãos após manusear recibos e papel moeda e evitar manuseá-los, particularmente, se você está usando loção ou está com outra substância gordurosa nas mãos, pois isto pode aumentar a exposição.

Se você é caixa ou bancário e manuseia tais papéis com frequência, você pode usar luvas, especialmente se estiver grávida ou em idade fértil.

19 Dicas Adicionais para Redução da Exposição Química em Casa

1. Esforce-se para comprar e consumir produtos orgânicos e de criação livre, carnes orgânicas para reduzir a exposição a hormônios, pesticidas e fertilizantes. Também evite leite e outros produtos lácteos que contenham o hormônio de crescimento bovino recombinante geneticamente modificado (rBGH ou rBST).

2. Em vez de consumir peixe convencional ou criado em aquicultura, que é, em geral, altamente contaminado com PCBs e mercúrio, consuma óleo de krill purificado de alta qualidade ou consuma peixes menores ou peixe pescado na natureza e com grau de pureza testado em laboratório. Salmão do Alasca pescado na natureza é o único peixe que eu consumo justamente por estas razões.

3. Compre produtos envasados em garrafas ou frascos de vidro em vez de plástico ou lata, uma vez que os produtos químicos podem liberar resíduos do plástico e contaminar o conteúdo.

4. Armazene seus alimentos e bebidas em recipientes de vidro em vez de plástico e evite usar embalagem plástica.

5. Use mamadeiras de vidro e evite copos de plástico para seus pequenos.

6. Consuma alimentos preferencialmente crus e frescos. Alimentos processados, pré-envasados (de todos os tipos) são fonte comum de produtos químicos como BPA e ftalatos.

7. Substitua suas vasilhas e panelas antiaderentes por panelas de cerâmica ou vidro.

8. Filtre a água da torneira – tanto para beber como para banho. Se você só pode arcar com a filtragem de uma delas, filtrar a água do banho pode ser mais importante, pois a pele absorve os contaminantes. Para remover o herbicida disruptor endócrino Atrazina, certifique-se de que o filtro seja certificado para remoção deste produto. De acordo com o Environmental Working Group (Grupo de Trabalhos Ambientais) (EWG), o perclorato pode ser filtrado usando-se um filtro de osmose reversa.

9. Procure produtos fabricados por empresas amigas do meio ambiente, amigas dos animais, sustentáveis, não tóxicas e/ou 100% orgânicas. Isto é aplicado a tudo, desde alimentos e produtos para cuidados pessoais, até material de construção, revestimento, pintura, itens para bebê, estofamento, etc.

10. Use aspirador de pó com filtro HEPA para remover o pó da casa, o qual é geralmente contaminado com traços de produtos químicos.

11. Ao comprar novos produtos como mobília, colchões e enchimento de carpetes, pergunte que tipo de retardador de chama eles contêm. Preste atenção e/ou evite itens que contenham PBDEs, antimônio, formaldeído, ácido bórico e outros produtos bromados. Ao substituir estes itens tóxicos de sua casa, selecione aqueles que contenham material naturalmente menos inflamável, tais como couro, lã e algodão.

12. Evite roupas, mobília e carpetes resistentes a manchas e água para evitar produtos perfluorados (PFCs).

13. Reduza o uso de brinquedos para bebês e crianças feitos de plástico, optando por aqueles fabricados com madeira natural ou tecido.

14. Use somente produtos de limpeza naturais ou faça-os você mesmo(a). Evite produtos que contenham 2-butoxietanol (EGBE) e metoxidiglicol (DEGME) — dois éteres glicóis tóxicos que podem danificar a fertilidade e causar danos fetais.

15. Troque por marcas orgânicas os artigos de higiene, como shampoo, pasta de dente, antitranspirantes e cosméticos. Você pode substituir vários produtos diferentes por óleo de coco e bicarbonato de sódio, por exemplo. O EWG possui um enorme banco de dados que pode ajudá-lo (a) a encontrar produtos para cuidados pessoais livre de ftalatos e outros produtos químicos potencialmente perigosos.

Eu também ofereço uma das linhas orgânicas de mais alta qualidade para cuidados com a pele, shampoo, condicionador e manteiga corporal completamente naturais e seguros.

16. Substitua produtos de higiene feminina, como tampões e absorventes, por alternativas mais seguras.

17. Evite purificadores de ar artificiais, chapas de secadora, amaciantes e outras fragrâncias sintéticas.

18. Procure por produtos livres de fragrâncias. Uma fragrância artificial pode conter centenas – até mesmo milhares – de produtos químicos potencialmente tóxicos.

19. Substitua a cortina do chuveiro de vinil por uma feita de tecido.