A Poluição do Ar Está se Tornando Mais Perigosa

Pessoa com uma máscara de boca para proteger-se da poluição do ar

Resumo da matéria -

  • Nove milhões de mortes prematuras foram causadas pela poluição em 2015, o que representa 16% das mortes em todo o mundo
  • Tanto a poluição no ar doméstico, especialmente na cozinha da casa e a queima de madeira para o calor, e a poluição externa, inclusive das usinas a carvão e as emissões dos veículos, eram problemáticas
  • Certos nutrientes, incluindo gorduras ômega-3 e vitaminas B, podem atenuar alguns dos efeitos da poluição do ar na saúde
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

A poluição foi denominada a “maior causa ambiental de doença e morte prematura no mundo atualmente” por uma colaboração de mais de 40 pesquisadores que analisaram dados de 130 países.

O estudo, publicado em The Lancet, revelou que nove milhões de mortes prematuras foram causadas pela poluição em 2015, o que representa 16% das mortes em todo o mundo – “três vezes mais mortes do que a AIDS, tuberculose e malária combinadas e 15 vezes mais do que de todas as guerras e outras formas de violência”, escreveram os pesquisadores.

Praticamente todas as mortes (92 por cento) ocorreram em países de baixa e média renda onde, nas regiões mais poluídas, doenças relacionadas à poluição causaram mais de uma em cada quatro mortes. Dito isto, a poluição não está estagnada; ela muda de um país para o outro, a ponto de uma quantidade considerável da poluição no ar no oeste dos EUA vir da China, por exemplo.

Ainda assim, como observou a Popular Science, “em um caso clássico de que tudo o que se planta se colhe, cerca de 20% da poluição do ar da China decorre da fabricação de produtos para os Estados Unidos”.

A Poluição no Ar é o Principal Assassino da Poluição

Embora a água, o solo e a poluição química representem algumas das mortes relacionadas à poluição, a maioria - 6,5 milhões - foram causadas por contaminantes aéreos. Tanto a poluição do ar doméstico, especialmente da cozinha da casa e a queima de madeira para o calor, e a poluição externa, inclusive das usinas a carvão e as emissões dos veículos, eram problemáticas.

A matéria de partículas finas (PM 2,5) refere-se à poeira, sujeira, fuligem e fumaça - partículas com menos de 2,5 micrometros de diâmetro. É o tipo mais estudado de poluição aérea. Essas partículas podem entrar no seu organismo e causar inflamação crônica, o que, por sua vez, aumenta seu risco de desenvolver uma série de problemas de saúde, de câncer a doença cardíaca e pulmonar.

No caso de doenças cardíacas, a poluição aérea das partículas finas pode aumentar seu risco ao induzir aterosclerose, aumentando o estresse oxidativo e aumentando a resistência à insulina, observaram os pesquisadores, acrescentando que:

“As associações causais mais fortes são observadas entre a poluição PM 2.5 e doenças cardiovasculares e pulmonares. Foram estabelecidas associações causais específicas entre a poluição de PM 2,5 e o infarto do miocárdio, hipertensão, insuficiência cardíaca congestiva, arritmias e mortalidade cardiovascular.

Associações causais também foram estabelecidas entre a poluição PM 2.5 e doença pulmonar obstrutiva crônica e câncer de pulmão. A Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer informou que a matéria em partículas e a poluição atmosférica no ar são comprovados carcinógenos humanos do grupo 1.”

Os efeitos sobre a saúde da poluição do ar não param por aí, no entanto, uma vez que o estudo citou evidências novas que demonstraram que o PM 2.5 pode desempenhar um papel em diversas doenças que você provavelmente não associaria automaticamente à poluição do ar, incluindo:

Diabetes

Diminuição da função cognitiva

Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)

Autismo

Doenças neurodegenerativas incluindo demência

Nascimento prematuro

Baixo peso ao nascer

Síndrome da morte súbita infantil

As pesquisas apresentadas na Conferência Internacional da American Thoracic Society (ATS) de 2017 sugeriu que a má qualidade do ar pode prejudicar seu sono.

O estudo analisou atentamente os efeitos de dois poluentes generalizados, o dióxido de nitrogênio (NO2), que é a poluição atmosférica relacionada ao trânsito e PM 2.5, que é responsável pela visibilidade reduzida. Ambos os poluentes influenciaram a eficiência do sono dos participantes do estudo, que é uma medida do tempo gasto realmente dormindo ao invés de ficar deitado acordado.

As pessoas no primeiro trimestre da exposição ao NO2 foram 60% mais propensas a ter uma baixa eficiência de sono durante um período de cinco anos em comparação àqueles no menor trimestre. Entre aqueles expostos aos mais altos níveis de poluição por partículas finas, houve um aumento de 50 por cento na probabilidade de ter uma baixa eficiência de sono.

Considerando as repercussões na saúde da falta de sono, esta é mais uma maneira pela qual a poluição do ar pode devastar sua saúde. Além disso, a poluição só está piorando em muitas partes do mundo, observaram os pesquisadores, e sem uma intervenção agressiva, as mortes devidas à poluição do ar ambiente poderiam aumentar em mais de 50% até 2050, disseram.

A Combustão do Carvão Continua a Ser um Grande Contaminador

A maioria da poluição atmosférica global em partículas - 85 por cento - vem da combustão de combustíveis, sendo o carvão o “combustível fóssil mais poluente do mundo”. Mesmo nos EUA, estima-se que 200.000 mortes prematuras são causadas por emissões de comburentes, inclusive aqueles de veículos e geração de eletricidade.

Em um estudo de geração de energia elétrica nos EUA, que faz uso intensivo do carvão, um estudo publicado na revista Energy revelou que a mudança para o gás natural para gerar eletricidade poderia levar a benefícios significativos.

O autor do estudo, Jay Apt, professor da Tepper School of Business, Engineering and Public Policy e codiretor do Carnegie Mellon Electricity Industry Center na Carnegie Mellon University, escreveu em The Conversation:

“A mudança do carvão para o gás natural reduziria as emissões de dióxido de enxofre em mais de 90% e as emissões de óxido de nitrogênio em mais de 60%. Esses compostos são as principais causas de poluição por partículas finas. As reduções neste nível diminuirão o custo total dos danos anuais nacionais na saúde humana de $ 20 bilhões para $ 50 bilhões anualmente. Descobrimos que o sudeste e o Vale do Ohio, onde a maior parte do carvão é queimado, receberiam a maior parte desses benefícios.”

Os autores da Lancet, ao mesmo tempo em que citam um benefício que ocorreria no setor de energia ao se mudar as usinas a carvão para usinas a gás, deram um passo além, observando que uma solução ainda melhor seria mudar para fontes de energia renováveis pouco poluentes, como o vento, pelo movimentos das marés, geotérmica e solar.

“Essas intervenções não só reduzem a poluição e melhoram a saúde cardiorrespiratória de populações inteiras, mas também reduzirão drasticamente as emissões de gases de efeito estufa e aumentarão a eficiência da geração de eletricidade,” escreveram.

A Agricultura Industrializada é Outra Fonte Importante da Poluição do Ar

Outra grande causa da poluição do ar em grande parte dos EUA, China, Rússia e Europa está ligada à agricultura e aos fertilizantes — especificamente ao componente de nitrogênio do fertilizante usado para supostamente enriquecer o solo e cultivar maiores plantações.

As pesquisas publicadas na revista Geophysical Research Letters demonstraram que, em determinadas áreas densamente povoadas, as emissões da agricultura superam em muito outras fontes de poluição atmosférica em partículas. À medida que os fertilizantes nitrogenados decompõem-se em suas partes componentes, a amônia é liberada no ar.

A amônia é um dos subprodutos de fertilizantes e resíduos animais. Quando a amônia na atmosfera atinge áreas industriais, ela combina-se com a poluição do diesel e combustão de petróleo, criando micropartículas. Trabalhadores de operações de alimentação de animais concentrada (Concentrated Animal Feeding Operation-CAFO) e residentes vizinhos a elas relatam uma maior incidência de asma, dores de cabeça, irritação ocular e náuseas.

Uma pesquisa publicada no American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine também revelou que os marcadores da função pulmonar estavam relacionados com quão longe eles viviam das CAFOs.

Quanto mais perto eles viviam das fazendas industriais, e quanto maior era a densidade do rebanho, mais deficiências na função pulmonar foram reveladas. A função pulmonar dos residentes vizinhos diminuiu de acordo com o aumento dos níveis de poluição atmosférica causada pela poluição por amônia causada pelas CAFOs, revelou o estudo.

O Que Você Come Pode Ajudar a Reduzir os Efeitos da Poluição do Ar

De acordo com um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2016, apenas 8% das pessoas em todo o mundo está respirando ar que atende aos padrões da OMS, o que significa que 92% da população mundial está respirando ar poluído. Embora você possa não ter controle sobre os níveis de poluição fora de sua casa, você tem controle sobre o que você come.

Essa última informação é uma boa notícia, porque certas medidas dietéticas podem ter um efeito protetor. No geral, você deve esforçar-se para manter uma dieta de alimentos integrais, rica em legumes anti-inflamatórios e gorduras saudáveis. Entre as intervenções dietéticas mais importantes para se tentar incluem:

  • Gorduras ômega-3: Elas são anti-inflamatórias e, em um estudo feito com 29 pessoas de meia-idade, tomar um suplemento de gordura ômega-3 de origem animal reduziu alguns dos efeitos adversos para a saúde do coração e níveis de lipídios, incluindo triglicerídios, que ocorreram com a exposição ao ar poluído (o azeite não teve o mesmo efeito).
  • Brotos de brócolis: O extrato dos brotos de brócolis demonstrou ser capaz de prevenir a resposta nasal alérgica que ocorre após a exposição a partículas de escape de diesel, de modo que os pesquisadores sugeriram que os brócolis ou os brotos de brócolis poderiam ter um efeito protetor sobre o papel da poluição do ar nas doenças alérgicas e asma. Uma bebida feita com brotos de brócolis até mesmo melhorou a desintoxicação de alguns poluentes no ar entre os moradores de uma região altamente poluída da China.
  • Vitaminas C e E: Entre as crianças com asma, fazer a suplementação de antioxidantes, incluindo as vitaminas C e E, ajudou a amortecer o impacto da exposição ao ozônio em suas pequenas vias aéreas.
  • Vitaminas B: Um estudo com humanos em pequena escala revelou que altas doses de vitaminas B6, B9 e B12 em combinação compensaram completamente o dano causado por partículas muito finas na poluição do ar.

Quatro semanas de suplementação com doses elevadas reduziram o dano genético em 10 locais dos genes de 28 a 76 por cento, protegeram o DNA mitocondrial dos efeitos nocivos da poluição e até ajudaram a reparar um pouco do dano genético.

Como Reduzir a Poluição do Ar na sua Casa

Como Reduzir a Poluição do Ar na sua Casa

Dar atenção à qualidade adequada do ar doméstico é importante e purificar o ar da sua casa é um bom começo. Os filtros de ar comprados comercialmente podem alterar as medidas de saúde, incluem a redução da quantidade de proteína C-reativa e outras medidas da inflamação e da função dos vasos sanguíneos.

No entanto, nem todos os filtros funcionam com a mesma eficiência para remover poluentes da sua casa e nenhum filtro pode remover todos os poluentes, por isso certifique-se de pesquisar sobre os diferentes tipos de filtros de ar para atender às suas necessidades específicas.

A oxidação fotocatalítica (Photocatalytic oxidation-PCO) é uma das melhores tecnologias disponíveis. Ao invés de filtrar o ar, a PCO realmente atua como um purificador de ar, limpando o ar ao usar luz ultravioleta (UV). Ao contrário dos filtros, que simplesmente aprisionam poluentes, a PCO transforma os poluentes em substâncias não tóxicas.

Normalmente, isso ocorre quando a luz UV reage com uma película de dióxido de titânio e água, criando radicais hidroxilos que essencialmente oxidam os poluentes, tornando-os inofensivos.

Pesquisa demonstrou que, na presença de poluentes atmosféricos vindos de materiais de construção e mobiliário, o PCO melhora a qualidade do ar interno com base em avaliações sensoriais realizadas pelos participantes do estudo, bem como medidas como a Espectrometria de Massa de Reação de Transferência de Próton (Proton-Transfer- Reaction Mass Spectrometry-PTR-MS). Além do PCO, outra opção é adicionar plantas domésticas, que ajudam a absorver a poluição do ar doméstico.

Além disso, uma das maneiras mais simples e fáceis de reduzir a contagem de poluição na sua casa é abrir as janelas e deixar um pouco de ar fresco entrar (supondo que o ar exterior não esteja excessivamente poluído). Como a maioria das casas têm pouca fuga de ar, abrir as janelas por apenas 15 minutos todos os dias pode melhorar a qualidade do ar que você está respirando.

Você também deve considerar em abrir a janela à noite enquanto dorme. Instalar um ventilador no sótão é outra maneira de trazer ar fresco para sua casa e reduzir sua carga tóxica de poluentes no ar.