Outra Vantagem de Beber Café

café para todos os momentos do dia

Resumo da matéria -

  • O consumo diário de quatro ou mais xícaras de café cafeinado reduziu o risco de recorrência de câncer de cólon ou morte em 52% comparado com pessoas que não consomem café
  • O consumo de duas ou três xícaras por dia também foi benéfico, reduzindo o risco de recorrência ou morte em 31%
  • O benefício promovido pelo café é devido, em parte, aos antioxidantes benéficos e, em parte, à cafeína que aumenta a sensibilidade do organismo à insulina, reduzindo inflamações – fator de risco para câncer e outras doenças crônicas
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Praticamente 60% das pessoas consomem café e, para muitas delas, o hábito é diário. O consumo de café tem sido há muito tempo visto como vício ou muleta para um rápido ganho de energia para encarar o dia, porém esta visão está mudando, pois, os benefícios promovidos pelo café à saúde continuam a ser revelados.

Esta é uma notícia boa para aqueles que tomam um gole de café pela manhã, pois esta pode ser uma forma bastante saudável de começar o dia.

No entanto, por favor, lembre-se de que o café é uma das culturas mais pesadamente tratadas com pesticidas no mundo. Se você consumi-lo, por favor, certifique-se de que seja uma marca organicamente e idealmente tratada, o que significa menos de 3% de todo o café existente.

O Consumo Diário de Café Aumenta a Sobrevivência ao Câncer de Cólon

Entre as pessoas com câncer de cólon avançado (estágio III), o consumo diário de quatro ou mais xícaras de café cafeinado reduziu o risco de recorrência do câncer ou morte em 52% durante o estudo comparando com pessoas que não consumiam café algum.

O consumo de duas ou três xícaras por dia também foi benéfico, reduzindo o risco de recorrência ou morte em 31%.

Os pesquisadores salientaram que outras bebidas cafeinadas, como refrigerantes, não promovem o mesmo efeito. Também não foi encontrado qualquer vínculo entre o café descafeinado e o risco de recorrência de câncer de cólon.

Ademais, não foi encontrado um vínculo causal. Isto significa que poderia simplesmente acontecer de consumidores de café tenderem a seguir um estilo de vida geral mais saudável contribuindo com a redução do risco. No entanto, os antioxidantes e outros compostos benéficos da planta do café foram associados a um menor risco de desenvolvimento de doença crônica.

Na verdade, o café foi também associado à redução do risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2, condição conhecida por aumentar os riscos de desenvolvimento de câncer de cólon. É possível que os compostos do café possam reduzir o risco de desenvolvimento de múltiplas doenças crônicas através de vias similares.

O Que Mais a Pesquisa Diz Sobre o Café e o Câncer?

Embora uma série de estudos individuais tenha sugerido que o consumo de café possa aumentar o risco de desenvolvimento de câncer, quando múltiplos estudos são analisados, como no caso das meta-análises, a associação desaparece e, na verdade, torna-se protetora.

Por exemplo, uma meta-análise realizada em 2007 concluiu que um aumento no consumo de duas xícaras de café por dia foi associado a um risco reduzido de desenvolvimento de câncer de fígado em 43% – resultado confirmado por uma pesquisa realizada mais recentemente.

Ademais, o café parece promover benefícios adicionais à saúde hepática, retardando a progressão de doenças hepáticas ou cirrose, melhorando as respostas em pessoas com hepatite C e reduzindo o risco de morte em pessoas com cirrose.

O benefício potencial promovido pelo café à saúde hepática parece ser tão forte que pesquisadores declararam que o consumo diário de café deveria ser incentivado em pessoas com doença hepática crônica.

O Café Torrado Contém Mais de 1.000 Compostos, Muitos Dos Quais Podem Ajudam no Combate ao Câncer

O café possui múltiplas vias anticancerígenas. Conforme mencionado, a cafeína é uma delas, pois demonstrou estimular e reprimir tumores dependendo do tipo de câncer e quando é administrado.

Os polifenois encontrados no café, como fitoestrógenos linhanos, flavonoides e polifenois também são conhecidos por possuir propriedades anticancerígenas, como o ácido cafeico, que inativa diversas vias envolvidas no desenvolvimento de tumores – incluindo regulamento do ciclo celular, resposta inflamatória ao estresse e apoptose.

Benefícios Promovidos Pelo Café: do Coração ao Cérebro

Os benefícios promovidos pelo café estão se tornando tão estabelecidos que, pela primeira vez, o comitê consultivo do governo incluiu uma menção sobre a cafeína em suas recomendações para a edição de 2015 das Diretrizes Alimentares para Americanos.

O relatório informou que os americanos poderiam seguramente consumir até cinco xícaras de café por dia, ou aproximadamente 400 miligramas (mg) de cafeína, sem efeitos prejudiciais.

A recomendação foi baseada em uma avaliação de múltiplas meta-análises e outros estudos avaliando a associação entre o café e doenças crônicas, incluindo câncer, diabetes tipo 2, doenças cardíacas, Parkinson e Alzheimer. Aqui segue uma amostra do que a pesquisa mostra:

Saúde Cardíaca

Em um estudo realizado com mais de 25.000 pessoas, aquelas que consumiam uma quantidade moderada de café – definida como três a cinco xícaras diariamente – estavam menos propensas a ter depósitos de cálcio nas artérias coronárias do que aquelas que não consumiam café algum ou não consumiam mais café diariamente.

Grande parte da placa arterial consiste em depósitos de cálcio (aterosclerose), daí o termo “endurecimento das artérias”. Cálcio na artéria coronária pode ser um indicador significativo de futuro risco de desenvolvimento de doença cardíaca.

Além disso, um estudo realizado mostrou que o consumo moderado de café reduz suas chances de ser hospitalizado devido a problemas de ritmo cardíaco. Outro estudo concluiu que ele pode desencadear um aumento de 30% no fluxo sanguíneo nos vasos pequenos, o que poderia tirar alguma pressão do coração.

Outro estudo, uma meta-análise que incluiu dados de 11 estudos e quase 480.000 pessoas, concluiu que o consumo de duas a seis xícaras de café por dia foi associado a um menor risco de desenvolvimento de AVC.

Esclerose Múltipla e Doença de Parkinson

O consumo de quatro a seis xícaras de café por dia foi associado a um menor risco de desenvolvimento de esclerose múltipla, da mesma forma que o consumo de grande quantidade de café por cinco a dez anos. De acordo com pesquisadores, “a cafeína possui propriedades neuroprotetoras e parece suprimir a produção de citocinas pró-inflamatórias”.

Um maior consumo de café e cafeína também está associado a um menor risco de desenvolvimento de doença de Parkinson.

Demência

A cafeína promove a produção dos neurotransmissores serotonina, dopamina e noradrenalina e desencadeia a liberação do fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF), que ativa as células-tronco do cérebro para converter em novos neurônios, dessa forma, melhorando a saúde cerebral.

Entre pessoas com deficiência cognitiva leve (DCL), aquelas com maiores níveis de cafeína no sangue (devido ao consumo de café) estavam menos propensas a progredir à demência total. “O consumo de cafeína/café está associado a um risco reduzido de desenvolvimento de demência ou de instalação atrasada da doença, particularmente para aqueles que já têm DCL”, informaram os pesquisadores.

Morte Prematura

Uma pesquisa publicada no New England Journal of Medicine (Novo Jornal de Medicina da Inglaterra) também mostrou que o consumo de café está inversamente associado à morte prematura. Quanto maior o consumo de café, menor o risco de morte, incluindo mortes causadas por doenças cardíacas, doenças respiratórias, AVC, ferimentos e acidentes, diabetes e infecções.

O Café é a Fonte Número Um de Antioxidantes nos EUA

Outro motivo pelo qual o café pode promover efeitos tão significativos sobre a saúde dos americanos é por ser a fonte número um de antioxidantes na dieta dos EUA. A pesquisa, apresentada no 230° encontro nacional da Sociedade Química Americana, mostrou que os americanos obtêm mais antioxidantes através do consumo de café do que de qualquer outra fonte alimentar, sendo que pesquisadores notaram que “nenhuma outra fonte chega sequer ao mesmo nível”.

Exemplos dos antioxidantes no café incluem significativas quantidades de ácido hidroxicinâmico e polifenois. Antioxidantes são uma forma natural de fornecer às células defesa adequada contra ataques de espécies reativas de oxigênio (ROS) ou radicais livres.

Radicais livres são um tipo de metabolito altamente reativo naturalmente produzido pelo organismo como resultado do metabolismo normal e produção de energia. Eles são sua resposta biológica natural contra toxinas ambientais, tais como fumo de cigarros, luz solar, produtos químicos, radiação cósmica e causada pelo homem, e são até mesmo uma característica chave dos medicamentos farmacêuticos.

Seu organismo também produz radicais livres quando você pratica exercícios e quando você tem uma inflamação em qualquer parte do corpo.

Contanto que você tenha estes importantes micronutrientes, seu organismo será capaz de resistir ao envelhecimento causado pela exposição diária a poluentes. Se você não tiver suprimento adequado de antioxidantes para ajudá-lo(a) a eliminar os radicais livres, você pode estar em risco de desenvolver estresse oxidativo, levando a danos acelerados de tecidos e órgãos.

Embora as frutas, como bagas, e legumes sejam fontes ideais de antioxidantes, muitos americanos não consomem as quantidades diárias recomendadas. É por isso que o café, amplamente consumido diariamente, representa parte alimentar tão grande de antioxidantes.

Se você não é um (a) consumidor (a) de café, você pode facilmente aumentar seu consumo de antioxidantes consumindo produção fresca – e mesmo que você seja consumidor (a) de café, obter seus antioxidantes de uma ampla variedade de fontes ainda é importante.

O Café Descafeinado é Uma Opção Saudável?

Os grãos de café usados para fazer o café descafeinado passam por um processo de remoção da maior parte da cafeína. Para ser rotulado descafeinado, o café deve ter 97% do conteúdo original de cafeína removido. Isto pode ser preferível para pessoas altamente sensíveis à cafeína (por exemplo, que sentem nervosismo após o consumo de uma xícara regular), porém existem algumas considerações a ser feitas.

Para iniciadores, algumas pesquisas que estudaram os benefícios promovidos pelo café à saúde mostraram que o café cafeinado é mais eficaz que o descafeinado (o estudo que apresentou os resultados sobre o câncer de cólon é um exemplo).

Em particular, o café cafeinado também foi associado a um menor risco de dano hepático, aumento na taxa metabólica, risco reduzido de depressão e pensamentos suicidas, e melhora no desempenho atlético, enquanto o café descafeinado não. O processo usado para descafeinar o café é também importante para se levar em consideração.

Um dos métodos mais comumente usados é o Processo Direto, que usa o cloreto de metila para remover a cafeína do grão de café. A Starbucks, por exemplo, usa este processo na maior parte de seu processo de descafeinização (embora ela também ofereça uma mistura descafeinada “naturalmente processada” chamada Sumatra).

O Instituto Nacional do Câncer lista o cloreto de metila como possível carcinógeno, portanto é algo que você deve evitar (traços são algumas vezes detectados no café descafeinado, embora tipicamente seja menor que 1 parte por milhão).

O Processo Natural de descafeinização usa o acetato de etila (hormônio vegetal) ou o dióxido de carbono para remover a cafeína, enquanto o processo Água Suíça usa apenas água. Somente os métodos dióxido de carbono ou Água Suíça são permitidos no café certificado como orgânico. Se você optar por consumir café descafeinado, certifique-se de escolher um que seja descafeinado usando um destes últimos métodos.

Outra opção, se você está procurando por uma marca com menor quantidade de cafeína, é optar pelos grãos Arábica que naturalmente possuem metade do conteúdo de cafeína dos grãos Robusta. Tenha em mente também que mesmo o café descafeinado não é livre de cafeína (uma xícara típica de café descafeinado contém 3 a 18 miligramas (mg) de cafeína, comparando com 140 a 300 mg em uma xícara de café regular).

Esta é uma distinção importante para mulheres grávidas considerarem. As agências de saúde pública sugerem que mulheres limitem o consumo diário de cafeína a 200 mg (ou cerca de duas xícaras de café por dia).

No entanto, a cafeína pode significativamente impactar o crescimento do feto. Ela é capaz de passar livremente através da placenta e, uma vez que a cafeína não promove qualquer benefício ao bebê, somente danos potenciais, fortemente recomendo que mulheres grávidas evitem TODAS as formas de cafeína.

Como Estragar uma Boa Xícara de Café…

Se você quer consumir café por causa de seus benefícios, beba café preto, sem açúcar, sem leite ou cremes, ou aromatizantes. Se você está ensopando seu café com agentes de cremosidade, produtos não lácteos, açúcar e outros adoçantes e aromatizantes, você está perdendo os benefícios terapêuticos e potencialmente prejudicando sua saúde.

A mistura natural de antioxidantes polifenois são parte do que faz o café tão saudável. No entanto, algumas pesquisas sugerem que adicionar um produto lácteo a seu café pode interferir na absorção dos ácidos clorogênicos benéficos pelo organismo. No entanto, se você adicionar açúcar a seu café, você aumentará seus níveis de insulina contribuindo para a resistência à insulina.

Também, os grãos de café são uma das culturas mais pesadamente tratadas com pesticidas. Portanto, você deve selecionar grãos de café certificados como orgânicos. Lembre-se, você reduzirá qualquer efeito positivo do consumo de café que esteja sendo tratado com pesticidas e outros produtos químicos.

Sempre que possível compre café “cultivado na sombra” de forma sustentável para ajudar na prevenção da destruição contínua das florestas tropicais e dos pássaros que as habitam. Várias pessoas dizem que o café cultivado na sombra tem um sabor melhor.

Ademais, você deve comprar o grão de café integral que tem odor e sabor fresco, não velho; se seu café não possui aroma agradável, provavelmente está estragado. Torre-o você mesmo(a) para evitar rancidez, pois o café pré-torrado pode ficar rançoso no momento em que você chegar em casa. Se você usar uma cafeteira de gotejamento, certifique-se de usar filtros não branqueados.

Os brancos claros são branqueados com cloro e um pouco desse cloro escorrerá pelo filtro durante o processo de infusão. Filtros clarificados são também notoriamente cheios de produtos de desinfecção perigosos, tais como dioxina.

Finalmente, embora pareça que o café consumido com moderação seja benéfico, certifique-se de não consumi-lo em demasia, pois alguns estudos notaram efeitos adversos pelo consumo de 10 xícaras ou mais. Ao referir-se a “xícara” de café, a maioria das pesquisas considera uma quantidade em torno de 14 a 24 ml com cerca de 100 mg de cafeína.

Em contraste, uma pequena xícara na maioria das casas começa com 35 ml enquanto uma xícara grande possui 59 a 70 ml. Simplesmente preste atenção na quantidade que está consumindo.