O que Há no Cheiro de Carro Novo?

Carro novo

Resumo da matéria -

  • O cheiro de carro novo é tão intoxicante que os fabricantes tentaram recriar essa fragrância para purificadores de ar e desinfetantes
  • Apesar de popular, o cheiro é criado pela liberação de compostos orgânicos voláteis associados a perturbações hormonais, danos ao fígado e rins, doenças respiratórias e câncer
  • Os pesquisadores também descobriram produtos químicos retardadores de chama, formaldeído, cloro e metais pesados em testes feitos no ar de carros novos; essas concentrações dissiparam-se consideravelmente após seis meses de uso
  • Você pode reduzir sua exposição a esses produtos químicos estacionando seu carro na sombra, abrindo janelas, arejando o carro antes de entrar e não ficando sentado em um carro estacionado
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Vamos encarar, muitas pessoas adoram esse cheiro de carro novo. Na verdade, ele é tão intoxicante que purificadores de ar para carros são projetados para imitar esse cheiro. Os cientistas não sabem ao certo por que esse perfume específico é tão atraente, mas é provável que seja uma forma de condicionamento clássico, já que o cheiro está associado ao luxo de possuir um carro novo.

Os odores são uma poderosa ferramenta de marketing, uma vez que geralmente evocam sentimentos e emoções que as pessoas de vendas são especialistas em capitalizar.

As memórias associadas a certos odores são chamadas de “memória autobiográfica evocada por odores” ou fenômeno de Proust, batizado em homenagem ao escritor francês Marcel Proust. Pesquisadores descobriram que seu cérebro analisa odores e memórias em uma região similar, intimamente ligada à sua amígdala e hipocampo. Essa conexão pode explicar por que o cheiro está ligado a memórias vívidas.

Os aromas podem não apenas trazer boas lembranças, mas também podem estar associados a memórias traumáticas, provocando flashbacks relacionados a traumas. O poder dos odores revela por que a aromaterapia é tão eficaz na geração de calma e relaxamento.

No entanto, embora o cheiro de um carro novo possa gerar bons sentimentos relacionados a ser o dono de um novo brinquedo de luxo, o cheiro carrega riscos significativos à saúde e os fabricantes de automóveis não o incluem propositalmente nos carros novos.

Os COVs Emitidos Sem Regulamentação são Responsáveis por uma Parte do Aroma do seu Carro

Testes foram realizados em 200 dos carros mais populares de 2011 a 2012, verificando-se a falta de gás nos produtos químicos nos volantes, apoios de braço, carpetes e painéis que contribuem para o cheiro do carro novo. Os pesquisadores estavam interessados ​​em medições, uma vez que o americano médio gasta 1,5 horas por dia no seu carro, e os produtos químicos de gaseificação são um contribuinte significativo para a poluição do ar em ambientes fechados.

A verdade é que o cheiro do carro novo é composto de compostos orgânicos voláteis (COVs). Robert Weiz, pesquisador microbiano certificado e fundador do RTK Environmental Group, diz que os materiais usados ​​para fazer o interior de um carro novo contêm plásticos, colas e carpetes, todos os quais liberam gases ou moléculas de COV.

Embora essas moléculas eventualmente evaporem, elas contribuem para a contaminação do ar externo, inalá-las em espaços confinados tem efeitos imediatamente prejudiciais. Alguns indivíduos experimentam sintomas abruptos, como dores de cabeça e problemas respiratórios.

Esta classe de produtos químicos está presente em produtos de limpeza, produtos de manutenção doméstica e materiais de construção. Os materiais em carros novos são instáveis ​​e emitem gases, incluindo benzeno e formaldeído, ambos carcinogênicos conhecidos.

Os EUA não possuem padrões para proteger os cidadãos contra os COVs, mas outros países sim. Os interiores de carros novos podem conter até 128 vezes o limite legal de compostos orgânicos voláteis de países como a Austrália.  Isso levanta uma preocupação significativa quando você está exposto a moléculas de COV em várias áreas de sua vida, aumentando o efeito que elas têm sobre sua saúde.

Por exemplo, o formaldeído, ou produtos liberadores de formaldeído, podem ser encontrados sob vários nomes diferentes nos rótulos dos produtos, incluindo loções, xampus, cosméticos e até pasta de dente. Rótulos de produtos raramente contêm a palavra formaldeído, mas sim um sinônimo de um produto químico liberador de formaldeído. Alguns desses nomes incluem formalina, metanal, quaternium-15, óxido de metileno e aldeído fórmico.

Os COVs têm um Efeito Desastroso Para sua Saúde

Os compostos orgânicos contêm carbono e são encontrados em todos os seres vivos. No entanto, os COVs tornam-se facilmente vapores ou gases e contêm elementos como flúor, bromo, enxofre ou nitrogênio. Os compostos orgânicos voláteis são liberados através da queima de combustíveis, emitidos do escapamento do diesel e liberados de solventes, tintas e colas. Quando as moléculas de COV combinam-se com óxidos de nitrogênio, elas reagem para formar ozônio, ou poluição, afetando significativamente o sistema respiratório.

Os efeitos para a saúde relacionados aos COVs dependem da concentração dos produtos químicos no ar e da duração de sua exposição. As pessoas têm sintomas diferentes dependendo da sua idade, sexo, problemas de saúde e exposição a outros produtos químicos. A exposição em curto prazo pode desencadear:

Dores de cabeça

Vertigens

Sonolência

Tontura

Reações alérgicas na pele

Falta de ar

Irritação conjuntiva

Vômito

Fadiga

Agravamento dos sintomas de asma

Declínio dos níveis séricos de colinesterase

Desconforto no nariz e garganta

Embora esses sintomas desapareçam com frequência após a interrupção da exposição, a exposição em longo prazo causou câncer e afetou negativamente o fígado, os rins e o sistema nervoso. Benzeno, formaldeído e acetaldeído são comumente emitidos a partir de produtos domésticos e encontrados na saída de gás do seu carro novo. Cada um desses produtos químicos foi ligado a câncer em animais e seres humanos.

Retardadores de Chama, Metais Pesados e Cloro Também Foram Descobertos no Cheiro de Carro Novo

A equipe do Centro de Ecologia, liderada por Jeff Gearhart, descobriu produtos químicos de risco imediatos como bromo, cloro, chumbo e metais pesados. Embora esses produtos químicos tenham sido uma preocupação primordial para os pesquisadores, eles encontraram mais de 275 produtos químicos diferentes no interior dos carros testados. Gearhart comentou que:

“Pesquisas demonstraram que os interiores dos veículos contêm um coquetel único de centenas de produtos químicos tóxicos que liberam gás em espaços pequenos e confinados. Como esses produtos químicos não são regulamentados, os consumidores não têm como saber os perigos que enfrentam. Nosso teste tem a intenção de expor esses perigos e incentivar os fabricantes a usar alternativas mais seguras.”

O bromo é frequentemente encontrado em produtos químicos retardadores de chama bromados, que estão relacionados a um aumento do risco de câncer de mama em mulheres que trabalham como bombeiras que são expostas a fumaça tóxica no trabalho. Retardadores de chama pertencem à mesma classe de produtos químicos como DDTs ou PCBs (organo-halogênios), que reagem com outros produtos químicos para criar dioxinas causadoras de câncer, e são amplamente utilizados em móveis, tapetes e no seu carro.

Os pesquisadores também descobriram associações entre a exposição a substâncias químicas retardadoras de chama, como bromo, e atrasos no desenvolvimento neurológico em crianças quando expostas no útero e após o nascimento, tornando seu carro um risco em potencial para atraso cognitivo e déficit de atenção.

O cloro, outro dos produtos químicos detectados em níveis significativos no cheiro de carros novos, está entre os 10 produtos químicos de maior volume fabricados nos EUA. Embora seja um gás à temperatura ambiente, o cloro é usado para desinfetar a água, na produção de papel e tecido, e em polímeros, borrachas e pesticidas.

Quando o cloro entra no seu corpo através da inalação ou pela exposição através da pele, ele reage com a água, produzindo ácidos corrosivos e subprodutos de detergente que danificam as células no momento do contato. O cloro é tóxico o suficiente para ser classificado como uma arma química e tem sido associado a demência em idosos, aumentando os episódios de asma e irritação nos olhos e na pele.

A exposição ao chumbo possui uma lista de efeitos colaterais e consequências negativas para a saúde que você não esperaria que ocorresse ao ir de carro para o trabalho ou ao supermercado. O envenenamento por chumbo é cumulativo. Em outras palavras, seu corpo não o metaboliza ou excreta.

Com o tempo, o chumbo acumula-se nos seus ossos e dentes. As crianças pequenas são especialmente vulneráveis ​​às doenças físicas e mentais que o chumbo pode desencadear, que incluem atraso no desenvolvimento, dificuldades de aprendizagem, irritabilidade, perda auditiva e convulsões.

Os Fabricantes de Automóveis Seguem a Tendência de Produzir Veículos com Menos Produtos Químicos

Em resposta à demanda dos consumidores, os fabricantes de automóveis estão seguindo em direção à redução da quantidade e da densidade de produtos químicos tóxicos que estão liberando gases nos novos carros. Enquanto os pesquisadores continuam a encontrar um grande número de produtos químicos, alguns fabricantes estão agora produzindo carros sem bromos retardadores de chama perigosos e PVCs que emitem cloro.

Em 2006, o PVC foi usado em quase todos os carros novos, mas hoje 17% dos novos veículos estão sem PVC e 60% sem bromo.

No topo da lista de carros com o menor número de produtos químicos estavam os modelos 2012 do Honda Civic, Toyota Prius e o Honda CR-Z. As piores classificações foram para o Mitsubishi Outlander Sport, o Chrysler 200 SC e o Kia Soul.

Embora o grupo comercial e industrial, a Global Automakers, e a Kia Motors não tenham comentado os resultados, Marcos Frommer, gerente de assuntos corporativos e comunicações da American Honda, disse:

“Estamos satisfeitos por sermos reconhecidos pela HealthyStuff.org por nossos esforços. Na última década, a Honda tomou uma série de medidas para reduzir ou remover produtos químicos preocupantes de nossos veículos.”

Tome Cuidado em Climas Quentes e Tráfego Pesado

Seu carro é um laboratório químico, já que plásticos expostos a temperaturas de até 192 °F (88 °C) e as temperaturas no painel de instrumentos até 248 °F (120 °C) aumentam a quantidade de COVs liberados em uma área fechada. O estudo demonstrou que o perigo para crianças, adultos e animais de estimação foi maior nos primeiros seis meses após a compra de um carro novo.

Os fabricantes de automóveis dizem que estão movendo-se em direção à remoção de COVs dos veículos e fizeram melhorias nos sistemas de ventilação e filtragem de cabine. Muitas dessas mudanças foram desencadeadas por regulamentações na Europa, onde foram implementadas maiores restrições à exposição a toxinas para proteger as pessoas e o meio ambiente.

Embora a China e o estado da Califórnia estejam desenvolvendo suas próprias regulamentações, o governo federal americano está atrasado em fazer quaisquer esforços em fazer o mesmo.

Ventilar seu carro é uma faca de dois gumes. Embora seja melhor manter sua janela aberta ao dirigir um carro novo, é melhor fechar as janelas quando há tráfego pesado e ativar sua função de recirculação para reduzir a quantidade de gases tóxicos que entram no carro.

Você também pode considerar a compra de um carro usado, pois os COVs e as emissões de chumbo são reduzidos significativamente após seis meses. A Agência de Proteção Ambiental dos EUA adverte que a exposição contínua a poluentes encontrados nos carros novos pode levar a problemas reprodutivos, danos ao fígado, rins e sistema nervoso central, além de câncer.

Para reduzir a desgaseificação desencadeada pelo calor elevado, estacione seu carro na sombra e deixe uma janela aberta, se possível. No mínimo, abra as portas em ambos os lados do carro para permitir a troca de ar antes de entrar para dirigir após o carro ter ficado fechado e estacionado.

Evite ficar sentado no carro quando estiver estacionado e use um protetor contra o sol nas janelas para reduzir o acúmulo de calor no veículo. Limpar a poeira com frequência com um pano de microfibra ajudará a reduzir a quantidade de poeira no carro, onde os produtos químicos que flutuam no ar geralmente acumulam-se.