O Que Há de Tão Interessante Sobre o Alho?

Benefícios Promovidos Pelo Alho

Resumo da matéria -

  • O alho reduz inflamações, aumenta a função imunológica, melhora a saúde cardíaca e é tóxico para células cancerígenas
  • O alho é conhecido por suas poderosas propriedades antibacterianas e antivirais e pode até mesmo afastar superbactérias resistentes a antibióticos
  • O alho germinado e o alho “negro” fermentado podem ser especialmente saudáveis
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O alho é uma das mais importantes ervas existentes, porém é também um tonificante comprovado da saúde.

Consumir um ou dois dentes de alho todos os dias pode manter o medico à distância, pois ele beneficia a saúde em diversos níveis.

Curiosamente, embora o alho seja geralmente descrito como uma erva ou tempero, ele, na verdade, não é nenhum dos dois. O alho cresce sob o solo em um bulbo e germina em longos brotos verdes.

É mais correto chamar o alho de vegetal do que de erva e, na verdade, ele pertence à família allium dos vegetais, juntamente com cebolas e alhos-poró.

Aqui é onde os benefícios promovidos à saúde começam, porque os vegetais allium são conhecidos por seu odor ruim (o alho às vezes é chamado de “rosa fétida”). Este odor único é proveniente dos compostos que contêm enxofre, como alicina, que promovem diversos efeitos à saúde.

O Alho Combate 160 Doenças, Incluindo Câncer

Estudos realizados mostraram os efeitos do alho sobre mais de 160 doenças. No geral, seus benefícios são classificados em quatro principais categorias:

  1. Redução de inflamações (reduz o risco de desenvolvimento de osteoartrite e outras doenças associadas a inflamações)
  2. Aumento da função imunológica (propriedades antibacteriana, antifúngica, antiviral e antiparasitária)
  3. Melhora da saúde cardiovascular e da circulação (protege contra coagulação, retarda a formação de placas, melhora os lipídios e reduz a pressão arterial)
  4. Toxicidade contra 14 tipos de células cancerígenas (incluindo cerebral, pulmonar, mamária, gástrica e pancreática)

Com relação ao câncer, o alho demonstrou matar células cancerígenas em estudos realizados em laboratório, e também mostrou-se promissor quando consumido via dieta. Um estudo realizado mostrou que mulheres que regularmente consomem alho (juntamente com frutas e vegetais) estavam 35 por cento menos propensas a desenvolver câncer de cólon.

Pessoas que consomem grandes quantidades de alho cru parecem possuir menor risco de desenvolvimento de cânceres de estômago e colorretal.

Ademais, entre pessoas com formas inoperáveis de câncer colorretal, hepático e pancreático, o consumo de extrato de alho curado por seis meses, ajudou a melhorar a função imunológica sugerindo que ele pode ser útil para ajudar o sistema imunológico durante períodos de estresse ou enfermidade.

É interessante notar também que o dialil sulfeto (DAS), composto que contém enxofre no alho, demonstrou inibir a formação de aminas heterocíclicas carcinogênicas (HCAs), formadas quando a carne é cozida em altas temperaturas.

O DAS evita que um específico tipo de HCA transforme-se em compostos prejudiciais ao DNA reduzindo a produção de certas enzimas hepáticas necessárias para esta transformação.

Isto significa que adicionar alho picado ao hambúrguer, ao bolo de carne e possivelmente ao bife, através de um molho marinado, pode ajudar na redução de subprodutos cozidos causadores de câncer.

Efeitos Reforçadores da Função Imunológica para Combater Doenças Infecciosas (Até Mesmo Bactérias Resistentes a Antibióticos)

O alho é conhecido por suas poderosas propriedades antibacterianas e antivirais. Ele também ajuda no combate a infecções causadas por fungos e vermes.

A combinação de produtos bioquímicos encontrados no alho, incluindo tanino, saponina, fenóis, flavonoides, e óleos essenciais, demonstraram combater bactérias resistentes a antibióticos. Algumas das superbactérias mortas pelo alho eram resistentes a mais de 10 antibióticos diferentes.

Ainda mais intrigante, o alho usado no estudo foi o integral, moído em um almofariz e pilão, e os pesquisadores recomendaram adicionar o alho à dieta como forma de prevenção de infecções. De acordo com os pesquisadores:

“…o uso de temperos (alho/gengibre) na dieta pode reduzir os riscos de contaminação alimentar, proteger o consumidor de diferentes doenças causadas por intoxicação alimentar, melhorar a situação da saúde e combater as doenças causadas por intoxicação alimentar usando pequenas quantidades de temperos (alho/gengibre) na dieta  

…é recomendado usar o alho em diferentes formas cruas, como picles, pão de alho/gengibre, curry em pó, molhos, sucos crus e sem excesso de cozimento.

Em resumo, os resultados do presente estudo forneceram justificativas para o potencial terapêutico dos temperos. A prática de usar temperos como suplemento ou como medicina alternativa não somente reduzirá o fardo clínico do desenvolvimento da resistência a medicamentos como também os efeitos colaterais e custos do tratamento realizado com a medicina alopática.”

O consumo de alho pode ajudar no combate a infecções causadas por resfriados e gripes. De acordo com um estudo realizado, pessoas que consumiram alho diariamente por três meses tiveram menos resfriados do que as pessoas que tomaram um placebo.

Quando pegaram um resfriado, a duração da doença foi menor – média de 4,5 dias comprando-se com 5,5 dias do grupo do placebo.

Embora isto possa não parecer tão impressionante, ainda é melhor do que os resultados alcançados pelo tão aconselhado medicamento para gripe conhecido como Tamiflu, que, se consumido em até 48 horas após a instalação da doença, pode reduzir a duração dos sintomas da gripe em 16 horas – similar ao consumo de alho diariamente.

Antioxidantes, Vitaminas e Minerais Para um Potente Elixir da Saúde

Como muitos outros alimentos naturais, é difícil limitar o alho a apenas um ou dois benefícios, pois ele parece oferecer benefícios ao organismo todo.

O alho é rico em manganês, cálcio, fósforo, selênio e vitaminas B6 e C, portanto é benéfico aos ossos assim como à tireoide.  

Outros compostos que promovem a saúde são os oligossacarídeos, proteínas ricas em arginina, selênio e flavonoides. A Universidade do Centro Médico de Maryland resumiu algumas destas promissoras aplicações:

“…o alho é usado para ajudar na prevenção de doenças cardíacas, incluindo aterosclerose ou endurecimento das artérias (formação de placas nas artérias que podem bloquear o fluxo sanguíneo e podem provocar um infarto ou um AVC), colesterol alto, pressão arterial alta e melhorar o sistema imunológico.

O consumo regular de alho pode também ajudar na proteção contra o câncer.

O alho é rico em antioxidantes. No organismo, partículas prejudiciais chamadas radicais livres são formadas conforme você envelhece e podem contribuir para infartos, câncer e doença de Alzheimer.

Antioxidantes como os encontrados no alho combatem radicais livres e podem reduzir ou até mesmo ajudar na prevenção de alguns dos danos causados ao longo do tempo.”

O Alho Germinado Pode Ser Ainda Mais Saudável

Você já deixou uma cabeça de alho por bastante tempo sob o balcão a ponto de vê-lo germinar brotos verdes? Você não precisa jogá-lo fora!

O alho germinado não é apenas seguro para o consumo; ele pode ser ainda mais saudável do que o alho não germinado.

Em um artigo publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry (Jornal da Química Agrícola e Alimentar), o alho germinado por cinco dias demonstrou possuir atividade antioxidante mais alta do que os bulbos mais frescos e mais jovens, e possuía diferentes metabólitos, sugerindo que também produz substâncias diferentes.

Os pesquisadores concluíram que germinar o alho pode ser uma forma útil de melhorar seu potencial antioxidante. Extratos deste alho ainda protegeram células em uma placa de laboratório contra certos tipos de danos. Isto não é realmente surpreendente quando você considera as alterações nutricionais que tipicamente ocorrem em plantas quando elas germinam.  

Quando as mudas florescem em plantas verdes, elas produzem diversos novos componentes, incluindo aqueles que protegem a planta jovem contra patógenos. A mesma coisa provavelmente acontece com brotos verdes que florescem de cabeças de alho velhas. De acordo com o autor de um estudo, Jong-Sang Kim, PhD:

“As plantas ficam muito suscetíveis a ataques de bactérias, vírus e insetos durante sua germinação. Isto provoca a produção de uma variedade de produtos químicos chamados fitoalexinas para defender a si mesmas. A maioria destas é tóxica a microorganismos e insetos, porém benéficas à saúde humana.”

Você Já Ouviu Falar Sobre o Alho Negro Fermentado?

O alho negro, que é basicamente alho fermentado, pode ser até mais saudável do que outras formas. Em um estudo realizado com ratos em 2009, pesquisadores japoneses concluíram que o alho negro era mais eficaz do que o alho fresco na redução do tamanho de tumores, por exemplo.

O estudo foi publicado no jornal Medicinal and Aromatic Plant Science and Technology (Ciência e Tecnologia Medicinais e Aromáticas das Plantas). Em outro estudo realizado, o alho negro demonstrou possuir duas vezes os níveis de antioxidantes que o fresco – o processo de envelhecimento/fermentação parece dobrar os níveis de antioxidantes.

O alho negro é repleto de compostos sulfurosos em altas concentrações, especialmente um em particular: a s-alilcisteína (SAC). A ciência demonstrou uma série de benefícios à saúde promovidos pela SAC, incluindo a inibição da síntese do colesterol.

Talvez seja por isso que o pintor a óleo mandarim Choo Keng Kwang experimentou completa reversão de sua psoríase logo após o consumo de bulbo de alho negro diariamente por quatro dias — isto depois de tentar incontáveis cremes de pele prescritos medicinalmente que foram um fracasso.

Uma vantagem da SAC é que é muito bem absorvida e muito mais estável do que a alicina e 100 por cento biodisponível. Os pesquisadores estão confiantes que ela desempenha significante função sobre os benefícios gerais promovidos pelo alho.

Infelizmente, a fermentação do alho é um processo longo que requer uma sala com umidade controlada e aquecimento por cerca de um mês. A maioria das pessoas não tem acesso a tal equipamento para fermentar o alho em casa, porém você pode encontrá-lo em fontes confiáveis na internet (na forma de bulbo integral, que tem sabor surpreendentemente doce) ou na forma de suplemento.

Como um aparte, eu fortemente recomendo que você inclua o alho cru em sua dieta também, porém quando consumir o dente fresco, moa-o ou pique-o para estimular a liberação de uma enzima chamada alinase que, por sua vez, catalisa a formação da alicina.

A alicina, por sua vez, rapidamente quebra-se para formar uma série de diferentes compostos organosulfurosos. Portanto, para “ativar” as propriedades medicinais do alho, comprima um dente fresco com uma colher antes de consumi-lo, corte-o bem fino para adicioná-lo à salada ou coloque-o em seu espremedor para adicioná-lo ao suco de vegetais.