A Música Faz Você Exercitar-se Mais?

Tamanho da fonte:
ouvir música durante os exercícios

Em um estudo, pesquisadores pediram a 12 estudantes universitários para andar de bicicleta enquanto ouviam música. Eles receberam uma seleção de seis músicas com uma variedade de ritmos.

Durante uma sessão, as seis músicas foram tocadas em seus ritmos normais. Em outras sessões, o tempo sofreu um atraso de 10% ou aumentou 10%. A atividade deles mudou significativamente em resposta.

Quando o ritmo diminuía, a pedalada diminuía, o ritmo cardíaco caía e a velocidade diminuía. Quando o tempo foi aumentado, eles produziram mais potência a cada pedalada e aumentaram sua média de pedaladas, e seus batimentos cardíacos aumentaram.

O New York Times reportou que:

“A interação entre exercício e música é fascinante e não totalmente compreendida, talvez em parte porque, como ciência, ela insere-se em múltiplas disciplinas, da fisiologia à biomecânica e à neurologia.

Ninguém duvida que as pessoas reajam à música durante o exercício… Mas como a música impacta o corpo durante o exercício, no entanto, está apenas sendo lentamente compreendido pelos cientistas.”

Comentários do Dr. Mercola:

O poder e a influência da música estão sendo estudados em várias frentes, e seu impacto no desempenho humano é nada menos que surpreendente. De ajudar você a melhorar suas habilidades matemáticas a fazer suas pernas moverem-se rapidamente e retreinando seu coração a bater normalmente, a música não deve ser subestimada.

O exercício realmente é uma das escolhas de estilo de vida mais importantes que você pode fazer para melhorar sua saúde. Eu tenho me exercitado por 43 anos e pelos primeiros 20 mais ou menos eu exercitei-me sem ouvir música. Pelos próximos 20 anos, eu ouvi palestras que realmente ajudaram-me a aprender sobre medicina natural e muitos princípios de desenvolvimento pessoal.

Mas, mais recentemente, especialmente desde que eu passei a usar o programa de exercícios de alta intensidade Sprint 8, eu considero que a música é uma motivação incrivelmente eficaz para exercitar-se em um nível mais elevado.

Isso faz uma profunda diferença em quão intensamente eu faço exercícios. A chave do Sprint 8 é exercitar-se com intensidade suficiente para atingir sua frequência cardíaca máxima, que é aproximadamente 220 menos a sua idade. Com trabalho duro e boa música, eu realmente consegui alcançar 171, que é 7 acima do meu máximo calculado.

Eu acho que se eu mudar as músicas que ouço, eventualmente, eu posso chegar a 175.

A Música Conecta Seu Cérebro e Seu Corpo

O artigo do New York Times acima discute vários desenvolvimentos realmente interessantes na área de como a música impacta o desempenho físico.

Ninguém pode explicar a mecânica exata de como a música faz o que ela faz, mas os pesquisadores consistentemente identificam que a música tem um grande impacto no esforço durante o exercício – e muito mais.

A motivação parece ser um fator. Diferentes tipos de partituras provocam diferentes emoções, como alegria ou melancolia, por exemplo, e certos tipos de música podem motivá-lo a correr mais rápido ou a continuar, mesmo que esteja cansado.

No entanto, uma conexão mais intrigante pode ser o fato de que você está mais ou menos “programado” para responder a batidas musicais. O New York Times explica:

“Pode ser que… seu corpo primeiro responda à batida, mesmo antes que sua mente junte-se a isso; sua frequência cardíaca e respiração aumentam e as reações bioquímicas resultantes juntam-se à música para estimulá-lo e motivá-lo a mover-se ainda mais rápido.”

E por que não?

A música tem estado conosco desde os primórdios da humanidade, e pode até mesmo datar até mesmo de antes do inicio da palavra falada.

Escolha o Ritmo Certo para o seu Treino

O estudo publicado no Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports fez uma dúzia de estudantes universitários andarem em uma bicicleta ergométrica enquanto ouviam seis músicas diferentes, tocadas em seu ritmo normal. Eles então compararam o desempenho físico quando as mesmas músicas foram tocadas a um ritmo 10% mais rápido, e 10% mais lento.

Não surpreendentemente, quando o ritmo da música diminuiu, o nível de esforço dos participantes também diminuiu. E quando o ritmo foi aumentado, o desempenho deles também aumentou.

O New York Times escreveu:

“…Paradoxalmente, eles não acharam o treino mais fácil. Seu senso de quão intensamente eles estavam exercitando-se subiu 2,4%. A música em ritmo acelerado não mascara o desconforto do exercício. Mas parecia motivá-los a esforçarem-se.

Como os pesquisadores escreveram, quando ‘a música era tocada mais rapidamente, os participantes escolhiam aceitar, e até preferir, um maior grau de esforço.’”

Portanto, embora seu corpo possa estar simplesmente respondendo à batida em um nível mais ou menos subconsciente, o tipo e ritmo da música que você escolhe enquanto exercita-se também pode influenciar sua motivação consciente. E juntos, a sincronização de mover-se conforme a batida e a motivação causada pela própria música permite que ela faça sua mágica…

Música e Foco

Outro estudo mencionado pelo New York Times foi publicado no ano passado. Ele revelou que ouvir música pode impedir que jogadores de basquete “travem” enquanto estão sob pressão para jogar.

Eles teorizam que a música permitiu aos jogadores ter um novo foco; uma distração, “de si mesmos, de seu público e de pensar no processo físico das jogadas”, o que liberava seus corpos a jogarem mais automaticamente, sem a interferência incômoda de seus próprios processos mentais.

A Música Também Pode Melhorar a Fluência Verbal

Curiosamente, embora os estudos tenham demonstrado que o exercício sozinho tem a capacidade de melhorar o seu humor e aumentar a velocidade do seu processo de tomada de decisão, ouvir música durante o exercício também demonstrou melhorar a fluência verbal.

Um estudo de 2003 publicado na revista Heart Lung revelou que ouvir música durante o exercício aumentou os níveis cognitivos e as habilidades de fluência verbal em pessoas diagnosticadas com doença arterial coronariana.  

A doença arterial coronariana tem sido associada a um declínio nas habilidades cognitivas. Neste estudo, sinais de melhora nas áreas de fluência verbal mais do que dobraram após ouvir música em comparação com a sessão sem música.

Este estudo não oferece nenhuma explicação para essas descobertas. No entanto, parece razoável pensar que tem algo a ver com a interação automática entre o seu corpo e o cérebro quando você ouve música, o que pode permitir que seu cérebro processe a linguagem mais facilmente, assim como pode ajudar a melhorar as habilidades matemáticas.

Seja qual for o mecanismo, adicionar música à sua rotina de exercícios com a esperança de aumentar sua fluência verbal certamente não causará nenhum dano.

Exercite-se com Música: Uma Poderosa Dupla que Reduz o Estresse e Promove a Saúde!

O exercício talvez seja uma das estratégias de redução de estresse mais eficazes que existe. E, com ou sem exercício, a música também é um ótimo regulador de humor por si só.

Uma música alta e otimista geralmente tem um efeito estimulante e energizante, enquanto uma música lenta pode agir como um sedativo e ter um efeito calmante e relaxante no seu estado mental e emocional.

Outra ferramenta excepcional e mais científica para ajudá-lo a reduzir drasticamente o estresse, que é o principal contribuinte para todas as formas de doenças, enquanto maximiza sua consciência e seu potencial de crescimento, é o Insight audio CD. Muitos dos pacientes da minha clínica receberam enormes benefícios dele.

Em camadas sob os sons suaves da chuva natural há uma “batida binaural”, que pode ajudá-lo a alcançar estados dramaticamente poderosos de consciência alterada.

Massoterapeutas e outros profissionais do corpo são especialistas em usar a música para o benefício de seus clientes, criando uma experiência completa de aquietar e acalmar o corpo e a mente. O ritmo da música, a melodia e a qualidade tonal também podem colocá-lo naquele “lugar especial de paz”, onde a cura pode ser alcançada mais rapidamente.

E esse efeito de cura pode ser impressionante.

Outros Benefícios da Música para a Saúde

A música da harpa, por exemplo, pode ser particularmente útil para pessoas que têm problemas cardíacos, ou sofrem com dores ou ansiedade. Também se descobriu que a música da harpa traz benefícios para bebês prematuros. O site da Bedside Harp lista um número impressionante de estudos sobre o impacto da música de harpa na saúde e no bem-estar das pessoas.

Curiosamente, os pesquisadores de Harvard demonstraram que os ritmos dos corações saudáveis podem ser semelhantes àqueles encontrados na música clássica, e que certos ritmos (como o da música da harpa) podem retreinar seu coração a bater mais normalmente.

Na verdade, a Harvard tem um bom site dedicado à música e medicina onde você pode ler mais sobre isso.

Outros estudos do início dos anos 90 concluíram que a música reduzia significativamente as frequências cardíacas e acalmava e regulava as pressões sanguíneas e as taxas de respiração dos pacientes submetidos a cirurgia.

A musicoterapia também tem demonstrado:

Melhorar as habilidades motoras em pacientes que estão recuperando-se de derrames

Fortalecer seu sistema imunológico

Melhorar o foco mental

Ajudar a controlar a dor

Criar uma sensação de bem-estar

Reduzir a ansiedade

Usando a Música como um “Remédio” Antidepressivo

Um estudo de 2008 publicado no The Journal of Clinical Nursing descobriu que mulheres grávidas que ouviram música suave demonstraram reduções significativas no estresse, ansiedade e depressão.

Os pesquisadores concluíram que,

“Os resultados podem ser usados para encorajar as mulheres grávidas a usar este método econômico de música na sua vida diária para reduzir seu estresse, ansiedade e depressão.”

Apenas mais evidências de que algumas das coisas mais simples do mundo podem beneficiar sua saúde de maneiras profundas.

Uma vez que a depressão, estresse geral e ansiedade são problemas muito comuns enfrentados por muitas mulheres grávidas, esse é um excelente conselho, especialmente à luz do uso cada vez maior de remédios antidepressivos durante a gravidez.

Embora alguns estudos afirmem que o uso de antidepressivos durante a gravidez não aumente o risco de ter um bebê com defeitos congênitos, outros demonstraram que eles podem causar graves efeitos rebote no seu bebê. Claramente, os remédios raramente são a melhor escolha para mulheres grávidas que estão deprimidas. Existem tantas opções melhores – sendo a música uma delas.

E mais uma vez, combine música com exercício, e você terá uma estratégia muito potente para combater a depressão sem recorrer a remédios que alteram a mente.

Isso também vale para as mulheres grávidas, já que o exercício é claramente indicado como sendo benéfico durante a gravidez, tanto para a mãe quanto para a criança.

Como sua Sessão de Exercícios pode Beneficiar-se da Música?

Como dito anteriormente, exercitar-se ouvindo música oferece mais benefícios do que apenas tornar sua sessão de exercícios mais divertida. Em outro artigo do New York Times, publicado em 2008, intitulado: They're playing my song: Time to work out (Eles estão tocando minha música: hora de malhar), o psicólogo esportivo Costas Karageorghis explicou como ouvir música enquanto faz exercícios pode:

  1. Reduzir sua percepção de quão intensamente você está exercitando-se em cerca de 10% durante atividades de baixa a moderada intensidade.
  2. Influenciar profundamente o seu humor; elevando os aspectos positivos, como vigor, entusiasmo e felicidade, e reduzindo depressão, tensão, fadiga, raiva e confusão.
  3. Ser usado para definir um ritmo adequado de aquecimento, treino e relaxamento.
  4. Ser usado para superar a fadiga e controlar suas emoções se você estiver em uma competição.

Criando a Melhor Lista de Músicas para Exercitar-se

Comprometer-se com uma rotina regular de exercícios é tão importante quanto seguir um programa de alimentação nutritivo. Levando em consideração esses benefícios positivos da música e do exercício, você pode querer adicionar algumas músicas ao seu treino.

Não sabe como selecionar a música certa para sua rotina?

O site Lifehacker pode ajudar-lhe com um artigo interessante sobre como criar a melhor lista de músicas para exercitar-se. Como a maioria de nós agora tem tocadores pessoais de MP3 (e muitos tipos de telefones celulares podem cumprir essa função), essa é uma maneira simples de fornecer música consistentemente otimista para motivá-lo.

Lembre-se de que se você estiver fazendo o exercício Sprint 8, você realmente está apenas exercitando-se intensamente por um total de quatro minutos, o que pode ser apenas uma música. Então, idealmente, seria melhor já deixar preparadas suas músicas inspiradoras favoritas.

O Lifehacker também recomenda selecionar músicas com de 120 a 140 batidas por minuto para otimizar seu exercício, e oferece um pequeno vídeo sobre como determinar as batidas por minuto de qualquer música em particular, junto com links para programas que também podem ajudar nisso.