Três Alimentos Que Podem Desencadear um Derrame

Carne Defumada

Resumo da matéria -

  • Cerca de 80% dos derrames são evitáveis. Dieta, nível de vitamina D e prática de exercícios são três fatores de estilo de vida importantes com influência direta no seu risco individual
  • Sua dieta desempenha função crucial para a redução de risco de desencadeamento de um derrame. Alimentos a ser evitados — porque aumentam diretamente seu risco — incluem alimentos processados contendo gordura trans, carne processada ou defumada e refrigerantes diet
  • Antes de cortar a carne vermelha e o sal da dieta, temendo que estes alimentos possam aumentar os riscos de desencadeamento de derrame, saiba que nem todas as carnes e sais são produzidos da mesma forma. Enquanto alguns aumentam os riscos, outras variedades podem promover efeito contrário e benéfico
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

De acordo com a National Stroke Association (Associação Nacional para Derrames), o derrame é a terceira causa líder de morte e é uma ameaça à saúde que vem crescendo rapidamente entre mulheres de meia idade em particular. O tipo mais comum de derrame é chamado “derrame isquêmico”, que resulta em obstrução do vaso sanguíneo que fornece sangue ao cérebro. Uma série de fatores provavelmente está por trás do surpreendente aumento de derrames ocorrentes em mulheres, incluindo:

  • Aumento nas taxas de obesidade (a circunferência da cintura das mulheres cresceu 5,08 centímetros nos últimos 10 anos)
  • Deficiência em Vitamina D devido à falta de exposição ao sol. Evitar o sol também aumenta seu risco de deficiência em sulfato de vitamina D, que pode ser causa subjacente da formação de placa arterial (fator de risco para desencadeamento de derrame)
  • Prevalência crescente dos níveis de açúcar no sangue

Derrames Tipicamente Ocorrem Sem QUALQUER Aviso

É por isso que a prevenção é tão importante. Você simplesmente não recebe qualquer sinal de alerta de que é propenso(a) a ter um derrame no futuro. E, uma vez que sofre um derrame, o dano, caso você sobreviva a ele, pode ser absolutamente devastador.

Gosto de referir-me aos derrames como um ataque do cérebro, que é similar a um ataque do coração; a única diferença é que o coágulo bloqueia o fluxo sanguíneo para o cérebro em vez do coração. Como resultado, as células cerebrais começam a morrer. Naturalmente, quanto mais tempo seu cérebro fica sem oxigênio, maior o risco de prolongar o dano cerebral.

Esta é uma área em que a medicina emergencial convencional destaca-se, pois existem medicamentos emergenciais que podem realmente dissolver o coágulo sanguíneo que está bloqueando o fluxo sanguíneo para o cérebro e, se o processo for feito de forma rápida o suficiente, ele pode praticamente reverter qualquer dano neurológico permanente.

Para ser eficaz, você tipicamente precisa ser tratado(a) em até uma hora. Este é claramente um dos milagres da ciência moderna; no entanto, tudo vai por água abaixo se a pessoa não tratar os problemas adjacentes após o derrame. Portanto, se você observar qualquer dos sinais de derrame mencionados abaixo, você deve procurar ajuda imediatamente:

  • Problema repentino ao caminhar (tontura, perda de equilíbrio, etc.)
  • Confusão repentina
  • Dormência ou fraqueza repentina (especialmente se ocorrer em apenas um dos lados do corpo)
  • Problema repentino para enxergar
  • Dor de cabeça aguda repentina

Para Evitar Derrame, Primeiro Cuide da Dieta

Claramente, no caso de derrames (e da maioria das doenças), a prevenção é a melhor opção e sua dieta desempenha função CRUCIAL.

Um artigo recente apresentado pela Yahoo Health relaciona os alimentos que foram associados ao aumento do risco de desencadeamento de um derrame. Concordo com três dos cinco mencionados e revisarei os apresentados abaixo. Os outros dois, denominados carne vermelha e sal, precisam de algum esclarecimento, pois nem todas as carnes e sais são produzidos da mesma forma. O problema está nos detalhes, conforme eles dizem, e isto é definitivamente uma coisa para se ter em mente antes de banir a carne vermelha e o sal da dieta.

Carne vermelha — Acredito ser um grave erro colocar TODAS as carnes vermelhas no mesmo pacote, porque as diferenças entre a carne produzida em Operações de Alimentação de Animais Confinados (CAFO) e a carne produzida organicamente, proveniente de animal alimentado com grama, são imensas; é como se estivéssemos falando de alimentos completamente diferentes.

A carne proveniente de animal alimentado organicamente com grama tipicamente NÃO é associada a qualquer dos efeitos prejudiciais à saúde que você vê na carne CAFO, porém muitos poucos pesquisadores, muito menos jornalistas, sequer fazem esta distinção. Para outras informações sobre o porquê de a carne proveniente de animal alimentado no pasto ser realmente boa para você e NÃO promover doenças da forma que a CAFO faz, por favor, veja este artigo escrito anteriormente.

Sal — Com relação ao sal, você não pode comparar o sal processado usado em alimentos processados com o sal natural, não refinado. Portanto, embora eu concorde que ficar longe de alimentos processados o(a) ajudará a reduzir os riscos de desencadeamento de um derrame e melhorará sua saúde em geral, é importante entender que você não precisa evitar COMPLETAMENTE o sal, e sim apenas o tipo processado (pense no sal de mesa regular).

O sal natural, não refinado, por outro lado, como o sal do Himalaia, é realmente muito importante para uma série de processos biológicos, incluindo a ajuda do revestimento dos vasos sanguíneos para regular a pressão arterial — claramente um efeito benéfico, oposto ao efeito promotor de doenças. Para saber mais sobre as diferenças entre o sal processado e o natural não refinado essencial à vida, por favor, reveja este artigo escrito anteriormente.

Gorduras Trans: Conhecidas por Aumentar o Risco de Derrames

Qualquer alimento que contenha gordura trans deve ser evitado se você preocupa-se com sua saúde. Isto inclui diversos alimentos processados, como biscoitos, salgadinhos, a maioria dos alimentos cozidos vendidos em lojas e qualquer alimento frito, para mencionar somente alguns. Gorduras trans são conhecidas pela promoção de inflamações, que são marca registrada da maioria das doenças crônicas e/ou graves, não apenas de derrames ou doenças cardíacas.

Mulheres, em particular, devem considerar este aviso, pois as taxas de ocorrências de derrame estão crescendo em mulheres de meia idade e más escolhas dietéticas são provavelmente um grande culpado. Em um estudo divulgado no ano passado, mulheres pós-menopáusicas que consumiam a maior parte de sua dieta rica em gorduras trans tinham incidência 30% maior de derrames isquêmicos.

Por favor, também entenda que praticamente todos os jornalistas de saúde e “especialistas” também incluirão gordura saturada nesta categoria e isso seria um grande erro, pois gorduras saturadas em quantidades apropriadas e não prejudicadas pelo aquecimento são, na verdade, promotoras da saúde.

Cuidado com Carnes Defumadas e Processadas

Certos conservantes, como nitrato de sódio e nitrito de sódio, encontrados em carnes defumadas e processadas, demonstraram danificar os vasos sanguíneos, o que poderia aumentar o risco de desencadeamento de derrames. Ademais, nitratos são frequentemente convertidos em nitrosaminas, que estão também claramente associadas ao risco de desenvolvimento de certos tipos de câncer. Na revisão mais recente realizada em mais de 7.000 estudos sobre dieta e câncer pelo The World Cancer Research Fund (Fundo Mundial de Pesquisas Sobre o Câncer), os pesquisadores concluíram que ninguém deveria comer carne processada justamente por este motivo.

Cachorro-quente, bacon, salame e outras carnes processadas podem também:

  • Aumentar o risco de desenvolvimento de diabetes em 50%
  • Diminuir a função pulmonar
  • Aumentar o risco de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

Recomendo manter estes alimentos em quantidade mínima em sua dieta se optar por consumi-los. E, se você vai consumir bacon, salsicha, presunto e outros produtos cárneos processados de vez em quando, siga estas orientações para ajudá-lo(a) a reduzir qualquer risco à saúde:

  • Escolha carnes orgânicas que sejam provenientes de animais alimentados no pasto ou não confinados
  • Procure por variedades “não curadas” que NÃO contenham nitratos
  • Opte por variedades que sejam 100% carne, 100% frango, etc. Este é o único jeito de saber se a carne é proveniente de espécies únicas e não inclui subprodutos (como pele de frango ou gordura de frango)
  • Evite qualquer carne que contenha MSG, xarope de milho de alta frutose, conservantes, aromas artificiais ou corantes artificiais
  • Idealmente, compre salsicha e outras carnes processadas de um produtor pequeno e local a quem você pode perguntar sobre os ingredientes usados

Refrigerante Diet Pode Aumentar Drasticamente os Riscos de Desencadeamento de Derrames

No começo deste ano, uma pesquisa apresentada na American Stroke Association's International Stroke Conference (Conferência Internacional sobre Derrames da Associação Americana para Derrames) mostrou que pessoas que bebem apenas um refrigerante diet por dia aumentaram seu risco de desencadeamento de derrame em 48%!

De acordo com os autores:

“Este estudo sugere que o refrigerante ‘diet’ não é um substituto ideal para bebidas doces e pode ser associado a maiores riscos de desencadeamento de derrames, infarto do miocárdio ou morte vascular do que o refrigerante regular.”

Embora sejam necessárias novas pesquisas para confirmar esta potencial associação, existem evidências suficientes que mostram que os adoçantes artificiais, como aspartame e sucralose (Splenda) podem ser perigosos para a saúde. Acredito que o aspartame seja, de longe, o mais perigoso adoçante artificial no mercado.

Como a Deficiência de Vitamina D Aumenta o Risco de Derrames

De acordo com uma pesquisa apresentada na American Heart Association's (AHA) Annual Scientific Sessions (Sessões Científicas Anuais da Associação Americana do Coração (AAC)), em Chicago, IL, em novembro do ano passado, baixos níveis de vitamina D — o nutriente essencial obtido através da exposição solar — dobram o risco de derrames.

A Vitamina D é o único substrato conhecido para uma potente reparação e manutenção pleiotrópicas (significando que produz efeitos múltiplos) do hormônio secosteroide que promove múltiplas funções regulatórias de genes no organismo. É por isso que os benefícios promovidos pela vitamina D à saúde abrangem desde a melhoria da função imunológica até redução significativa do risco de desenvolvimento de câncer até melhora na desintoxicação de mercúrio.

Ela funciona essencialmente como “chave mestra” para ativar a “biblioteca” de DNA dentro de cada célula do organismo. Esta biblioteca celular de DNA contém as informações necessárias para tratar praticamente todo tipo de estímulo que a célula possa encontrar; consequentemente, este é o motivo pelo qual a vitamina D funciona em tantos tecidos diferentes e afeta número tão grande de diferentes doenças e problemas de saúde. Até o momento, cientistas encontraram cerca de 3.000 genes que são regulados pela vitamina D.

A deficiência em vitamina D não é somente conhecida por aumentar o risco de enrijecimento arterial, fator de risco principal do desencadeamento de derrames, como pode também:

  • Aumentar os riscos de desenvolvimento de diabetes em 50%
  • Reduzir a função pulmonar
  • Aumentar o risco de desenvolvimento de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

Outras Orientações para Evitar Desencadeamento de Derrames

É importante observar que a maioria – em torno de 80%, de acordo com a Associação Nacional para Derrames – dos derrames é evitável, portanto você tem muito a “considerar” se vai tornar-se estatística aqui.

Portanto, além de evitar alimentos processados (especialmente carnes defumadas e processadas) e refrigerantes diet, e de certificar-se de que seus níveis de vitamina D estejam dentro da faixa terapêutica, o que mais pode ajudar na redução dos riscos de desencadeamento de um derrame? Convencionalmente falando, vários dos mesmos fatores de risco que aumentam seu risco de desenvolvimento de doenças cardíacas também aumentam seu risco de desencadeamento de derrames e isto inclui fatores como:

  • Alta pressão arterial
  • Obesidade
  • Nível alto de triglicérides e níveis elevados de homocisteína
  • Baixos níveis de colesterol HDL (bom) e altos níveis de colesterol LDL (ruim)
  • Fumar

Portanto, como acontece com o coração, o consumo de alimentos não processados, preferencialmente orgânicos, a prática de exercícios e a manutenção do peso saudável ajudarão na redução dos riscos de desencadeamento de derrames. Dois fatores de risco adicionais que podem promover impacto direto no risco de desencadeamento de derrames são:

  • Sofrimento psicológico. De acordo com um estudo publicado em 2008 no jornal Neurology (Neurologia), quanto mais estressado(a) você estiver, maior seu risco. Pesquisadores, na verdade, concluíram que para cada grau menor que uma pessoa registrou em sua escala de bem-estar, seu risco de desencadeamento de derrames aumentou em 11%. Não surpreendente, a relação entre o desconforto psicológico e o derrame foi mais pronunciada quando o derrame foi fatal.
  • Terapia de reposição hormonal (TRH) e pílulas anticoncepcionais. Se você está usando um dos métodos de controle de natalidade hormonal (seja ele pílula, adesivo, anel vaginal ou implante), é importante entender que você está consumindo progesterona sintética e estrógeno sintético – algo que claramente não é vantajoso se você quer manter a saúde ótima. Estes contraceptivos contêm os mesmos hormônios sintéticos que aqueles usados na terapia de reposição hormonal (TRH), que promovem riscos muito bem documentados incluindo formação de coágulos sanguíneos, desencadeamento de derrames, ataques cardíacos e câncer de mama.

Finalmente, pode ser válido mencionar que a vitamina B3, ou niacina, pode ajudar diretamente na melhora da função neurológica APÓS o derrame. Quando ratos com derrame isquêmico tiveram com niacina administrada, seus cérebros mostraram crescimento de novos vasos sanguíneos e produção de células nervosas que melhoraram demasiadamente o resultado neurológico. Embora isto precise ser mais bem estudado, ainda serve como outro potente exemplo de como a nutrição está no centro de todos os mecanismos de cura do organismo, mesmo quando se trata de algo tão grave quanto um derrame.

Porém, opção inquestionável para tratamento para reabilitação de derrame grave seria a oxigenoterapia hiperbárica (OTH). Pesquisa realizada mostrou que a OTH ajuda o organismo a mobilizar células-tronco mesenquimais que desempenham função crucial na tentativa do organismo em reparar qualquer tecido ou célula danificada.

+ Recursos e Referências