Um Novo Relatório Revelará Quais Iogurtes São Saudáveis e Quais é Melhor Evitar

mulher comprando iogurte

Resumo da matéria -

  • A maioria dos iogurtes comerciais é repleta de açúcar, frutose processada (xarope de milho de alta frutose) e/ou adoçantes artificiais e aromas, que alimentam os micróbios causadores de doenças no intestino
  • Um microbioma saudável não é somente importante para a digestão ideal do alimento e absorção dos nutrientes, mas estas bactérias também ajudam o organismo a produzir vitaminas, absorver minerais e até mesmo auxiliar na eliminação de toxinas
  • Uma pesquisa realizada recentemente sugere que o iogurte que contém Lactobacillus rhamnosus pode ajudar na proteção de crianças e mulheres grávidas contra envenenamento com metais pesados
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Eu recentemente tive o prazer de entrevistar Mark Kastel, cofundador do Instituto Cornucopia, sobre seu tão esperado e necessário Relatório sobre o Iogurte. A entrevista foi feita no recente Heirloom Seed Festival (Festival da Semente Herdeira, em tradução livre) em Santa Rosa, CA, onde ambos tivemos a honra de palestrar.

A ideia do Relatório sobre o Iogurte foi iniciada cerca de dois anos atrás. Eu estava fora da cidade e um amigo pediu-me iogurte, então fui verificar algumas marcas em uma mercearia local.

Para minha surpresa, não consegui encontrar um único iogurte saudável. Eles são todos junk food (alimento sem qualidade) disfarçados de “alimento saudável”. Antes desta experiência, eu não tinha ciência do quão degenerada a maioria dos iogurtes comerciais havia tornado-se.

Isto foi realmente uma grande decepção, portanto procurei o Instituto Cornucopia. Foram necessários dois anos de investigação.

Se você está consumindo iogurte para ajudar sua flora intestinal, você precisa ler este relatório. É muito provável que você esteja consumindo iogurte que tenha mais similaridades com uma bala ou doce do que com qualquer outra coisa.

Você Foi Enganado(a)?

A maioria dos iogurtes comerciais está cheia de corantes artificiais, aromas, aditivos e açúcar, como frutose (xarope de milho de alta frutose) que alimentam as bactérias, levedura e fungos causadores de doenças no intestino. Uma vez que seu intestino tem espaço limitado, estes sufocam as bactérias benéficas e o(a) deixa doente.

O açúcar promove resistência à insulina, que é fator determinante para a maioria das doenças crônicas. Praticamente todos os iogurtes disponíveis comercialmente são feitos com leite pasteurizado (aquecidos em alta temperatura) mesmo antes de ser reaquecidos para a produção do iogurte em si, e isto tem suas desvantagens.

Os iogurtes considerados de primeira categoria são geralmente pasteurizados a temperaturas relativamente baixas e são produzidos com leite bruto em vez de leite anteriormente pasteurizado. Embora não sejam tão vantajosos como a produção caseira de iogurte usando leite bruto, certamente são melhores do que a maioria dos iogurtes comerciais.

O relatório investigou a campanha de rotulagem da indústria alimentícia, Culturas Vivas e Ativas, que supostamente ajuda o consumidor a selecionar produtos com altos níveis de probióticos saudáveis.

Para avaliar o conteúdo probiótico, o Cornucopia testou iogurte comprado diretamente das mercearias em vez de seguir as práticas de teste da indústria nos níveis da fábrica. Como se pode concluir, muitas das marcas que trazem o rótulo Culturas Vivas e Ativas contêm níveis MAIS BAIXOS de probióticos do que as marcas orgânicas de primeira linha constantes no relatório e na tabela de desempenho do Cornucopia que não fazem parte da campanha Vivas e Ativas.

O relatório também inclui uma análise de custo comparativa com as marcas de iogurte comerciais. A boa notícia é que muitos iogurtes orgânicos são, na verdade, menos caros, geralmente vendidos por quilo, do que os iogurtes convencionais, pesadamente processados.

O Cornucopia Registrou uma Reclamação; Requer Investigação da FDA

Conforme observado em sua conferência de imprensa para anúncio do lançamento do relatório:

“Baseado em sua investigação industrial, o Instituto Cornucopia registrou reclamação formal junto à Administração de Alimentos e Medicamentos (Food and Drug Administration (FDA)) pedindo que a agência investigue se alguns iogurtes encontrados no mercado, fabricados por companhias como Yoplait, Dannon, e diversas outras marcas próprias incluindo Walmart, violam o padrão legal de identidade de produtos rotulados como iogurte.

O Instituto Cornucopia requer que a definição legal de ‘iogurte’ seja aplicada na rotulação do produto, assim como é feito com produtos rotulados ‘queijo’.

'O motivo pelo qual a Kraft tem de chamar Velveeta® de ‘alimento de queijo processado’ é que alguns ingredientes usados, como óleo vegetal, não podem estar legalmente em um produto comercializado como ‘queijo’, adicionou Kastel.

O Cornucopia alega que alguns dos ingredientes que os fabricantes estão usando para a produção de iogurte, como concentrado de proteína de leite (CPL), tipicamente importados de países como Índia, não cumprem com os padrões legais atuais para iogurtes.”

Por Que Você Precisa de Probióticos

Benefícios dos probióticos

Seu organismo contém cerca de 100 trilhões de bactérias, a maior parte no intestino, o que é mais de 10 vezes o número de células que você possui no organismo inteiro. Está bem claro agora que o tipo e a quantidade de micro-organismos no intestino interage com o organismo de forma que pode tanto evitar quanto incentivar o desenvolvimento de várias doenças.

Um microbioma saudável não é somente importante para a digestão ideal de alimentos e para a absorção de nutrientes, mas estas bactérias também ajudam o organismo a produzir vitaminas, absorver minerais, auxiliar na eliminação de toxinas e são responsáveis por boa parte do sistema imunológico e saúde mental, incluindo sua capacidade de resistir à ansiedade, estresse e depressão.

Um estudo realizado recentemente descobriu que iogurte que contém Lactobacillus rhamnosus pode ajudar na proteção de crianças e mulheres grávidas contra envenenamento com metais pesados.

Conforme mostrado em estudo anterior, certos microorganismos são particularmente eficientes na ligação a certas toxinas e/ou produtos químicos, incluindo pesticidas. Aqui, eles concluíram que o L. rhamnosus tinha preferência na ligação (e eliminação) do mercúrio e do arsênico.

De acordo com os autores:

“Alimento probiótico produzido localmente representa um meio nutritivo e acessível para pessoas em alguns países em desenvolvimento contra exposição a metais tóxicos.” Probióticos também promovem dezenas de outras ações farmacológicas benéficas, incluindo:

Antibacteriana

Antialérgica

Antiviral

Imunomoduladora

Anti-infecciosa

Antioxidante

Antiproliferativa

Apoptótica (autodestruição celular)

Antidepressiva

Antifúngica

Cardioprotetora

Gastroprotetora

Radio e quimioprotetora

Aumenta a glutationa e certas glicoproteínas que ajudam na regulação das respostas imunológicas, incluindo interleucina-4, interleucina-10 e interleucina-12

Diminuiu a interleucina-6 (citocina envolvida com inflamações e doenças relacionadas à idade)

Inibe o inibidor alfa, fator de necrose tumoral (TNF), NF-kappa B, receptor do fator de crescimento epidérmico e mais

Também é importante perceber que as bactérias intestinais são muito vulneráveis ao estilo de vida e a fatores ambientais. Alguns dos maiores agressores que conhecidamente dizimam o microbioma são os seguintes (é melhor evitar todos estes):

Açúcar/frutose

Grãos refinados

Alimentos processados

Antibióticos (incluindo antibióticos administrados ao gado para produção de alimentos)

Água clorada e fluoretada

Sabonetes antibacterianos

Produtos químicos agrícolas e pesticidas

Poluição

A Saúde Cerebral Está Fortemente Conectada à Saúde Intestinal

Embora muitas pessoas pensem no cérebro como o órgão no comando de sua saúde mental, seu intestino pode, na verdade desempenhar função muito mais importante. Uma pesquisa de suporte realizada indica que problemas intestinais podem diretamente impactar a saúde mental, desencadeando problemas como ansiedade e depressão. Por exemplo:

  • Um estudo realizado para validação do conceito conduzido por pesquisadores da UCLA concluiu que o iogurte que contém diversas estirpes de probióticos, os quais se acreditava promover impacto benéfico sobre a saúde intestinal, também promoveram impacto benéfico sobre a função cerebral dos participantes reduzindo a atividade em regiões do cérebro que controlam o processamento central da emoção e de sentimentos como ansiedade.
  • O Journal of Neurogastroenterology and Motility (Jornal da Neurogastroenterologia e Motilidade) relatou que o probiótico conhecido como Bifidobacteriumlongum NCC3001 normalizou comportamentos parecidos com ansiedade em ratos com colite infecciosa modulando as vias vagais do eixo intestino-cérebro.
  • Outra pesquisa concluiu que o probiótico Lactobacillus rhamnosus promoveu um efeito marcante nos níveis GABA — neurotransmissor inibidor que está significativamente envolvido com a regulação de diversos processos fisiológicos e psicológicos — em certas regiões do cérebro e reduziu a corticosterona, hormônio indutor do estresse, resultando em redução do comportamento relacionado à ansiedade e à depressão.

Estudos realizados anteriormente confirmaram que o que você consome pode rapidamente alterar a composição de sua flora intestinal. Especificamente, uma dieta rica em legumes e fibra produz uma composição profundamente diferente da microbiota da dieta tipicamente ocidental rica em carboidratos e gorduras processadas.

Isto é parte e parcela do problema ocorrente com a maioria dos iogurtes disponíveis— eles são amplamente promovidos como saudáveis porque contêm probióticos (adicionados), porém são tão carregados com ingredientes que irão anular tudo que é bom que eles tornam-se basicamente inúteis.

Os efeitos negativos do açúcar de longe superam qualquer benefício marginal das bactérias benéficas mínimas que eles possuem. Lembre-se de que o passo mais importante para a construção de uma flora intestinal saudável é evitar açúcar, pois ele fará com que os micróbios causadores de doenças expulsem sua flora benéfica.

Surpreendentemente, Mark Kastel observa que algumas marcas orgânicas de iogurte, na verdade, continham umas das maiores quantidades de açúcar! É importante perceber que alguns iogurtes podem conter tanto açúcar quanto doces ou biscoitos com os quais pais mais responsáveis não alimentariam seus filhos no café da manhã. Aromas artificiais são também comumente usados.

Você Pode Facilmente Produzir, de Forma Barata, Seu Próprio Iogurte

Sua melhor aposta, quando se trata de iogurte, é produzir o seu próprio usando uma cultura iniciadora e leite bruto proveniente de animal alimentado no pasto. Leite orgânico bruto proveniente de vacas alimentadas no pasto não apenas contém bactérias benéficas que preparam seu sistema imunológico e podem ajudar na redução de alergias, mas é também uma fonte incrível de vitaminas (especialmente vitamina A), zinco, enzimas e gorduras saudáveis.

O leite orgânico bruto não está associado a qualquer dos problemas de saúde do leite pasteurizado como artrite reumatoide, erupções cutâneas, diarreia e cãibras.

Embora seja delicioso na sua forma natural, você pode adicionar um adoçante natural a ele. Mark sugere adoçantes alimentícios integrais como mel orgânico bruto ou xarope de bordo (xarope de ácer), por exemplo. Você pode também adicionar aroma sem adoçá-lo adicionando extrato de baunilha ou um pouco de suco de lima ou de limão. Bagas ou frutas integrais são outra alternativa óbvia. Apenas lembre-se de não exagerar, especialmente se você for resistente à insulina ou leptina — e cerca de 80% dos americanos são.

Nutra Seu Microbioma com Iogurte Orgânico para Obter uma Saúde Ótima

Alimentos produzidos artificialmente como iogurte são boas fontes de bactérias saudáveis naturais, desde que sejam tradicionalmente fermentados e não pasteurizados. Uma das melhores e menos caras formas de obter bactérias saudáveis através da dieta é obter leite bruto e convertê-lo em iogurte ou kefir.

É realmente fácil de fazer em casa. Tudo o que você precisa é de alguns grânulos de uma cultura iniciadora e um litro de leite bruto, o qual você deixará em temperatura ambiente durante toda a noite.

Quando acordar de manhã você vai provavelmente ter o kefir. Se ele não tiver obtido a consistência de iogurte, você pode deixá-lo um pouco mais de tempo e, então, guardá-lo na geladeira.

Um litro de kefir possui muito mais bactérias ativas do que você obteria com um suplemento probiótico e é muito econômico, pois você pode reutilizar o kefir do litro de leite original cerca de 10 vezes antes de necessitar começar uma nova cultura.

Apenas um pacote de cultura iniciadora de grânulos de kefir pode converter cerca de 200 litros de leite em kefir! Alimentos produzidos artificialmente devem ser parte regular de sua dieta e se você consumir quantidade suficiente deles, você manterá seu trato digestivo bem suprido de boas bactérias.

Haverá momentos em que um suplemento probiótico será necessário, mas para a manutenção da saúde intestinal no dia a dia, o iogurte e outros alimentos tradicionalmente produzidos ou fermentados são opções verdadeiramente ideais.