Como as Emoções Negativas Podem Afetar sua Saúde

Emoções

Resumo da matéria -

  • Cada sentimento que você desenvolve afeta alguma parte do seu corpo. Embora emoções positivas, como a gratidão, estejam cientificamente associadas a vários efeitos benéficos à saúde, emoções negativas e estresse podem causar estragos
  • Algumas emoções são conhecidas por sua associação à dor em certas regiões do corpo. Por exemplo, indivíduos deprimidos muitas vezes experimentam dores no peito, mesmo quando não há nada fisicamente errado com seus corações
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Você sabia que todo sentimento que você desenvolve afeta alguma parte do seu corpo? Embora emoções positivas, como a gratidão, estejam cientificamente associadas a uma série de efeitos benéficos à saúde, emoções negativas e estresse podem causar estragos - especialmente se você não estiver se exercitando ou se alimentando direito, pois ambos podem reduzir o pessimismo e ajudar a manter o estresse sob controle.

É interessante notar que certas emoções são conhecidas por estarem associadas à dor em certas regiões do corpo, mesmo que a ciência não possa explicar exatamente por que isso acontece. Por exemplo, pessoas que sofrem de depressão muitas vezes experimentam dores no peito, mesmo quando não há nada fisicamente errado com seus corações.

O pesar extremo também pode promover impacto devastador, e pesquisas confirmam que nos dias seguintes à perda de um ente querido, o risco de sofrer um ataque cardíaco aumenta em 21 vezes.

Enquanto a mecânica exata dessas conexões mente-corpo ainda está sendo desvendada, o que se sabe é que seu cérebro, e consequentemente seus pensamentos e emoções, desempenham função distinta no modo como você experimenta a dor física e podem contribuir para o desenvolvimento de doenças crônicas.

Como resultado desses tipos de descobertas, tem ocorrido um aumento no número de terapias mente-corpo que levam em conta essa inter-relação entre suas emoções e sua saúde física.

A Ciência da Raiva

Durante uma explosão de raiva uma cadeia bioquímica acontece. Por exemplo: alguém o interrompe no trânsito e, em resposta, você fica com raiva. Quando isso acontece, produtos químicos de estresse associados à resposta de luta ou fuga são liberados, preparando seu corpo para uma ação rápida.

A resposta ao estresse começa no seu cérebro. Quando seus olhos ou ouvidos registram uma ameaça repentina (o carro invadindo sua faixa), as informações são enviadas para a amígdala, uma área do cérebro que interpreta imagens e sons e está envolvida no processamento das emoções.

Interpretando as imagens e os sons como uma ameaça iminente, sua amígdala envia um sinal de perigo ao hipotálamo, que pode ser comparado a um centro de comando central para todo o corpo.

Ela se comunica com várias partes do corpo e órgãos através do sistema nervoso autônomo, que é responsável por funções involuntárias do corpo, como respiração, frequência cardíaca, pressão arterial, dilatação e constrição dos vasos sanguíneos e assim por diante.

Seu sistema nervoso autônomo tem dois "ramos" - o sistema nervoso simpático, que desencadeia a resposta luta ou fuga, e o sistema nervoso parassimpático, que promove a resposta "descanso e digestão" que acalma seu corpo quando você está não mais em perigo.

À medida que a amígdala envia seu sinal de perigo, o hipotálamo ativa o sistema nervoso simpático, ativando suas glândulas suprarrenais que então liberam adrenalina (também conhecida como epinefrina) e noradrenalina (norepinefrina).

A liberação repentina de substâncias químicas causadoras de estresse causa o aumento da frequência cardíaca e da pressão sanguínea o que, por sua vez, faz com que você respire mais rapidamente. Também liberta glucose e gorduras de locais de armazenamento no seu organismo, dando assim ao corpo um rápido aumento de energia.

O sangue também é liberado em direção às suas extremidades, incluindo o rosto. É por isso que a raiva pode literalmente fazer você ficar vermelho. Essa cadeia de eventos ocorre tão rapidamente que já está em pleno andamento antes que o centro visual do seu cérebro tenha processado completamente o que está acontecendo em volta.

A Importância do Córtex Pré-frontal

Para manter ou recuperar o controle emocional neste ponto, você precisa acionar seu córtex pré-frontal - área do cérebro que controla as funções executivas, incluindo comportamento cognitivo e social complexo, expressão da personalidade, força de vontade, tomada de decisão e julgamento.

Sem o acionamento do córtex pré-frontal, você é incapaz de autocontrolar e processar um pensamento lógico.

Como observado em um estudo de 2015, que analisou como as mensagens subliminares de raiva afetam sua capacidade para tomada de decisões, "O impacto comportamental e fisiológico do estado de raiva compromete a eficiência cognitiva”.

A Raiva Crônica Pode Aumentar seu Risco de Desenvolvimento de Demência

Sua saúde cerebral também sofre consequências negativas se você estiver cronicamente com raiva. Por exemplo, uma forma de raiva crônica conhecida como "desconfiança cínica" tem sido associada a um risco significativamente maior de demência. A desconfiança cínica é descrita como a crença de que a maioria das pessoas só pensa em si mesma, em vez de se preocupar com os outros.

Em um estudo, idosos com alto grau de desconfiança cínica tinham um risco 2,5 vezes maior de desenvolver demência do que aqueles com baixos níveis. Essa descoberta se soma a um número crescente de pesquisas que demonstram que as emoções negativas, e o cinismo em particular, contribuem para uma saúde precária. É perigoso de várias maneiras. Por exemplo, a pesquisa demonstrou que:

  • Mulheres com atitudes cínicas e hostis são mais propensas a morrer prematuramente e possuem taxas mais elevadas de morte por doença cardíaca coronária do que mulheres com "expectativas futuras positivas"
  • Pessoas com atitudes cínicas podem sofrer mais com o estresse, e não recebem tanto dos benefícios de proteção contra o estresse oferecidos por um apoio social positivo
  • A hostilidade cínica está associada à má saúde bucal
  • A hostilidade cínica está associada ao aumento dos marcadores de inflamação, o que pode contribuir com problemas cardíacos e demência
  • A hostilidade cínica está associada ao aumento da carga metabólica em adultos de meia-idade e idosos

Como Nutrir o Bem-estar Emocional

A raiva é uma emoção humana normal e pode, sem dúvida, ser apropriada em determinados momentos. Pode servir como um aviso de que algo está errado ou alertá-lo sobre um trauma físico ou psicológico iminente. A raiva, acompanhada de adrenalina, pode lhe promover energia para resistir a uma ameaça física real. A raiva também pode ajudá-lo (a) a aprender a estabelecer limites físicos e emocionais mais saudáveis.

Se sua raiva irá prejudicar sua saúde ou não, pode estar relacionado não apenas à frequência com que você sente raiva, mas também à forma como ela se expressa e como você lida com suas consequências. A chave é canalizar sua raiva para uma expressão externa controlada e construtiva. Isso pode realmente ajudar na libertação da tensão e do estresse.

Um exemplo disso seria usar sua raiva para alimentar uma sessão de exercícios intensos ou para limpar a casa. A raiva construtiva, na qual as pessoas discutem (da forma mais racional e calma possível) seus sentimentos de raiva e trabalham para obter soluções, também demonstrou beneficiar tanto a saúde quanto as relações interpessoais.

Se você tende a ter pavio curto, recomendo usar técnicas de psicologia energética, como as Técnicas de Libertação Emocional (Emotional Freedom Techniques -EFT). As EFT podem reprogramar as reações do seu organismo aos inevitáveis estressores da vida cotidiana, estimulando diferentes pontos meridianos de energia em seu corpo.

É feito tocando locais vitais específicos com as pontas dos dedos, enquanto afirmações verbais personalizadas são repetidas. Isso pode ser feito sozinho ou sob a supervisão de um terapeuta qualificado.

Empenhe-se em ser mais consciente — concentrando-se no que você está fazendo e nas sensações que está experimentando no momento; fazer isso também pode melhorar sua perspectiva mental e emocional. Quando você está consciente, sua mente terá menos chance de perambular e refletir sobre incidentes estressantes ou provocadores de raiva, o que pode ajudá-lo (a) a abandonar seus sentimentos de raiva.

Além disso, certifique-se de obter muito sono restaurador, pois sem ele é muito mais provável que você perca o controle emocional. A prática de exercícios é mais uma estratégia fundamental para o seu bem-estar emocional. Estudos demonstraram que, durante a prática de exercíciod, substâncias químicas tranquilizantes (endorfinas) são liberadas no seu cérebro.

É uma maneira natural de trazer ao seu corpo relaxamento e rejuvenescimento prazerosos, e demonstrou ser capaz de proteger contra os efeitos físicos do estresse diário.

Por último, mas não menos importante, considere seguir os conselhos de Susie Moore, colunista do Greatist e orientadora de vida e autoconfiança. Quando algo ou alguém lhe deixar com raiva, apenas pergunte a si mesmo: "E daí?" Declarações grosseiras, até mesmo insultos, não são reflexo do seu verdadeiro valor e nem ser cortado no trânsito é uma indicação de que o Universo está conspirando para arruinar o seu dia.

"Há uma sabedoria quase antiga para essa pergunta de duas palavras: "E daí?" - quando você reflete sobre isso, e há um milhão de maneiras de aplicá-la ", ela escreve em “These Two Simple Words Can Cure Your Anger (Estas Duas Palavras Simples Podem Curar Sua Raiva). "E daí?" significa… Não se preocupe com outras pessoas.

Está tudo bem. Isso lhe dá um ponto de vista quase budista para a vida... Agora, deixe eu lhe perguntar: Quais são as situações em que você pode responder com um, “e dai?'

Não ser incluído ou convidado para algo do qual você queria fazer parte?

Não marcarem com você um segundo encontro?

Não conseguiu o emprego que procurava?

Pagou uma taxa de atraso para uma aula de treino às 7 da manhã com a qual você não cumpriu para conseguir um sono muito necessário?

Estragou o seu jantar?

… E daí?"