Os Carrapatos Estão Vencendo?

Carrapatos

Resumo da matéria -

  • Os carrapatos têm bocas especialmente desenvolvidas para se alimentar de sangue; além do hipóstomo em forma de agulha, que é coberto por ganchos voltados para trás, há duas quelíceras semelhantes a bastões, que ajudam a direcionar o hipóstomo à sua pele
  • A saliva dos carrapatos contém anestésicos, então você não sentirá sua picada, juntamente com anticoagulantes e imunossupressores que facilitam a alimentação dos carrapatos, ao mesmo tempo que isso permite a transmissão de doenças como a de Lyme
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Os carrapatos estão por toda parte e, embora suas mordidas possam ser inofensivas, elas também possuem potencial para transmitir doenças graves.

A doença de Lyme - causada pela bactéria Borrelia burgdorferi espalhada pela picada de carrapatos de perna preta (também conhecida como carrapato de cervo) e Ixodes pacificus - provavelmente afeta mais de 300.000 por ano. Carrapatos são criaturas furtivas que desenvolveram um sistema elaborado para alimentar-se de sangue humano.

Enquanto outros sugadores de sangue, como mosquitos, picam, chupam rapidamente e vão embora, o objetivo dos carrapatos é ficar embutidos na pele por dias e, como tal, eles têm bocas especialmente desenvolvidas para cumprir essa finalidade.

Além do hipóstomo em forma de agulha, que é coberto por ganchos voltados para trás, há duas quelíceras semelhantes a bastões, que ajudam a direcionar o hipóstomo para a pele. Você não sentirá o momento em um carrapato o (a) pica, nem quando ele se alimenta.

Sua saliva contém anestésicos para essa finalidade, juntamente com anticoagulantes e imunossupressores que facilitam a alimentação dos carrapatos ao mesmo tempo em que permitem a transmissão de doenças como a de Lyme.

Como Carrapatos Espalham Doenças?

Para fazer a transição entre cada um de seus estágios de vida (ovo, larva, ninfa e adulto), os carrapatos devem encontrar uma fonte de sangue para sobreviver. Os carrapatos podem viver até três anos durante esse processo, embora muitos morram antes disso, quando não conseguem encontrar um hospedeiro para alimentar-se. Os carrapatos ficam à espreita em uma folha ou na grama, esperando para detectar um hospedeiro em potencial através de odores corporais ou da respiração ou pela sensação de calor, umidade, vibrações e até sombras.

Se você aventurar-se muito perto do esconderijo de um carrapato, ele subirá ao pico e começará o processo de fixação, que pode levar de minutos a duas horas.

Como o carrapato suga o sangue durante vários dias, ele ingere quaisquer patógenos encontrados no animal hospedeiro. No caso de bactérias da doença de Lyme, ratos de patas brancas infectam 75 a 95% dos carrapatos larvais que se alimentam deles. Tais patógenos dentro do carrapato podem então ser transmitidos ao hospedeiro através da saliva liberada durante o processo de alimentação.

Existem mais de duas dúzias de doenças transmitidas pelos carrapatos que podem ser transmitidas aos seres humanos, incluindo febre do carrapato do Colorado, febre maculosa das montanhas rochosas, doença de Powassan e doença de Lyme cada vez mais prevalente.

Na maioria dos casos, as picadas de carrapatos não causam sintomas, mas é possível sentir dor, erupção cutânea ou queimação. Se você desenvolver uma mancha vermelha ou erupção perto do local de uma picada de carrapato, esse é um possível sinal de doença transmitida por carrapatos e deve ser analisada pelo seu médico.

Erupção característica em forma de "roseta" é frequentemente associada à doença de Lyme, mas essa erupção ocorre apenas em cerca de metade das pessoas infectadas, portanto, a ausência de tal erupção cutânea não exclui a possibilidade de picada de carrapato.

O Número de Casos de Doença de Lyme Está Aumentando

Embora somente carrapatos de cervo sejam conhecidos como transmissores da doença de Lyme, atualmente casos desta doença têm ocorrido na metade dos condados nos 48 estados continentais dos EUA. A doença de Lyme é uma doença transmitida por vetores mais comumente relatados nos EUA, de acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), com 95 por cento dos casos confirmados em 2015 provenientes dos 14 estados a seguir:

Connecticut

Delaware

Maine

Maryland

Massachusetts

Minnesota

New Hampshire

Nova Jersey

Nova York

Pennsylvania

Rhode Island

Vermont

Virginia

Wisconsin

Segundo a International Lyme and Associated Diseases Society (Sociedade Internacional de Doença de Lyme e Doenças Associadas) - ILADS, desde o início do acompanhamento em 1982, o número anual de casos de doença de Lyme aumentou cerca de 25 vezes. A doença também está se espalhando geograficamente.

Quanto mais tempo um carrapato estiver fixo, maiores as chances de transmissão de um agente infeccioso. Na maioria dos casos, a doença de Lyme é transmitida por ninfas jovens, em vez de carrapatos adultos, simplesmente porque as ninfas são menores e, portanto, menos propensas a serem descobertas e removidas.

De acordo com o CDC, o carrapato deve estar normalmente fixado de 36 a 48 horas ou mais antes que a bactéria da doença de Lyme possa ser transmitida, mas o ILADS observa que é possível contrair a doença de Lyme mesmo se o carrapato estiver fixo por menos de 24 horas.

Muitos pacientes com doença de Lyme nunca se lembram de ter sido picados por um carrapato e, de acordo com o Dr. Dietrich Klinghardt - uma das principais autoridades sobre a doença de Lyme - a bactéria que causa a doença também pode ser transmitida por outros insetos incluindo mosquitos, aranhas, pulgas e ácaros.

Muitos Desafios Cercam o Diagnóstico da Doença de Lyme e seu Tratamento

A doença de Lyme geralmente começa com fadiga, febre, dores de cabeça, e dores articulares ou musculares. Isso pode evoluir para espasmos musculares, perda de coordenação motora, paralisia intermitente, meningite e até problemas cardíacos. O tratamento precoce é fundamental para prevenir complicações, mas não há exame confiável para diagnosticá-la.

Segundo o ILADS, até 50% dos pacientes examinados para doença de Lyme podem receber resultados falso negativos, e o paciente médio consulta cinco médicos em quase dois anos antes de ser diagnosticado. Muitos são informados de que a doença está "em suas cabeças" antes de finalmente receber ajuda.

Uma das razões pelas quais os exames de sangue são tão pouco confiáveis como indicadores da infecção por Lyme é que a espiroqueta que causa a doença de Lyme (prima da espiroqueta que causa a sífilis) é capaz de infectar seus glóbulos brancos. Exames de laboratório dependem da função normal dessas células para produzir os anticorpos que medem. Se os glóbulos brancos estiverem infectados, eles não responderão adequadamente a uma infecção.

Para que os exames de Lyme sejam úteis, você precisa ser tratado primeiro. Uma vez que seu sistema imunológico comece a responder normalmente, somente então os anticorpos aparecerão em um exame de sangue. Isso é chamado "Paradoxo de Lyme" - você precisa ser tratado antes que um diagnóstico adequado possa ser feito. Algo que também é problemático é a controvérsia sobre se a doença de Lyme é uma doença crônica.

A Infectious Diseases Society of America (Sociedade de Doenças Infecciosas da América) - IDSA há muito recomenda um tratamento de curto prazo com antibióticos, embora muitos pacientes não melhorem após o tratamento ou tenham uma recaída logo em seguida. Como resultado das orientações da IDSA, as empresas de seguro normalmente não pagam pelo tratamento prolongado.

Opções de Tratamento Natural para a Doença de Lyme

Os antibióticos são frequentemente ineficazes no tratamento da doença de Lyme, e podem prejudicar gravemente suas bactérias intestinais e aumentar seu risco de desenvolver infecções resistentes a antibióticos, especialmente quando consumidos a longo prazo. Eu recomendo tentar estratégias naturais primeiro, como a linha Nutramedix de antimicrobianos à base de plantas, recomendada por um dos mais proeminentes especialistas em medicina alternativa, o Dr. Lee Cowden.

A melhor característica deste tratamento natural para a doença de Lyme, muitas vezes chamada de "Protocolo Cowden", é que ela faz uma rotação com vários antimicrobianos à base de plantas, de modo que você não precisa se preocupar se as bactérias desenvolvem resistência a eles.

A tabela a seguir também relaciona uma série de suplementos nutricionais considerados úteis no tratamento da doença de Lyme por pessoas que adotam métodos naturais.

Probióticos para melhorar a imunidade e restaurar a microflora durante e após os antibióticos

A curcumina é útil para reduzir as toxinas neurológicas e o inchaço cerebral

Astaxantina para neutralizar toxinas, melhorar a visão e aliviar a dor nas articulações, comum em Lyme

Um concentrado de proteína de soro de leite pode ajudar no aspecto da nutrição, já que muitas vezes ela é ruim em pacientes com Lyme que não se sentem bem o suficiente para alimentar-se corretamente

O extrato de semente de toranja pode tratar a forma de cisto de Borrelia

Óleo de krill para reduzir a inflamação

O coentro como quelante natural para metais pesados

A Serrapeptase ajuda a decompor biofilmes

O resveratrol pode tratar a Bartonella, coinfecção, e também ajuda na desintoxicação

GABA e melatonina para ajudar na insônia

Artemisinina e andrographis, duas ervas que podem tratar Babesia, coinfecção comum

CoQ10 para dar apoio à saúde cardíaca e reduzir dor muscular e confusão mental

A quercetina reduz a histamina (frequentemente elevada na doença de Lyme)

Fatores de transferência podem ajudar a melhorar a função imunológica

Klinghardt também possui um protocolo para a doença de Lyme que pode ajudá-lo (a) a recuperar-se da infecção. Seu site explica o protocolo detalhadamente, mas aqui estão os passos básicos para se ter uma ideia do que ele implica:

  1. Avalie todos os fatores externos e trate-os conforme apropriado. Estes incluem mofos, campos eletromagnéticos, radiação eletrostática e radiação de micro-ondas em conexão com tecnologias sem fio. Klinghardt aconselha proteger sua casa usando um Y Shield (tinta de grafite especial), a fim de reduzir a radiação por micro-ondas proveniente do exterior. Tecido revestido com prata é usado nas cortinas. Os pacientes são aconselhados a desligar todos os fusíveis durante a noite e a eliminar todos os telefones sem fio até que se recuperem da doença.
  2. Tratar do estresse e problemas emocionais. Ferramentas de psicologia energética como as Técnicas de Libertação Emocional (EFT) podem ser úteis para lidar com os componentes emocionais da doença de Lyme.
  3. Tratar infecções parasitárias, bacterianas e virais. Os parasitas precisam ser tratados primeiro, seguidos então pelas bactérias e depois os vírus. Klinghardt usa um coquetel antimicrobiano composto de absinto, vitamina C, fosfolipídios e diferentes ervas. Infecções virais são tratadas com Viressence da BioPure, tintura de ervas nativas americanas.
  4. Tratar outros fatores de estilo de vida. Determine sua necessidade de suplementação (antioxidantes) para lidar com deficiências nutricionais.

Passos para Evitar Picadas de Carrapatos e Como Remover Carrapatos

Se você está se aventurando em uma área natural onde pode haver presença de carrapatos, tomar as seguintes medidas de precaução pode ajudá-lo (a) a evitar picadas de carrapatos:

Em áreas infestadas por carrapatos, evite o contato com o solo, folhas no chão e a vegetação.

Use roupas justas de cor clara para detectar facilmente carrapatos.

Use sapatos fechados, calças compridas e camisa de mangas compridas. Coloque a ponta das suas calças dentro das meias ou botas e a camisa dentro da calça.

Verifique as roupas e qualquer pele exposta frequentemente quanto a carrapatos enquanto estiver ao ar livre e verifique novamente uma vez dentro de casa.

Caminhe no centro das trilhas.

Fique em trilhas limpas e muito usadas. Evite entrar em contato com a vegetação.

Evite sentar-se diretamente no chão ou em paredes de pedra.

Mantenha cabelo longo amarrado para trás, especialmente quando estiver fazendo jardinagem.