Por que a Semente de Mostarda em Pó Orgânica é Essencial na Cozinha

Semente de mostarda em pó

Resumo da matéria -

  • Semente de mostarda contém compostos que inibem a proliferação do câncer. Ela também contém compostos que aumentam o potencial de combate ao câncer de outros vegetais crucíferos, oferecendo duplo benefício quando misturados
  • Composto encontrado na semente de mostarda marrom reduziu o risco de câncer de bexiga em 34,5% e foi 100% eficaz na prevenção contra a proliferação do câncer nas células musculares adjacentes
  • Enzima chamada mirosinase é essencial para a conversão de glucosinolatos em isotiocianatos – compostos quimioprotetores. Embora todos os vegetais crucíferos contenham alguma mirosinase, você melhora significativamente a conversão consumindo-os junto com um alimento particularmente rico em mirosinase, como semente de mostarda em pó
  • O cozimento pode também afetar os benefícios promovidos à saúde pelos vegetais crucíferos. Para aumentar os benefícios promovidos pelos brócolis, leve-os ao vapor por três a quatro minutos. Não deixe passar de cinco minutos
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Uma série de alimentos possui atividade anticancerígena conhecida. Entre os mais conhecidos estão os membros da família dos crucíferos, sendo que os brócolis lideram a lista quando trata-se de investigação científica realizada. Um dos menos conhecidos é a semente de mostarda, que também pertence ao gênero brassica.

Como pode-se observar, a semente de mostarda não apenas contém compostos que demonstram inibir a proliferação do câncer, como também contém compostos que aumentam o potencial de combate ao câncer de outros vegetais crucíferos, oferecendo duplo benefício real quando misturados.

A semente de mostarda em pó pode também ser usada para aprimorar medicamentos tópicos caseiros, como pastas e banhos para alívio da dor.

Composto Encontrado na Semente de Mostarda Bloqueia Eficazmente a Progressão do Câncer de Bexiga

Estudo realizado em 2010 concluiu que composto encontrado na mostarda marrom e em vegetais crucíferos chamado alil isotiocianato (AITC), também conhecido como óleo de mostarda, reduziu os riscos de desenvolvimento de câncer em 34,5% e foi 100% eficaz na prevenção da proliferação do câncer em células musculares adjacentes. A interrupção completa da progressão do câncer é bem marcante com relação ao câncer com metástase em tecidos adjacentes 71% do tempo em controles não tratados.

Sobretudo, o alimento integral — semente de mostarda em pó — foi mais eficaz que a forma purificada. A semente de mostarda seca contém um composto chamado sinigrina, precursora do AITC. Quando misturada à água (que é o que acontece no estômago), a enzima chamada mirosinase converte a sinigrina em AITC.

Uma forma relacionada a esta enzima é encontrada no trato digestivo humano, porém a forma vegetal é muito mais eficaz, executando conversão mais completa. Provavelmente é por isso que o alimento integral funciona melhor do que o composto isolado.

Outro resultado interessante foi que doses mais altas não foram mais eficazes. Animais que tiveram administrados 71,5 miligramas (mg) de semente de mostarda em pó por quilo de peso corporal foram os que tiveram ocorrência de câncer reduzida em 34% e metástase completamente bloqueada.

Em animais tratados com 715 mg de semente de mostarda em pó por quilo, o crescimento do tumor foi reduzido em apenas 23% e a invasão do tumor ainda ocorreu até 62% do tempo. Portanto, um pouco pode fazer muito mais! Outros estudos realizados tiveram resultados similares. Conforme relatado pela Natural Society:

“Conclusão similar foi encontrada pelo Dr. Anthony Di Pasqua, químico bioinorgânico da Universidade da Carolina do Norte e seu colega Dr. Fung-Lung Chung da Universidade Georgetown. Seus estudos apoiam as conclusões de Bhattacharya sobre o AITC em semente de mostarda marrom.

Dr. Di Pasqua informou: ‘Nossos estudos mostraram que, uma vez dentro da célula, ITCs [isotiocianatos] formam ligações com proteínas e as afinidades de tal ligação com proteína estão proximamente associadas à habilidade de indução da apoptose (suicídio celular).’”

A Mirosinase É a Chave para o Aumento dos Efeitos Quimioprotetores Promovidos Pelos Vegetais Crucíferos

ITCs são derivados de compostos que contêm enxofre chamados glucosinolatos, encontrados em vegetais crucíferos. Diferentes glucosinolatos hidrolisam em diferentes ITCs. Brócolis, por exemplo, é rico em glucorafanina, glucosinolato precursor do sulforafano, que promove efeitos quimioprotetores bem estabelecidos. O sulforafano também ajuda a melhorar a pressão arterial, a saúde cardíaca e a função renal.

Cientistas acreditam que os benefícios promovidos pelo sulforafano estão relacionados à melhora da metilação do DNA, crucial para a função celular normal e expressão genética apropriada, especialmente no revestimento interno das artérias facilmente danificado (endotélio).

Brócolis, como a semente de mostarda, também contêm sinigrina, precursora do AITC. Conforme mencionado, a hidrólise do glucosinolato é catalisada por uma classe de enzimas chamada mirosinase. Fontes vegetais conhecidas por ser particularmente ricas em mirosinase são:

Semente de mostarda

Agrião picante

Wasabi

Rabanete Daikon

Rábano

Rúcula

Salada de repolho

Para reiterar, a enzima mirosinase é essencial para a conversão de vários glucosinolatos em ITCs — compostos que finalmente oferecem benefícios à saúde como quimioproteção — e, embora a maioria, senão todos os vegetais crucíferos, contenha alguma mirosinase, você pode significativamente melhorar a conversão consumindo vegetais crucíferos junto com um alimento particularmente rico em mirosinase.

Isto é uma forma simples de realmente melhorar os efeitos quimioprotetores destes vegetais. O wasabi, por exemplo, demonstrou aumentar os efeitos quimioprotetores de vegetais crucíferos em 40%.

A semente de mostarda parece ser mais eficaz, no entanto, pois contém uma forma particularmente resistente de mirosinase. Pesquisa realizada confirma que a semente de mostarda pode melhorar a formação de sulforafano até mesmo em brócolis cozidos, o que não é tipicamente recomendado pois o cozimento evita a formação de sulforafano inativando a mirosinase dos brócolis.

ITCs Também Aumentam os Níveis dos Antioxidantes Master no Organismo

Uma vez que os ITCs são absorvidos, eles transformam-se em glutationa no fígado. Conhecida como o mais poderoso antioxidante do organismo, a glutationa é um tripeptídeo encontrado em cada célula do organismo.

É chamada “antioxidante master” porque é intracelular e possui exclusiva habilidade de maximizar o desempenho de todos os outros antioxidantes, incluindo vitaminas C e E, CoQ10, ácido alfa-lipoico, assim como vegetais e frutas frescos que você consome.

A principal função da glutationa é proteger suas células e mitocôndrias contra danos oxidativos e peroxidativos. É também essencial para desintoxicação, utilização da energia e prevenção de doenças associadas à idade.

A glutationa também elimina toxinas das células e promove proteção contra efeitos danosos da radiação, de produtos químicos e de poluentes ambientais.

Adicione Mostarda a Todos os Vegetais Crucíferos

O AITC é encontrado em todos os vegetais crucíferos, não somente na mostarda. Aqui está uma relação de vegetais que pertencem a esta importante família. Adicionar um ou mais destes alimentos à sua dieta toda semana pode ser um longo caminho para reduzir seus riscos de desenvolvimento de câncer.

E lembre-se de que, para realmente melhorar os efeitos quimioprotetores promovidos por estes vegetais crucíferos, certifique-se de adicionar um pouco de semente de mostarda em pó ou outro alimento rico em mirosinase (veja lista fornecida anteriormente).

Rúcula

Bok choi

Brócolis

Nabiça

Brócolis Romanesco

Couve-de-bruxelas

Repolho

Couve-flor

Brócolis chinês

Repolho chinês

Couve

Daikon

Agrião picante

Rábano

Couve galega

Couve-rábano

Komatsuna

Agrião de sequeiro

Maca

Mostarda (folhas e semente; marrom, verde, branca e preta)

Mizuna

Rabanete

Rutabaga

Tatsoi

Pak choi

Nabo (raiz e folhas)

Wasabi

Agrião

O Cozimento Também Afeta o Potencial Anticancerígeno dos Vegetais Crucíferos

Outro fator que pode afetar os benefícios promovidos à saúde pelos vegetais crucíferos a um grau significante é a forma como você os cozinha. Não foram realizados estudos em todos os membros desta família, porém pesquisa realizada claramente demonstra que existe uma forma ideal de preparar e consumir brócolis maduros.

Elizabeth Jeffery, Ph.D., pesquisadora e mestre do departamento de ciência alimentar e nutrição humana da Universidade de Illinois, analisa esta pesquisa que mostra que colocar brócolis sob vapor por três a quatro minutos é o ideal.

Quando você consome brócolis maduros crus, você obtém apenas 12% do teor total de sulforafano teoricamente disponível com base no composto principal. Colocar brócolis sob vapor por três a quatro minutos melhorará o teor de sulforafano eliminando a proteína epithiospecifier — proteína sensível ao calor, sequestradora de enxofre que inativa o sulforafano — enquanto ainda retém a enzima mirosinase, que converte glucorafanina em sulforafano.

Novamente, sem mirosinase você não obtém qualquer sulforafano. O cozimento dos brócolis passando da marca em um minuto não é recomendado, pois isto destruirá a maior parte da mirosinase. Se você quer cozinhar seus brócolis, escalde-os em água fervente por não mais que 20 a 30 segundos, mergulhando-os em água fria para interromper o processo de cozimento e certifique-se de adicionar semente de mostarda em pó a seu prato.

Couve-flor também contém sulforafano. Cozer ou escaldar couve-flor provoca perda de antioxidantes, portanto a vaporização parece ser a melhor opção para a couve-flor também. Infelizmente, embora pesquisas realizadas tenham identificado o tempo ideal para vaporização de brócolis, o mesmo não foi identificado para couve-flor especificamente, porém é provável que seja similar ao dos brócolis.

Ademais, pesquisa realizada revela que diferentes variedades de couve-flor respondem de forma diferente aos vários níveis de aquecimento e tempos de cozimento. Em um estudo realizado, escaldar a couve-flor roxa a 70 °C (158 °F) aumentou significativamente o teor de sulforafano comparando-se a escaldar a 50 °C (120 °F), enquanto o tempo de imersão não teve influência significativa. Na couve-flor romana, por outro lado, tanto a temperatura quanto o tempo de imersão influíram.

Outras Aplicações Medicinais para a Semente de Mostarda

Voltando à semente de mostarda, a semente de mostarda em pó, na verdade, tem longo histórico de aplicações, especialmente na medicina Ayurvédica, onde era usada topicamente para melhorar a circulação sanguínea e a desintoxicação. Consumida internamente, uma colher de chá de semente de mostarda em pó duas vezes ao dia pode ser usada como medicamento para constipação. Pasta de mostarda e banhos de mostarda também eram medicamentos populares comuns para dores musculares e das articulações.

Parte do efeito de alívio da dor é devido ao alto teor de magnésio e selênio encontrado na semente de mostarda.

Você pode facilmente recriar tais medicamentos usando ingredientes domésticos baratos. Para um banho com mostarda calmante e aliviador da dor, encha a banheira (se tiver) com água quente. Em uma jarra de água, misture os ingredientes relacionados abaixo e adicione essa mistura na água da banheira e mergulhe nela.

banho de mostarda

Ingredientes

  • 1/4 de xícara de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de sopa de mostarda em pó
  • 1 ou 2 gotas de óleo essencial de gualtéria ou hortelã
  • 1 ou 2 gotas de óleo essencial de alecrim
  • 1 ou 2 gotas de óleo essencial de eucalipto

Mensagem Final

Existem diversas mensagens finais aqui. Primeiro, como grupo, vegetais crucíferos são conhecidos por promover uma ampla gama de benefícios à saúde, incluindo a supressão de inflamações e prevenção do câncer, e a lista de vegetais crucíferos é muito maior do que a maioria das pessoas percebe. Isto significa que você tem várias opções para escolher, sendo que os brócolis, a couve-flor e a couve-de-bruxelas não conseguem atormentar seu paladar.

Segundo, vegetais crucíferos contêm diversos compostos quimioprotetores diferentes, porém requerem o funcionamento da enzima mirosinase. Vegetais crucíferos não possuem somente grandes quantidades desta enzima crucial, como também sua preparação e cozimento podem afetar enormemente sua atividade e é aqui que está o problema. Afinal de contas, alguns vegetais — couve-de-bruxelas, por exemplo — não são particularmente saborosos na forma crua. Portanto, a questão é, como cozinhar estes alimentos sem abdicar de seus benefícios promovidos à saúde?

Para recapitular, sua melhor opção para vários vegetais crucíferos é levemente vaporizá-los e consumi-los juntamente com um alimento rico em mirosinase. A semente de mostarda é a mais potente. Isto é um “atalho” que basicamente oferece a você o benefício do alimento cru mesmo que seja altamente cozido. Porém, há ainda outra dica apresentada pelo Dr. Michael Greger no vídeo abaixo o qual ele intitula técnica “atalho e manutenção”.