Queime Gordura como Combustível

prato de abacate

Resumo da matéria -

  • Dietas com baixo teor de gordura e alto teor de carboidratos previnem função mitocondrial saudável, contribuindo assim para doenças crônicas como obesidade, diabetes tipo 2, doenças cardíacas, doença de Alzheimer, câncer e mais
  • Estudos sugerem que dietas com poucos carboidratos e muitas gorduras - e que alimentar-se com menos frequência - pode ser a resposta para a epidemia de obesidade. Os benefícios deste tipo de dieta são o foco principal do meu livro “Fat for Fuel” (Gordura como Combustível), e do meu curso on-line complementar
  • Quando seu organismo é capaz de queimar gordura como combustível, o fígado cria gorduras hidrossolúveis chamadas cetonas, que queimam muito mais eficientemente do que carboidratos, criando assim espécies de oxigênio reativas muito menos prejudiciais e radicais livres secundários
  • Jejum de água de várias semanas ativa a autofagia, permitindo que seu organismo faça uma limpeza e desencadeie regeneração de células-tronco. Consumir tão pouco quanto 200 ou 300 calorias por dia é suficiente para abortar o processo de autofagia
  • O jejum demonstrou ser capaz de desencadear a regeneração do pâncreas em pessoas com diabetes do tipo 1 e do tipo 2 - testemunho do poder regenerativo desencadeado no organismo quando se está em jejum
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

A noção de que seu organismo precisa consumir regularmente glicose como energia tornou-se um mito profundamente arraigado. Como resultado desse conselho equivocado, obesidade, diabetes, doenças cardíacas e prevalência de câncer aumentaram, gerando epidemias nacionais, se não globais.

A verdade é que a maioria das dietas com pouca gordura e muitos carboidratos de longa duração previne função mitocondrial saudável, contribuindo mais para o desenvolvimento de doenças do que a maioria das pessoas está disposta a considerar.

Gorduras alimentares são realmente o combustível preferido do metabolismo humano. Em 2016, o British National Obesity Forum (Foro Nacional Britânico para Obesidade) e a Public Health Collaboration (Contribuição Pública para a Saúde) publicaram um relatório conjunto sobre obesidade baseado na análise de 43 estudos, alertando que a política para encorajar as pessoas a se alimentar com uma dieta com poucas gorduras está promovendo "impacto desastroso à saúde".

Segundo os autores, as orientações atuais foram manipuladas e corrompidas para ganho comercial pelas indústrias de alimentos e bebidas, e são baseadas em provas cientificas errôneas.

Poucos Carboidratos, Muita Gordura Rica e Redução da Frequência de Refeições Podem Resolver Muitas Doenças Comuns

Concluindo, o relatório sugere que uma alimentação com poucos carboidratos e muitas gorduras - e comer menos cortando lanches entre as refeições - pode ser a resposta para a epidemia de obesidade.

Os benefícios deste tipo de dieta são o foco principal do meu livro mais recente, "Fat for Fuel" (Gordura como Combustível) e do meu curso on-line complementar, que o (a) orienta através de sete lições envolventes para ensinar como seu organismo funciona no nível molecular e como alimentos diferentes o afetam.

O conselho tradicional de perda de peso sugere que tudo que você precisa fazer é contar calorias, comer menos e exercitar-se mais. Recomendações um pouco melhores pedem, especificamente, que você reduza o açúcar. No entanto, embora muitas pessoas inicialmente percam peso fazendo isso, geralmente não demorará muito para recuperar o peso perdido.

Antes que você perceba, você estará dentro de um ciclo repetitivo, em uma dieta ioiô. Existe uma solução melhor. Muitas das epidemias de doenças que enfrentamos hoje podem ser invertidas, educando pessoas sobre os benefícios de:

  • Uma dieta rica em gorduras saudáveis, moderada em proteínas e pobre em carboidratos líquidos (carboidratos totais menos fibra)
  • Jejum intermitente
  • Jejum de água mais longo

É importante perceber que calorias não são criadas da mesma forma, e é por isso que contar calorias não funciona para perda de peso e saúde a longo prazo. Os efeitos metabólicos das calorias diferem dependendo de sua fonte.

Argumento a Favor do Jejum

Eu recomendo que você se limite a fazer duas refeições por dia, ou café da manhã / almoço ou almoço / jantar, dentro de uma janela de seis a oito horas diariamente.

Este horário de refeição é uma forma de jejum intermitente, pois ao consumir todas as refeições dentro de um certo período de tempo todos os dias, você também acaba jejuando diariamente. Jejuns de água mais longos também oferecem poderosos benefícios para a saúde, embora você precise trabalhar gradualmente para cumpri-los.

Uma estratégia que descobri ser extremamente útil é aumentar gradualmente o tempo de seu jejum intermitente diário até que você esteja jejuando 20 horas por dia. Após cerca de um mês, fazer um jejum de quatro ou cinco dias não será tão difícil quando você já estiver acostumado a não comer por longos períodos.

Eu fui cético em relação ao jejum de água por um longo tempo, mas depois de aprender mais sobre os benefícios metabólicos que ele promove, sua relativa segurança e fazer o teste, me convenci de que é uma ferramenta poderosa vastamente subutilizada. A clareza de pensamentos, que ocorre por volta do terceiro ou quarto dia, faz valer a pena.

Este, porém, não é seu único benefício. É importante ressaltar que o jejum de água ativa a autofagia, permitindo que seu organismo faça uma limpeza e desencadeie a regeneração de células-tronco.

Notavelmente, enquanto dietas de baixa caloria fazem com que pessoas com obesidade mórbida desenvolvam dobras cutâneas que devem ser removidas cirurgicamente após uma perda de peso significativa, isso normalmente não ocorre quando você perde peso com o jejum de água. Seu corpo realmente metaboliza o excesso de pele à medida que avança, porque está em modo regeneração muito eficiente.

Mesmo consumindo apenas 200 ou 300 calorias por dia é suficiente para abortar o processo de autofagia, e é por isso que comecei a fazer jejuns de água completos. Atualmente faço um jejum mensal de cinco dias e, como eu estou acostumado a fazer jejum intermitente diário de 20 horas, não senti nenhuma fome significativa. Foi realmente muito fácil desde o início.

Queimar Gordura Como Combustível Melhora a Função Mitocondrial

Alimentar-se com uma dieta com poucos carboidratos líquidos e rica em gorduras saudáveis e/ou fazer jejum permitirá a seu organismo queimar gordura, em vez de glicose como seu principal combustível.

Isso promove o desejado efeito colateral de melhorar a função mitocondrial, que é fundamental para a prevenção de doenças e saúde otimizada. As mitocôndrias dentro das células são em grande parte responsáveis por gerar a energia (trifosfato de adenosina ou ATP) da qual seu organismo precisa para manter-se vivo e desenvolver-se.

Eles também são responsáveis pela apoptose (morte celular programada) e atuam como moléculas de sinalização que ajudam a regular a expressão genética.

Quando suas mitocôndrias estão danificadas ou disfuncionais, suas reservas de energia não apenas diminuirão, resultando em fadiga e nebulosidade cerebral, como você também se tornará vulnerável a doenças degenerativas, como câncer, doenças cardíacas, diabetes e deterioração neurodegenerativa.

Porque é Recomendável Alternar a Cetose Nutricional

A razão para isso tem a ver com o fato de que uma cetose nutricional ininterrupta a longo prazo pode desencadear aumento no nível de açúcar no sangue, diminuindo o nível de insulina.

Essa situação paradoxal pode surgir porque a função primária da insulina não é levar o açúcar para dentro da célula, mas sim suprimir a produção de glicose pelo fígado (gliconeogênese hepática). Se seu nível de açúcar no sangue for alto devido à insulina cronicamente e excessivamente baixa, o consumo de um pedaço de fruta ou outro alimento que contenha açúcar, na verdade, reduzirá o nível açúcar no sangue em vez de aumentá-lo.

Seu microbioma também pode ser comprometido a longo prazo, uma vez que dietas crônicas com poucos carboidratos não alimentarão de forma otimizada a flora intestinal. Tudo isso pode ser evitado alternando entre fazer e não fazer a cetose nutricional, basicamente fazendo jejum de um dia por semana e comendo muito por um ou dois dias por semana, onde você comerá o dobro ou o quádruplo da quantidade de carboidratos líquidos.

Seu organismo é projetado para ter flexibilidade metabólica para usar glicose e gordura como combustível. O problema é que, quando você consome uma dieta rica em carboidratos por longo período de tempo, seu corpo acaba perdendo sua capacidade de queimar gordura. A boa notícia é que você pode recuperá-la invertendo as proporções de carboidratos e gorduras de sua alimentação.

Gordura é o Combustível Preferido do Organismo

Quando seu organismo é capaz de queimar gordura como combustível, o fígado criará gorduras hidrossolúveis chamadas cetonas, que queimam muito mais eficientemente do que carboidratos, criando assim espécies de oxigênio reativas muito menos prejudiciais e radicais livres secundários.

É por isso que ser um queimador de gordura eficiente é tão importante para se ter uma saúde otimizada. Cetonas também melhoram o metabolismo da glicose e diminuem a inflamação.

Pesquisa realizada recentemente sugere que uma dieta cetogênica (com muita gordura e poucos carboidratos) pode ser a chave para reduzir inflamação cerebral após um derrame e outros traumas cerebrais. Inflamação crônica é uma característica da maioria das doenças crônicas, incluindo doenças relacionadas à dor, como artrite. Como observado em um estudo, dietas cetogênicas parecem ser úteis para a dor associada à inflamação por:

  • Gerar menos espécies de oxigênio reativo inflamatório
  • Diminuir a excitabilidade dos neurônios envolvidos na sinalização da dor
  • Aumentar a sinalização do neuromodulador adenosina, que promove efeitos de alívio da dor

Como Implementar a Dieta Cetogênica

Para implementar a dieta cetogênica, o primeiro passo é eliminar os alimentos processados e embalados. A ênfase está nos alimentos integrais de verdade, abundância de gorduras saudáveis e, inicialmente, poucos carboidratos líquidos (não fibrosos) o quanto possível. Como regra geral, você deve reduzir carboidratos líquidos para 20 a 50 gramas por dia ou menos e restringir proteína a 1 grama por quilograma de massa corporal magra.

Ele também é pré-definido para cetose nutricional, portanto, com base nos parâmetros básicos que você inserir, ele calculará automaticamente as proporções ideais de carboidratos líquidos, proteínas e gorduras saudáveis necessárias para colocar você em cetose nutricional.

Gorduras Benéficas as Quais Você Deve Consumir Mais

Outra chave para o sucesso é o consumo de gorduras saudáveis de alta qualidade, NÃO as gorduras mais comumente encontradas na dieta americana (gorduras processadas e óleos vegetais usados em alimentos processados e fritos de refeições feitas em restaurantes).

Qualquer gordura encontrada naturalmente nos alimentos - seja animal ou vegetal - é na verdade saudável para você. Por exemplo, gordura saturada encontrada em produtos de origem animal e no óleo de coco:

  • Aumenta as grandes partículas fofas de LDL, que não estão associadas a um risco elevado de doença cardíaca
  • Aumenta os níveis de HDL, que está associado a menor risco de doença cardíaca. Isso também compensa qualquer aumento no LDL
  • Não causa doença cardíaca, como ficou claro em diversos estudos realizados
  • Serve como "combustível de combustão limpa" para o cérebro e mitocôndrias, produzindo radicais livres muito menos prejudiciais do que açúcares e carboidratos não fibrosos.

Exemplos de gorduras saudáveis as quais você deve consumir mais:

Azeitonas e azeite de oliva (procure por marcas com certificação terceirizada, pois 80% dos azeites são adulterados com óleos vegetais.

Evite cozinhar com azeite; use-o frio

Óleo de coco (excelente para cozinhar, pois pode suportar altas temperaturas sem sofrer oxidação)

Gordura ômega-3 de origem animal a partir de peixes gordos com baixo teor de mercúrio, como salmão selvagem do Alasca, sardinha, anchova e/ou óleo de krill

Manteiga crua produzida com leite de animais alimentados com capim

Nozes cruas, como macadâmia e noz-pecã

Sementes como gergelim preto, cominho, abóbora e sementes de cânhamo

Abacates

Carnes proveniente de animais alimentados com capim

Óleo MCT

Ghee (manteiga clarificada); banha e sebo (excelente para cozinhar)

Manteiga de cacau crua

Ovos orgânicos e pastosos

Gorduras Nocivas a Evitar

As gorduras nocivas que você precisa evitar são todas produzidas pelo homem. Isso inclui gorduras trans, que são pró-oxidantes, e todos os óleos vegetais, poli-insaturados altamente refinados, ricos em ômega-6 danificados, que produzem produtos de oxidação tóxicos como aldeídos cíclicos quando aquecidos. Óleos vegetais promovem colesterol oxidado, que torna-se destrutivo ao entrar nas partículas de LDL.

Além disso, quando consumidas em grandes quantidades, as gorduras poli-insaturadas ômega-6 - e especialmente aquelas industrialmente processadas - não podem ser efetivamente queimadas como combustível. Em vez disso, são incorporadas nas membranas celulares e mitocondriais, onde se tornam suscetíveis a danos oxidativos, o que acaba prejudicando seu metabolismo. Demonstrou-se que estas gorduras nocivas:

  • Contribuem para doenças cardíacas
  • Promovem inflamação intestinal
  • Interrompem o fluxo sanguíneo arterial através do cérebro
  • Esgotam os antioxidantes do cérebro
  • Atacam a arquitetura celular de seus nervos e prejudica o desenvolvimento do cérebro através de efeitos mutagênicos no DNA e alteração da expressão epigenética

Melhore sua Saúde com o Curso On-line Individual

Se você ou um ente querido estiver sofrendo de pouca energia, excesso de peso ou doença crônica ou degenerativa como diabetes tipo 2, Alzheimer ou câncer - ou se você simplesmente quiser otimizar sua saúde e longevidade - considere matricular-se em meu curso on-line sobre terapia metabólica mitocondrial (MMT).

O MMT é uma maneira totalmente nova de olhar para a nutrição, mesclando décadas de minha própria pesquisa com pesquisas mais recentes sobre saúde mitocondrial, analisadas por mais de duas dúzias de especialistas, incluindo médicos, pesquisadores e cientistas.