Como as Estatinas, Pesticidas e Radiação sem Fio Afetam sua Saúde Cardíaca

saúde do coração

Resumo da matéria -

  • Um a cada quatro americanos com mais de 45 anos está usando a droga estatina para baixar o colesterol
  • Embora as estatinas possam reduzir a frequência de ataques cardíacos leves, elas não necessariamente diminuem o risco de doenças cardíacas ou de morte decorrente de um ataque cardíaco devido aos danos que causam aos músculos, incluindo o músculo cardíaco
  • As estatinas diminuem o colesterol, que é um importante precursor para muitos de seus hormônios esteroides, incluindo progesterona, testosterona, aldosterona, cortisol e vitamina D
  • Drogas com estatinas diminuem no nosso corpo a CoQ10, Vitamina K2, dolicol e selênio, e obstruem a produção de HMG-CoA redutase (uma enzima que seu fígado usa para produzir cetonas)
  • A exposição ao glifosato e aos campos eletromagnéticos das tecnologias sem fio também prejudicam a sua saúde, principalmente o seu coração
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Um em cada quatro americanos com mais de 45 anos está usando a droga estatina para baixar o colesterol. Essas drogas são tão ruins quanto algumas das evidências sugerem - ou podem ser ainda piores do que se suspeita? Stephanie Senegal, Ph.D., é uma pesquisadora sênior do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) que entrevistei em várias ocasiões.

Nesta entrevista, nos concentramos em outro livro,“The Dark Side of Statins: Plus, the Wonder of Cholesterol” o último escrito pelo Dr. Duane Graveline, ele mesmo foi vítima dos efeitos colaterais da estatina e morreu de complicações relacionadas ao uso da droga.

O marido de Seneff também foi severamente afetado pelas estatinas, o que desencadeou sua exploração científica desses medicamentos populares.

“Ele realmente mudou a minha carreira ficando doente,” disse ela. “Ele foi diagnosticado com doença cardíaca há 10 anos e usou uma dose alta de estatina - quatro vezes a dose normal. O médico disse: ‘você tem que usar isso para o resto da sua vida. Se você não fizer isso, eu não serei mais seu médico.

E ele imediatamente começou a sofrer os efeitos colaterais - dores musculares e fraqueza; até mesmo a raiva de estrada e mudanças comportamentais. Eu só sabia que essa droga não estava funcionando e comecei a pesquisar sobre estatinas… Na verdade, comecei a fazer isso como parte do meu trabalho no MIT.

Comecei analisar os efeitos colaterais das estatinas e a encontrar todos os tipos de coisas horríveis. Ele parou de usá-las depois de um ano. Ele lentamente diminuiu a dosagem e estou feliz em dizer que ele está livre de estatinas e está indo muito bem nesse momento, 10 anos depois. Seus médicos continuam a lembrá-lo [para voltar a tomar estatina] e ele continua dizendo não, educadamente.”

Como os Estudos Superestimam os Benefícios da Estatina

Como observado por Seneff, é muito fácil superestimar os benefícios das estatinas confundindo as pessoas com o risco absoluto e relativo. Esse é um truque estatístico usado com bastante frequência para demonstrar a eficácia de um medicamento. Seneff explica:

“Eles fazem um estudo no qual o risco absoluto é muito raro. Digamos, espera-se que 2% da população desenvolva o que eles estão monitorando, como, por exemplo, um ataque cardíaco. Eles então examinam por um período de tempo e descobrem que 2% do grupo de controle tem a ocorrência [eles estão procurando, nesse caso, um ataque cardíaco] e o grupo de tratamento tem, digamos, 1,5% em vez de 2%.

Isso é um risco de 0,5% a menos do ponto de vista [do indivíduo], mas do ponto de vista deles, é um desempenho 20% melhor porque é 0,5 de dois - um quarto do risco relativo foi retirado. Portanto, é uma melhoria de 25%, o que soa muito melhor do que 0,5%”.

As Estatinas Oferecem uma Defesa Fraca Contra Doenças Cardíacas

Infelizmente, embora as estatinas possam diminuir a frequência de ataques cardíacos leves, elas não necessariamente diminuem o risco de doenças cardíacas ou de morte por um grande ataque cardíaco, devido ao dano que causam aos músculos, incluindo músculo cardíaco.

Como comentário adicional, a eficácia das estatinas para reduzir o risco de ataques cardíacos menores está provavelmente relacionada com a sua capacidade de reduzir a proteína C-reativa, muito mais do que a redução do colesterol.

No entanto, de acordo com Graveline, você só precisa de um décimo da dose, digamos 2 miligramas (mg) ao invés de 20 mg para obter este benefício anti-inflamatório, e existem maneiras muito mais seguras e eficazes para reduzir inflamação do que tomar estatina, mesmo em uma dosagem baixa.

Como Seneff diz: “você está trocando ataque cardíaco por uma parada cardíaca, e eu acho que um ataque cardíaco é preferível a uma parada cardíaca.” Há três razões principais pelas quais as estatinas não diminuem a taxa de morte por doença cardíaca:

  1. As estatinas diminuem o colesterol, que é um importante precursor para muitos dos seus hormônios esteroides, incluindo progesterona, testosterona, aldosterona, cortisol e vitamina D. Sulfato de colesterol (produzido quando você expõe a pele ao sol) entra nas membranas celulares e ajuda a construir água estruturada que protege contra danos oxidativos. O colesterol também é necessário para criar sulfato de DHEA.
  2. Elas também esgotam a Coenzima Q10 (CoQ10) de seu organismo, que é necessária para a saúde muscular, e diminui os níveis de vitamina K2 e da HMG coenzima A redutase, uma das últimas utilizadas pelo seu fígado para produzir cetonas. Então, se você estiver usando a droga estatina, você prejudicará drasticamente a produção de cetona, mesmo se estiver jejuando.
  3. As estatinas também diminuem o dolicol, que segundo Graveline, é tão importante quanto o CoQ10. O dolicol não só desempenha função mitocondrial importante, como também é responsável pelo processo de colocar cadeias de açúcar em cima de proteínas glicosiladas. Isto é importante porque esses denominados glicosaminoglicanos ajudam a manter as funções de barreira da célula e regulam a absorção de nutrientes.

As Estatinas Fazem Você Envelhecer Mais Rapidamente

Ao contrário do que diz a crença popular, o colesterol não é um fator de risco primário para doenças cardíacas. Na verdade, é um nutriente vital necessário para a saúde que não se deve ser artificialmente e indiscriminadamente suprimido.

“Isso é absolutamente verdade”, diz Seneff. “Quando receitaram estatinas para o meu marido, eu sabia que o colesterol era de vital importância para o organismo e eu sabia que havia altas concentrações no cérebro. Dois por cento do peso corporal e 25% do colesterol do organismo estão no cérebro.

Então, você não quer mexer com a perda do colesterol no cérebro. Naturalmente, os efeitos colaterais das estatinas incluem vários problemas cognitivos e essa foi uma das coisas que Graveline enfrentou.

Ele sofreu de amnésia global transitória depois de consumir estatinas por cerca de três meses. Os médicos disseram: “De maneira nenhuma a estatina poderia estar causando isso”, mas ele queria [parar de tomar] de qualquer maneira… um ano depois, o médico disse:

“Bem, a estatina não causou isso, então você deve voltar a tomar estatina, porque você ainda tem colesterol alto”. Ele voltou a tomar [estatina] e logo depois teve outro episódio de amnésia global transitória. Desse ponto em diante ele parou de tomar estatina.

Tome Cuidado com a Radiação do Celular Para Proteger seu Coração

Dois fatores que podem ter um impacto significativo na saúde do seu coração e no risco de doenças cardíacas são a exposição ao glifosato contido em pesticidas e a campos eletromagnéticos (CEMs). Seneff toca nessas duas questões nesta entrevista, observando que cada uma delas também tem uma tendência a piorar os efeitos da outra.

“Eu acho que o glifosato bagunça o seu sistema elétrico natural, o que o torna muito mais suscetível a CEMs”, diz ela.

Um dos tecidos com maior densidade de VGCCs é o marca-passo do coração. O que a pesquisa realizada nos diz é que a exposição excessiva a micro-ondas pode contribuir diretamente para doenças como arritmias cardíacas.

Segundo Seneff, os CEMs também contribuem para a calcificação arterial (artérias bloqueadas). Portanto, se você se preocupa com a saúde do seu coração e/ou já está com problemas cardíacos certifique-se de:

Evitar carregar seu celular em um bolso perto do coração.

Evitar usar computadores portáteis e tablets

Desligar o celular durante a noite, pois mesmo que você não esteja falando nele, ele poderá lhe causar danos a até 30 pés (9 metros) de distância, a menos que esteja no modo avião com o Bluetooth e os serviços de localização desativados.

Desligue o seu Wi-Fi à noite (preferencialmente de dia também)

Seria importante você desligar a eletricidade do seu quarto no disjuntor todas as noites. Isso geralmente funciona na maioria dos quartos, a não ser que você tenha um quarto ou quartos adjacentes ao seu, nesse caso você também precisaria desligar o disjuntor deles.

Isso reduzirá radicalmente os campos elétricos e magnéticos enquanto você dorme. Se você precisa de um relógio, pode usar um com bateria e, melhor ainda, um relógio que fala e sem luz que pode ser comprado na Amazon.

Estatísticas Chocantes do Glifosato

Tanto o glifosato quanto a exposição a CEM aumentaram dramaticamente nas últimas décadas. Entre 1974 (ano em que o glifosato entrou no mercado dos Estados Unidos e pouco mais de duas décadas antes das culturas GM) e 2014, o uso do glifosato aumentou mais de 250 vezes. Globalmente, o uso de glifosato subiu quase quinze vezes desde 1996, dois anos depois que a as primeiras colheitas transgênicas chegaram ao mercado.

Glifosato Aumenta o Potencial Alergênico das Proteínas

Seneff realizou muitas pesquisas sobre o Glifosato, descobrindo uma série de mecanismos pelos quais ele causa danos biológicos. Muito disso foi discutido em “O Herbicida Roundup da Monsanto pode Ser o fator Mais Importante no Desenvolvimento do Autismo e de Outras Doenças Crônicas.”

Mais recentemente, Seneff e seu parceiro de pesquisa, Anthony Samsel, um consultor e pesquisador sobre saúde pública e ambiental, descobriram uma quantidade significativa de evidências sugerindo que esse produto químico toma o lugar da glicina (um aminoácido) nas proteínas, prejudicando a função da tripsina na digestão de proteínas.

Isso aumenta o potencial alergênico das proteínas. Glifosato também causa intestino permeável, o que permite o acesso de proteínas não digeridas à circulação sanguínea geral. O resultado final é uma doença autoimune, à medida que as células do sistema imunológico trabalham em sobrecarga. “Nós temos uma epidemia de todos os tipos de doenças autoimunes e alergias alimentares, e eu acho que tudo isso tem como causa o glifosato, diz ela.

O “gli” do glifosato na verdade significa glicina, que é um dos mais comuns e também o menor aminoácido. Então, o glifosato é basicamente uma molécula de glicina com uma cadeia lateral ligada a um átomo de nitrogênio, e apesar de ser uma molécula de glicina modificada, ainda é uma glicina. É por isso que pode substituir o aminoácido regular glicina no nosso organismo. Infelizmente, agora é tóxico.

Outros Efeitos Adversos para a Saúde Causados pelo Glifosato

Colágeno também contém grandes quantidades de glicina, e nós temos uma epidemia de dor nas costas, joelhos e no quadril. Tudo isso pode ser resultado da exposição ao glifosato. O glifosato também prejudica a saúde, causando um desequilíbrio no microbioma intestinal e enfraquecendo seu sistema imunológico.

Suplementos recomendados para Aqueles Que Usam Estatinas

Como foi mencionado, os medicamentos com estatina esgotam uma série de nutrientes importantes para o organismo. Por esta razão, Graveline recomenda o consumo dos seguintes suplementos se você estiver usando medicamentos com estatina:

Ubiquinol, a versão reduzida do CoQ10.

Folato — Evite o ácido fólico, a versão sintética do folato, pois ele é oxidado e usará muito a capacidade antioxidante do seu fígado para transformá-lo em folato. Além disso, se você foi exposto ao glifosato, a capacidade de seu organismo fazer isso estará deficiente. Um bom suplemento para isso é o 5-metiltetrahidrofolato (5MTHF).

Vitamina C — Sua melhor aposta aqui é simplesmente consumir alimentos ricos em vitamina C e somente usar um suplemento de vitamina C se estiver doente. A versão lipossomal da vitamina C é muito efetiva. Eu normalmente recomendaria usá-la a cada hora até que você se sinta melhor. A vitamina C lipossomal pode ajudar a abortar uma reação alérgica quando consumida em grandes quantidades.

Selênio — As estatinas causam estragos na selenoproteínas, então um suplemento de selênio é aconselhável. Na verdade, a maioria das pessoas deveria consumir suplementos de selênio.

Lecitina — eu não sou um grande fã de lecitina e gostaria de sugerir que você simplesmente coma um ovo orgânico inteiro por dia, proveniente de animal alimentado em pasto. Lecitina é fosfatidilcolina, algo que tem bastante nos ovos. Se optar por um suplemento, eu recomendaria usar na forma lipossomal. Certifique-se de que não seja feito de soja geneticamente modificada. Uma alternativa mais segura é a lecitina orgânica de girassol.

Gordura ômega-3 de origem animal — Fontes ideais incluem peixes pequenos e gordurosos como as sardinhas, anchovas e ovas de salmão. O ideal é checar o seu índice de ômega-3 para ter certeza de que você está em uma faixa saudável.

D-Ribose — As estatinas interferem no processamento da D-Ribose.

Magnésio — A maioria das pessoas tem deficiência em magnésio, mas se você estiver utilizando estatina, pode estar em um risco ainda maior. Baixos índices de magnésio aumentam o risco de você sofrer com os efeitos adversos de CEMs, uma vez que o magnésio é um bloqueador natural dos canais de cálcio. Quando você ingere altas doses de magnésio, você na verdade diminui o risco de desenvolver danos causados por CEMs.

Ácido Alfa Lipóico — Essa é uma molécula que contém enxofre, que pode ser parte do seu benefício

Vitamina K2 — As estatinas bloqueiam a via de K2 e prejudicam a absorção da Vitamina K2 que é importante para a prevenção da calcificação arterial, pois ela ajuda a transportar cálcio dos tecidos moles para os dentes e ossos, que é onde ele deve estar.

Pirroloquinolina quinona — Mais comumente conhecida como PQQ. Semelhante ao CoQ10, a PQQ ajuda a melhorar a função mitocondrial.

É Provável que Você Não Precise de Estatina

A alta proliferação das estatinas é um testemunho do poder do marketing, da corrupção e da ganância corporativa porque as chances são muito altas - maiores que 100 para 1- de que você esteja tomando estatina desnecessariamente. O único subgrupo que eu acredito que pode se beneficiar dela são aqueles que nasceram com um defeito genético chamado hipercolesterolemia familiar, pois isso os torna resistentes às medidas tradicionais de normalização do colesterol.

É importante salientar que o colesterol não é a causa das doenças cardíacas. A doença cardíaca é em grande parte causada por uma inflamação, como vários especialistas explicaram em detalhes, incluindo o Dr. Ron Rosedale, o Dr. Uffe Ravnskov, o Dr. Stephen Sinatra e Stephanie Seneff.

O aumento do colesterol é uma resposta natural do corpo a inflamação. É erroneamente culpado, pois está na “cena do crime”, mas não é o criminoso.

Se o seu médico está pedindo para que você verifique o colesterol total, então você deve saber que esse teste não lhe dirá praticamente nada sobre seu risco de doença cardíaca, a menos que resulte de 330 a mais. O percentual de HDL é um indicador muito mais potente para o risco de doença cardíaca. Aqui estão os dois principais índices que você deverá prestar atenção:

  • HDL/Proporção Total de Colesterol: idealmente deverá estar acima de 24%. Se estiver abaixo de 10%, você tem um risco significativamente alto de doença cardíaca.
  • Triglicérides/Proporção de HDL: deve estar abaixo de 2%

Lembre-se, seu corpo precisa de colesterol. É importante para a produção de membranas celulares, hormônios, vitamina D e ácidos biliares que ajudam a digerir a gordura. O colesterol também ajuda o cérebro a formar memórias e é vital para a sua função neurológica. Há também fortes evidências que ter muito pouco colesterol na verdade aumenta o risco de câncer, perda de memória, doença de Parkinson, desequilíbrios hormonais, derrame, depressão, suicídio e comportamento violento.

Então, por favor, pense muito a respeito antes de preencher uma receita com a medicação estatina, e ao invés disso, comece implementando estratégias de um estilo de vida saudável.