Se Você Pratica Esportes, o Óleo de Arnica Pode ser Útil

garrafa de óleo de arnica

Resumo da matéria -

  • A arnica é um dos remédios homeopáticos mais populares para o tratamento da dor
  • O óleo de arnica vem se tornando popular por suas propriedades de alívio da dor e promoção da saúde. Ele é uma adição maravilhosa para seu kit alternativo de primeiros socorros, principalmente se você estiver propenso a lesões relacionadas ao exercício, como contusões ou entorses
Tamanho da fonte:

O óleo de arnica vem se tornando popular por suas propriedades de alívio da dor e promoção da saúde. Ele é uma adição maravilhosa para seu kit alternativo de primeiros socorros, principalmente se você estiver propenso a lesões relacionadas ao exercício, como contusões ou entorses. Continue lendo para saber mais sobre o óleo de arnica.

O que é o óleo de arnica?

O nome arnica refere-se a um grupo de plantas perenes floríferas da família das margaridas (Compositae), nativo da Europa e da Sibéria, mas que também cresce na América do Norte, principalmente em regiões montanhosas.

Ela é bem conhecida por seu uso na medicina natural e pode ser reconhecida por suas flores, que possuem pétalas amarelas e centro laranja. A arnica atinge de 30 a 60 centímetros de altura, com uma a três flores por planta.

Existem diversas espécies de arnica, mas a mais famosa é a Arnica montana, também conhecida como arnica das montanhas, tabaco das montanhas e quina dos pobres. Essa planta alpina cresce em prados a até 900 metros acima do nível do mar. Quanto maior a altitude, mais aromáticas tornam-se as flores. As flores da Arnica montana são usadas para fazer o óleo de arnica, um óleo essencial aromático amarelo.

Usos do óleo de arnica

As flores e raízes da arnica têm sido usadas há centenas de anos como remédio à base de ervas. Foi dito que o poeta e filósofo alemão Goethe consumia chá de arnica para aliviar sua dor no peito. Fumar as folhas também chegou a ser uma prática terapêutica popular. Hoje, porém, recomenda-se muita cautela com o uso da arnica, principalmente na forma de óleo essencial puro.

O óleo de arnica é utilizado em perfumes e em alguns produtos cosméticos, como loções anticaspa e tônicos capilares. Além do óleo, pastilhas, géis e cremes tópicos de arnica também estão disponíveis atualmente.

NÃO é recomendado o uso do óleo essencial de arnica puro para a aromaterapia por ele ser muito potente e possivelmente tóxico.

No entanto, sua forma diluída pode ajudar a reduzir o inchaço, proteger contra infecções e aliviar a dor. Muitos atletas profissionais utilizam atualmente uma preparação homeopática tópica de óleo de arnica como um primeiro tratamento para dor e lesões relacionadas à prática de esportes ou exercícios.

Composição do óleo de arnica

O óleo de arnica é composto em cerca de 50% por ácidos graxos, incluindo os ácidos linolênico, palmítico, linoleico e mirístico. Os outros 50% são uma mistura de timol, vários éteres de timol, éter dimetílico de timohidroquinona e isobutirato de florol.

O óleo de arnica contém um composto chamado helenalina, que pode provocar reações alérgicas em pessoas com sensibilidade. Se você desenvolver uma leve irritação cutânea ao usar o óleo de arnica, você provavelmente é sensível à helenalina e deve interromper o uso do óleo.

Benefícios do óleo de arnica

O óleo de arnica apresenta propriedades antimicrobianas e anti-inflamatórias e pode ser útil para tratar ou aliviar:

Dores musculares, espasmos, músculos distendidos ou dores reumáticas — Um estudo realizado em 2007 mostrou que uma solução homeopática de arnica teve efeito positivo sobre dores musculares após uma maratona.

A arnica é, de fato, um dos remédios naturais que recomendo para dor muscular de início tardio ou DMIT.

Entorses, contusões e inchaço devido a fraturas

Picadas de inseto — A arnica homeopática pode ajudar a tratar picadas e ferroadas de insetos, principalmente aquelas que podem causar hematoma e dor intensos.

Acne — No entanto, não recomendo a aplicação sobre a pele machucada.

Perda capilar — A aplicação de uma forma diluída no couro cabeludo pode ajudar a aumentar a circulação sanguínea local, promovendo assim o crescimento do cabelo.

Existem também ensaios clínicos que sugerem que o uso tópico de óleo ou gel de arnica pode ser eficaz no alívio da dor da artrose.

Como fazer óleo de arnica infundido

O óleo essencial de arnica puro é feito por destilação a vapor ou extração de CO2 e é, de fato, muito caro. Se você tiver flores de arnica por perto, pode fazer seu próprio óleo de arnica infundido. Aqui está um processo passo a passo do site Annie's Remedy:

Material

  • Flores de arnica secas e grosseiramente trituradas
  • Azeite de oliva
  • Frasco de conserva
  • Garrafa

Modo de fazer

  1. Encha o frasco com flores de arnica e azeite de oliva. Coloque óleo suficiente para cobrir completamente as ervas, mas deixe espaço para expansão.
  2. Deixe o frasco em infusão com calor lento e constante durante duas a três semanas. Você pode deixá-lo exposto à luz do sol ou usar um forno com chama piloto.
  3. Coe o óleo e despeje em uma garrafa limpa para uso.

Para prolongar a vida útil do óleo infundido, adicione uma colher de chá de antioxidante de alecrim ou ácido cítrico.

Como o óleo de arnica funciona?

A maioria das propriedades anti-inflamatórias e analgésicas do óleo de arnica são atribuídas aos seus derivados de timol. O timol mostrou-se eficaz como vasodilatador de capilares sanguíneos subcutâneos, o que ajuda a facilitar o transporte de sangue e acúmulos de fluido e atua como um anti-inflamatório para auxiliar os processos de cura normais.

O óleo de arnica também ajuda a estimular o fluxo de glóbulos brancos, que processam o sangue congestionado para ajudar a dispersar o fluido preso nas articulações, músculos e tecidos lesionados.

O óleo de arnica é seguro?

A melhor recomendação para o óleo de arnica é o uso tópico — NÃO o inale ou ingira sem a supervisão de um profissional da saúde qualificado. Os comprimidos e pílulas contêm quantidades muito pequenas de extrato de arnica, que normalmente não causam efeitos colaterais.

Aconselho que você use o óleo de arnica SOMENTE em forma diluída, uma vez que o óleo essencial de arnica puro é muito potente e pode causar efeitos colaterais graves. Use um óleo base seguro, como o de semente de uvas ou de amêndoa, para diluir o óleo de arnica puro, de preferência em uma proporção de 30:70.

Além disso, não aplique a arnica diretamente sobre a pele machucada ou feridas abertas, uma vez que isso pode causar irritação severa. Faça um teste de alergia para saber se você tem algum tipo de reação alérgica a esse óleo de ervas.

Efeitos colaterais do óleo de arnica

O óleo de arnica puro pode ser tóxico se entrar no corpo, portanto, evite ingeri-lo. Se tomado por via oral, esse óleo de ervas pode causar:

  • Irregularidades e aumento da frequência cardíaca
  • Distúrbios nervosos
  • Tonturas, tremores, fraqueza e vômitos
  • Irritação da membrana mucosa e gastrointestinal

Também não aconselho o uso do óleo de arnica por períodos prolongados, mesmo quando diluído, uma vez que ele pode causar irritações cutâneas como descamação, erupções, eczema e bolhas. Pessoas com hipersensibilidade, mulheres grávidas e mães que estejam amamentando também devem se abster de usar óleo de arnica.