Livro de Receitas Desmistifica o Processo de Seguir a Dieta Cetogênica

Livro “A Cozinha Cetogênica”

Resumo da matéria -

  • A cetose nutricional tem poderosos benefícios terapêuticos, e já foi demonstrado que ela pode ser útil na prevenção e tratamento de muitas doenças crônicas. O desafio principal é implementar e se adequar ao programa
  • “A Cozinha Cetogênica” é um livro de receitas abrangente que desmistifica o planejamento das refeições e o processo de cozinhar de acordo com os princípios cetogênicos
  • Enquanto a dieta cetogênica é rica em gorduras, nem todas as gorduras se qualificam para serem incluídas na dieta cetogênica. Gorduras saudáveis incluem polpa de coco e óleo de coco, óleo MCT (Triglicérido de Cadeia Média), manteiga natural, banha, manteiga ghi, abacates e gemas de ovos pasteurizados
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Muitos de nós já estamos familiarizados com dietas compostas por poucos carboidratos, ricas em gorduras de alta qualidade e com quantidades moderadas de proteínas, e apreciamos completamente seu valor, mas implementar uma dieta dessas pode ser um desafio. Domini Kemp e Patricia Daly escreveram uma fonte excelente de informações para nos ajudar com isso, o livro chamado "A Cozinha Cetogênica: Pouco Carboidrato. Rica em Gorduras. Saúde Extraordinária".

A cetose nutricional tem benefícios terapêuticos poderosos, não apenas para o tratamento de uma grande variedade de doenças degenerativas crônicas, mas também para preveni-las. O maior desafio é realmente a implementação e como se adequar a esse programa.

Ambos, Kemp e Daly, são sobreviventes do câncer e alegam que a cetose nutricional teve um papel importante em sua recuperação.

A Luta de Kemp contra o Melanoma e o Câncer de Mama

Irlandesa, nascida e criada nas Bahamas, Kemp é uma chef e escritora de culinária, que vive hoje na Irlanda nativa de sua família. Durante os 20 anos de idade, ela foi diagnosticada com melanoma maligno. Depois, aos 40 anos, recebeu o diagnóstico de câncer de mama.

“Eu cheguei naquele ponto em que disse, ‘OK, preciso fazer bem mais do que só usar a dieta tradicional que nos recomendam [a consumir]. Com certeza, aqui [na Irlanda], a pirâmide alimentar ainda é muito promovida. Li todos os panfletos no ambulatório de câncer e pensei, ‘Não, tem que ter um jeito melhor’”, diz Kemp.

A Luta de Daly Para Salvar Seu Olho

Daly se formou uma terapeuta nutricional em 2011 e já estava na profissão por mais ou menos um ano quando conheceu Kemp. Assim como Kemp, Daly teve seu câncer diagnosticado nos estágios iniciais, recebendo o diagnóstico de melanoma maligno do olho quando tinha 28 anos.

Ela recebeu os cuidados tradicionais, que envolvem radioterapia com placas — uma das terapias mais invasivas no tratamento convencional do câncer. Como uma triatleta, ela conhecia bem o seu corpo e reconheceu a importância de assumir a responsabilidade pelo seu próprio bem estar durante e após o tratamento.

“Com cresci na Suíça, sempre houve muita terapia complementar ao meu redor. Para mim sempre foi óbvio que eu também precisava fazer algo por mim mesma. Foi por isso que comecei a me qualificar em terapia nutricional, um mês depois de terminar os tratamentos”, diz Daly.

"No começo meu tratamento funcionou muito bem, mas sofri uma recaída bem rápido. Menos de dois anos depois os tumores estavam com o dobro do tamanho, e tive que voltar para... a radioterapia mais forte possível para tratar meu olho.

Eu tive praticamente tudo que você pode ter em um olho. Tive edema. Tive angiogênese excessiva (vasos sanguíneos que fornecem sangue para o tumor)... tive cataratas enquanto um glaucoma se desenvolvia. Escolha algo e eu tive.”

Estreitando os Laços Entre Ciência e Culinária

Daly e Kemp cresceram as duas com dietas à base de carboidratos. Daly, como uma triatleta, tinha interesse em um manter uma carga maior de carboidratos. Hoje, o câncer de Kemp está diminuindo após concluir seu tratamento a três anos atrás, e ela se sente ótima.

Daly está agora oficialmente em remissão por seis anos, e ainda mantém a visão do seu olho. Pessoalmente, acredito que a dieta cetogênica tem o poder de aliviar uma quantidade tremenda de sofrimento.

Quando Daly e Kemp decidiram adotar a dieta cetogênica, não existia praticamente nenhum e-Livro ou receitas disponíveis por aí, o que deixava difícil criar um planejamento para suas refeições.

“Confiei muito na pesquisa do Dr. Johannes Coy e do Professor Ulrike Kämmerer na Alemanha”, diz Daly. “Foi uma benção eu já falar a língua [Alemão]. Na época, Thomas Seyfried, [Ph.D.], e Dominic D'Agostino, [Ph.D.], estavam apenas começando a ter presenças online.

Mas era, basicamente, muito difícil juntar tudo e preencher as lacunas entre ciência e culinária. Como é que se cozinha para poder combinar essas duas coisas?”

Luz do Sol Pode Influenciar o Seu Risco de Adoecer

Como uma nota à parte, mas uma importante, eu entrevistei recentemente o Dr. Alexander Wunsch, que realmente realça a importância da luz do sol para uma saúde ideal.

Basicamente, enquanto a comida que você come (primariamente carboidratos ou gordura) é convertida em elétrons que são usados na cadeia de transporte mitocondrial e transferidos para o oxigênio, apenas 30 por cento do ATP (Adenosina Trifosfato) consumido em suas células vem desses elétrons.

A maioria do restante necessário é criada em resposta à luz do sol, com a faixa do infravermelho curto no espectro eletromagnético sendo de importância particular. Então a exposição à luz solar, ao ar livre, é realmente essencial para a saúde. Lâmpadas de LED emitem majoritariamente luz azul e praticamente nenhum infravermelho curto, o que aumenta o seu risco de doenças degenerativas crônicas como o câncer.

Os LEDs também são particularmente nocivos para seus olhos, e promovem a degeneração macular relacionada à idade (DMRI) — uma das principais causas de cegueira entre a terceira idade — e cataratas.

Nem Todas as Gorduras São Saudáveis

Outro ponto importante que precisa ser notado é que embora a dieta cetogênica seja rica em gorduras, nem todas as gorduras se qualificam para serem incluídas na dieta cetogênica. A maioria dos Norte-Americanas consome gorduras que levam sua saúde para o caminho errado. Isso inclui margarinas, cremes à base de manteiga e óleos vegetais processados.

Gorduras saudáveis, por outro lado, incluem polpa de coco e óleo de coco, óleo MCT (Triglicérido de Cadeia Média), e manteiga e lacticínios naturais produzidos a partir de gado alimentado com grama, banha, manteiga ghi, abacates, gemas e ovos pasteurizados, e castanhas cruas como macadâmias e nozes, só para mencionar algumas.

Outra fonte de gordura muito importante é o ácido docosahexaenóico (DHA), um ácido graxo ômega-3, derivado de animais marinhos. O DHA é na verdade um componente estrutural das suas células e não é consumido como combustível. Ele é incorporado ao cérebro, e está envolvido na conversão de fótons do sol em elétrons que abastecem suas mitocôndrias.

Você pode consumir suplementos como o óleo de krillo ou óleo de peixe, mas não acredito que eles sejam tão bons quanto consumir comidas de origem marinha com baixos níveis de mercúrio, tais como o salmão do Alaska ou peixes menores como a sardinha ou anchovas.

Tenha em mente que, ao contrário da crença popular, é IMPOSSÍVEL obter quantidades suficientes de DHA a partir de fontes vegetais de ômega-3. Para saber mais sobre as diferenças significativas entres essas fontes, por favor leia meu artigo anterior, "As Diferenças Críticas Entre os Ômega-3 de Plantas e Animais Marinhos."

Dificuldades e Desafios da Dieta Cetogênica

Uma coisa que previne muita gente de implementar uma dieta cetogênica é a mentalidade incorreta de que é preciso ter um conjunto específico de habilidades na cozinha. É claro que, se você nunca cozinhou um vegetal cru, tem umas coisas pela frente para você aprender, mas por outro lado, uma dieta cetogênica é na verdade bastante fácil de seguir quando você compreender os princípios básicos.

Outra dificuldade comum é manter o monitoramento. Se você está saudável isso pode não ser tão importante, mas se a ideia é tratar de uma condição crônica de saúde, por favor entenda que essa não é simplesmente só mais uma dieta, mas sim uma poderosa terapia metabólica.

Então faça os exames de sangue adequados e monitore sua condição. Não pense que é só passar mais manteiga do que o normal nas coisas e esperar que tudo melhore. Você realmente precisa dos acompanhamentos e monitoramentos adequados.

Pode ser incrivelmente útil usar um rastreador nutricional. Meu favorito é esse: cronometer.com/Mercola. Essa é a minha versão do rastreador básico, que foi projetado especificamente para auxiliar com a cetose nutricional, e usá-lo é totalmente grátis. Profissionais na área de saúde também podem se cadastrar para uma conta profissional, que os permite acessar e avaliar os dados de todos os seus clientes.

Daly também escreveu um e-Livro guia ilustrado sobre a Cetogênica com Poucos Carboidratos que te mostra visualmente como de fato são, no seu prato, as diferentes quantidades de gorduras, proteínas e carboidratos.

Os Benefícios do Jejum Intermitente

Além da dieta cetogênica o jejum intermitente é outra ferramenta poderosa para aumentar a biogênese mitocondrial, ao otimizar a sua saúde e melhorar suas chances de recuperação após uma doença crônica.

Já foi demonstrado que ambos os jejuns, à base de água e o intermitente (que tende a ser mais fácil de implementar do que longos jejuns à base de água) têm impactos benéficos em muitos casos de doenças crônicas. Já que eles regulam drasticamente a habilidade do seu corpo para queimar novamente a gordura como combustível, eles também são uma forma potente de eliminar o excesso de peso.

Daly concorda, dizendo que também faz jejum por motivos práticos.

“Na época que comecei, não tinha descoberto essa opção [o jejum]. Comecei apenas reduzindo meu consumo diário de carboidratos para um peso líquido de 60 gramas, e reduzindo [as refeições] para três por dia, o que pra mim foi, como eu disse, um grande problema."

E Se Você Não Precisa Perder Peso?

Assim como o jejum, a dieta cetogênica realmente facilita a perda de peso, já que treina o seu corpo novamente para acessar e queimar a gordura. Mas e se você estiver considerando a cetose nutricional como um terapia metabólica, mas não precisa perder peso? Você ainda pode fazer a dieta de maneira segura? E seria possível ganhar peso se é isso que você precisa?

Embora a estratégia de colocar a comida em um prato menor pareça contra-intuitiva, já que essa técnica é geralmente usada para comer porções menores, Daly explica que quando oferecemos um prato maior cheio de comida para alguém que está sem apetite, as chances são de que a pessoa coma em torno de 10 por cento ou menos. Um prato menor vai intimidar menos. Mas você também vai precisar aumentar a frequência das refeições.

O teste que ela menciona é um dos motivos pelos quais é tão útil ter um treinador. A maioria das pessoas sem dúvida consegue implementar esse programa sem ajuda de ninguém. Compre o livro, use o cronometer.com/Mercola e coloque as informações em prática. Mas existem situações em que você realmente vai precisar de um profissional qualificado para te guiar.

Mais Informações

Além do câncer, existem várias outras aplicações para a cetose nutricional, incluindo como tratamento para resistência à insulina, diabetes tipo 2, convulsões epilépticas (especialmente em crianças que não respondem bem aos medicamentos) e condições neurológicas tais como o Alzheimer e o Mal de Parkinson.

Como orientação geral, uma ingestão diária de carboidratos equivalente a um peso líquido de mais ou menos 50 gramas (carboidratos totais menos fibras) ao mesmo tempo que se mantém a ingestão de proteína entre baixa e moderada, é geralmente uma quantidade baixa o suficiente para te permitir a mudar para a cetose nutricional. Se você tem resistência à insulina ou tem diabetes do tipo 2, pode ser que precise de menos de 40 gramas, ou tão pouco quanto 30 gramas por dia, para chegar lá. Com o câncer pode ser necessário quantidades ainda mais baixas de carboidratos.

Para identificar a sua marca pessoal em relação aos carboidratos, é importante medir não apenas a glucose no seu sangue, mas também as suas cetonas, o que pode ser feito através da urina, sangue ou hálito.

Isso vai te dar uma medida objetiva confirmando se você realmente está ou não em cetose, ao invés de apenas confiar na contagem de gramas de carboidratos que você consome. Cetose nutricional é definida pelas cetonas no sangue que se mantém na faixa de 0.5 a 3.0 milimols por litro (mmol/L).

Dito isso, usar um rastreador nutricional vai melhorar drasticamente a sua habilidade em entender o quanto e quais os tipos de comida podem te ajudar a manter seus objetivos na dieta cetogênica, ao mesmo tempo que também auxilia a avaliar o valor nutritivo dos alimentos que você escolher. Você pode ler mais sobre os benefícios de usar um rastreador nutricional nesse meu outro artigo, "Acompanhe Sua Jornada Rumo à Uma Saúde Melhor Com Essa Poderosa Ferramenta."