Água Oxigenada ou Água e Sabão? Qual dos Dois Limpa Melhor um Machucado?

Machucados

Resumo da matéria -

  • A água oxigenada é uma solução antibacteriana eficiente, que nunca deve ser usada em cortes ou machucados. Ela perturba a saúde do tecido e prolonga o tempo de recuperação
  • Sabonetes antibacterianos são cheios de substâncias químicas e antissépticas, mas nenhum diminui o tempo de recuperação
  • Tudo o que você precisa para limpar sue machucado e iniciar o processo de cicatrização é água e sabão neutro, sem triclosan, triclocarban ou fragrâncias
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Cortes e machucados são ocorrências comuns do dia a dia, tanto dentro quanto fora de casa. Essas aberturas na pele criam uma oportunidade perfeita para infecções e crescimento de bactérias. A limpeza inicial dos machucados ajuda a remover bactérias indesejadas e criar um ambiente de recuperação seguro para a área exposta.

A maioria das pessoas limpa seus machucados com água oxigenada ou água e sabão antes de fazer um curativo. Sua melhor aposta é usar o método de limpeza mais eficiente, que não perturbe o tecido machucado e promova a recuperação. Um dos materiais citados é definitivamente melhor do que o outro.

Por que a Água Oxigenada é uma Excelente Opção?

A água oxigenada tem sido usada desde a década de 1920 como um antisséptico eficiente em matar bactérias. Antissépticos são substâncias que impedem o desenvolvimento de microrganismos causadores de doenças, como as bactérias.

Quando crianças se cortam ou ralam um joelho, é comum que as mães limpem o machucado com água oxigenada.

Talvez você se lembre da dor que sentia quando ela aplicava a água oxigenada no seu machucado. A dor e o desconforto ocorrem porque a água oxigenada ativa os receptores de dor no machucado enquanto mata as bactérias do local. É bem mais segura e eficiente do que o álcool isopropílico e mancha menos do que o iodo. Por isso, é largamente utilizada.

Machucados Precisam de Oxigênio Para Sarar

O processo de cicatrização é natural para o corpo e se inicia toda vez que você se corta com papel, sofre um ferimento ou uma incisão durante uma cirurgia. Em todos os casos, machucados saram melhor, mais rápido e com menos cicatrizes quando você tem muito oxigênio disponível.

A composição química da água oxigenada é H2O2, contendo uma molécula a mais de oxigênio do que a água, cuja composição é H20. Quando a água oxigenada é colocada em um corte ou ralado, é possível observar borbulhas saindo do machucado. Isso ocorre porque a água oxigenada libera uma de suas moléculas de oxigênio, transformando-se em água comum.

Como a Água Oxigenada Mata as Bactérias?

A água oxigenada ataca as bactérias rompendo as membranas celulares através da atração de elétrons. Dentro da bactéria, existe uma enzima chamada catalase, que causa efervescência quando a água oxigenada reage a ela, liberando uma molécula de oxigênio.

A água oxigenada é um antisséptico muito bom, mas incapaz de distinguir entre células saudáveis e células das bactérias no machucado. Ela atrai os elétrons das membranas celulares saudáveis, matando-as, e reage com a catalase das suas células, produzindo a mesma efervescência.

O próprio corpo produz baixas concentrações de água oxigenada após metabolizar açúcar ou carboidratos para promover a recuperação dos machucados.

Suas células têm catalase para desativar o peróxido de hidrogênio produzido em seu interior, mas não têm qualquer defesa contra a água oxigenada que é adicionada ao machucado externamente.

O excesso de danos oxidativos nas células, causado pela água oxigenada, diminui a velocidade de recuperação e aumenta o risco de formação de cicatrizes. Suas células usam a catalase para desativar a água oxigenada produzida pelo corpo depois que a insulina metaboliza o açúcar, transformando-a em oxigênio e água.

Essa ligação entre a insulina, açúcar metabolizado, oxigenação e peróxido de hidrogênio produzido pelo corpo pode ser o motivo pelo qual os indivíduos que têm diabetes resistente à insulina se curam mais lentamente.

A maioria dos clínicos não recomenda nenhum tipo de solução antisséptica em cortes e machucados, pelo mesmo motivo que desabona a água oxigenada nessas situações. Os antissépticos destroem as células saudáveis, retardam a recuperação e aumentam o risco de tecido cicatricial.

Porém, caso você precise de um antisséptico poderoso e eficiente, a água oxigenada seria minha primeira escolha, pois ela é mais segura do que o iodo ou o álcool isopropílico. Eu sempre viajo com um borrifador de água oxigenada para limpar manchas de roupas, o que funciona muito bem, especialmente em conjunto com sabão.

A Verdade Sobre o Sabonete Antibacteriano

Embora a primeira patente do sabonete antibacteriano tenha sido feita em 1984 por David Poshi e Peter Divone, o primeiro sabonete em barra a alegar propriedades antibacterianas foi fabricado pela Dial nos anos 40. A Dial não usou a palavra "antibacteriano" nos anúncios, mas a propaganda dizia que o sabonete era uma forma de deixar seu corpo "super limpo", matando germes e bactérias.

A marca usou a substância química hexaclorofeno, um gente antibacteriano que, nos dias de hoje, sabe-se que causa danos cerebrais em crianças. Em 1970, a empresa foi obrigada a retirar a substância de seu produto.

Quando Poshi e Divone testaram o triclosan no combate às bactérias e receberam a patente, a Dial foi a primeira a adicionar a substância ao seu produto, anunciando que ele "mata os germes por contato".

Os sabonetes antibacterianos de hoje contêm triclosan, a despeito de mais e mais pesquisas demonstrarem os efeitos negativos para a saúde desencadeados por ele.

As empresas de sabonete antibacteriano lançaram grandes campanhas de propaganda, alegando que o produto torna o ambiente mais seguro e oferece uma camada extra de proteção contra doenças.

Em dezembro de 2013, após 40 anos de estudo, o órgão americano FDA (Food and Drug Administration) anunciou que pretende reavaliar a segurança de uso do triclosan, citando estudos com animais que demonstraram o potencial de interferir nos níveis hormonais e aumentar o crescimento de bactérias resistentes à substância.

A preocupação levantada pelo FDA no sentido de que o sabonete antibacteriano aumenta a resistência das bactérias foi anunciada no dia 16 de dezembro de 2013. Outra declaração, publicada três dias antes por Colleen Rogers, Ph.D, microbióloga chefe da FDA, indica que os sabonetes antibacterianos são ineficientes contra as bactérias:

"Na realidade, atualmente não há evidências de que sabonetes antibacterianos vendidos sem receita são mais eficientes na prevenção de doenças do que lavar o machucado com sabonete comum e água".

De qualquer forma, esperava-se uma decisão do FDA em setembro de 2016 depois que o Natural Resources Defense Council (Conselho de Defesa dos Recursos Naturais, em tradução livre) abriu um processo em resposta a décadas de postergação do FDA em sua decisão contra ou a favor do triclosan e outras substâncias antibacterianas.

Os Perigos do Triclosan

O triclosan é uma substância antisséptica não recomendada para a limpeza de cortes e machucados, pois prolonga o tempo de recuperação e aumenta o risco de formação de cicatrizes. Porém, há outros motivos pelos quais você deve evitar o uso de sabonetes antibacterianos na sua casa.

Em junho de 2015, a agência responsável pela supervisão do uso de substâncias químicas na União Europeia anunciou que o triclosan seria removido dos produtos de higiene porque pode representar mais riscos do que quaisquer benefícios perceptíveis. Pesquisas têm vinculado as substâncias químicas usadas em sabonetes antibacterianos a:

Distúrbios hormonais endócrinos

Aumento no risco de câncer

Inibição de bactérias e algas aquáticas necessárias para um ecossistema equilibrado

Resistência a antibióticos

Aumento de alergia a amendoim e rinite alérgica

Interferência na contração e atividade muscular

Biomagnificação do produto solúvel em gordura; ocorre em maiores níveis no tecido de espécies do topo da cadeia alimentar

Problemas no funcionamento da tireoide

Problemas na expressão gênica do hormônio tireoidiano

Aumento de tumores de fígado em ratos

Como Lavar os Machucados Adequadamente

A melhor forma de lavar um corte, ralado ou machucado com segurança é usando sabonete neutro e muita água. Escolha um sabonete sem triclosan, triclocarban ou fragrância. Lave as mãos antes de lidar com o machucado. Isso ajuda a reduzir o potencial de transferência de bactérias da sua mão para o machucado.

Um sangramento de leve a moderado pode ocorrer durante a limpeza. Terminada a limpeza, pressione diretamente o machucado para interromper o sangramento e eleve a área ferida a um nível superior ao do coração, caso seja possível. Isso ajuda a reduzir a quantidade de sangue na área e ajuda a interromper o sangramento.

Lave seu machucado com água de cinco a dez minutos. Isso ajuda a remover sujeira e detritos do local. A água fria oferece uma sensação melhor do que a morna, mas o uso de ambas é aceitável. Caso você tenha um borrifador em casa, tente usá-lo para limpar o machucado.

Após lavar por até 10 minutos, removendo a sujeira e os detritos, use sabonete neutro com uma esponja limpa ou gaze para limpar a área. Aplique pressão moderada. Esfregar com força pode danificar a área e retardar o processo de cura, sem adicionar nenhum benefício. Cubra a área, mantendo-a limpa e úmida. As feridas que são mantidas úmidas e não formam crosta saram melhor e têm menos chances de gerar cicatrizes.

Por que Você Deveria ter Prata na sua Gaveta de Remédios?

As propriedades antimicrobianas da prata são conhecidas desde 400 a.C. Ela era comumente usada como um agente antimicrobiano para tratar machucados até o início do século 20. Desde então, a ciência moderna confirmou os efeitos antimicrobianos da prata. Foi demonstrado que ela é eficiente até contra bactérias resistentes a antibióticos.

Exames revelam que a prata desestabiliza a estrutura das membranas celulares das bactérias, tornando-as mais porosas, o que permite que a prata penetre e mate as bactérias por dentro.

O curativo de hidrofibra com prata demonstrou uma proteção eficiente contra a proliferação de uma ampla gama de microrganismos aeróbios, anaeróbicos e resistentes a antibióticos em feridas. As nanopartículas de prata incorporadas a um gel termossensível também foram testadas e consideradas eficientes contra o Staphylococcus aureus.

Um estudo de 2010 também descobriu que a prata coloidal mata com eficiência o estafilococo resistente a medicamentos, E.coli, Salmonella e a Pseudomonas aregnosa, esta última ocorre tipicamente em hospitais e em pessoas com sistema imunológico debilitado. Considerando o risco de se contrair uma infecção resistente a medicamentos a partir de um corte ou arranhão, parece razoável concluir que manter uma solução de prata de alta qualidade na gaveta de remédios seria uma estratégia prudente pra utilizar em cortes, ralados ou machucados.

Dicas para Acelerar a Recuperação

1. Mel — O mel foi utilizado no combate a infecções até o início do século 20. Porém, o mel processado que você encontra em mercearias não passa de um xarope rico em frutose, que pode aumentar o risco de infecções. Portanto, use mel de Manuka orgânico. Esse mel é produzido por abelhas que se alimentam das flores Manuca e pode ser mais eficiente do que antibióticos contra algumas formas de bactérias.

2. Óleo de coco — O óleo de coco virgem tem três benefícios: manter sua pele úmida, melhorar a proliferação de fibroblastos e promover a recuperação de machucados. Use apenas óleo de coco virgem e aplique na área duas vezes ao dia.

3. DuoDERM — DuoDERM é uma marca de curativos hidrocolóides que protege machucados de bactérias e mantém a pele úmida para acelerar o tempo de recuperação. Eles também reduzem as dores na área enquanto oferecem uma camada de proteção.

4. Evite fumar — Evite fumar. A cicatrização de feridas requer um bom suprimento de sangue, mas o tabagismo reduz este suprimento para a pele por meio da vasoconstrição. Além disso, diminui absorção de vitamina A, necessária para a saúde e recuperação da pele.

5. Nutrição — Há várias escolhas alimentares que você pode fazer diariamente para reduzir seu tempo de recuperação e melhorar sua saúde geral.

Beta-caroteno ou vitamina A — Alimentos que contêm altas concentrações de vitamina A ou beta-caroteno costumam ser alaranjados, como batatas-doces, cenouras e moranga. Não faça uso da suplementação com vitamina A se estiver grávida, amamentando ou tentando engravidar.

Vitamina C — Seu corpo usa essa vitamina para produzir colágeno e gerar novos tecidos. A vitamina C é solúvel em água. Você pode tomar até 3.000 miligramas por dia. Reduza a quantidade caso haja ocorrência de diarreia.

A vitamina C interage com alguns medicamentos, incluindo quimioterapia, estrogênio, varfarina e outros. Pergunte ao seu farmacêutico sobre quaisquer interações com os medicamentos que você usa. Alimentos ricos em vitamina C incluem frutas cítricas, vegetais de cor verde-escura, brócolis e frutas silvestres.

Zinco — Estimula a cicatrização de feridas e pode ser usado como suplemento oral em pastilhas de zinco ou aplicado diretamente na ferida em forma cremosa. NÃO aplique em feridas abertas e não tome o suplemento por tempo excessivo. Alimentos ricos em zinco incluem sementes de abóbora, ostras, vitela, carne, castanha de caju e cogumelos.

Vitaminas do complexo B — Essas vitaminas podem acelerar a recuperação e melhorar a saúde da pele. Alimentos ricos em vitaminas do complexo B incluem espinafre, brócolis, fígado de vitela, lentilhas, salsa e pimentão.

Bromelina — Essa enzima encontrada no abacaxi pode reduzir o inchaço e contusões, além de melhorar o tempo de cicatrização.

L-arginina — Tem sido usada em tratamentos pós-cirúrgicos para melhorar a recuperação. Alimentos ricos em arginina incluem chocolate, amendoim, frango, carne de boi, cordeiro, leite e queijo.

Quando Procurar um Médico?

Caso o machucado não pare de sangrar

Se o machucado for muito grande ou profundo

Quando for impossível remover a sujeira e os detritos

Em caso de danos a uma artéria ou ferimentos profundos que se aproximam de algum osso

Quando o ferimento for causado por mordida humana ou animal

Caso o machucado pareça estar infeccionado: pus verde e amarelo, aumento da área vermelha em volta do ferimento, pele "enrugada" em volta do machucado, área machucada muito mais quente do que a temperatura da pele circundante e linhas vermelhas que parecem sair do local.

+ Recursos e Referências