A “Mentira Sobre o Cálcio” Que Toda Mulher Deve Saber

Osteoporose

Resumo da matéria -

  • Osteoporose é uma doença caracterizada por ossos porosos e frágeis.
  • Pessoas com osteoporose estão em risco elevado de perda de altura, fraturas nos quadris, pulsos e vértebras e dor crônica.
  • Se você foi convencido (a) a acreditar que a chave para a prevenção da osteoporose é o aumento do consumo de cálcio e começou a consumir medicamentos farmacêuticos, você não está sozinho (a).
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Osteoporose é uma doença caracterizada por ossos porosos e frágeis. Pessoas com osteoporose estão em risco elevado de perda de altura, fraturas nos quadris, pulsos e vértebras e dor crônica.

Estou aqui para ajudá-lo (a) a passar por todas as informações confusas e conflitantes sobre a osteoporose e seguir um caminho mais seguro e mais efetivo para a prevenção de perda óssea e osteoporose.

A Verdade Sobre a Osteoporose e a Deficiência em Cálcio

Estou certo de que você ouviu dizer que a causa da osteoporose e a chave para sua prevenção giram em torno do cálcio, correto?

Infelizmente, nada poderia estar mais longe da verdade.

Dr. Robert Thompson, médico, escreveu um livro inteiramente dedicado a este assunto chamado, The Calcium Lie (A Mentira Sobre o Cálcio), que explica que o osso é composto por, pelo menos, uma dúzia de minerais e que o foco exclusivo na suplementação com cálcio provavelmente piora a densidade dos ossos e aumenta os riscos de desenvolvimento de osteoporose!

Dr. Thompson recomenda o uso de sal não processado como alternativa muito mais saudável à suplementação com cálcio.

Eu recomendo o uso do sal do Himalaia, pois ele é uma forma excelente de alimentar o organismo com os minerais-traço que ele precisa para funcionar de forma ideal.

Por Que Sally Field Pode Estar Preparando-se para a Osteoporose com Boniva

Se você teve medicamentos para osteoporose como Fosamax, Actonel ou Boniva prescritos, é muito importante que você entenda como estes medicamentos funcionam antes de colocá-los em seu organismo.

O uso destes tipos de medicamentos farmacêuticos é a pior forma de tentar tratar ou prevenir a osteoporose e vou dizer por que.

Eles funcionam matando certas células nos ossos chamadas osteoclastos. Os osteoclastos destroem o osso como parte do processo de regeneração natural dele. Matar estas células significa que você fica apenas com os osteoblastos, que aumentarão a densidade óssea, porém não a força óssea.

Como resultado, seus ossos perdem a capacidade natural de construir novos ossos e reajustar-se à constante mudança da força aplicada. Agora você possui ossos mais finos, com menos força, o que realmente aumenta o risco de fraturas ósseas. Ademais, estes medicamentos foram associados a alguns terríveis efeitos colaterais, incluindo risco elevado de desenvolvimento de úlceras e:

Problemas nos olhos, visão difusa, dor e inchaço

Fraturas dos ossos das coxas e osteonecrose da mandíbula

Danos hepáticos e insuficiência renal

Fibrilação atrial

Câncer esofágico

Hipocalcemia (níveis muito baixos de cálcio no sangue)

O Fosomax está na mesma categoria química (fosfonato) que os resíduos de sabão que você usa no banheiro! Sinto dizer que não é surpresa que as companhias farmacêuticas nunca colocaram esta pequena informação no rótulo de seu medicamento prescrito.

Intolerância ao Glúten e Perda Óssea

Gases crônicos, náusea, inchaço, diarreia, constipação e confusão mental podem ser sinais de intolerância ao glúten não diagnosticada. Glúten é uma proteína encontrada em grãos como trigo, centeio e cevada.

Pessoas com intolerância ao glúten não diagnosticada geralmente possuem má absorção de nutrientes devido ao dano intestinal. Isto significa que seu organismo é incapaz de obter nutrientes de forma ideal a partir dos alimentos e distribuí-los pelo organismo.

Esta má absorção de nutrientes pode desencadear a osteoporose.

Se você experimenta os sintomas supracitados, uma dieta livre de glúten pode ser a chave que você precisa para experimentar saúde melhor, talvez pela primeira vez em sua vida.

Outros Alimentos que Desencadeiam Perda Óssea

Alimentos processados e rápidos são as piores coisas que você pode colocar em seu organismo. Para que seu organismo funcione de forma ideal, ele precisa do tipo de dieta balanceada que sugiro na próxima seção.

Alimentos processados, como salgadinho de batata frita, batata frita, “refeições” feitas no forno microondas, refrigerante e doces contêm pouquíssimos nutrientes e são repletos de gorduras indigeríveis e aditivos perigosos, tais como xarope de milho de alta frutose, aspartame e conservantes.

Ao cozinhar, aconselho-te a evitar a maioria dos óleos base ômega-6, como milho, cártamo ou soja. Estes óleos são carregados com gorduras ômega-6 altamente processadas e danificadas que contribuem para inflamações no organismo. Em vez de usar estes óleos, recomendo o uso de óleos de coco e azeite de oliva saudáveis.

Alimentos Que Evitam Perda Óssea

Recomendo o consumo de uma ampla variedade de legumes orgânicos, preferencialmente cultivados localmente para obter-se equilíbrio adequado de vitaminas e minerais essenciais ao organismo. Uma forma fácil de aumentar a quantidade de legumes na dieta é através dos sucos de legumes.

Evite Perda Óssea com Exposição Adequada à Luz Solar

Os benefícios promovidos pela vitamina D à saúde não podem ser ignorados. Existe um alarmante número de pessoas deficientes em vitamina D e a deficiência em vitamina D pode desencadear uma série de problemas de saúde, incluindo osteoporose.

Apesar do que você possa ter ouvido, exposição adequada à luz solar não é ruim para você. É saudável e necessário. Apenas 15 a 20 minutos de exposição ao sol por dia pode melhorar dramaticamente sua saúde e exposição adequada ao sol é a forma ideal de manter os níveis de vitamina D na faixa ideal.

No entanto, se nenhuma das opções está disponível para você, a próxima opção é consumir um suplemento de vitamina D3. Doses adultas típicas de vitamina D variam de 5 a 10.000 unidades por dia.

O nível ideal de vitamina D no sangue para um adulto saudável é de 50 a 70 ng/ml.

A Importância do Ômega-3 para Ossos Fortes e Saudáveis

O ômega-3 é outro nutriente essencial que seu organismo precisa para evitar doenças físicas e mentais, inflamações e osteoporose. Embora as gorduras ômega-3 vegetais como as encontradas em sementes de linhaça sejam altamente benéficas devido a seu alto conteúdo de ácido alfa-linolênico (ALA), as gorduras ômega-3 de origem animal contêm dois ingredientes cruciais que você não obtém através das plantas: o ácido docosahexaenoico (DHA) e o ácido eicosapentaenoico (EPA).

Idealmente, você obteria todo o ômega-3 animal de que precisa consumindo frutos do mar. Infelizmente, a poluição industrial mudou o cenário, tornando a maior parte da água no mundo mais ou menos tóxica. Os peixes estão agora carregados com mercúrio, toxinas industriais, PCBs e PDEs. O mesmo serve para a maior parte do óleo que é produzido a partir destes peixes.

Felizmente, existe uma fonte sustentável de gordura ômega-3 animal disponível que é o óleo de krill. Krill é uma criatura muito pequena parecida com o camarão que excede o número de animais (incluindo humanos) no mundo!

O óleo de krill é também mais rapidamente absorvido do que o óleo de peixe, porque a gordura do krill está ligada aos fosfatos. Isto significa que você precisa de menor quantidade de óleo de krill do que precisaria se consumisse óleo de peixe.

Vitamina K2 é CRUCIAL Para a Prevenção de Osteoporose

A Vitamina K pode ser classificada como K1 ou K2:

  1. Vitamina K1: Encontrada em legumes, a K1 vai diretamente ao fígado e ajuda-o (a) a manter um sistema de coagulação sanguínea saudável (este é o tipo de vitamina K que os bebês precisam para ajudar na prevenção de um distúrbio hemorrágico grave). É também a vitamina K1 que evita calcificação dos vasos sanguíneos e ajuda os ossos a reter cálcio e desenvolver a estrutura cristalina correta.
  2. Vitamina K2: Bactérias produzem este tipo de vitamina. Elas estão presentes em grandes quantidades no intestino, porém infelizmente ela não é absorvida a partir dali e passa para as fezes. A K2 vai direto para as paredes vasculares, ossos e tecidos, além do fígado. Está presente em alimentos fermentados, particularmente queijo e o natto japonês, que é de longe a fonte mais rica em K2.

A vitamina K2 pode converter-se em K1 no organismo, porém existem problemas aqui, os quais discutirei em breve. Como suplemento, a K1 é menos cara, e é por isso que é a forma usada para recém-nascidos.

Tornando o assunto ainda mais complexo, existem diversas formas diferentes de vitamina K2.

MK8 e MK9 são provenientes primariamente de produtos lácteos. MK4 e MK7 são as duas formas mais significativas de K2 e agem de forma totalmente diferente no organismo:

A MK4 é um produto sintético, muito similar à vitamina K1 e o organismo é capaz de converter K1 em MK4. No entanto, a MK4 possui uma meia-vida muito curta de cerca de uma hora, tornando-a uma candidata ruim para suplemento dietético. Depois de chegar nos intestinos, ela permanece principalmente no fígado, onde é útil para a sintetização de fatores de coagulação sanguínea.

A MK7 é o mais novo agente com aplicações mais práticas, porque ela permanece mais tempo no organismo; sua meia vida é de três dias, o que significa que você possui muito mais chance de construir um nível sanguíneo consistente, comparando com a MK4 ou com a K1.

A MK7 é extraída de um produto japonês à base de soja chamado natto. Você pode, na verdade, obter muita MK7 através do consumo de natto, pois ele é relativamente barato e está disponível na maioria dos mercados de alimentos asiáticos. Algumas pessoas, no entanto, preocupam-se com seu odor e sua textura pegajosa e acham difícil tolerá-lo.

Evidências sugerem que a vitamina K2 é essencial para a saúde óssea, porém é um nutriente que a maioria das pessoas não obtém em quantidades adequadas através da dieta.

Como a vitamina K leva à saúde óssea?

A osteocalcina é uma proteína produzida pelos osteoblastos (células responsáveis pela formação óssea) e é usada dentro do osso como parte integrante do processo de formação óssea. No entanto, a osteocalcina deve ser “carboxilada” antes de tornar-se efetiva. A vitamina K funciona como cofator da enzima que catalisa a carboxilação da osteocalcina.

A vitamina K2 demonstrou ser de longe um “ativador” mais eficaz da osteocalcina que a K1.

Existem pesquisas bastante marcantes sobre os efeitos protetores da vitamina K2 contra a osteoporose:

  • Uma série de testes japoneses mostrou que a vitamina K2 reverte completamente a perda óssea e, em alguns casos, até aumenta a massa óssea em pessoas com osteoporose.
  • As evidências agrupadas de sete testes japoneses mostraram que a suplementação com vitamina K2 promove uma redução de 60% nas fraturas vertebrais e uma redução de 80% em fraturas de quadris e outras fraturas não vertebrais.
  • Pesquisadores da Holanda mostraram que a vitamina K2 é três vezes mais eficaz que a vitamina K1 no aumento da osteocalcina que é quem controla a construção óssea.

Apesar de o organismo poder converter K1 em K2, estudos mostram que a quantidade de K2 produzida através deste processo por si só é insuficiente. Mesmo que você esteja consumindo K1 em quantidade suficiente, o organismo usa a maior parte dela para produzir fatores de coagulação, deixando pouco restante para os ossos.

Em outras palavras, o fígado preferencialmente usa a vitamina K1 para ativar fatores de coagulação, enquanto outros tecidos preferencialmente usam a K2. A vitamina K2 também demonstrou promover outros benefícios a você — além dos benefícios promovidos aos ossos!

A vitamina K2 é a cola biológica que liga o cálcio à matriz óssea. Fontes dietéticas de K2 podem ser encontradas tradicionalmente em alimentos fermentados, tais como tempeh, missô, natto e molho de soja.

Você Está Obtendo Vitamina K em Quantidade Suficiente Através da Dieta?

O consumo de muito vegetal verde aumentará os níveis de vitamina K1 naturalmente, especialmente:

  • Couve
  • Espinafre
  • Couve-galega
  • Brócolis
  • Couve-de-bruxelas

Você pode obter toda a K2 de que precisa (cerca de 200 microgramas) consumindo 15 gramas de natto diariamente. No entanto, o natto geralmente não é agradável ao paladar ocidental, portanto a segunda melhor forma de obtenção é através de suplementos de vitamina K2.

Porém, lembre-se de que você sempre deve consumir suplemento de vitamina K com gordura uma vez que ela é lipossolúvel e não será absorvida sem ajuda da gordura.

Prática de Exercícios para Prevenção de Perda Óssea

Lembre-se de que o osso é um tecido vivo que requer atividade física regular para renovar-se e reconstruir-se.

O pico de massa óssea é alcançado na infância e, então, começa a declinar vagarosamente. Exercícios são muito importantes para a manutenção da massa óssea saudável. Exercício de suporte de peso é uma das soluções mais eficazes contra a osteoporose.

A última coisa que você quer considerar é consumir medicamento que melhore a densidade óssea, pois, sem dúvida, é mais provável que ele cause mais dano que benefício em longo prazo.

Osteoporose em Homens

Eis algo sobre a osteoporose em homens que você talvez não tenha se dado conta: homens com mais de 50 anos de idade estão em maior risco de desenvolvimento de osteoporose do que de câncer de próstata. Homens desenvolvem esta doença devido a um problema chamado hipogonadismo, que pode levar ao encolhimento em vários centímetros. Os fatores de risco dos homens são:

Alcoolismo

Obesidade

Fumo

Transtornos gastrointestinais

Estilo de vida sedentário

Falta de exposição à luz solar

É Muito Mais Fácil Prevenir a Perda Óssea do Que Tratá-la

É verdade o que Benjamin Franklin disse, “Um grama de prevenção vale mais que um quilo de cura”. Agora que você está armado (a) com o conhecimento que necessita para tomar decisões fundamentadas sobre prevenção e cura da osteoporose, você está pronto (a) para tomar o controle de sua saúde!