A Importância do Selênio

elemento selênio

Resumo da matéria -

  • Um mineral encontrado no solo e alimentos específicos, o selênio funciona como um antioxidante que pode protegê-lo de doenças; o selênio também é anti-inflamatório, antiviral e tem propriedades anticâncer
  • Doenças autoimunes, problemas de tireóide, incluindo a doença de Hashimoto, câncer, doenças cardíacas, AIDS e asma são todos positivamente impactados pelo selênio, mas cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo têm deficiência dele
  • Certas carnes, peixes pescados na natureza, castanhas-do-pará, sementes de girassol, cebola, alho e cogumelos são boas fontes de selênio
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O selênio é um oligoelemento que um químico sueco, o barão Jöns Jacob Berzelius, descobriu há quase 200 anos. Atualmente, os cientistas modernos o reconhecem como “um mineral essencial de importância fundamental para a saúde humana”, com potencial anti-inflamatório, antiviral e anticâncer.

Este mineral também é um poderoso antioxidante, que se manifesta de várias maneiras em relação à sua saúde. Você só precisa de um pouco dele para ajudar a manter seu sistema imunológico e outras funções funcionando corretamente.

Por mais que seu corpo precise de selênio, tomar a quantidade adequada dele é essencial, porque o excesso (como 400 microgramas [mcg] por dia) foi associado a um risco aumentado de diabetes.

No entanto, a menos que você esteja tomando um suplemento, não é provável que você sofra de uma overdose de selênio através dos alimentos que ingere. De fato, a maioria das pessoas tem dificuldade em conseguir a quantidade de que precisa, e cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo têm deficiência de selênio.

Sua chance de ter uma deficiência de selênio torna-se maior se você fuma cigarros, toma pílulas anticoncepcionais, bebe álcool ou tem uma doença que o impede de absorver os nutrientes dos quais você precisa através dos alimentos que você consome.

Os Radicais Livres: Os “Vilões” que Você Não Deseja ter Escondidos no seu Corpo

Como mencionado anteriormente, um dos aspectos mais importantes do selênio é que ele funciona como um antioxidante destruidor de radicais livres. O que isso significa exatamente?

Quando você desmonta a palavra, “anti” é algo contra o que você é contra e a palavra ou frase que se segue é “homem mau”.

Neste caso, a coisa contra é a oxidação, porque pode causar estresse oxidativo, o que por sua vez pode levar a danos nos tecidos e órgãos. Segundo a News-Medical:

“O estresse oxidativo é essencialmente um desequilíbrio entre a produção de radicais livres e a capacidade do organismo de neutralizar ou desintoxicar seus efeitos nocivos por meio da neutralização pelos antioxidantes.”

Embora “radicais livres” possa ser outro termo obscuro, em resumo, os radicais livres e outras espécies reativas de oxigênio (ERO) são causados por processos metabólicos internos normais ou por influências externas, como nicotina e raios X, ou exposição a produtos químicos como aqueles usados para matar mosquitos, germes no seu banheiro ou ervas daninhas em torno de seu quintal. Um estudo explica:

“Os radicais livres, espécies reativas de oxigênio (ERO) e espécies reativas de nitrogênio são gerados pelo nosso organismo por vários sistemas endógenos, exposição a diferentes condições físico-químicas ou estados patológicos. Um equilíbrio entre os radicais livres e os antioxidantes é necessário para se ter uma função fisiológica correta.

Se os radicais livres sobrecarregarem a capacidade do corpo de regulá-los, ocorre uma doença conhecida como estresse oxidativo. Os radicais livres, portanto, alteram adversamente lipídios, proteínas e DNA e desencadeiam várias doenças humanas. Assim, a aplicação de fonte externa de antioxidantes pode ajudar a lidar com o estresse oxidativo.”

Pode ser útil recordar que os radicais livres podem causar danos às células e os antioxidantes combatem os radicais livres.

Função Tireoidiana e o Papel do Selênio

Sua tireoide contém mais selênio por grama de tecido do que qualquer outro órgão. Um estudo explica:

“Em 1957, estudos investigando as exigências de nutrientes na alimentação de roedores revelaram que o selênio (junto com a vitamina E) é essencial para a prevenção da necrose hepática. Isso levou à percepção de que a deficiência de selênio era responsável por vários distúrbios observados anteriormente…

O selênio é um fator contribuinte para a doença de Keshan em humanos. Embora a toxicidade em níveis mais altos ainda seja um problema grave, a importância do selênio como micronutriente essencial é agora reconhecida.”

Outro estudo afirma que o valor da suplementação de selênio para pessoas com problemas autoimunes de tireóide está tornando-se mais compreendido e a deficiência parece ter um impacto no desenvolvimento de problemas de tireoide, possivelmente devido à capacidade do selênio de regular a produção de ERO e seus metabólitos.

Em pacientes com doença de Hashimoto, a suplementação de selênio “diminui os níveis de anticorpos antitireoidianos e melhora a estrutura ultrassônica da glândula tireoide”. Além disso, estudos feitos com mulheres grávidas sobre o selênio dizem que a suplementação diminui significativamente o risco de tireoidite pós-parto.

Pontos Fortes do selênio: Quantidades Corretas Reduzem o Risco de Doenças Graves

De acordo com uma meta-análise:

“O selênio pode desempenhar um papel benéfico em doenças multifatoriais com ligadas a fatores genéticos e ambientais… Tecidos particularmente sensíveis a mudanças no suprimento de selênio incluem glóbulos vermelhos, rins e músculos.

A meta-análise identificou que, para as espécies animais, os alimentos enriquecidos com selênio foram mais eficazes que a selenometionina na atividade crescente (glutationa peroxidase).”

Função imune

Uma das funções mais importantes do selênio é sua capacidade de ajudar seu corpo a combater doenças. Ele aumenta a contagem de glóbulos brancos, então você será mais capaz de resistir a infecções.

Um exemplo é um estudo demonstrando que o selênio pode ajudar a prevenir uma infecção cutânea prevalente em pessoas com linfedema (inchaço dos tecidos em seus braços e/ou pernas, geralmente como resultado de quimioterapia ou lesão) e pneumonia por micoplasma, também conhecida como pneumonia atípica.

Câncer

Em 2012, os pesquisadores relataram que em áreas do mundo onde os níveis de selênio são naturalmente baixos, a suplementação com selênio pode proteger contra o câncer. O autor do estudo e professor John Hesketh, da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, explicou:

“A dificuldade com o selênio é que existe uma linha muito tênue entre os níveis abaixo do ideal, e aqueles que são considerados tóxicos.

O que nosso estudo mostra é uma possível ligação entre altos níveis de selênio e uma diminuição do risco de câncer colorretal e sugere que o aumento da ingestão de selênio pode reduzir o risco desta doença.”

Benefícios para o Coração

Embora deva ser observado que alguns pesquisadores dizem que tomar suplementos de selênio não parece influenciar as doenças cardíacas de uma forma ou de outra ou proteger contra ataques cardíacos, o Centro Médico da Universidade de Maryland informou:

“Os cientistas sabem que baixos níveis de selênio podem contribuir para a insuficiência cardíaca, e a deficiência de selênio parece piorar a aterosclerose. A aterosclerose, ou endurecimento das artérias, acontece quando a placa acumula-se nas artérias, o que pode levar a ataques cardíacos e derrames.”

Outro estudo descobriu que pacientes que tomaram suplementos de selênio regularmente têm “muito menos probabilidade” de ter outro ataque cardíaco.

Asma

Aqueles que sofrem com asma tendem a ter maior incidência de baixos níveis de selênio no sangue. Cientistas descobriram que dietas contendo altas quantidades de antioxidantes estão associadas à baixa prevalência de asma em estudos epidemiológicos, como revela um relatório baseado em dados acumulados:

“Dados acumulados indicam que a asma está associada à redução do selênio circulatório (Se). No grupo suplementado com Se, houve um aumento significativo no soro Se.

…Além disso, houve uma melhora clínica significativa no grupo que recebeu suplemento de Se, em comparação com o grupo que recebeu placebo.

Entre 24 indivíduos com asma, aqueles que tomaram suplementos por 14 semanas tiveram menos sintomas do que aqueles que tomaram um placebo, descobriu um estudo. No entanto, os cientistas concordam que mais estudos são necessários.

Infertilidade Masculina

Proteínas encontradas no esperma e envolvidas na sua formação são afetadas pelo selênio e outros antioxidantes.

Uma dicotomia interessante, no entanto, é que embora os estudos demonstrem que a infertilidade masculina possa ser melhorada pelo selênio no organismo de um homem, níveis muito altos podem inibir a capacidade de nadar do espermatozoide, de acordo com o Centro Médico da Universidade de Maryland. Outro estudo concluiu:

“Probióticos enriquecidos com selênio ou suplementação com selênio inorgânico deram melhores resultados que a suplementação com probióticos e podem ser usados para melhorar a fertilidade masculina e humana comprometida pela hiperlipidemia ou obesidade.”

HIV/AIDS

A maior parte do continente africano tem deficiência em selênio. Simultaneamente, a AIDS é a causa mais comum de morte. A News-Medical, examinando doenças afetadas pelo selênio, reportou:

“De maneira geral, a evidência geográfica sugere fortemente que o selênio protege contra a infecção pelo HIV.

Tal relação não está limitado a este vírus. Uma doença frequentemente fatal do coração, conhecida como doença de Keshan, é generalizada na população do baixo cinturão de selênio que atravessa a China do nordeste ao sudoeste. A doença de Keshan ocorre apenas em indivíduos com deficiência de selênio e infectados pelo vírus coxsackie.”

Embora as maiores taxas de mortalidade por AIDS afetem várias partes do sudoeste do continente, como Botsuana, Uganda e Quênia, “a taxa de prevalência da infecção pelo HIV ainda ronda uma taxa excepcionalmente baixa de 0,5% entre mulheres atendidas em clínicas de pré-natal” em Dakar, a capital do Senegal.

A diferença, dizem os cientistas, é que o Senegal está localizado no extremo oeste da costa da África, onde o solo é enriquecido com oligoelementos de selênio, contrastando com a porção leste, onde o solo é desprovido do selênio que pode ajudar a fazer a diferença nesse quesito.

Uma situação semelhante está ocorrendo na Finlândia, onde, para combater doenças cardíacas, leis foram aprovadas em 1984, ordenando que o selenito de sódio fosse adicionado a todos os fertilizantes em todo o país. Talvez como resultado disso, as taxas de HIV do país são a metade da taxa dos outros países escandinavos.

Selênio de Origem Alimentar: Frutos do Mar, Cogumelos e Carne

As melhores fontes alimentares de selênio incluem salmão (embora apenas o salmão selvagem do Alasca seja recomendado devido à poluição generalizada em outros peixes), peru orgânico caipira, carne bovina e de cordeiro orgânica de animais alimentados com grama.

Você também pode encontrar grandes quantidades de selênio em castanhas-do-pará, sementes de girassol, cebola, alho e certos cogumelos. O SFGate diz:

“Cogumelos são uma das principais fontes vegetais de selênio. Uma xícara de shiitakes cozidos ou cogumelos brancos fornece 19 microgramas de selênio, ou 35% da IDR. Uma porção mais típica de ¼ de xícara fornece menos de 10% do valor diário.

Uma xícara de lima cozida ou feijão carioca atinge em média 9 a 11 microgramas do mineral, ou cerca de 15 a 20% da IDR. O espinafre congelado cozido tem uma quantidade muito menor por xícara comparado ao espinafre fresco cozido, fornecendo 10 microgramas de selênio, ou 18% da IDR.”

No entanto, não é apenas a quantidade de selênio de origem alimentar que determina quanto dele você está recebendo. É também a quantidade de selênio que vem do solo no qual seu alimento foi cultivado.

Fatores relacionados incluem quanto selênio estava na grama ingerida pelo gado que produzirá sua carne bovina de animais alimentados com grama — a propósito, a carne bovina de animais alimentados com grama contém uma relação saudável entre as gorduras ômega-6 e ômega-3. Naturalmente, você também quer que ela esteja livre de hormônios e antibióticos.