Cultive seu Próprio Alimento

mulher e criança jardinando

Resumo da matéria -

  • Cultivar seu próprio alimento é um meio conveniente e de bom custo-benefício de melhorar sua nutrição e saúde, e frutas e legumes cultivados no jardim são os alimentos mais densamente nutritivos disponíveis
  • Jardinagem ajuda na criação de um sistema alimentar global sustentável e é excelente forma de beneficiar seu bem-estar físico e emocional
  • Quando se trata de jardinagem, a saúde do solo é primordial; culturas de cobertura e cavaco de madeira demonstraram ajudar na criação e proteção de solo saudável que, por sua vez, produzirá alimento saudável e nutritivo
  • O sistema de agricultura industrial está degradando nossos solos e danificando sua saúde devido a seu foco na produção de monoculturas que são ingredientes centrais de alimentos processados bem conhecidos por promoverem doenças, deficiências nutricionais e obesidade
  • Jardinagem pode facilmente ser feita internamente e em pequenos espaços; se você não está certo(a) de como iniciar, tente a germinação, porque é fácil e você obterá resultados rápidos
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Cultivar seu próprio alimento é um meio conveniente e de bom custo-benefício de melhorar sua nutrição e saúde. Legumes e frutas orgânicos cultivados no jardim são ricos em nutrientes e representam a produção mais fresca disponível. Cultivar sua própria safra não somente melhora sua dieta, como também:

  • Melhora e protege o precioso solo superficial
  • Incentiva a compostagem, que pode ser usada para alimentar e nutrir suas plantas
  • Minimiza sua exposição a fertilizantes sintéticos, pesticidas e outras toxinas
  • Promove a biodiversidade criando habitat natural para animais, pássaros, insetos e outros organismos vivos
  • Melhora seu nível físico, disposição e sentimento de bem-estar, tornando a jardinagem uma forma de praticar exercícios

Embora jardins promovam diversos benefícios, o motivo mais importante para você montar um jardim (especialmente devido às diversas questões associadas à agricultura industrial) é que a jardinagem ajuda na criação de um sistema alimentar global sustentável, promovendo a você, e a outras pessoas, acesso a alimento fresco, saudável e densamente nutritivo.

Brotos São Alimento Densamente Nutritivos e Facilmente Cultivados em Pequenos Espaços

Se você é novo(a) na arte da jardinagem e não tem certeza sobre como começar, considere brotos. Brotos são superalimentos fáceis de cultivar, porém geralmente negligenciados, com perfil nutricional superior.

Você pode cultivar brotos mesmo se não tiver uma área externa para jardinagem e você deve considerá-los se viver em apartamento ou condomínio onde o espaço é limitado (para outras dicas de cultivo de alimento em pequenos espaços, o livro de Alex Mitchell, “The Edible Balcony: Growing Fresh Food in Small Spaces”, (Varanda Comestível: Cultivando Alimento Fresco em Pequenos Espaços) é excelente leitura).

Usina geradora de nutrição, brotos podem conter até 30 vezes os nutrientes de legumes orgânicos cultivados em seu jardim e capacitam seu organismo para extrair mais vitaminas, minerais, aminoácidos e gorduras essenciais dos alimentos que você consome. Durante a germinação, minerais como cálcio e magnésio formam ligações com proteínas, tornando-os biodisponíveis.

Ademais, a qualidade do teor de fibra e proteína da maioria dos feijões, grãos, castanhas e sementes melhora quando germinados. A germinação também ajuda na redução de lectinas tóxicas, proteínas vegetais vinculadas ao açúcar conhecidas por anexar-se às membranas celulares, as quais são geralmente fonte oculta de ganho de peso e saúde ruim.

O teor de vitaminas e ácidos graxos essenciais aumenta dramaticamente durante o processo de germinação. Além dos benefícios já mencionados, brotos demonstraram:

  • Defender contra danos provocados por radicais livres devido aos antioxidantes, enzimas, vitaminas e minerais que eles contêm
  • Inibir crescimento celular anormal devido a seu abundante teor de oxigênio (bactérias e vírus geralmente não sobrevivem em ambientes ricos em oxigênio)
  • Proteger o organismo contra doenças, incluindo câncer, devido a seus efeitos alcalinizantes (muitos tumores são ácidos)
  • Suportar regeneração celular

Eu cultivo brotos de girassol em bandejas porque eles são dos legumes de maior qualidade que você pode consumir. Sementes de girassol germinadas também contêm quantidade abundante de clorofila, que ajuda na desintoxicação do sangue e do fígado. Além dos benefícios nutricionais superiores que promovem, brotos são baratos de cultivar e podem ser adicionados a saladas, sanduíches, smoothies e sucos de legumes.

Jardinagem Caseira é a Resposta para Vários Problemas

Não há dúvida de que a jardinagem caseira é passo importante para a construção de um sistema alimentar mais sustentável. Venho incentivando leitores a formar jardins como meio para tornar alimentos de alta qualidade, densamente nutritivos, mais prontamente disponíveis.

Afinal de contas, o alimento cultivado em seu próprio jardim é mais fresco, mais nutritivo e tem melhor sabor do que o comprado em loja — e você não pode ignorar a conveniência e o preço. Estes são apenas alguns dos diversos benefícios promovidos pela formação de um jardim em seu quintal.

De acordo com pesquisa realizada pela Gardeners' World magazine (Revista do Mundo dos Jardineiros), 80% dos que praticavam jardinagem relataram ser “felizes” e satisfeitos com suas vidas, comparando com 67% dos que não praticavam jardinagem. Muitas das sensações de felicidade sem dúvida nenhuma são provenientes da inserção das mãos no solo e do tempo passado na natureza, que inclui exposição vital ao sol que ajuda na promoção da síntese da vitamina D pelo organismo.

Além disso, andar descalço(a) no ambiente externo e fazer contato com o solo promovem a você muitos dos benefícios associados ao “aterramento”, também conhecido como contato com a terra. Conforme detalhado no filme documentário “Grounded”, (Aterrado), andar descalço na grama ou no chão transfere elétrons livres da superfície da Terra para o organismo espalhando-se para os tecidos, promovendo efeitos benéficos.

O aterramento demonstrou aumentar o bem-estar, melhorar o sono, reduzir inflamações e aliviar dores. Se você pratica jardinagem, você sem dúvida pode testemunhar o acréscimo de energia e sentimentos positivos que acompanham o trabalho. Prazer adicional é oferecido pelo cultivo e consumo do alimento cultivado em seu próprio jardim.

Cavaco de Madeira Pode Ajudar a Tornar Seu Jardim Autossustentável

O que muitas pessoas falham em perceber é que sua saúde em última análise depende da saúde do solo, porque ele é o veículo no qual legumes e frutas podem tornar-se densamente nutritivos. Quando o solo está empobrecido de nutrientes, alimentos cultivados nele estarão deficientes em minerais e fitonutrientes.

Infelizmente, esta é a situação de grande parte dos solos do planeta hoje. Devido à adição de fertilizantes químicos por vários anos, a maior parte do solo permanece empobrecida em nutrientes. A saúde do solo é mantida e aprimorada por microrganismos vivendo no solo, como bactérias, fungos e protozoários. Longe de ser flagelos a ser evitados, microrganismos são essenciais para crescimento ótimo da planta.

É a cooperação que ocorre entre estes microrganismos, bioma do solo e raízes das plantas – chamada rizosfera – que capacita a planta a absorver nutrientes do solo no qual ela desenvolver-se-á.

No fim da estação de cultivo, quando deixado descansar, o solo fica coberto com folhas e material orgânico que se transforma em adubo rico, adicionando nutrientes de volta ao solo. Esta camada superficial de material orgânico também blinda o solo e ajuda na retenção de umidade. Imitando a natureza e simplesmente cobrindo o jardim com cavaco de madeira, aguá-lo não será necessário.

Agricultura Industrial é Opção de Risco

Sem acesso a alimento cultivado domesticamente, você torna-se dependente do sistema de agricultura industrial global, o qual garanto a você, não está preocupado com sua saúde. Longe de ser sustentável à vida, os métodos de agricultura dependente de produtos químicos de grande escala no mundo:

Degradam e contaminam o solo — Na dieta mediana, grãos são responsáveis por cerca de 70% das calorias diárias e grãos são cultivados em cerca de 70% da área mundial. A contínua replantação de safras de grãos todo ano desencadeia degradação do solo e 40% do solo agrícola mundial é agora classificado como degradado ou seriamente degradado.

A superfície do solo também é perdida, o que significa que nossos modos atuais de operação simplesmente deixarão de ser eficazes em algum momento no futuro. Especialistas sugerem que temos menos de 60 anos de superfície de solo remanescente.

Contaminam e consomem de forma elevada os suprimentos de água — A agricultura é responsável por 70% do uso de nossa água fresca. Quando o solo é pobre, há desperdício de água, porque ela simplesmente lava o solo longe do sistema da raiz da planta. De acordo com a Environment America, o agronegócio corporativo é “uma das maiores ameaças aos lençóis de água”.

Contribuem para as emissões de gás de efeito estufa — Embora a produção de fertilizantes produza sua parte de gases de efeito estufa, a maior parte das emissões ocorre quando se trata de culturas.

De acordo com o International Panel on Climate Change (Painel Internacional da Mudança Climática), um em cada cem quilos de fertilizante nitrogênio aplicado na agricultura acaba na atmosfera como óxido nitroso, potente gás estufa, 300 vezes mais potente que o dióxido de carbono (CO2) e conhecido por reduzir a camada de ozônio.

Reduzem a biodiversidade — Para alcançar eficiências de escala, a agricultura industrializada demanda monocultura, na qual agricultores cultivam uma cultura exclusivamente. Tristemente, a monocultura contribuiu para alterações alimentares que promovem saúde precária. Hoje, culturas primárias cultivadas em fazendas industriais de grande escala são canola, milho, soja, beterraba doce e trigo — ingredientes centrais em alimentos processados conhecidos por promover doenças, deficiências nutricionais e obesidade.

Ameaçam a segurança alimentar e causam doenças — O uso excessivo de medicamentos, especialmente antibióticos, desencadeou o desenvolvimento de doenças resistentes a medicamentos que se tornaram ameaça séria à saúde. Surtos pandêmicos também estão tornando-se mais prevalentes em operações de alimentação de animais confinados revelando falhas inerentes da agricultura animal industrializada.

Conforme observado pelo Institute for Agriculture and Trade Policy (Instituto da Agricultura e Políticas Comerciais): “A rápida propagação de novas estirpes de doenças… é um dos motivos visíveis pelos quais a expansão da produção animal estilo fábrica é vista como insustentável”.

Arriscam a segurança alimentar — Devido ao uso de herbicidas e pesticidas tóxicos, a agricultura industrial promove efeito devastador em polinizadores importantes, como abelhas e borboletas. Diz o The New York Times: “Plantas que dependem de polinização significam 35% do volume global de produção de culturas, com valor estimado em USD 577 bilhões por ano”.

Promovem deficiências nutricionais e má nutrição — A agricultura industrial é estabelecida e subsidiada para cultivar ingredientes usados em alimentos processados — esta é a forma mais barata de alimentar os 7,5 bilhões de pessoas no planeta. O que as pessoas realmente precisam para saúde ótima é de produtos frescos e nutritivos.

De acordo com pesquisa apresentada no congresso 2016 American Heart Association's Epidemiology/Lifestyle (Epidemiologia/Estilo de Vida da Associação Americana do Coração de 2016), adicionar uma ou mais porções de frutas e legumes por dia pode evitar cerca de 3,5 milhões de mortes causadas por doenças cardíacas em apenas dois anos.

Necessitam do uso de métodos agrícolas não naturais e de produtos químicos — A industrialização desencadeou a separação da agricultura de culturas e de gado em duas especialidades diferentes. Como resultado, serviços de manutenção de hospedagem de terras que animais previamente forneciam sem custo são agora menos eficazmente manuseados usando meios químicos e mecânicos, muito em detrimento de humanos, animais e meio ambiente.

Qualidade do Solo é a Chave: Cinco Princípios da Agricultura Regenerativa

Felizmente, existem soluções melhores do que a agricultura industrial. A agricultura regenerativa, que faz uso de culturas de cobertura, foca no plantio e suporte da pastagem herbívora, pode ajudar na solução da maioria dos problemas urgentes, incluindo redução dos níveis de CO2 atmosférico e normalização dos padrões climáticos.

Depois de visitar Gabe Brown, pioneiro no gerenciamento de terra regenerativa, em sua fazenda em Bismarck, Dakota do Norte, estou ainda mais convencido de que o cultivo de alimentos densamente nutritivos só é possível com solo saudável.

Brown sugere que existem cinco princípios básicos para cultivar a superfície do solo e construir um ecossistema de solo saudável em fazendas. Por serem suas orientações aplicáveis também a jardins domésticos, você deve:

  1. Evitar perturbar o microbioma do solo — Quanto menos perturbação mecânica, melhor, significando nada de lavoura, herbicidas, pesticidas ou fungicidas.
  2. Proteger a superfície do solo — Use culturas de cobertura, relva não tratada, cobertura vegetal e cavacos de madeira para manter a biologia do solo, evitar evaporação da água e temperatura do solo mais baixa, que é particularmente importante em dias quentes.
  3. Diversifique suas culturas — Diversidade de vida vegetal é essencial para a saúde do solo e culturas de cobertura ajudam a preencher este requisito.
  4. Mantenha raízes vivas no solo o máximo possível — O cultivo constante de alguma cultura é a chave para a vitalidade do solo, portanto certifique-se de plantar uma cultura de cobertura depois de colher seus legumes.
  5. Integre gado e outros animais, incluindo insetos — Para imitar os grandes rebanhos de animais silvestres, como bisão e alce, que previamente vagaram para as planícies do norte, galinhas marrons, vacas, cordeiros e porcos para beneficiar o solo e garantir produto acabado densamente nutritivo. Plantas com flores que atraem polinizadores e insetos predadores naturalmente ajudarão a espantar pestes.