Se Não Usadas Adequadamente, Lentes de Contato Podem Desencadear Graves Infecções Oculares

Uso de Lentes de Contato

Resumo da matéria -

  • Embora muito populares, lentes de contato podem aumentar seus riscos de infecções oculares, abrasões corneanas, ulcerações corneanas, perda da visão e até mesmo perda do olho
  • Seu cérebro depende da luz de espectro total que atravessa os olhos, portanto lentes com filtro UV podem aumentar os riscos de desenvolvimento de certos problemas
  • O cuidado adequado com suas lentes inclui nunca dormir, nadar ou tomar banho com elas, rotineiramente trocar o estojo das lentes, lavar as lentes após cada uso e outros
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O uso de lentes de contato aumenta os riscos de infecções oculares, danos à córnea e altera o bioma microbiano que existe naturalmente nos olhos. Nesses casos, os resultados podem ser perigosos ou desastrosos para sua visão.

Antes de entender os riscos, é importante saber como seus olhos funcionam e como as lentes podem ajudar a corrigir sua visão. Crianças relatam melhora na captação percebida quando usam lentes, porém a menos que cuidem de seus olhos e das lentes de forma adequada, elas podem correr risco elevado de perder a visão completamente.

Como Seus Olhos Funcionam

O que você enxerga não é interpretado nos olhos, e sim no cérebro. A luz passa através da frente de seus olhos (córneas) e suas lentes. Estas estruturas ajudam a focar a luz na retina na parte posterior dos olhos.

As células na retina, então, convertem a luz em impulsos eletroquímicos passando pelo nervo ótico e pelo cérebro. A frente dos olhos funciona como a lente de uma câmera, deixando entrar mais luz à noite e menos durante o dia. É por isso que suas pupilas ficam maiores à noite, para deixar entrar mais luz e permitir que você enxergue no escuro.

Lentes de contato são usadas em “contato” com os olhos. São lentes prescritas desenvolvidas para corrigir erros de visão, parecidas com óculos de proteção em miniatura. Elas mudam quando a luz é focada na retina, melhorando sua visão.

Estas pequenas lentes movem-se junto com os olhos e flutuam no filme lacrimal sobre a superfície de sua córnea. Lá em 1508, Leonardo da Vinci ilustrou o conceito das lentes de contato. As primeiras lentes foram feitas de vidro em 1887.

Ao longo dos anos elas transformaram-se em plástico, lentes macias, lentes descartáveis, gás permeáveis e, mais recentemente, lentes de silicone hidrogel personalizadas.

As lentes gás permeáveis (GP) são feitas de plástico rígido, possuem menos água, são menos flexíveis e mais resistentes a bactérias do que as lentes macias. As lentes GP também mantêm sua forma quando você pisca, mantendo sua prescrição melhor do que as lentes macias.

A Importância da Luz de Espectro Total

Seus olhos precisam do espectro total da luz para que possam manter-se saudáveis, da mesma forma que seu organismo precisa da luz solar. Quando a luz entra nos olhos, ela não somente ajuda-o(a) a enxergar, mas também segue para o hipotálamo no cérebro.

Esta é a glândula no cérebro que controla a temperatura, a fome, a sede, o equilíbrio da água e a pressão arterial do organismo.

A luz de espectro total também promove impacto significativo na glândula pituitária que secreta muitos hormônios essenciais diferentes. Por este motivo, a exposição à luz de espectro total é uma terapia muito eficaz para o tratamento de depressão, infecções e mais.

Estudos também demonstraram que iluminação ruim está associada a dores de cabeça, estresse, fadiga e olhos cansados e lacrimejantes. A iluminação ruim também está associada a produtividade baixa.

Por outro lado, empresas que aderiram a lâmpadas de espectro total relataram melhora da motivação de seus colaboradores, maior produtividade, redução de erros e redução de faltas.

Se você optar por usar lentes de contato, é importante escolher lentes que não filtrem a luz UV, pois elas aumentarão os riscos de que seus olhos e cérebro não recebam luz UV suficiente para manter sua saúde e bem-estar.

Risco Elevado de Infecções e Danos aos Olhos Devido ao Cuidado Inadequado

Em um noticiário recente da ABC, o Dr. William Faulkner, do Cincinnati Eye Institutes (Instituto dos Olhos de Cincinnati), avisa que 20.000 pessoas por ano desenvolvem infecções oculares por pseudomonas. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC),nos estados Unidos, 50% das pessoas dormem com suas lentes de contato.

Infelizmente, esses hábitos desencadeiam um risco elevado de infecções oculares, que podem levar a infecção debilitadora e perda da visão. Se não tratada, você pode até perder seu olho.

Faulkner informa que pessoas que dormem com as lentes, mesmo aquelas comercializadas como lentes de contato noturnas, têm risco 10 vezes maior de desenvolver infecções oculares.

Praticamente uma em cada cinco pessoas com infecções oculares envolvendo lentes de contato apresenta danos oculares. Essas complicações incluem córnea lacerada, transplante de córnea e perda da visão.

Em 1996, pesquisadores identificaram diversos fatores que contribuem para o aumento dos riscos de infecções e úlceras corneanas causada por dormir com as lentes, incluindo:

Privação de oxigênio

Sobrevivência bacteriana

Poluição atmosférica

Padrões do sono

Falta de movimento dos olhos e das pálpebras

Ortoqueralogia

Um tipo diferente de lentes de contato é usado somente à noite para remodelar os olhos para que o usuário não precise usar óculos ou lentes de contato no dia seguinte. Este produto tem sido usado por atletas jovens para reduzir a necessidade de usar óculos ou lentes de contato quando estão competindo. As lentes são chamadas ortoqueralogia, também conhecidas como orto-k.

O custo destas lentes pode ser exorbitante, porém muitos pais acreditam que os benefícios compensam o custo. A prática da remodelação da córnea com lentes de contato tem sido praticada por décadas, porém a FDA as aprovou para uso somente em 2002.

Estas lentes são agora tipicamente vendidas para adolescentes e crianças por optometristas. As lentes são usadas por crianças com miopia leve a moderada na esperança de que possam ajudar na redução de erros refratários ao longo do tempo. No entanto, o uso destas lentes à noite traz riscos significativos.

Embora muitas crianças experimentem melhoras temporárias em sua visão, alguns médicos acreditam que com a prescrição dessas lentes em idade jovem, a remodelação da córnea pode tornar-se semipermanente, uma vez que as células oculares de crianças dividem-se mais rapidamente. Esta rápida divisão celular pode resultar em alterações mais permanentes à forma dos olhos.

Oftalmologistas e especialistas em córnea não estão muito convencidos com as lentes orto-k, citando suas experiências e diversos estudos para preocupação deles. Dormir com as lentes de contato, não importa se saõ comercializadas como de uso estendido, como as lentes orto-k, ou se você acidentalmente adormecer com as lentes, aumenta os riscos de danos oculares.

Riscos Associados a Dormir com as Lentes de Contato

Wu Jian-Liang, diretor do departamento de oftalmologia do Hospital Taipei's Wan Fang, citado no Daily Mail, diz:

“Usuários de lentes de contato são um grupo de alto risco que podem facilmente ficar expostos a doenças oculares. A falta de oxigênio pode destruir a superfície do tecido epitelial, criando feridas minúsculas, as quais bactérias podem facilmente infectar, espalhando-se para o resto do olho e promovendo um terreno de reprodução perfeito.”

Riscos comuns incluem:

Hipoxia — O uso de lentes de contato reduz a quantidade de oxigênio disponível para os olhos. Todo tecido do organismo depende de oxigênio. Em resposta, seu organismo começa a produzir novos vasos, a chamada neovascularização corneana. Vasos sanguíneos adicionais aumentam os riscos de danos à retina.

Microcistos e vacúolos corneanos também se desenvolvem a partir da hipoxia crônica. Geralmente você não tem sintomas, mas seus olhos podem ficar moderadamente irritados ou você pode experimentar visão turva. O tratamento é a interrupção do uso de lentes de contato. Muitas vezes o problema é reversível quando tratado.

Hipoxia também pode causar vermelhidão ocular aguda provocada pela lente de contato (contact lens acute red eye - CLARE, mantendo a sigla em inglês) quando altos níveis de bactérias gram-negativas fixam-se sob as lentes depois que o usuário dorme com elas. O tratamento inclui remoção das lentes, colírios anti-inflamatórios e lubrificantes oculares. Antibióticos não são usados, pois a CLARE é resultado da reação endotoxina, não de infecção invasiva.

Úlceras — Úlceras corneanas são feridas abertas que podem formar-se quando a lente de contato arranha a superfície da córnea. Isto pode causar danos permanentes. Os arranhões deixam seus olhos propensos a infecções. Se algo for deixado na lente de contato, isto também pode arranhar a córnea. Falta de oxigênio causada por dormir com lentes de contato também pode deixar o tecido mais vulnerável a ulcerações.

Parasitas — O parasita primário de infecção associado a lentes de contato é o Acanthamoeba keratitis. Quando você usa lentes de contato durante o dia e à noite, você mantém o parasita em contato com os olhos, onde ele pode alimentar-se do tecido corneano. Embora relativamente raro, isto pode resultar em dano estrutural permanente aos olhos e em perda da visão.

Tomar banho e nadar com as lentes de contato pode aumentar seus riscos de infecção parasitária. O parasita acanthamoeba vive no suprimento de água e não causa usualmente outros problemas de saúde. O parasita também é resistente à maioria dos desinfetantes de lentes de contato encontrados no mercado, portanto limpar as lentes depois de nadar não reduz o risco.

Evite o Uso Excessivo

O uso excessivo de lentes de contato é outro fator que pode aumentar seus riscos de infecções e danos aos olhos. Se você usar excessivamente suas lentes, elas podem ficar tão finas que desgastam e arranham sua córnea. Depósitos de cálcio e proteína podem formar-se, arranhando sua córnea e afetando sua visão.

Você deve sempre girar as lentes em seus olhos. Se seus olhos ficarem secos e suas lentes não flutuarem mais sobre os olhos, tire-as imediatamente. Limpe-as e molhe-as enquanto dá um descanso aos olhos. Você pode reduzir os riscos de uso excessivo seguindo estas dicas:

  • Tire as lentes, pelo menos, uma vez ao dia — Mesmo que você possua lentes de contato de uso estendido, é importante que seus olhos fiquem expostos ao oxigênio e descansem. O uso de lentes de contato durante a noite aumenta os riscos de hipoxia, infecção e ulcerações corneanas.
  • Carregue um par de óculos — Mantenha um estojo limpo e uma solução tamanho viagem, assim como um par de óculos, com você. Lentes de contato podem causar cansaço visual resultando em dores de cabeça ou sensação de que os olhos estão estressados. Nestes momentos, use o estojo e os óculos para ajudá-lo(a) a descansar os olhos.
  • Substitua as lentes — Seu oftalmologista recomendará que suas lentes de contato sejam substituídas em um intervalo específico para a marca e uso das lentes. Se você tiver prescrição de lentes semanais ou diárias, é importante que você troque-as diariamente ou semanalmente, mesmo que sinta que as lentes ainda estejam funcionando bem.

Cuidado Adequado de Suas Lentes e Olhos Pode Reduzir Seu Risco de Infecção

Aqui estão outras dicas:

Antes de manusear suas lentes para colocá-las ou retirá-las, lave as mãos com sabonete e seque-as com toalha sem fiapos.

Troque seu estojo de lentes todo mês ou a cada três meses.

Mantenha o estojo de suas lentes limpo; deixe-o secar naturalmente entre os usos.

Use sempre solução fresca; não espere que a data de validade expire para trocá-la.

Nunca durma, tome banho, nade ou use a banheira com suas lentes de contato.

Substitua suas lentes de contato conforme prescrição médica.

Nunca compartilhe lentes de contato.

Nunca lave suas lentes com água da torneira.

Visite seu oftalmologista anualmente para verificar sua prescrição e garantir que suas lentes estejam adequadas a seus olhos.

Não use solução salina ou solução para reidratação para guardar ou desinfetar suas lentes.

Não complete a solução em seu estojo.

Não deixe que a extremidade da solução de lentes entre em contato com nada.

Não transfira a solução para lentes para um recipiente de tamanho viagem, pois isto pode afetar a esterilidade da solução.

+ Recursos e Referências