Um Composto nos Brócolis Reduz o Risco de Obesidade e Ajuda a Tratar a Diabetes

Brócolis

Resumo da matéria -

  • O sulforafano, um enxofre orgânico encontrado nos brócolis e outros vegetais crucíferos, pode reduzir o risco de obesidade e pode ser um substituto ou complemento ideal para a metformina no tratamento da diabetes tipo 2
  • O sulforafano reduz a produção de glicose e melhora a expressão gênica do fígado. Pacientes com diabetes desregulada que receberam extrato de brócolis, além de metformina, apresentaram níveis glicêmicos em jejum 10% mais baixos que o grupo placebo
  • Brócolis e brotos de brócolis também possuem uma atividade anticancerígena potente, graças ao sulforafano e outros compostos quimioprotetores
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Os brócolis e os brotos de brócolis possuem uma atividade anticancerígena potente, graças ao sulforafano, um enxofre orgânico natural e outros compostos quimioprotetores. Estudos demonstraram que o sulforafano:

Dá apoio à função e divisão celular normal e age como um estimulante imunológico

Causa a apoptose (morte celular programada) nas células de câncer de cólon, próstata, mama e câncer de pulmão induzido pelo tabaco; consumir três porções de brócolis por semana pode reduzir o risco de câncer de próstata em mais de 60%

Ativa o fator nuclear tipo 2 (Nrf2), um fator de transcrição que regula a oxidação e redução celular e auxilia na desintoxicação, bem como outras enzimas de desintoxicação de fase 2

Demonstrou-se que os brotos de brócolis, em particular, ajudam a desintoxicar poluentes ambientais, como o benzeno. Em outro estudo, descobriu-se que o sulforafano aumenta a excreção de poluentes atmosféricos em 61%. Os fitonutrientes glucorafanina, gluconasturtina e glucobrassicina também ajudam na desintoxicação.

Reduz as espécies reativas de oxigênio (EROs) prejudiciais em até 73%, diminuindo assim o risco de inflamação, que é uma característica do câncer. Ele também diminui a proteína c-reativa, um marcador de inflamação

Reduz a expressão de RNA não codificador longo em células de câncer de próstata, influenciando assim o micro-RNA e reduzindo a capacidade das células cancerígenas de formar colônias em até 400%

No entanto, os benefícios para a saúde deste vegetal crucífero não param por aí. Pesquisas mostram que ele pode reduzir o risco de uma série de doenças comuns, incluindo, mas não se limitando a artrite, doenças cardíacas e doenças renais. Mais recentemente, seus efeitos benéficos sobre a obesidade e a diabetes tipo 2 têm sido destacados.

O Sulforafano Ajuda a Reduzir o Risco de Obesidade

Pesquisas feitas com animais sugerem que o sulforafano pode ser usado como auxiliar para o controle de peso. Ratos alimentados com uma dieta rica em gordura com sulforafano ganharam peso a uma taxa 15% mais lenta do que aqueles que receberam a mesma dieta sem a suplementação de sulforafano.

Eles também ganharam 20% menos gordura visceral, a gordura que se acumula em torno de seus órgãos internos, que é particularmente perigosa para a saúde. Dois mecanismos diferentes por trás desses efeitos foram descobertos:

  • Primeiro, identificou-se que o sulforafano é capaz de acelerar o amarronzamento do tecido. A gordura marrom é um tipo benéfico de gordura corporal que na verdade ajuda você a ficar magro. É um tipo de gordura geradora de calor que queima energia em vez de armazená-la
  • O sulforafano também diminuiu as bactérias intestinais da família Desulfobivrionaceae. Sabe-se que estas bactérias produzem toxinas que contribuem para a endotoxemia metabólica e a obesidade

Os Brócolis no Tratamento da Diabetes

Os resultados de um estudo sueco sugerem que o sulforafano pode ser útil no tratamento da diabetes, diminuindo os níveis de glicose no sangue e melhorando a expressão do gene no fígado. O Medical News Today reportou que:

“Embora existam medicamentos, como a metformina, que podem ajudar as pessoas com diabetes tipo 2 a controlar seus níveis de glicose no sangue, Axelsson e sua equipe observam que alguns pacientes são incapazes de usá-la devido a seus efeitos colaterais graves, que incluem danos aos rins.

Sendo assim, há necessidade de alternativas mais seguras. O sulforafano poderia atender a essa necessidade? Para responder a essa pergunta, Axelsson e seus colegas criaram uma assinatura genética para a diabetes tipo 2, com base em 50 genes associados à doença. Os pesquisadores então aplicaram essa assinatura a dados públicos de expressão gênica.

Isso permitiu que eles avaliassem os efeitos de mais de 3.800 compostos nas alterações de expressão gênica em células do fígado associadas à diabetes tipo 2. A equipe descobriu que o sulforafano — um composto químico presente em vegetais crucíferos, incluindo brotos de brócolis, couve-de-bruxelas, repolho e agrião — demonstrou os efeitos mais fortes.”

O Sulfurafano Diminui os Níveis de Glicose em Diabéticos Obesos com Controle de Glicose Deficiente

Em testes utilizando células hepáticas cultivadas, o sulforafano demonstrou ser capaz de reduzir a produção de glicose. Em ratos diabéticos, o composto melhorou a expressão gênica no fígado. Em seguida, foi testado um extrato de brócolis em 97 adultos diagnosticados com diabetes tipo 2. Todos, exceto três, também estavam tomando metformina.

Após 12 semanas, pacientes com diabetes desregulada que receberam uma dose diária de brócolis — contendo uma quantidade de sulforafano equivalente a cerca de 11 libras (5 quilos) de brócolis — além de metformina tiveram nível de glicemia de jejum 10% mais baixa que o grupo placebo.

Esta é uma melhoria significativa o suficiente para reduzir o risco de complicações de saúde, de acordo com os autores, que descreveram os efeitos do sulforafano como se segue:

“O sulforafano suprimiu a produção de glicose pelas células hepáticas por translocação nuclear de [Nrf2] e diminuiu a expressão de enzimas chave na gliconeogênese.

Além disso, o sulforafano reverteu a assinatura da doença nos fígados de animais diabéticos e atenuou a produção exagerada de glicose e a intolerância à glicose em magnitude semelhante à da metformina. Por fim, o sulforafano, fornecido como um extrato concentrado de brotos de brócolis, reduziu a glicose em jejum e a hemoglobina glicada (HbA1c) em pacientes obesos com diabetes tipo 2 desregulada.”

Nenhum efeito foi observado em pacientes cuja diabetes já estava bem regulada. Segundo os autores, o extrato de brócolis pode ser um bom complemento para a metformina, pois os dois compostos reduzem a glicose no sangue de maneiras muito diferentes.

Enquanto a metformina sensibiliza as células para a insulina, aumentando assim a captação celular de glicose (o que reduz os níveis sanguíneos), o sulforafano atua suprimindo as enzimas hepáticas que estimulam a produção de glicose.

Para pacientes que não toleram a metformina, o suplemento pode ser “um substituto ideal”. Em testes futuros, os pesquisadores avaliarão os efeitos do sulforafano em pessoas com pré-diabetes para ver se ele pode ajudar a prevenir o desenvolvimento do diabetes tipo 2.

O Sulforafano Também Combate o Fígado Gorduroso

Como discutido em um artigo publicado recentemente no Bulletproof, a proteína Nrf2 liga-se ao elemento de resposta antioxidante (ARE), uma “chave mestre” que regula a produção de antioxidantes e glutationa em seu corpo. Isso ajuda a explicar por que o sulforafano parece oferecer uma proteção tão eficaz contra doenças crônicas, já que o sulforafano ativa a Nrf2.

Além de combater a diabetes e o câncer, o brócolis também pode ser uma importante intervenção dietética na doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA), que afeta até 25% dos americanos, incluindo crianças. A DHGNA é definida como um acúmulo excessivo de gorduras no fígado na ausência de consumo significativo de álcool.

O consumo excessivo de carboidratos líquidos, especialmente da frutose de alimentos processados, refrigerantes e sucos, está fortemente associado à DHGNA, que, se não for tratada, pode aumentar o risco de câncer hepático. Pesquisa sugere que os efeitos pró-inflamatórios e de formação de gordura da frutose podem ser devidos ao esgotamento transitório de ATP (a forma de armazenamento químico de energia).

Isso, por sua vez, leva à formação de ácido úrico, que em níveis excessivamente altos age como um pró-oxidante dentro das suas células. De acordo com um estudo feito com animais publicado em 2016, o consumo prolongado de brócolis pode reduzir suas chances de desenvolver fígado gorduroso causado pela dieta americana padrão, diminuindo os níveis de triglicérides no fígado.

Outros compostos presentes nos brócolis que promovem a saúde

Além do sulforafano, os brócolis contêm vários outros nutrientes e compostos que promovem a saúde, incluindo:

Fibra, que ajuda a nutrir o seu microbioma intestinal para fortalecer sua função imunológica e reduzir o risco de doenças inflamatórias. A fibra também ativa um gene chamado T-bet, que é essencial para a produção de células imunológicas no revestimento de seu trato digestivo.

Essas células imunológicas, chamadas de células linfoides inatas (Innate Lymphoid Cells-ILCs), ajudam a manter o equilíbrio entre a imunidade e a inflamação no seu corpo e produzem interleucina-22, um hormônio que ajuda a proteger o corpo de bactérias patogênicas. As ILCs inclusive ajudam a sanar lesões cancerígenas e a prevenir o desenvolvimento de cânceres intestinais e outras doenças inflamatórias

Glucorafanina, um precursor de glucosinolato de sulforafano que influencia a carcinogênese e a mutagênese. Comparados aos brócolis maduros, os brotos de brócolis podem conter até 20 vezes mais glucorafanina

Compostos fenólicos, incluindo flavonoides e ácidos fenólicos, que possuem uma capacidade potente de eliminar os radicais livres prejudiciais e reprimir a inflamação, resultando em um menor risco de doenças como asma, diabetes tipo 2 e doenças cardíacas

Uma das maneiras pelas quais os compostos fenólicos retardam a invasão da doença é ao defender contra infecção, mais drasticamente ao atacar as EROs (Espécies Reativas de Oxigênio) ligadas à aterosclerose e às doenças neurodegenerativas, como Parkinson e Alzheimer

Diindolilmetano (DIM) — Seu corpo produz DIM quando decompõe vegetais crucíferos. Como muitos outros compostos dos brócolis, o DIM demonstrou possuir múltiplos benefícios potenciais, incluindo o fortalecimento do sistema imunológico e a prevenção ou tratamento do câncer

Mononucleotídeo de nicotinamida (NMN), uma enzima envolvida na produção de nicotinamida adenina dinucleotídeo (NAD), um composto envolvido na saúde mitocondrial e no metabolismo energético. A NAD pode diminuir o declínio da saúde relacionado ao envelhecimento, restaurando o seu metabolismo a níveis mais jovens

Pesquisas anteriores demonstraram que, conforme envelhece, seu corpo perde sua capacidade de criar NAD — um efeito que se considera estar relacionado ou resultar da inflamação crônica. Estudos também mostraram que tomar NAD diretamente é ineficaz.

Em vez disso, é melhor você tomar seu precursor, o NMN, encontrado nos brócolis, pepino, repolho, abacate e outros legumes verdes. Uma vez no seu organismo, o NMN é rapidamente convertido em NAD.

Cozinhe Levemente ao Vapor os seus Brócolis para Aumentar o seu Conteúdo de Sulforafano

Quando você come brócolis maduros crus, você só obtém cerca de 12% do teor total de sulforafano teoricamente disponível com base no composto original. Você pode aumentar essa quantidade e realmente maximizar o poder de combate ao câncer dos brócolis ao prepará-los corretamente.

No vídeo acima, a professora Emérita Elizabeth Jeffery, ex-pesquisadora dos mecanismos dietéticos de prevenção do câncer da Universidade de Illinois, analisa isso, o que mostra que cozinhar os brócolis por de três a quatro minutos é o ideal. Não passe de cinco minutos.

Cozinhar ao vapor seus brócolis por de três a quatro minutos otimizará o teor de sulforafano eliminando a proteína epithiospecifier — uma proteína que capta o enxofre sensível ao calor que inativa o sulforafano — enquanto ainda retém a enzima mirosinase, que converte a glucorafanina em sulforafano. Sem isso, você não conseguiria obter nenhuma quantidade de sulforafano.

Não é recomendável ferver ou fritar seus brócolis após a marca de um minuto, pois isso destruirá a maior parte da mirosinase. Se você quiser ferver seus brócolis, escalde-os em água fervente por não mais que de 20 a 30 segundos, então mergulhe-os em água fria para parar o processo de cozimento.

Adicionar Sementes de Mostarda Pode Maximizar o Teor de Sulforafano Ainda Mais

O teor de sulforafano pode ser ainda mais otimizado ao adicionar a ele um alimento contendo mirosinase. Os alimentos que contêm esta importante enzima incluem:

Adicionar um alimento rico em mirosinase é particularmente importante se você não cozinhar no vapor ou escaldar levemente brócolis crus. Por exemplo, os brócolis congelados têm tipicamente uma quantidade reduzida de mirosinase, porque já foram escaldados, como parte de seu processamento.

Ferver ou cozinhá-los no micro-ondas pode facilmente fazer com que níveis de sulforafano sejam praticamente eliminados. Portanto, se você usar brócolis congelados, certifique-se de complementá-los com um alimento que contenha mirosinase (veja a lista acima).

Se você preferir comida crua, seria melhor comer brotos de brócolis crus em vez de brócolis maduro, pois eles são uma fonte muito mais potente de sulforafano.

Testes mostraram que os brotos de brócolis com três dias consistentemente contêm até 50 vezes a quantidade de compostos anticâncer encontrados nos brócolis maduros, incluindo de sulforafano. Essa grande densidade de nutrientes significa que você pode consumir uma quantidade muito menor desse alimento, enquanto ao mesmo tempo maximiza seus benefícios.

+ Recursos e Referências