Consumir alho pode proteger sua saúde cerebral

alho

Resumo da matéria -

  • O alho pode proteger a saúde cerebral dos idosos, pois combate mudanças na saúde intestinal causadas pelo envelhecimento que podem afetar as funções cognitivas
  • Camundongos que receberam sulfeto de alilo, um composto presente no alho, apresentaram melhoras em suas memórias de curto e longo prazo, bem como na saúde das suas microbiotas intestinais, ao contrário dos camundongos que não receberam o suplemento
  • Os camundongos que receberam o suplemento de alho também apresentaram um aumento na expressão genética do NDNF, um gene necessário para o fortalecimento da memória
  • Estudos anteriores também destacaram os benefícios que o consumo de um certo tipo de alho, o extrato de alho envelhecido (AGE), traz para a saúde cerebral
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Consumir alho pode fazer bem ao seu cérebro, especialmente durante o envelhecimento. De acordo com os pesquisadores da Universidade de Louisville, a erva pungente pode proteger sua saúde cerebral ao combater mudanças, causadas no intestino pelo envelhecimento, que podem afetar as funções cognitivas.

O estudo, apresentado no encontro anual da Sociedade Fisiológica Americana em 2019, fornece maior credibilidade ao alho como um superalimento e destaca suas propriedades medicinais poderosas, muito valorizadas desde a antiguidade.

A grande diversidade de bactérias no intestino tende a estar associada à uma vida mais saudável, mas essa diversidade pode diminuir com o envelhecimento. Além disso, doenças neurodegenerativas, incluindo Alzheimer e Parkinson, tendem a aparecer em pessoas mais velhas, levando os pesquisadores a investigar a relação existente entre as mudanças na microbiota intestinal e o declínio das funções cognitivas com o envelhecimento, e de que formas o alho pode ajudar.

Os compostos presentes no alho beneficiam a microbiota intestinal e a memória

O estudo envolveu camundongos de 2 anos de idade, idade equivalente a seres humanos de 56 a 69 anos. Camundongos que receberam sulfeto de alilo, um composto presente no alho, apresentaram melhoras em suas memórias de curto e longo prazo bem como na saúde das suas microbiotas intestinais, ao contrário dos camundongos que não receberam o suplemento.

Os camundongos que receberam o suplemento de alho também apresentaram um aumento na expressão genética do NDNF, um gene necessário para o fortalecimento da memória. Por isso, a diminuição da expressão do NDNF pode estar relacionada ao declínio das funções cognitivas.

"Nossas descobertas sugerem que uma dieta rica em alho, que contém, sulfeto de alilo, pode ajudar a manter os micro-organismos do intestino saudáveis e a melhorar a saúde cognitiva dos idosos," disse o autor da pesquisa, Jyotirmaya Behera, Ph.D.

A relação entre a microbiota intestinal e a saúde neurológica não é uma novidade. Pessoas com demência, por exemplo, apresentam microbiotas intestinais com composições diferentes do que pessoas neurologicamente saudáveis.

O fato de que o alho pode atuar como uma chave moduladora da microbiota intestinal é uma novidade, mas talvez não devesse ser, já que o alho é uma fonte de inulina, um tipo de fibra prebiótica solúvel em água. A inulina auxilia na digestão, na absorção dos alimentos e tem um papel muito importante para o sistema imunológico.

Por ser um frutano, a inulina é composta por cadeias de moléculas de frutose. Dentro do intestino, a inulina é convertida em ácidos graxos de cadeia curta (AGCC). Estes são convertidos em cetonas saudáveis que servem para nutrir seus tecidos.

O extrato de alho envelhecido pode beneficiar seu cérebro

Estudos anteriores também destacaram os benefícios que o consumo de um certo tipo de alho, o extrato de alho envelhecido (AGE), traz para a saúde cerebral Conhecido por apresentar efeitos anti-inflamatórios potentes, o AGE também melhorou a memória de curto prazo e aliviou neuroinflamações em ratos portadores de doenças similares ao Alzheimer.

No estudo, foram utilizados alhos frescos que foram envelhecidos com o propósito de criar o AGE, que produz compostos de enxofre orgânico benéficos à saúde, incluindo a s-alil-cisteína (SAC), encontrada em quantidades muito maiores em alhos envelhecidos e alhos negros do que em alhos crus.

O AGE também contém tiossulfinatos com efeitos antioxidantes e mais de 350 pesquisas já demonstraram que seu consumo é seguro e eficiente para seres humanos. O AGE pode proteger ao cérebro de várias formas, incluindo:

  • Proteção contra doenças neurodegenerativas;
  • Prevenção de ferimentos no cérebro após isquemia;
  • Proteção das células neurais contra apoptose;
  • Prevenção do estresse oxidativo induzido por β-amiloides.

"Além do mais", explicaram os pesquisadores na revista acadêmica Nutrients, "tratamentos utilizando o AGE ou a SAC já demonstraram que podem prevenir a degeneração do lobo frontal do cérebro, melhorando as capacidades de aprendizado e a retenção de memórias, além de aumentar a expectativa de vida".

Também foi descoberto que o AGE melhora a saúde da microbiota intestinal, podendo até aumentar sua diversidade de micro-organismos após três meses de uso. Tanto o AGE quanto a SAC já receberam destaque por serem possíveis agentes preventivos e terapêuticos no tratamento de Alzheimer.

O consumo do alho fresco também apresentou benefícios para a memória, pois um estudo no qual ratos foram alimentados com alho fresco demonstrou uma melhora em suas capacidades de retenção de memórias.

O alho é valorizado desde a antiguidade

O valor do alho é reconhecido há séculos. Existem referências do alho gravadas em placas de argila dos Sumérios, que datam de cerca de 2.600 a.C. No antigo Egito, os trabalhadores recebiam alho para ajudar a aguentar os trabalhos pesados. E durante os primeiros jogos Olímpicos na Grécia, os atletas comiam alho para aumentar suas energias.

Na China antiga, o alho era usado para auxiliar na digestão, tratar diarreia e vermes intestinais. Na Índia, era usado para tratar fadiga, problemas digestivos, doenças cardíacas, artrites, doenças causadas por parasitas e também para curar doenças mais comuns.

"Observar como culturas que nunca estiveram em contato uma com as outras chegaram às mesmas conclusões sobre o papel do alho para a saúde e tratamento de doenças é fascinante. Se não ignorarmos a sabedoria popular, podemos aprender muitas lições valiosas com ela", escreveram os pesquisadores no Diário de Nutrição. E muitas dessas lições são apoiadas pela ciência hoje em dia.

Os pesquisadores continuam:

"Com o começo da Renascença, começaram a prestar mais atenção nas utilidades medicinais do alho na Europa. Pietro Mattiali de Siena, um importante médico no século XXVI, indicou o alho para o tratamento de problemas digestivos, vermes intestinais, e problemas renais, além de ajudar as mães durante partos complicados.

Na Inglaterra, o alho era usado para aliviar dores de dente, prisão de ventre, curar edemas e epidemias. Atualmente, os cientistas vêm tentando validar muitas dessas propriedades do alho, especialmente na identificação dos seus componentes ativos e seus mecanismos de ação, investigando seus possíveis benefícios como suplemento alimentar."

O alho também faz bem para o coração

O uso do alho já é conhecido por prevenir e tratar uma grande variedade de doenças cardiovasculares e metabólicas, incluindo a aterosclerose, a trombose, pressão alta e diabetes. Além de estimular o sistema imunológico, melhorar os processos de desintoxicação e agir como um antibiótico, o alho apresenta grandes propriedades antioxidantes muito benéficas à saúde.

O alho em pó também causa um efeito positivo nas propriedades elásticas da artéria aorta nos idosos. A aorta é a maior das artérias do corpo humano e tem a função de transportar sangue do coração para o resto do corpo. Seu enrijecimento é frequente em idosos, mas também está associado ao risco de doenças cardíacas, ataque cardíaco, insuficiência cardíaca e derrame.

No entanto, dentre os idosos que consumiram pó de alho, o enrijecimento da aorta causado pelo envelhecimento foi atenuado, levando à seguinte conclusão: "Esses dados apontam para a hipótese de que o alho protege as propriedades elásticas da aorta relacionadas ao envelhecimento".

Outra pesquisa demonstrou que o consumo de 2 gramas de alho fresco aumentou a concentração plasmática de óxido nítrico (NO) em adultos saudáveis, o que é benéfico para o coração e muito mais. O NO é um gás solúvel produzido constantemente pelo aminoácido L-arginina dentro das células do corpo.

Apesar de ser um radical livre, o NO também é uma molécula sinalizadora importante que possibilita que as funções endoteliais ocorram normalmente, além de proteger as mitocôndrias, os pequenos "geradores de energia" das células, que produzem a maior parte da energia do corpo humano na forma de ATP.

O NO também é um poderoso vasodilatador, que ajuda a relaxar e alargar o diâmetro dos vasos sanguíneos. A circulação sanguínea, quando saudável, permite a oxigenação eficiente dos tecidos e órgãos, além de ajudar na remoção de resíduos e dióxido de carbono. Mais ainda, o NO melhora a neuroplasticidade cerebral por meio da melhor oxigenação do córtex motor primário, uma área do cérebro normalmente afetada durante os primeiros estágios da demência.

O alho combate infecções e o câncer

O alho tem propriedades que estimulam o sistema imunológico, e, por isso, pode ser útil no combate à várias infecções. Em um estudo, no qual 146 adultos tomaram ou placebo ou suplemento de alho por 12 semanas, aqueles que tomaram alho apresentaram uma redução considerável no número de casos de resfriados, além de se recuperarem mais rapidamente das infecções.

Em outro estudo envolvendo o AGE (extrato de alho envelhecido), as pessoas que tomaram o alho apresentaram uma redução na gravidade dos resfriados e gripes, com redução na intensidade dos sintomas, resultando em menos dias de repouso ou de faltas no trabalho ou escola. "O alho contém inúmeros compostos que podem influenciar a imunidade corporal," disseram os pesquisadores do Diário da Nutrição.

"Esses resultados sugerem que o suplemento do AGE pode melhorar o funcionamento das células imunológicas e pode ser parcialmente responsável pela redução da gravidade de resfriados e gripes. Os resultados também sugerem que sistema imunológico trabalha muito bem em conjunto com os suplementos do AGE, talvez até com menos casos de inflamações."

Os efeitos de combate ao câncer do alho também foram bem estabelecidos. O alho já mostrou ser capaz de matar células cancerígenas em laboratório e tem se mostrado promissor quando consumido durante a alimentação.

Pessoas que consomem grandes quantidades de alho cru também parecem apresentar riscos menores de desenvolver câncer de estômago e câncer colorretal. Além disso, pessoas portadoras de câncer colorretal, de fígado ou de pâncreas apresentaram uma melhora nas funções imunológicas após tomarem o AGE por seis meses, o que sugere que ele pode ser útil para estimular o funcionamento do sistema imunológico durante períodos de estresse ou doenças.

Há vários tipos de alhos saudáveis

Não tem como errar ao consumir alho, mas se o gosto pungente não o agrada, ou se você quer aumentar seus efeitos saudáveis ainda mais, considere incorporar o alho negro na sua dieta, que pode ser produzido "fermentando" bulbos inteiros de alho fresco em um ambiente com umidade controlada, em temperaturas de 60 a 76 ºC, por 30 dias.

Uma vez fora do calor, os bulbos são então deixados para oxidar em uma sala limpa por 45 dias. Esse processo demorado faz com que os dentes de alho fiquem pretos e desenvolvam uma textura suave e mastigável, e seu gosto passa a lembrar o vinagre balsâmico e o molho shoyu, com um adocicado que lembra a ameixa-seca. Até quem odeia alho tem chances de amar o alho negro, e já foi descoberto que ele apresenta mais atividades antioxidantes que o alho fresco.

Em um artigo para a página Molecules, os pesquisadores escreveram que "algumas pessoas ficam relutantes em ingerir alho cru devido ao cheiro e gosto desagradáveis. Por isso, muitos tipos de preparos de alho foram desenvolvidos, buscando reduzir essas características sem comprometer suas funções biológicas. O alho negro envelhecido (ABG) é uma preparação de alho com um gosto doce e ácido, sem odores fortes."

Caso decida consumir o alho fresco, saiba que seu dente fresco deve ser amassado ou picado antes da ingestão para estimular a liberação da enzima alinase, que serve como catalisadora na formação da alicina. A alicina, por sua vez, se quebra rapidamente e forma vários compostos de enxofre orgânicos muito benéficos à saúde.

Então, para "ativar" as propriedades medicinais do alho, amasse um dente fresco com uma colher ou pique o dente antes de comer. E se você ficar preocupado em ficar com mau hálito de alho, saiba que é um preço muito pequeno a se pagar pelos vários benefícios à saúde que você vai receber, mas você pode acabar com qualquer cheiro desagradável comendo uma maçã crua, folhas de hortelã ou alface.

Esses alimentos naturais já demonstraram a capacidade de reduzir consideravelmente o mau hálito do alho, então agora você pode comer alho até cansar e sem se preocupar em desagradar os outros.