Libido Baixa? 11 Remédios que Afetam seu Desejo Sexual

libido baixa

Resumo da matéria -

  • Muitos medicamentos interferem na função sexual saudável e levam a efeitos colaterais, como disfunção erétil e diminuição da libido
  • Medicamentos que podem prejudicar sua vida sexual incluem antidepressivos, analgésicos opioides, contraceptivos orais, anti-histamínicos, medicamentos ansiolíticos, medicamentos para calvície, medicamentos anticonvulsivos e muito mais
  • Se a medicação não for responsável por sua baixa libido, os fatores de estilo de vida provavelmente são
  • Exercícios de alta intensidade, dieta saudável e redução dos níveis de estresse são todos necessários para uma vida sexual saudável otimizada
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Estima-se que de 30 a 40% das pessoas em todo o mundo experimentam uma falta de interesse por sexo por pelo menos vários meses em um determinado ano. As razões para uma libido baixa são complexas e variam, desde estresse e outras dificuldades emocionais até problemas físicos, incluindo disfunção erétil.

A maioria das pessoas não procura ajuda para tratar a baixa libido crônica, o que é lamentável, porque fazer sexo regularmente com um parceiro dedicado não pode ser subestimado como fator de redução do estresse, estimulando a autoestima e promovendo sentimentos de intimidade e vínculo entre os parceiros.

Uma vida sexual saudável pode proporcionar uma vida mais longa, mais saudável e, a maioria das pessoas concorda, mais prazerosa, mas muitos estão perdendo esse prazer primordial.

Onze Remédios que Podem Causar Baixa Libido

Muitas vezes, a baixa libido está relacionada ao seu estilo de vida, e isso inclui todos os medicamentos que você está tomando. Muitos medicamentos podem interferir no seu desejo sexual, incluindo os 11 que se seguem. Considerando o uso generalizado de muitos deles, é provável que o uso de medicamentos seja uma das principais causas de baixa libido entre homens e mulheres.

Se você está tomando um desses e experimentou uma queda na sua libido, converse com um profissional de saúde natural sobre alternativas sem remédios. Muitos dos remédios abaixo são usados para doenças que são mais bem tratadas usando métodos não medicamentosos.

Antidepressivos Inibidores Seletivos da Recaptação da Serotonina (ISRSs)

A disfunção sexual é um efeito colateral frequente dos antidepressivos, incluindo os ISRSs (Prozac, Zoloft, etc.) que são frequentemente usados como uma opção de primeira linha de tratamento para a depressão. De acordo com um relatório no Journal of Psychiatry & Neuroscience:

“A disfunção sexual ocorre através de várias vias cerebrais envolvendo aumentos da serotonina (5-HT), diminuição da dopamina (DA) e inibição da sintase do óxido nítrico. Aumentos no 5-HT cortico-límbico resultam na diminuição do desejo sexual, ejaculação e orgasmo.

Consequentemente, não é surpreendente que a disfunção sexual induzida pelo inibidor seletivo da recaptação da serotonina (ISRS) ocorra em 30% a 80% dos pacientes e seja uma das principais causas da descontinuação do tratamento.”

Antidepressivos Tricíclicos

Os antidepressivos tricíclicos são muito menos utilizados que os novos ISRSs, mas eles ainda são receitados para depressão e dor nos nervos. Assim como os ISRSs, os antidepressivos tricíclicos também estão associados à diminuição da libido.

Pílulas anticoncepcionais

Cerca de 15% das mulheres que tomam contraceptivos orais relatam uma diminuição na libido, provavelmente porque elas diminuem os níveis de hormônios sexuais, incluindo a testosterona. Um estudo também descobriu que há sete vezes mais a quantidade de globulina, um hormônio sexual de ligação que elimina a libido (SHBG), presente nas mulheres que tomam contraceptivos orais em comparação com mulheres que nunca tomaram a pílula anticoncepcional.

Mesmo que os níveis de SHBG tenham diminuído nas mulheres que pararam de tomar a pílula anticoncepcional, eles ainda permaneceram de três a quatro vezes maiores do que nas mulheres sem histórico de uso de contraceptivos orais, o que sugere que contraceptivos orais podem matar a libido de uma mulher a longo prazo. Pesquisadores concluíram que:

As consequências em longo prazo sobre a saúde sexual, metabólica e mental podem resultar da consequência da elevação crônica da SHBG [em mulheres que tomam ou tomaram contraceptivos orais.”

Proscar

O Proscar pertence a uma classe de medicamentos chamados inibidores da 5-alfa-redutase, que são usados para tratar o aumento da próstata. Sua próstata contém uma enzima chamada 5-alfa redutase, que converte o hormônio masculino testosterona em outro andrógeno chamado dihidrotestosterona (DHT). Esta classe de remédios inibe a 5-alfa-redutase, bloqueando assim a conversão de testosterona DHT.

Como resultado, eles podem ajudar a encolher sua próstata, mas eles vêm junto a riscos significativos, um deles uma menor libido causada pela redução da testosterona. Você pode encontrar dicas naturais para a saúde da próstata aqui.

Propecia Remédio para Calvície

A propecia é um medicamento similar ao Proscar, mas é normalmente usado em doses menores para prevenir a queda de cabelo nos homens. O remédio funciona reduzindo o DHT, o hormônio masculino mais potente que está ligado à redução do cabelo, bloqueando a enzima 5-alfa redutase. Tem sido associado não apenas à diminuição do interesse pelo sexo, mas também à impotência total.

A BBC News seguiu uma história de um homem de 26 anos que tomou Propecia para a calvície masculina padrão. Ele parou de tomar o remédio quando percebeu uma diminuição do interesse pelo sexo, e algumas semanas depois ficou impotente.

Mesmo após seis meses de terapia com testosterona, sua saúde sexual não havia sido restaurada, e seu médico sugeriu um implante peniano como solução. Muitos homens descobriram que os efeitos colaterais sexuais não desaparecem quando o remédio é interrompido.

Anti-histamínicos

Os anti-histamínicos, particularmente o Benadryl e Chlor-Trimeton, também estão ligados a uma perda temporária de libido. Uma vez que a medicação é eliminada do seu corpo, seu desejo sexual deve voltar ao normal, mas se você tomar esses medicamentos com frequência, como para tratar a alergia, isso pode representar um problema de longo prazo para a sua vida sexual.

Maconha Medicinal

A maconha medicinal é legal em 20 estados, onde é comumente usada para tratar a dor, náusea e outras doenças. Pode reduzir a libido e a atuação sexual nos homens.

Remédios anticonvulsivos

A carbamazepina (Tegretol) é comumente usada para prevenir convulsões, o que ela faz ao impedir que impulsos percorram as células nervosas. Por ela reduzir os impulsos nervosos, também pode reduzir sensações agradáveis derivadas do contato sexual. Um desejo sexual reduzido é comum entre os usuários do Tegretol.

Um estudo descobriu, por exemplo, que homens epilépticos que tomaram carbamazepina tiveram alterações nos níveis hormonais, alteração na qualidade do sêmen, aumento da disfunção erétil e redução na frequência de relações sexuais.

Opioides

Analgésicos opiáceos amplamente prescritos (Vicodin, Oxycontin, Percocet, etc.) têm aparecido nas manchetes por seu potencial de dependência, mas eles também reduzem os níveis de testosterona, o que pode, por sua vez, diminuir sua libido.

Betabloqueadores

Dezenas de milhões de americanos tomam betabloqueadores para reduzir a pressão arterial, e esses medicamentos também podem diminuir a libido. Mesmo os colírios contendo o betabloqueador Timolol (para o tratamento do glaucoma) podem afetar o seu desejo sexual. Na grande maioria dos casos, os medicamentos não são necessários para reverter a hipertensão.

Benzodiazepinas

Há evidências que sugerem que remédios ansiolíticos como o Xanax afetam negativamente o funcionamento sexual inclusive reduzindo seu apetite sexual.

Existem Maneiras Melhores de Tratar a Libido Baixa do que Tomar uma Pílula

Se você está tomando algum dos medicamentos acima, você pode ficar tentado a adicionar outro ao seu tratamento para tratar a sua baixa libido, ou contorná-la completamente com um remédio para tratar a disfunção erétil (DE) (ou seja, Viagra).

Para começo de conversa, o Viagra não faz nada diretamente para melhorar sua libido ou o fato de que muitos casos de DE são, sem dúvida, baseados em emoções. Seu cérebro e sistema nervoso controlam suas glândulas sexuais e genitais, e é por isso que eles também controlam seu desejo sexual, assim como orgasmos.

Existem muitas semelhanças entre homens e mulheres em relação ao desejo; ao contrário da crença popular, por exemplo, as imagens visuais provocam o desejo sexual em ambos os sexos. Da mesma forma a ansiedade, a defensividade, o medo e a falta de comunicação são forças psicológicas destrutivas que podem prejudicar a sua libido, seja você homem ou mulher, agindo como barreiras para o desejo.

Caso você esteja se perguntando, o Viagra leva consigo um risco de efeitos colaterais potencialmente graves, incluindo:

Dor de cabeça

Dor de estômago

Vermelhidão do rosto

Cegueira da cor azul/verde

Visão turva

Sensibilidade de visão à luz

Diminuição repentina ou perda de visão em um ou ambos os olhos

Uma ereção anormalmente duradoura que pode causar danos permanentes ao seu pênis

Perda repentina ou diminuição da audição, às vezes com zumbido nos ouvidos ou tontura

Ataque cardíaco, acidente vascular cerebral, batimentos cardíacos irregulares e morte ocorreram em homens que tomaram Viagra

Uma Alternativa Natural para a Disfunção Sexual

No que diz respeito às alternativas naturais, há muitas opções a serem consideradas, incluindo a L-arginina, um aminoácido que é o precursor do óxido nítrico, um composto natural que ajuda a relaxar os vasos sanguíneos. O óxido nítrico sinaliza às células musculares lisas dos vasos sanguíneos para que relaxem, de modo que seus vasos se dilatem e seu sangue flua mais livremente.

Isso ajuda suas artérias a recuperar sua elasticidade e a ficar livre de placa bacteriana. A L-arginina também pode levar ao aumento da microcirculação nos tecidos genitais, o que resulta em ereções mais fortes e uma melhor resposta sexual, através deste mecanismo do óxido nítrico.

Na verdade, é assim que um medicamento de disfunção erétil de primeira linha trata os problemas de ereção – ele aumenta a produção de óxido nítrico, relaxando os vasos sanguíneos, o que aumenta o fluxo sanguíneo peniano.

No entanto, o preço que você pode ter de pagar por esses medicamentos de emergência é uma série de efeitos colaterais potencialmente perigosos, incluindo reduzir em excesso a pressão arterial. A L-arginina aumenta a ação do óxido nítrico - semelhante aos remédios para disfunção sexual, mas sem os efeitos colaterais.

Estudos científicos demonstraram que a L-arginina pode ser particularmente eficaz quando usada em combinação com outro agente natural, o pycnogenol, o que resultou na melhora significativa da função sexual em homens com disfunção erétil, de acordo com um estudo búlgaro.

Da mesma forma, um estudo piloto publicado na revista European Urology descobriu que a combinação de seis gramas de L-arginina com seis miligramas de ioimbina, um composto encontrado na erva yohimbe, tiveram sucesso no tratamento de homens com disfunção erétil.

Estratégias para Melhorar seu Desejo Sexual

O protocolo natural acima pode ajudar com a disfunção erétil, mas se você quiser aumentar sua libido, um programa mais completo é recomendado. Para começar, você deve garantir que seus níveis hormonais (incluindo a testosterona e o hormônio de crescimento humano [HGH]) estejam equilibrados e otimizados.

Eu discuti muitas estratégias para otimizar esses hormônios antes, incluindo exercícios de alta intensidade. Quando se trata de um plano de exercícios que complementará a função e a produção de testosterona (juntamente da saúde em geral), recomendo incluir o treinamento intervalado de alta intensidade e treinamento de força.

Outra estratégia eficaz para aumentar a liberação de testosterona e HGH é o jejum intermitente diário. O jejum intermitente ajuda a aumentar a testosterona ao melhorar a expressão dos hormônios da saciedade, como insulina, leptina, adiponectina, peptídeo-1 semelhante ao glucagon (GLP-1), colecistocinina (CKK) e melanocortinas, que estão ligados à função saudável da testosterona e à prevenção do declínio da testosterona induzida pela idade.

A vitamina D também aumenta os níveis de testosterona, o que pode aumentar a libido. Em um estudo, homens com excesso de peso que receberam suplementos de vitamina D tiveram um aumento significativo nos níveis de testosterona após um ano.

Oito Passos para ter uma Vida Sexual Saudável (para Homens e Mulheres)

Se você está em um relacionamento sério e descobre que sua vida sexual deixa muito a desejar, é provável que seu estilo de vida esteja atrapalhando. Para melhorar sua libido naturalmente e ajudar a restaurar a harmonia na sua vida íntima, use as estratégias que seguem abaixo.

Reduza, com o plano de eliminar totalmente, grãos e açúcares da sua dieta. É de vital importância eliminar os açúcares, especialmente a frutose. Altos níveis de açúcar na corrente sanguínea podem na verdade desligar o gene que controla seus hormônios sexuais.

Faça uma dieta saudável, como a descrita no meu plano nutricional, que ajudará a normalizar seus níveis de insulina. Esta medida simples tem uma influência profunda em todas as áreas da sua saúde, incluindo sua vida sexual.

Otimize seus níveis de vitamina D, idealmente através de uma exposição solar correta, pois isso permitirá que seu corpo também crie sulfato de vitamina D — um fator que pode desempenhar um papel crucial na prevenção da formação de placa arterial que está ligada à disfunção erétil.

Exercite-se regularmente. Certifique-se de incorporar exercícios de treinamento intervalado de alta intensidade, que também otimizam a produção do hormônio de crescimento humano (HGH).

Evite fumar ou beber álcool de forma excessiva.

Certifique-se de conseguir bastante sono reparador e de alta qualidade.

Considere tomar suplementos de colina e vitamina B5. O neurotransmissor que desencadeia a mensagem sexual, tanto nos homens quanto em mulheres, é a acetilcolina (ACH). Com muito pouco ACH, a atividade sexual diminui. Uma forma de aumentar com segurança e eficácia os níveis de ACH no seu corpo é tomar suplementos de colina (1.000-3.000 mg) e vitamina B5 (500-1.500 mg).

O estresse também pode reduzir sua libido e tornar o sexo a última coisa em sua mente (uma armadilha, pois o sexo ajudará a reduzir significativamente os níveis de estresse). Tomar o controle de suas emoções aprendendo as Técnicas de Libertação Emocional (Emotional Freedom Technique-EFT) pode realmente ajudar nesta área, a reacender sua vida sexual.

As EFT são uma técnica de acupuntura psicológica que podem ajudá-lo a tratar eficazmente os pensamentos relacionados ao estresse e deixá-lo mais calmo e apto para enfrentar seus problemas, sejam eles quais forem, para que você possa concentrar-se em atividades mais agradáveis.