A Curcumina Pode Aumentar os Benefícios do Exercício?

Curcumina

Resumo da matéria -

  • As células endoteliais que revestem suas artérias e veias são metabolicamente ativas e contribuem para a saúde do coração, pressão arterial e função imunológica
  • Você pode afetar positivamente a disfunção endotelial usando uma combinação de curcumina e exercícios que aumentam a secreção de óxido nítrico
  • A cúrcuma, tempero que possui cor amarela graças à curcumina química, pode ser cultivada dentro ou fora de casa e usada nas suas saladas ou adicionada a uma deliciosa bebida; Se você estiver grávida, amamentando, possuir problemas de vesícula ou está próximo (a) da realização de uma cirurgia, você não deve usar óleo essencial de cúrcuma
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

O revestimento das paredes de suas artérias e veias são células endoteliais.

A quantidade de tecido conjuntivo ou músculo liso ao redor de cada um de seus vasos sanguíneos irá variar dependendo da localização do vaso e da função, mas cada artéria ou veia é revestida com uma única camada fina de células endoteliais - chamada endotélio - que desempenha uma função única e importante no seu organismo.

Apesar do endotélio ser composto apenas por um revestimento de uma célula nos vasos sanguíneos, juntos eles pesam pouco mais de 1 kg, e colocados de ponta a ponta poderiam envolver a Terra quatro vezes.

Essas células são multifuncionais como um órgão parácrino e endócrino, secretando hormônios que afetam as células na área imediata e em todo o organismo.

As células endoteliais são vitais e afetadas por diversos fatores, incluindo nutrientes específicos e exercícios.

Pesquisa realizada demonstrou que o acréscimo de curcumina a exercícios pode aumentar os benefícios da função celular endotelial e melhorar a função cardíaca.

A Função Endotelial está no Cerne de Muitas Doenças Perigosas

Suas células endoteliais revestem desde os vasos do coração ao menor dos capilares que alimentam as células e órgãos do seu corpo. Essas células controlam a permeabilidade de seus vasos, permitindo que os glóbulos brancos entrem e saiam da corrente sanguínea.

Cada célula possui receptores que detectam o estresse do fluxo sanguíneo sobre a superfície. Suas células endoteliais, em seguida, sinalizam essa informação para as células vizinhas, para que os vasos sanguíneos possam se adaptar para acomodar o fluxo.

Suas células endoteliais também são capazes de movimento e divisão celular para proteger as áreas das paredes dos vasos que podem ser danificadas. Nesse caso, as células vizinhas se multiplicam e se movem para cobrir a área exposta. Isso ocorre não apenas nos vasos existentes, mas as células também criam novos vasos sanguíneos.

Por exemplo, durante o ciclo menstrual de uma mulher, as células endoteliais são responsáveis ​​pela reconstrução do revestimento uterino todo mês.

Essa proliferação ocorre não apenas durante processos corporais normais, mas também nos casos nos quais o corpo é lesionado. Depois de um corte, suas células endoteliais desencadeiam uma explosão de crescimento capilar na área para dar apoio ao processo de recuperação.

Uma infecção localizada também pode aumentar o crescimento capilar que se reduz quando a inflamação diminui. Estas células também estão envolvidas na regulação da hemostasia, ou seja o interrompimento do fluxo sanguíneo através da coagulação, e na regulação do fluxo sanguíneo através dos vasos.

As células endoteliais desempenham função no sistema imunológico, na coagulação após o ferimento e na produção da matriz extracelular, ou componentes não celulares presentes na maioria dos tecidos que fornecem estrutura física e iniciam as indicações bioquímicas vitais necessárias para a diferenciação tecidual.

Além disso, elas participam das reações das células aos estímulos físicos ou químicos e nas funções metabólicas para regular o tônus vasomotor e a resposta inflamatória.

Com base na função das células endoteliais em seu sistema arterial e venoso, não é de surpreender que a disfunção esteja relacionada a vários problemas de saúde perigosos, incluindo aterosclerose, hipertensão e diabetes tipo 2 e uma redução significativa na produção de óxido nítrico (NO).

A Prática de Exercícios Melhora a Função Endotelial e a Saúde

O impacto dos exercícios sobre sua saúde geral já está bem documentado e estudado. O efeito específico que os exercícios exercem sobre a função endotelial relaciona-se ao mecanismo por trás das melhorias clínicas que podem ser experimentadas.

Por exemplo, o exercício aumenta o fluxo sanguíneo e o estresse nas paredes arteriais, resultando em aumento da produção e biodisponibilidade do NO. Exercícios consistentes podem promover efeito de redução de doenças cardiovasculares preservando ou melhorando a função endotelial.

Pesquisas demonstraram os benefícios da função endotelial e a produção de NO em apenas uma sessão de exercícios aeróbicos moderados. Isso significa que, embora exercícios consistentes sejam os melhores, nunca é tarde demais experimentar os benefícios do exercício para os vasos sanguíneos.

Indivíduos com doenças crônicas, como lúpus eritematoso sistêmico ou doença cardiovascular, também experimentam os benefícios do exercício em sua função endotelial.

Os benefícios do exercício não são permanentes, no entanto. Assim como um exercício estimula a função endotelial, pesquisas demonstram que, uma vez que você pare de se exercitar, não continuará desfrutando dos benefícios destes esforços anteriores.

Em um estudo feito com 209 pessoas que sofreram ataque cardíaco, pesquisadores avaliaram a função endotelial antes e depois de quatro semanas de treinamento físico e, novamente, um mês depois, depois de os participantes terem sido solicitados a parar de se exercitar.

Os participantes foram randomizados em grupos que foram submetidos a exercícios aeróbicos, exercícios de resistência, exercícios de resistência e aeróbicos, ou nenhum exercício. Previsivelmente, aqueles que não praticaram qualquer espécie de exercício não tiveram melhoras em sua função endotelial.

No entanto, as melhorias ocorridas na função nos outros três grupos ocorreu independente do tipo de exercício que praticaram. Em outras palavras, todos os três grupos experimentaram o mesmo grau de melhoria e todos perderam essa melhora na função após um mês sem treinar.

Esses benefícios podem estar relacionados à função que as células endoteliais desempenham no relaxamento dos vasos sanguíneos e na redução da pressão arterial em resposta ao fluxo sanguíneo. A força gerada através do endotélio com aumento do fluxo sanguíneo pode ser necessária para a liberação de substâncias químicas vasoativas, ajudando a preservar a estabilidade e a função das células endoteliais.

A Combinação de Exercícios com Curcumina Pode Melhorar sua Função Endotelial

As empresas farmacêuticas tentaram produzir pílulas anti-inflamatórias que poderiam promover o mesmo efeito, aumentando assim seu fluxo de renda. Essas empresas estão apostando em encontrar um grupo que preferiria tomar uma pílula a fazer mudanças no estilo de vida.

No entanto, uma pílula afeta apenas um fator – redução da inflamação - muitas vezes acompanhada por uma lista de efeitos colaterais perigosos, enquanto que as mudanças no estilo de vida afetam toda a sua saúde.

Um dos alimentos mais anti-inflamatórios conhecidos é o açafrão-da-terra. Alguns estudos foram feitos sobre a curcumina, que dá a coloração amarela à cúrcuma. Em um estudo, pesquisadores do Japão compararam os efeitos de cerca de uma colher de chá de curcumina por dia a 30 a 60 minutos de exercício. Ambos os grupos experimentaram melhoras na função endotelial.

Outro estudo avaliou a hemodinâmica nas artérias centrais, pois o comprometimento do endotélio pode levar ao enrijecimento das artérias ou aterosclerose. Neste estudo, os pesquisadores descobriram que o efeito combinado entre o consumo de curcumina e a prática de exercícios foi a redução da pós-carga ventricular esquerda nas pessoas.

Pós-carga é a resistência que o coração deve superar para ejetar sangue através da válvula aórtica. Ao reduzir a pós-carga do ventrículo esquerdo, o estresse sobre o músculo cardíaco diminui, diminuindo o risco potencial de hipertrofia ventricular esquerda e reduzindo a pressão arterial.

O mecanismo subjacente por trás da disfunção endotelial está direta ou indiretamente relacionado ao estresse oxidativo que reduz a biodisponibilidade do NO.

Ficar Sentado Por Tempo Prolongado Pode Causar Danos às Artérias ao Desencadear a Disfunção Endotelial

Os perigos de se manter sentado por tempo prolongado estão bem documentados na literatura. Seu corpo foi projetado para o movimento, com quase 300 articulações destinadas a ajudar seu corpo a se mover em direções através de três planos.

Permanecer sentado (a) por tempo prolongado promove alterações ativas no corpo que promovem diabetes tipo 2, obesidade e doenças cardiovasculares, mesmo que você pratique exercícios diariamente e esteja em boa forma. Essas condições aumentam o risco de morte prematura.

Milhões de pessoas sofrem os efeitos de permanecerem sentados por longos períodos. Estima-se que a maioria dos americanos fique sentada entre oito e 15 horas por dia. Isso representa o tempo gasto indo e voltando para o trabalho, sentado em uma mesa o dia todo e assistindo televisão à noite.

Na verdade, a menos que você monitore o tempo que gasta sentado (a), você poderá se surpreender com o número de horas que você passa nesta posição.

Um estudo recente publicado na revista Annals of Internal Medicine (Anais da Medicina Interna) descobriu que a quantidade de tempo que você passa sentado está diretamente relacionada ao risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, câncer e morte prematura, apesar da quantidade de exercício que você faz por dia.

O estudo avaliou mais de 8.000 participantes para chegar a essas conclusões. A boa notícia desse estudo é que as pessoas que permaneceram sentadas por menos de 30 minutos tiveram o menor risco de morte prematura, quase 55% menos do que aquelas que permaneceram sentadas por períodos mais longos.

O autor principal, Dr. Keith Diaz, pesquisador do Departamento de Medicina da Universidade Columbia, acredita que orientações simples como "exercitar-se mais" não são específicas o suficiente para serem úteis.

Ele comentou: "Achamos que uma orientação mais específica poderia ser algo como: 'a cada 30 minutos consecutivos na posição sentada, levante-se e ande / caminhe por cinco minutos em um ritmo rápido para reduzir os riscos para a saúde de manter-se sentado (a)'".

Dentro de uma hora depois de sentar-se sem se mexer, o sangue começa a se acumular nas extremidades inferiores e na pélvis, provocando mudanças na função endotelial. Os pesquisadores descobriram que os participantes só precisavam sentar-se por uma hora antes de observar-se mudanças no acúmulo venoso na panturrilha e uma diminuição no fluxo sanguíneo da panturrilha.

Estas alterações resultaram num aumento das pressões arteriais e pequenas alterações na frequência cardíaca e no débito cardíaco. Diaz continuou, comentando sobre outra via que passar tempo sentado por tempo prolongado afeta, dizendo que:

"Há evidências que sugerem, mas não provam, de nosso organismo lida com o açúcar no sangue. Nós pensamos que é através de uma espécie de via diabética.

Quando nossos músculos estão inativos, eles não estão usando açúcar no sangue, e sabemos que o açúcar no sangue pode causar consequências terríveis em nosso organismo. Considera-se que um controle de açúcar no sangue ruim é uma das maneiras pelas quais ficar sentado aumenta o risco de doença cardíaca ou morte."

Como Incorporar a Cúrcuma a seu Plano Nutricional

Décadas de danos à saúde humana causados ​​por medicamentos farmacêuticos ensinaram que não existe mágica única para tornar-te saudável ou manter-te saudável.

Em vez disso, existem várias escolhas que você faz todos os dias que afetam o risco de doença. Incorporar o exercício e curcumina a seu regime diário são duas escolhas positivas. Eu recomendo que você permaneça sentado (a) por não mais de 15 minutos antes de se levantar para alongar-se e caminhar por três a quatro minutos.

Como a curcumina é uma das substâncias químicas encontradas no açafrão-da-terra, e o consumo de toda a planta muitas vezes proporciona o benefício de os nutrientes funcionarem sinergicamente, recomendo considerar adicionar o açafrão a seu jardim.

Os benefícios promovidos à saúde pela cúrcuma não apenas incluem o suporte à sua função endotelial e a redução de doenças cardiovasculares, mas também estão associados a um risco reduzido de doença de Alzheimer, câncer, doença de Parkinson e osteoartrite. Pode também ajudar na cicatrização de feridas e proteger contra a catarata e danos ao fígado.

Você pode cultivar açafrão-da-terra no seu quintal ou em recipientes internos. As plantas levam cerca de 10 meses para amadurecer. Raízes frescas ou secas podem ser usadas para temperos de carne ou marinadas, picadas frescas e adicionadas à sua salada ou usadas em um café com leite de gengibre e açafrão-da-terra.

Latte de Gengibre com Cúrcuma

Ingredientes:

  • 1 colher de chá de açafrão fresco ralado ou desidratado
  • 1 colher de chá de gengibre ralado
  • 1 colher de sopa de açúcar de coco
  • 2 colheres de chá de óleo de coco
  • Uma pitada de sal marinho
  • 1 xícara de leite de amêndoa

Procedimento:

  1. Misture o açafrão ralado e o gengibre, açúcar de coco, óleo de coco e sal do mar no liquidificador. Em uma panela pequena, aqueça o leite de amêndoa em fogo médio até ferver. Despeje o leite de amêndoa quente no liquidificador e gire até ficar homogêneo e espumoso.

O óleo essencial de cúrcuma também pode ser usado topicamente. No entanto, é altamente concentrado por isso deve ser diluído com um óleo base. Antes de usar, também é aconselhável fazer um exame de pele para garantir que você não é alérgico ao óleo.

Mulheres grávidas e lactantes são aconselhadas a evitar o uso de óleo essencial de cúrcuma, assim como as pessoas que sofrem de problemas na vesícula biliar ou que tomam anticoagulantes ou antiagregantes plaquetários. Como o óleo pode retardar o processo de coagulação, é essencial que você não o use antes da realização de uma cirurgia, pois pode provocar sangramento excessivo.