9 Alimentos que Você Nunca Deveria Consumir

Alimentos Não Saudáveis

Resumo da matéria -

  • Carnes processadas aumentam o risco de desenvolvimento de câncer, especialmente câncer de intestino, e NENHUMA quantidade de carne processada é "segura". Portanto, livre-se delas e, em vez disso, opte por carnes frescas provenientes de animais alimentados com capim ou pasto, ou então de salmão selvagem
  • Pipoca de micro-ondas, sal de cozinha, produtos não orgânicos como batatas e produtos de soja não fermentados, incluindo proteína isolada de soja, são mais nocivos do que benéficos, pois todos contêm contaminantes perigosos
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Muitos alimentos têm sido fortemente promovidos como saudáveis, quando na verdade não são nada mais do que junk foods perniciosos. No artigo em destaque, o fundador da Clean Plates, Jared Koch, compartilhou sua lista de nove alimentos básicos que não são nada “bons para você”, ao contrário do que tem-se tentado convencer-lhe.

Aqui, eu expando as seleções mencionadas no artigo em destaque.

1. Tomates Enlatados

Tomates Enlatados

Muitas das principais marcas de alimentos enlatados contêm BPA - produto químico tóxico associado a anormalidades reprodutivas, efeitos neurológicos, aumento do risco de desenvolvimento de câncer de mama e de próstata, diabetes, doenças cardíacas e outros graves problemas de saúde.

De acordo com testes realizados pelo Consumer Reports, apenas algumas porções de alimentos enlatados podem exceder os limites de segurança da exposição diária ao BPA para crianças.

A alta acidez— característica proeminente do tomate – faz com que o BPA penetre no alimento. Para evitar essa substância química perigosa, evite totalmente alimentos enlatados e consuma somente frutas e vegetais frescos ou mude para marcas que usam recipientes de vidro - especialmente para alimentos ácidos como tomates.

2. Carnes Processadas

Carnes Processadas

Como Koch adverte, carnes processadas como salame, presunto e rosbife são tipicamente produzidas com carnes provenientes de animais criados em operações de alimentação de animais confinados (Confined Animal Feeding Operations - CAFOs).

Isso significa que são administrados com hormônios de crescimento, antibióticos e outros medicamentos veterinários, e criados em condições deploráveis que promovem doenças, fazendo com que estas carnes também estejam repletas de nitrito de sódio (conservante comumente usado e agente antimicrobiano que também adiciona cor e sabor) e outras substâncias químicas, aromas e corantes.

Os nitritos podem ser convertidos em nitrosaminas no organismo, que são potentes substâncias químicas causadoras de câncer. Pesquisa realizada associou nitritos a taxas mais altas de câncer colorretal, estomacal e pancreático. Mas isso não é tudo. A maioria das carnes processadas também contém outras substâncias químicas promotoras do câncer que são produzidas durante o cozimento.

Estes incluem:

  • Aminas heterocíclicas (AHC), compostos perigosos produzidos em carnes e outros alimentos cozidos em altas temperaturas. Segundo a pesquisa, carnes processadas estão claramente associadas a um aumento do risco de desenvolvimento de câncer de estômago, cólon e de mama.
  • Hidrocarbonetos Aromáticos Policíclicos (HAPs): Muitas carnes processadas são defumadas como parte do processo de cura, o que faz com que os HAPs sejam formados. Os HAPs também podem formar-se quando a carne é gralhada. Quando a gordura pinga sobre a fonte de calor, causando excesso de fumaça, e a fumaça envolve o alimento, ela pode transferir os HAPs causadores de câncer para a carne.
  • Produtos Finais de Glicação Avançada (AGEs): Quando o alimento é cozido em altas temperaturas - inclusive quando é pasteurizado ou esterilizado - formação de AGEs é aumentada no alimento. Os AGEs acumulam-se no organismo ao longo do tempo, levando ao estresse oxidativo, inflamação e aumento do risco de doenças cardíacas, diabetes e doenças renais.

A verdade é que carnes processadas não são escolha saudável para ninguém e devem ser totalmente evitadas de acordo com análise feita em 2011 de mais de 7.000 estudos clínicos examinando a conexão entre dieta e câncer.

É a maior analise de evidências já realizada, e confirma descobertas anteriores: carnes processadas aumentam o risco de desenvolvimento de câncer, especialmente câncer de intestino, e nenhuma quantidade de carne processada é "segura".

É muito melhor você livrar-se de carnes processadas e, em vez disso, optar por carnes frescas provenientes de animais alimentados com capim, criados organicamente, ou então salmão selvagem.

3. Margarina

Margarina

O infeliz resultado da mania por dietas com baixo teor de gordura foi pessoas evitarem gorduras saudáveis, como manteiga, e a saúde pública piorou como resultado dessa loucura. Há uma infinidade de componentes prejudiciais na margarina e outros impostores de manteiga, incluindo:

  • Gorduras trans — Essas gorduras artificiais na margarina, gordura vegetal e pastas são formadas durante o processo de hidrogenação, que transforma os óleos vegetais líquidos em uma gordura sólida. As gorduras trans contribuem para doenças cardíacas, câncer, problemas ósseos, desequilíbrio hormonal e doenças de pele; infertilidade, dificuldades na gravidez e problemas com a lactação; e baixo peso em bebês ao nascer, problemas de crescimento e dificuldades de aprendizagem nas crianças. Um painel de cientistas do governo dos EUA determinou que gorduras trans produzidas pelo homem não são seguras em nenhum nível.
  • Radicais livres — Radicais livres e outros produtos de degradação tóxicos são o resultado do processamento industrial à alta temperatura dos óleos vegetais. Eles contribuem para inúmeros problemas de saúde, incluindo câncer e doenças cardíacas.
  • Emulsificantes e conservantes — Numerosos aditivos de segurança questionável são adicionados a margarinas e pastas. A maior parte da gordura vegetal é estabilizada com conservantes como o BHT.
  • Hexano e outros solventes — usados ​​no processo de extração, esses produtos químicos industriais podem promover efeitos tóxicos.

O CLA não é apenas conhecido por ajudar a combater o câncer e o diabetes, sendo que ele pode ajudá-lo (a) a perder peso, o que não se pode dizer sobre seus substitutos gordura trans.

A boa e velha manteiga, quando produzida a partir do leite de vacas alimentadas com capim, é rica em uma substância chamada ácido linoleico conjugado (CLA). Grande parte da razão pela qual a manteiga é vilificada é porque contém gordura saturada.

4. Óleos Vegetais

Óleos Vegetais

De todos os alimentos destrutivos disponíveis a nós, aqueles produzidos com óleos vegetais aquecidos estão entre os piores. Não tenha dúvidas sobre isso – óleos vegetais não são os alimentos saudáveis que você foi levado (a) a acreditar que eram.

Isso se deve, em grande parte, ao fato de serem altamente processados e, quando consumidos em grandes quantidades, como são pela maioria dos adultos, distorcem gravemente a importante proporção ômega-6 e ômega-3. Idealmente, essa proporção deve ser 1: 1.

Toda vez que você cozinha um alimento, você corre o risco de provocar danos induzidos pelo calor. Os óleos que você escolhe para cozinhar devem ser estáveis o suficiente para resistir a mudanças químicas quando aquecidos a altas temperaturas, ou você corre o risco de danificar sua saúde.

Uma das maneiras pelas quais os óleos vegetais podem causar danos é convertendo o colesterol bom em colesterol ruim – oxidando-o. Quando você cozinha com óleos vegetais poliinsaturados (como óleos de canola, milho e soja), o colesterol oxidado é introduzido no seu sistema.

Conforme o óleo é aquecido e misturado com oxigênio, ele vai ficando rançoso. O óleo rançoso é um óleo oxidado e NÃO deve ser consumido - ele leva diretamente à doenças vasculares. Gorduras trans são introduzidas quando esses óleos são hidrogenados, o que aumenta o risco de doenças crônicas, como câncer de mama e doenças cardíacas.

Então, qual é o melhor óleo para se cozinhar?

De todos os óleos disponíveis, o óleo de coco é o melhor óleo para se cozinhar porque é quase uma gordura completamente saturada, o que significa que é muito menos suscetível a danos causados pelo calor.

E o óleo de coco é uma das gorduras mais originais e benéficas para o organismo. O azeite de oliva, embora seja certamente um óleo saudável, é facilmente danificado pelo calor e é melhor quando usado frio em saladas.

5. Pipoca de Micro-ondas

Pipoca de Micro-ondas

Os perfluoroalquilos, que incluem o ácido perfluorooctanoico (PFOA) e o perfluorooctanossulfonato (PFOS), são produtos químicos usados para impedir que a gordura vaze através das embalagens de fast food, e estão sendo ingeridos pelas pessoas através de seus alimentos e aparecendo como contaminantes no sangue.

Sacos de pipoca de micro-ondas são revestidos com PFOA, e quando são aquecidos, esse composto é transferido para a pipoca. Esses produtos químicos fazem parte de um grupo de produtos químicos em expansão, comumente chamados de produtos químicos "alteradores de gênero” , porque podem atrapalhar seu sistema endócrino e afetar seus hormônios sexuais.

A EPA considerou os PFCs como "prováveis carcinógenos" e afirmou que o PFOA "representa riscos de desenvolvimento e reprodutivos para seres humanos". Pesquisadores também associaram vários PFCs a uma série de outros perigos à saúde, como:

  • Infertilidade — Um estudo publicado na revista Human Reproduction descobriu que tanto o PFOA quanto o PFOS (perfluorooctanossulfonato) aumentaram drasticamente as chances de infertilidade. O PFOA foi associado a um aumento de 60 a 154 por cento de chance de infertilidade.
  • Doença da tireoide — Um estudo realizado em 2010 concluiu que o PFOA pode prejudicar sua função tireoidiana. Indivíduos com maiores concentrações de PFOA tinham mais que o dobro de probabilidade de desenvolver doença tireoidiana, em comparação com aqueles com menores concentrações de PFOA. Sua tireoide contém proteína tireoglobulina, que associa-se ao iodo para formar hormônios, que por sua vez influenciam essencialmente todos os órgãos, tecidos e células do organismo. Hormônios da tireoide também são necessários para o crescimento e desenvolvimento de crianças. A doença da tireoide, se não for tratada, pode levar a doenças cardíacas, infertilidade, fraqueza muscular e osteoporose.
  • Câncer — O PFOA foi associado a tumores em, pelo menos, quatro órgãos diferentes em testes realizados em animais (fígado, pâncreas, testículos e glândulas mamárias nos ratos) e foi associado ao aumento de casos de câncer de próstata em trabalhadores de plantas com PFOA.
  • Problemas no sistema imunológico — Vários estudos realizados por cientistas na Suécia indicam que os PFCs promovem efeito adverso no sistema imunológico. Conforme descrito em um relatório sobre PFCs pelo Environmental Working Group (EWG), identificou-se que o PFOA diminuiu todas as subpopulações de células imunes estudadas, no timo e no baço, e causou imunossupressão.
  • Aumento dos níveis de colesterol LDL — Um estudo realizado em 2010 pelo Archives of Pediatric & Adolescent Medicine descobriu que crianças e adolescentes com níveis mais elevados de PFOA tinham níveis mais elevados de colesterol total e LDL ou colesterol "ruim", enquanto que o PFOS foi associado a um aumento no colesterol total, incluindo colesterol LDL e HDL ou colesterol "bom".

6. Batatas Não Orgânicas e Outros Produtos Frescos Conhecidos por Sofrer Alta Contaminação por Praguicidas

Batatas Não Orgânicas e Outros Produtos Frescos Conhecidos por Sofrer Alta Contaminação por Praguicidas

Sua melhor aposta é comprar apenas frutas e legumes orgânicos, pois produtos químicos sintéticos agrícolas não são permitidos sob as normas orgânicas do USDA. Dito isto, nem todas as frutas e verduras cultivadas convencionalmente são submetidas à mesma quantidade de pesticidas.

As 15 frutas e legumes seguintes apresentaram a maior carga de pesticidas, tornando-as as mais importantes a ser compradas ou cultivadas organicamente:

Maçãs

Aipo

Tomate cereja

Pepinos

Uvas

Pimentas picantes

Nectarinas (importadas)

Pêssegos

Batatas

Espinafre

Morangos

Pimentão doce

Couve

Couve-galega

Abobrinha

Em contraste, os seguintes alimentos foram identificados como aqueles com a menor carga residual de pesticidas, tornando-os a aposta mais segura entre os legumes cultivados convencionalmente. Observe que uma pequena quantidade de milho doce e a maioria dos mamões havaianos, embora pobres em pesticidas, são geneticamente modificados (GE).

Se você não tem certeza se o milho doce ou mamão é OGM, recomendo optar por variedades orgânicas:

Aspargo

Abacate

Repolho

Melão

Milho doce (não OGM)

Berinjela

Toranja

Kiwis

Manga

Cogumelos

Cebolas

Mamão (não OGM. A maioria dos mamões havaianos é OGM)

Abacaxi

Ervilhas doces (congeladas)

Batatas doces

7. Sal de Cozinha

Sal de Cozinha

O sal é essencial para a vida - você não pode viver sem ele. No entanto, o "sal de cozinha" regular e o sal encontrado nos alimentos processados NÃO são idênticos ao sal do qual seu organismo realmente necessita. De fato, o sal de cozinha praticamente nada tem em comum com o sal natural. Um deles prejudica a saúde, enquanto o outro a beneficia.

  • O sal processado é formado por 98% de cloreto de sódio, e os dois por cento restantes são compostos por produtos químicos fabricados pelo homem, como absorventes de umidade, e um pouco de iodo adicionado. Estes são produtos químicos perigosos como ferrocianeto e aluminossilicato. Alguns países europeus, onde a fluoretação da água não é praticada, também adicionam flúor ao sal de cozinha
  • O sal natural é formado por 84% de cloreto de sódio. Os restantes 16% de sal natural consistem em outros minerais que ocorrem naturalmente, incluindo minerais como o silício, o fósforo e o vanádio

Sendo que o sal é absolutamente essencial para se ter uma boa saúde, recomendo mudar para um sal puro e não refinado. Meu favorito é o antigo sal marinho e natural do Himalaia. O sal do Himalaia é completamente puro, tendo passado muitos milhares de anos amadurecendo sob extrema pressão tectônica, longe de impurezas, por isso não é poluído pelos metais pesados e toxinas industriais de hoje em dia.

E é extraído à mão e minimamente processado. O sal do Himalaia possui 85 por cento de cloreto de sódio, e os 15 por cento restantes contêm 84 vestígios de minerais provenientes de nossos mares pré-históricos. O sal natural não refinado é importante para muitos processos biológicos:

  • É um componente importante do plasma sanguíneo, do fluido linfático, do fluido extracelular e até do líquido amniótico
  • Transporte de nutrientes para dentro e para fora das suas células
  • Manutenção e regulação da pressão arterial
  • Aumento das as células gliais no cérebro, responsáveis pelo pensamento criativo e pelo planejamento a longo prazo
  • Ajuda o cérebro a comunicar-se com os músculos de modo que possam mover-se como indicado pela troca iônica de sódio-potássio

8. Proteína Isolada de Soja e Outros Produtos de Soja Não Fermentados

Proteína Isolada de Soja e Outros Produtos de Soja Não Fermentados

Infelizmente, a maior parte das informações sobre a soja as quais você foi levado (a) a acreditar pela mídia é simplesmente falsa. Um dos piores problemas com a soja vem do fato de que 90 a 95 por cento da soja cultivada nos EUA são geneticamente modificados (GM), e estes são usados para a produção de proteína isolada de soja. A soja geneticamente modificada é projetada para ser "Pronta para ser usada com Roundup", o que significa que ela é projetada para resistir a doses letais de herbicidas.

O ingrediente ativo do herbicida Roundup é chamado glifosato, que é responsável pelo rompimento do delicado equilíbrio hormonal do ciclo reprodutivo feminino. Além disso, o glifosato é tóxico para a placenta, responsável pelo fornecimento de nutrientes vitais da mãe para o filho e pela eliminação de resíduos.

Uma vez que a placenta tenha sido danificada ou destruída, o resultado pode ser um aborto espontâneo. Nas crianças nascidas de mães que foram expostas a uma quantidade pequena de glifosato, podem ocorrer sérios defeitos congênitos.

O mecanismo danoso do glifosato foi identificado apenas recentemente e demonstra como este produto químico perturba a função celular e induz muitas das nossas doenças modernas, incluindo o autismo. A proteína isolada de soja pode ser encontrada em barras de proteína, shakes que substituem refeições, bebidas de frutas engarrafadas, sopas e molhos, análogos de carne, produtos de panificação, cereais matinais e alguns suplementos dietéticos.

Mesmo que você não seja vegetariano e não use leite de soja ou tofu, é importante ler cuidadosamente os rótulos dos produtos. Existem tantos nomes diferentes para os aditivos de soja que você pode estar trazendo para casa um produto à base de soja geneticamente modificado, mesmo sem perceber.

Além da proteína isolada de soja, TODOS os produtos não fermentados de soja devem ser evitados se você valoriza sua saúde. Milhares de estudos associaram a soja não fermentada à desnutrição, estresse digestivo, colapso do sistema imunológico, disfunção tireoidiana, declínio cognitivo, distúrbios reprodutivos e infertilidade - até mesmo câncer e doenças cardíacas.

A única soja com benefícios para a saúde é a soja orgânica que foi adequadamente fermentada, e estes são os únicos produtos de soja que eu sempre recomendo consumir. Após um longo processo de fermentação, os níveis de fitatos e "antinutrientes" da soja são reduzidos e suas propriedades benéficas ficam disponíveis para o sistema digestivo.

9. Adoçantes artificiais

Adoçantes artificiais

Ao contrário da crença popular, estudos realizados concluíram que adoçantes artificiais, como o aspartame, podem estimular o apetite, aumentar os desejos por carboidratos e estimular o armazenamento de gordura e ganho de peso. Em um dos mais recentes estudos, a sacarina e o aspartame causaram maior ganho de peso do que o açúcar.

O aspartame é talvez um dos mais problemáticos. É principalmente composto por ácido aspártico e fenilalanina. A fenilalanina foi sinteticamente modificada para transportar um grupo metílico, que fornece a maior parte de seu dulçor.

Essa ligação metil fenilalanina, chamada éster metílico, é muito fraca, o que permite que o grupo metila na fenilalanina separe-se facilmente e forme metanol.

Você pode ter ouvido a alegação de que o aspartame é inofensivo porque o metanol também é encontrado em frutas e legumes. No entanto, nas frutas e legumes, o metanol está firmemente ligado à pectina, permitindo que ele passe com segurança através do trato digestivo. Não é assim com o metanol criado pelo aspartame; lá ele não está ligado a nada que possa ajudar a eliminá-lo do organismo.

O metanol age como um cavalo de Troia; ele é transportado para tecidos suscetíveis em seu organismo, como o cérebro e medula óssea, onde a enzima álcool desidrogenase (ADH) o converte em formaldeído, que causa destruição de proteínas e DNA sensíveis.

Todos os animais EXCETO OS HUMANOS possuem um mecanismo de proteção que permite que o metanol seja decomposto em ácido fórmico inofensivo. É por isso que o teste de toxicologia nos animais é um modelo falho. Ele não se aplica totalmente a seres humanos.

+ Recursos e Referências