Sobretreinamento Pode Diminuir sua Função Imunológica e Sobrecarregar suas Glândulas Suprarrenais

Sobretreinamento

Resumo da matéria -

  • Atividade física de intensidade moderada quase diária beneficiará sua função imunológica, diminuindo o número de dias em estado enfermo em até 50%. Esforço contínuo e intenso tende a ter efeito inverso
  • Atletas que praticam exercícios de forma excessiva são suscetíveis a infecções respiratórias e podem necessitar de suporte nutricional para evitar esse colapso da função imunológica. Levedura nutricional demonstrou ser muito eficaz para este caso
Tamanho da fonte:

Por Dr. Mercola

Vários fatores de estilo de vida podem contribuir para problemas de saúde e morte prematura. Talvez um dos mais perniciosos seja o estresse, que pode ser mental / emocional, ou, no caso de atletas, o estresse físico causado pelo sobretreinamento e falta de um período de recuperação.

Pesquisas demonstraram que atividades físicas de intensidade moderada quase diárias beneficiam sua função imunológica, diminuindo o número de dias em que se falta ao trabalho por doença em até 50%. Esforço contínuo e intenso tende a ter o efeito inverso.

Na sua forma mais grave, o estresse suprime total e temporariamente partes do sistema imunológico, tornando-o mais vulnerável a patógenos e outros invasores estrangeiros.

Como observado pelo Dr. Michael Greger, atletas que praticam exercícios de forma excessiva podem tornar-se suscetíveis a infecções respiratórias, e podem precisar de suporte nutricional para evitar esse colapso da função imunológica.

Sua melhor aposta é garantir que você se recupere o suficiente entre sessões de exercício, é claro, mas se o dano já foi causado, suplementos dietéticos, como levedura nutricional, podem ajudá-lo (a) a recuperar-se mais rapidamente.

O sobretreinamento também pode sobrecarregar suas glândulas suprarrenais e contribuir para a fadiga adrenal, que precisa ser tratada para preservar sua saúde. A síndrome do ovário policístico (SOP) é outra doença relacionada à glândula suprarrenal que pode ser desencadeada ou agravada pelo excesso de estresse físico e mental.

Benefícios Promovidos Pela Levedura Nutricional

Em circunstâncias normais, fazer um esforço intenso resulta em diminuição dos monócitos circulantes - glóbulos brancos que atuam como primeira linha de defesa do organismo contra invasores.

No entanto, atletas que ingeriram 3/4 de colher de chá de levedura nutricional por dia acabaram tendo quantidades maiores de monócitos circulantes duas horas após a prática de exercício intenso - mais elevado do que os números pré-treino, o que é bastante surpreendente.

Para avaliar se isso realmente se traduz em redução de doenças, pesquisadores testaram a levedura nutricional em corredores de maratona. Em comparação com o placebo, os corredores que ingeriram levedura nutricional cortaram pela metade o número de dias em que ficaram doentes nas duas semanas seguintes após a corrida.

Aqueles que tomaram levedura nutricional também relataram sentir-se melhor, tanto física quanto emocionalmente, em comparação ao grupo placebo. O grupo de tratamento relatou sentir-se menos fatigado, menos confuso, menos irritado e menos tenso. Eles também relataram um aumento significativo em seu vigor.

Levedura Nutricional - 'Superalimento' Rico em Vitaminas B

A levedura nutricional é uma excelente fonte de vitaminas B, especialmente de B6, mas também de B12, folato (B9), tiamina (B1), riboflavina (B2), niacina (B3) e ácido pantotênico (B5). Uma dose (2 colheres de sopa) contém quase 10 miligramas (mg) de vitamina B6 e quase 8 microgramas (mcg) de vitamina B12.

É também uma boa fonte de proteína, fibra dietética, magnésio, cobre, manganês e zinco. Eu amo o sabor da levedura nutricional e, pessoalmente, consumo uma colher de sopa dela com a maioria das refeições. É a mais alta fonte de vitaminas B, importantes para a saúde mitocondrial.

Ela não deve ser confundida com levedura de cerveja ou outras leveduras ativas, uma vez que a levedura nutricional é feita a partir de um organismo cultivado em melaço, que é então colhida e seca para desativar a levedura.

A Má Imagem Corporal Está Causando Estragos em seus Hormônios?

O estresse também pode ser um fator na síndrome do ovário policístico (SOP), doença causada por andrógenos elevados, ou seja, hormônios sexuais masculinos, que podem afetar os ciclos menstruais da mulher, a fertilidade, o peso e muito mais.

Isso pode ser especialmente verdadeiro se você consumir alimentos em excesso e exercitar-se em excesso para melhorar seu físico, se você não tiver ovários císticos, se seu peso estiver normal ou abaixo do normal e se você não tiver dificuldades com resistência à insulina.

Como o Estresse Crônico Pode Elevar os Hormônios Sexuais Masculinos de uma Mulher

Schoenfeld entra em maiores detalhes sobre a avalanche hormonal que pode desencadear a SOP, mas em resumo, o estresse estimula o organismo a produzir uma série de hormônios, começando com o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH), que estimula as glândulas suprarrenais a produzir hormônios do estresse como cortisol e adrenalina.

O ACTH também desencadeia a produção de hormônios adrenais andrógenos, incluindo a androstenediona, que é um dos dois principais hormônios androgênicos que causam sintomas de SOP nas mulheres.

Tem sido minha experiência clínica que a resistência à insulina desempenha função importante na SOP, e que a restrição de carboidratos não fibrosos a menos de 50 gramas por dia e ingestão moderada de proteína de 1 grama/kg de massa corporal magra podem ajudar dramaticamente. No entanto, o estresse também desempenha função importante.

Estresse e Fadiga Adrenais

Esforço excessivo crônico pode prejudicar gravemente sua saúde. Como descrito por Elinor Fish em um artigo anterior do Huffington Post, como ávida corredora, ela ficou surpresa quando de repente desenvolveu fadiga persistente e alterações de humor. Depois de lutar com isso por quatro anos, ela acabou sendo diagnosticada com fadiga adrenal.

Suas glândulas suprarrenais, localizadas logo acima de cada rim, são responsáveis por uma das funções mais importantes do seu organismo: controlar o estresse e, quando ficam sobrecarregadas ou esgotadas, todo o corpo sente e também sofre de exaustão extrema.

Como observado pela Dra. Michelle Eads: “A fadiga adrenal é um grande problema em nossa sociedade que vive em um ritmo acelerado, onde as pessoas usam suas profissões como distintivos de honra. Os sintomas da fadiga adrenal são tão comuns ... que tornaram-se a maneira "normal" de viver. Embora a fadiga adrenal possa ser notoriamente difícil de diagnosticar, a menos que ou até que sua saúde tenha se deteriorado significativamente, sinais indicadores incluem:

Dificuldade em permanecer adormecido (a) durante a noite ou dificuldade para acordar pela manhã, apesar de uma noite inteira de sono

Incapacidade de melhorar seu condicionamento físico; ficando cada vez mais cansado (a) em vez de mais em forma ao exercitar-se

Sentindo-se "ligado, mas cansado" e desejando poder tirar sonecas à tarde

Ganho de peso

Energia baixa; fadiga frequente

Ansiedade e/ou depressão do humor

Diminuição da motivação para exercitar-se

Diminuição da capacidade de lidar com o estresse; frequentemente sentindo-se sobrecarregado (a) por pequenos estressores ou pela vida cotidiana

Função imune deprimida

Fraqueza muscular

Desejo por alimentos ricos em sal, açúcar ou gordura

Problemas de pele

Diminuição da libido

Tontura ao levantar depois de sentar-se ou quando estava deitado

Memória fraca

Agravamento da TPM ou sintomas da menopausa

Importância de uma Função Adrenal Saudável

Suas glândulas suprarrenais secretam mais de 50 hormônios, muitos dos quais são essenciais para a vida e incluem:

  • Glucocorticóides — Esses hormônios, que incluem o cortisol, ajudam seu corpo a converter alimentos em energia, normalizar o nível de açúcar no sangue, responder ao estresse e manter a resposta inflamatória do sistema imunológico.
  • Mineralocorticóides — Esses hormônios, que incluem a aldosterona, ajudam a manter em níveis normais a pressão arterial e o volume sanguíneo, a manter equilíbrio adequado de sódio, potássio e água no seu corpo.
  • Adrenalina — Este hormônio aumenta a frequência cardíaca e controla o fluxo sanguíneo para os músculos e o cérebro, além de ajudar na conversão de glicogênio em glicose no fígado.

Juntos, esses hormônios e outros produzidos por suas glândulas suprarrenais controlam funções orgânicas como:

  • Manter processos metabólicos, como administrar os níveis de açúcar no sangue e a regular inflamações
  • Controle de sua resposta de "luta ou fuga" ao estresse
  • Produção de esteroides sexuais, como estrogênio e testosterona
  • Regulação do equilíbrio no organismo de sal e água
  • Manter a gravidez

Fatores Comuns Que Estressam Suas Adrenais

Embora suas glândulas suprarrenais estejam lá, em grande parte para ajudar você a lidar com o estresse, o excesso de estresse é, em última análise, o que faz com que sua função se deteriore. Quando as glândulas suprarrenais estão esgotadas, isso faz com que os níveis de certos hormônios, especialmente o hormônio cortisol, diminuam.

As várias deficiências hormonais variam em cada caso, variando de leve a grave. Sua forma mais extrema é conhecida como doença de Addison, doença potencialmente fatal que causa fraqueza muscular, perda de peso, baixa pressão sanguínea e baixa taxa de açúcar no sangue.

No outro extremo do espectro, assim como no seu meio, jaz a fadiga adrenal (também conhecida como hipoadrenia). Embora os sintomas sejam menos graves do que na doença de Addison, os sintomas da fadiga adrenal ainda podem ser debilitantes. Fatores comuns que colocam estresse excessivo em suas suprarrenais incluem:

Raiva, medo, ansiedade, culpa, depressão e outras emoções negativas

Excesso de trabalho, incluindo tensão física ou mental

Interrupção do ciclo de luz (como trabalhar no turno noturno ou dormir tarde frequentemente)

Inflamação crônica, infecção, doença ou dor

Deficiências nutricionais e/ou alergias graves

Prática excessiva de exercícios

Privação de sono

Cirurgia, trauma ou lesão

Extremos de temperatura

Exposição tóxica

Como Você Pode Diagnosticar a Fadiga Adrenal?

Há uma grande variedade de maneiras de medir a função adrenal. As mais comuns são exame de urina de 24 horas, coletas programadas ou coleta de sangue. Cada uma delas tem algumas desvantagens sérias, e é por isso que determinei que, para a maioria das pessoas, coleta de urina cronometrada é a maneira mais eficiente e melhor.

Você simplesmente tem de urinar em uma tira em quatro momentos específicos dentro de 24 horas e, em seguida, deixar as tiras secarem e enviá-las para o laboratório para serem analisadas. Os resultados do teste retornam com uma análise muito abrangente e gráficos coloridos. O teste pode ser obtido em dutchtest.com. É o que eu uso para verificar minha própria função adrenal.

Você Deve Exercitar-se se Tiver Fadiga Adrenal?

É importante reconhecer que leva tempo para se recuperar da fadiga adrenal. Para um caso de fadiga adrenal leve, você pode ter um tempo de recuperação de cerca de seis a nove meses. Para fadiga adrenal severa, seu tempo de recuperação pode ser de até dois anos.

A boa notícia é que você pode recuperar-se, mas provavelmente precisará fazer algumas mudanças em sua rotina diária, e isso pode incluir cortes nos exercícios. Recuperar-se entre as sessões é sempre importante, mas ainda mais se você tiver fadiga adrenal.

Dito isso, não pare de exercitar-se completamente. Só não se esqueça de ouvir seu corpo e descansar quando sentir-se cansado (a). Também certifique-se de que você esteja se alimentando com uma dieta rica em nutrientes, como a descrita no meu plano nutricional. Evite estimulantes como café e refrigerante, pois estes podem esgotar ainda mais suas glândulas suprarrenais.

Também é imperativo controlar seus níveis de açúcar no sangue. Uma das maneiras mais fáceis de fazer isso é alimentar-se com alimento de verdade. Ao evitar alimentos processados, você reduz automaticamente e drasticamente o consumo de açúcar, permitindo que seus níveis de açúcar no sangue, insulina e leptina se normalizem.

Movimentar-se Mais e Exercitar-se Menos Pode Ser a Chave para a Recuperação da Fadiga Adrenal

Nos últimos anos, tenho dado ênfase crescente na importância de permanecer ativo durante todo o dia. Simplesmente passar mais tempo em pé e evitar ficar sentado o máximo possível pode realmente ser parte mais fundamental da saúde do que cumprir com um regime de condicionamento físico regular. O mesmo pode ser dito sobre caminhar regularmente. Eu recomendo caminhar de 7.000 a 10.000 passos por dia.

Esse conselho pode ser ainda mais importante se você estiver sofrendo de fadiga adrenal e tiver perdido sua motivação e/ou capacidade de concluir seus exercícios regulares. É importante permanecer em movimento sem sobrecarregar muito o seu sistema, e caminhar é uma excelente opção.

À medida que sua recuperação progride, você poderá aumentar gradualmente a intensidade de suas caminhadas e começar a adicionar outras formas de exercício à medida que seu nível de energia retorna.

Acredito que é virtualmente impossível ser saudável sem exercício físico, mas se você estiver sob muito estresse ou se você exercitar-se com muita frequência, especialmente sem recuperação adequada, pode estar sobrecarregando seu corpo até o ponto de sofrer um colapso.

A fadiga adrenal é uma possibilidade que pode ocorrer ao se esforçar em excesso por muito tempo. Então aprenda a se sintonizar com e ouvir o seu corpo. E se você começar a sentir sintomas de fadiga adrenal, tome medidas proativas para diagnosticar e resolver o problema. Simplesmente não há razão para sofrer desnecessariamente, pois você PODE recuperar-se. E quanto mais cedo você conseguir, mais cedo poderá sentir-se como você normalmente se sentia.